Thaisa Galvão

4 de fevereiro de 2013 às 10:44

Henrique sobre denúncia anônima: “Tão pequena, tão minúscula, comportamento sem cara, anônima, sem rosto, clandestina” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado Henrique Alves começou seu discurso registrando “absoluto respeito” aos demais candidatos, Rose de Freitas, Júlio Delgado e Chico Alencar.

“Vossas excelências enobrecem o debate”, disse o deputado, que “se atreveu” a pedir uma salva de palmas para a gestão do presidente Marco Maia (PT).

Henrique não resistiu e falou sobre a revista apócrifa, distribuída na madrugada nos gabinetes dos deputados.

“Em respeito a essa casa, que me conhece há 42 anos, vou falar sobre o assunto”, justificou o deputado, afirmando que foi surpreendido com o anonimato da denúncia.

“Tão pequena, tão minúscula, comportamento sem cara, anônima, sem rosto, clandestina”, criticou Henrique, dizendo saber de onde partiu o gesto.

 

“A labareda do fogo amigo eu sei de onde partiu e porque partiu, mas deixa pra lá. Essa pequena labareda não resiste a uma chuva de verão”, continuou o deputado, que ao começar a falar de seus compromisso como presidente da Câmara, lembrou do primeiro discurso que fez na Casa, no seu primeiro mandato, há 42 anos.

“Minhas pernas tremiam”, lembrou o candidato, reafirmando que está ali em nome do seu partido, que em decisão quase unânime, com apenas um voto a menos, o escolheu para ser o candidato.

Para agradecer a todos os partidos que lhe declararam apoio, recorreu a um papel, para não correr o risco de esquecer uma sigla sequer…

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*