SELECT * FROM `wp_bannerize_b` WHERE `trash` = '0' AND (`maximpressions` = 0 OR `impressions` < `maximpressions`) AND ( (`start_date` < NOW() OR `start_date` = '0000-00-00 00:00:00' ) AND (`end_date` > NOW() OR `end_date` = '0000-00-00 00:00:00') ) AND `group` = 'anuncio lateral(240x200)'ORDER BY RAND() LIMIT 0,1;
  • fevereiro 2012
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    272829  
  • SELECT * FROM `wp_bannerize_b` WHERE `trash` = '0' AND (`maximpressions` = 0 OR `impressions` < `maximpressions`) AND ( (`start_date` < NOW() OR `start_date` = '0000-00-00 00:00:00' ) AND (`end_date` > NOW() OR `end_date` = '0000-00-00 00:00:00') ) AND `group` = 'anuncio lateral2(240x200)'ORDER BY RAND() LIMIT 0,1;
  • @thaisagalvao

    • 01
      fev

      Para PT, é hora de Henrique baixar o tom

      1 de fevereiro de 2012 às 21:25 — 1 comentário

      Mata e cura. Tem sido assim a relação do petismo-governismo com o deputado-líder Henrique Alves. Que andou falando demais e irritando o Planalto.

      Para um petista…mas sem falar pela presidente Dilma Rousseff, Henrique ainda pode ter o apoio do PT para disputar a presidência da Câmara, mas para isso, terá que baixar a bola.

      Sabe o que eu acho? Que a cúpula dá esse sinal apenasmente, como diria Odorico Paraguaçu, para dar um calaboca em Henrique.

      Quanto ao apoio…aí a história é outra e ainda requer um tempo…

      Tipo…vai depender da altura da bola do deputado potiguar.

      Veja nota publicada agora à noite por Lauro Jardim, na coluna Radar da página online da Veja:

      MOMENTO DE BAIXAR O TOM

      Hora de baixar a bola?

      Um integrante da cúpula petista na Câmara avalia o surto de Henrique Eduardo Alves no caso Dnocs como um fato isolado e argumenta que o PT irá manter o acordo de apoiar a candidatura de Alves para a sucessão de Marco Maia no ano que vem.

      A avaliação é de que a troca de comando na Câmara é um assunto de governo, que vai além das brigas partidárias, e deve ser negociada com o Planalto. Nesse ponto, porém, o mesmo petista recomenda a Alves discrição daqui para frente:

      -A gente sabe que essa estridência dele foi para dar satisfação aos amigos. Agora ele precisa baixar o tom para garantir o entendimento.

      Por Lauro Jardim

      Pela manhã, Lauro Jardim publicou notas pouco interessantes para o deputado-líder: anunciando a possibilidade do PSD entrar pra valer na disputa pela Presidência da Câmara.

      PELA PRESIDÊNCIA

      Henrique Eduardo Alves vai perder o sono quando descobrir que o PSD de Gilberto Kassab já começou a se articular para disputar a presidência da Câmara em 2013.

      Para concretizar a estratégia, o líder do PSD, Guilherme Campos, trabalha por um casamento providencial com o PSB de Eduardo Campos. Uma reunião de início dos entendimentos está marcada para esta quarta-feira, entre Campos e a líder socialista Sandra Rosado. Veja o que diz o líder do PSD:

      - O cenário da atual presidência, com o acordo entre PT e PMDB, foi modificado pelo surgimento do PSD. O tabuleiro da correlação de forças na Casa mudou é há uma possibilidade concreta de a nossa candidatura acontecer.

      IMPASSE NA CÂMARA

      A possibilidade de uma eventual candidatura do PSD à sucessão de Marco Maia coincide com a insatisfação do partido de Gilberto Kassab em relação ao atraso na liberação de espaços para o partido na Câmara. O Congresso retoma os trabalhos nesta quinta-feira e até agora Maia não conseguiu acomodar o PSD no espaço físico da Casa.

      Segundo Guilherme Campos, o partido recebeu 66 dos 106 cargos a que tem direito pela correlação de forças, mas ainda aguarda uma resolução para um pepino ainda maior: a redistribuição das vagas nas comissões. Pela proporcionalidade, o PSD tem direito a presidir duas comissões (participar de todas) e indicar um cargo na mesa. Campos vai se reunir hoje com Maia para retomar as negociações.

      Por Lauro Jardim

      SELECT * FROM `wp_bannerize_b` WHERE `trash` = '0' AND (`maximpressions` = 0 OR `impressions` < `maximpressions`) AND ( (`start_date` < NOW() OR `start_date` = '0000-00-00 00:00:00' ) AND (`end_date` > NOW() OR `end_date` = '0000-00-00 00:00:00') ) AND `group` = 'anuncio meio(630x90)'ORDER BY RAND() LIMIT 0,1;

      Deixe uma resposta

      O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


      *

      1 comentário em “Para PT, é hora de Henrique baixar o tom

      1. Fica dificl um país ir à frente com atos desonrados no cumprimento dos acrodos. Parece que vivemos num país de gangters. Acordos são descumpridos a toque de caixa. Nâo queremos santos ou anjos, mas o mínimo de decência nas relações. Não aguentamos mais atos desonestos. Henrique é exemplo de quem não trabalha pra si, mas para o colorário de interesses políticos do PMDB e seus aliados. Afinal, quarenta anos de mandatos foram construidos com compromissos e gente séria da política brasileira.