Thaisa Galvão

17 de janeiro de 2013 às 7:17

Jornais dão trégua a Henrique e Folha aposta nos articulistas para manter o assunto em alta [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Parece que os jornalões resolveram dar uma trégua ao deputado Henrique Alves nesta quinta-feira.

A Folha de S. Paulo, o que mais tem publicado denúncias contra o principal candidato a presidente da Câmara, não revela nenhuma novidade na edição de hoje.

Coloca no impresso o que publicou ontem no Online, quando Henrique afirmou que não tem que responder pela empresa que não é dele. E faz uma cronologia do assunto que já foi publicado até agora.

Sem novidades – presságio de que as novidades agora serão guardadas para mais perto da eleição – a Folha aposta nos articulistas.

O principal editorial, intitulado “Presságios”, diz que “a provável eleição de Renan Calheiros e Henrique Alves às presidências do Senado e Câmara emite um sinal desolador sobre o Congresso”.

O texto remói o que já foi publicado nas tantas reportagens do jornal sobre o assunto.

A colunista Eliane Cantanhêde, também em seu artigo de hoje, “ri” do bode Galeguinho, apontado pela Folha como ‘vigia’ da empresa do ex-assessor de Henrique.

Jânio de Freitas em seu artigo também pega pesado nos candidatos a presidente do Senado e da Câmara, e afirma que, com o Congresso comandado pelo PMDB, a presidente Dilma “está sendo cercada por uma armadilha que comprometerá o seu poder de decisão nos próximos dois anos restantes do mandato”.

 

*

O jornal O Globo sequer fala da existência do deputado Henrique Alves na edição de hoje.

A metralhadora giratória aponta somente para Renan Calheiros, candidato a presidente do Senado.

 

*

No Estadão, de destaque, somente a declaração da deputada do PSDB de São Paulo, Mara Gabrilli:

 

“Defendo o critério da proporcionalidade, mas meu voto não é de Henrique Eduardo. Se o PMDB indicar outro nome, voto no partido. Embora o Henrique Eduardo tenha que se explicar, ele perdeu o meu voto ao afirmar que a Câmara está acima do Supremo Tribunal Federal (STF) e que a questão sobre o mandato dos deputados envolvidos no mensalão deve ser decidida em votação secreta”

 

*

Correio Braziliense…nada…

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*