Thaisa Galvão

27 de janeiro de 2012 às 7:52

A dor do filho prestes a enterrar o pai [6] Comentários | Deixe seu comentário.

Do ex-secretário estadual de Assistência Social, Fabian Saraiva, sobre o pai José Gercino Saraiva, titular da mesma pasta ocupada pelo filho no fim do governo Wilma de Faria, que morreu de câncer nesta quinta-feira…

 

A VELHA CALÇA MARROM…

O Pai fenece, mas o amor fica…
O homem parte, mas o exemplo permanece…
Ele leva minhas preces e deixa-me grande saudade.
… Deixa-me um triste silêncio,
Onde sempre existiu agitação,
Bons conselhos e, claro, boa música…

Lembro-me das tardes de domingo…
Elas não existirão mais!
Lembro-me da canção que escapava da varanda…
Ela não tocará mais!
Lembro dos dois toques na calçada da Rua João Pessoa…
A bola foi… Mas não voltou.

Os olhos que brilhavam de utopia
Não se abrirão amanhã…
O Guerreiro dormiu!
A REVOLUÇÃO, a única em que acreditei, ACABOU!
FOI PRECISO QUE LHE TIRASSEM O AR PARA FAZÊ-LO PARAR…

E agora, José!
O pulmão parou…
O coração pifou…
Mas a alma continua…
A memória, Pai, é eterna.

Eu fecho os olhos e te vejo…
Vejo-lhe, com a força de sempre,
A mesma da última hora…
Vestido numa velha calça marrom,
Com o terço de Dona Fefa na mão…

Tu me acenas!
– Valeu, Fabian…
Eu choro:
– Te amo, papai… E deixa os meninos comigo!

Fabian Saraiva – 26.1.2012.

Do Blog – O corpo de José Gercino Saraiva será enterrado logo mais, às 9 horas, no cemitério Morada da Paz, em Emaús.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*