Thaisa Galvão

31 de janeiro de 2012 às 11:49

Secretária de Carla Ubarana confessa desvio de dinheiro no Tribunal de Justiça do RN [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A secretária de Carla Ubarana, ex-chefe do setor de precatórios do Tribunal de Justiça do RN, Cláudia Suely, confessou o que os sua ex-chefe tentou esconder.

Eis notícia publicada pela Tribuna Online: 

-A servidora Cláudia Suely de Oliveira Costa, detida na manhã de hoje sob acusação de envolvimento no esquema de fraude na divisão de precatórios do Tribunal de Justiça do RN, confessou que realizava desvios de recursos por meio de resgates financeiros e depósitos. Em depoimento ao delegado, Marcus Dayan, da Delegacia Especializada de Investigação de Crimes Contra a Ordem Tributária, ela afirmou que não tinha consciência da irregularidade das operações e que estava apenas “cumprindo ordens”.

De acordo com Cláudia, a orientação vinha de sua chefe, a ex-responsável pelo setor de precatórios do TJRN, Cláudia Ubarana, exonerada do cargo sob a suspeita de coordenar o esquema.

Segundo o delegado Marcus Dayan, a servidora não revelou informações sobre o montante de dinheiro utilizado nestas operações. Ele informa, contudo, que há informações de que os desvios investigados pelas autoridades tenham variado entre R$ 25 mil e R$ 90 mil.

Além de Cláudia Suely de Oliveira Costa, também foram presos na manhã de hoje, durante o cumprimentos de mandados de prisão da Operação Judas, Carlos Eduardo Cabral Palhares de Carvalho , Pedro Luis da Silva Neto, e o casal Carla Ubarana de Araújo Leal, e George Luis de Araújo Leal Costa.
Ainda segundo o delegado Dayan, Carlos Eduardo, amigo de Carla Ubarana, e Cláudia Suely, secretária da servidora, eram responsáveis por receber o dinheiro e sacar de suas contas. Pedro Luis é escriturário da agencia de contas publicas do Banco do Brasil, e seria responsável por facilitar as transações bancárias, ainda de acordo com a investigações.

O casal Carla e George seria os responsáveis pelo planejamento do desvio de dinheiro dos precatórios do Tribunal de Justiça.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*