Thaisa Galvão

26 de fevereiro de 2013 às 8:10

A reunião dos aliados e o que não será dito em nota oficial [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O resultado da reunião da noite desta segunda-feira, na casa do deputado Henrique Alves, em Brasília, será informado à imprensa através de uma nota oficial.

Nota bem elaborada, pensada e repensada, copidescada, com letras de uma paz pública jamais imaginada entre aliados que até ‘poucas horas’ atrás se digladiavam pela imprensa.

 

A nota não dirá aos jornalistas que o chefe da Casa Civil do governo, Carlos Augusto Rosado, foi o alvo principal da reunião, com críticas duras, principalmente dos deputados Henrique e João Maia, em relação ao estilo centralizador de ‘governar’ por parte dele.

 

A nota não dirá que os aliados reclamaram do governo mossoroense em vez de norte-rio-grandense, onde mais uma vez o alvo foi o marido da governadora.

 

A nota não dirá que o chefe da Casa Civil prometeu mudar e não ser mais o governista centralizador que vem sendo.

 

A nota não dirá que, por necessidade, a governadora Rosalba Ciarlini e o marido Carlos Augusto demonstraram humildade até então desconhecida pelos aliados de além-Mossoró.

 

A nota não dirá que o presidente da Câmara, Henrique Alves, disse com todas as letras à governadora, que o Ceará, Pernambuco e “atė a Paraíba” vêm se desenvolvendo e o Rio Grande do Norte amarga a paralisação do governo.

 

A nota não dirá que Henrique disse que se sentirá frustrado se, como presidente da Câmara, não conseguir ajudar ao RN.

 

A nota oficial tem o sentido de unificar a escrita dos jornalistas. O que não será simples assim…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*