Thaisa Galvão

22 de junho de 2013 às 23:32

Mega-Sena acumula e sorteio de quarta-feira deve pagar quase 30 milhões [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sábado de Mega-Sena acumulada.

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 1.505 e o prêmio acumulou, podendo chegar a R$ 29,5 milhões no sorteio de quarta-feira.

As dezenas sorteadas foram 01 – 02 – 06 – 09 – 16 – 32

A Quina teve 263 acertadores e cada um vai receber R$ 9.151,90.

Os 15.199 apostadores que acertaram a Quadra vão receber R$ 226,23, cada.

22 de junho de 2013 às 6:57

Beltrame confirma o que o Blog antecipou: possibilidade do Exército atuar em casos de badernas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame admitiu pela primeira vez que o Exército poderá atuar nas ruas da cidade.

Coisa que o leitor do Blog sabia desde anteontem, quando foi publicada aqui a declaração de um molitar do Exército, em atuação em um quartel do Rio.

Eis a declaração publicada na noite de quinta:

“As orientações que recebemos para ação foi de acompanhamento moderado da situação, com intervenção se necessário, nos casos de baderna generalizada ou depredação do patrimônio público e privado, a não ser em caso de legítima defesa”.

 

E, como disse o Blog, a solicitação foi feita com um pedido: que não se espalhasse a notícia de que o PT poderia abraçar aquilo que sempre combateu, além da corrupção: as Forças Armadas…

22 de junho de 2013 às 6:51

Mensalão: Julgamento JÁ [5] Comentários | Deixe seu comentário.

Da coluna Panorama Político, no Globo de hoje:

22 de junho de 2013 às 6:46

Rosalba e Carlos Eduardo aguardam chamado de Dilma para discutirem solução para o transporte público [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois do pronunciamento da presidente Dilma Rousseff, ontem à noite, agora a governadora Rosalba Ciarlini e o prefeito de Natal, Carlos Eduardo, aguardam o chamado da Chefe do Executivo para bater o martelo.

Eis trecho do discurso da presidente veiculado ontem em cadeia de rádio e TV:

 

Vou convidar os governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos.

O foco será:

Primeiro, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que privilegie o transporte coletivo.

Segundo, a destinação de 100% dos recursos do petróleo para a educação.

Terceiro, trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do Sistema Único de Saúde, o SUS.

22 de junho de 2013 às 6:35

Vem aí a Agenda Positiva do Congresso [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Resultado positivo do protesto…

Na marra, finalmente, as gavetas sendo abertas…

No #opovoquerfalar do Blog, foi essa agenda positiva que o deputado Felipe Maia (DEM) pediu.

Da Folha de S. Paulo de hoje.

22 de junho de 2013 às 6:27

Governadora nomeia Conselho de Defesa do Consumidor [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Publicada no Diário Oficial de hoje a nomeação, pela governadora Rosalba Ciarlini, do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor, para um mandato de 2 anos.

Abaixo os membros do Conselho.

 

Representado o Ministério Público

José Augusto de Souza Peres Filho – Titular

Alexandre Matos Pessoa Cunha Lima – Suplente

*

Representando a OAB-RN

Norivaldo Souto Falcão – Titular

Marcelo Macêdo Pereira  – Suplente

*

Representando a SEDEC

Otomar Lopes Cardoso  – Titular

Rinaldo Claudino de Barros – Suplente

*

Representando a Secretaria de Tributação

Enildo Alves Gama – Titular

Abraão Padilha de Brito – Suplente

*

Representando o IPEM/RN

Bernard Costa Pires – Titular

Vinícius Leite de Castro Medeiros – Suplente

*

Representando a ARSEP

Sólon Ferreira da Silva Júnior – Titular

João Francisco da Motta Neto – Suplente

*

Representando a FIERN

Fernando Antônio Bezerra – Titular

Hélder de Souza Maranhão – Suplente

*

Representando a FECOMÉRCIO

Jaciratan das Graças de Aguiar Ramos Filho – Titular

Francisco Denerval de Sá – Suplente

22 de junho de 2013 às 6:16

Durante o pronunciamento de Dilma, a vaia que não estava no roteiro dos protestos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Um protesto que não estava no script…

Na noite desta sexta-feira, durante pronunciamento da presidente Dilma Rousseff, em cadeia de rádio e TV, bastou uma pessoa, de e seu apartamento, no Rio de Janeiro, começar a vaiar, para todo o prédio, e alguns vizinhos, ecoarem a vaia…

Que rapidinho foi parar no youtube.

Quer conferir?

CLIQUE AQUI e ouça…

22 de junho de 2013 às 6:11

Para Rosalba, protestos sem presença de partidos ganham mais força em todo o país [1] Comentários | Deixe seu comentário.

#opoboquerfalar

Da governadora Rosalba Ciarlini sobre os protestos em Natal e no Brasil:

 

-Nós podemos fazer, sim, realizar manifestações pacíficas como a que ocorreu, não só em Natal, em todo o país.

-A manifestação, na maior parte do tempo, foi marcada pelo equilíbrio, muito embora tenha sido necessário conter algumas explosões daqueles que não estavam sintonizados com os objetivos da manifestação.

 

-Apesar de muito jovem, a democracia brasileira deu uma demonstração de amadurecimento. Milhares de pessoas tomaram as ruas de todas as capitais brasileiras de maneira pacífica sem que essas manifestações, em nenhum momento, colocassem em risco as instituições brasileiras.

 

-A ausência de partidos políticos e de entidades sindicais pode ter contribuído para dar mais força e dimensão às manifestações populares em todo país.

22 de junho de 2013 às 0:10

#opovoquerfalar: ‘Revolta sem líderes – Uma lição do passado’, por Renato C. Lima [0] Comentários | Deixe seu comentário.

#opovoquerfalar

De Renato C. Lima Filho, sobre o Brasil-história, de ontem e de hoje:

 

Revolta sem líderes – Uma lição do passado

O passado sempre nos reserva lições para as novidades de hoje, estamos nas últimas semanas vivendo história em seu estado bruto, analises diversas surgem, alimentadas por ideologias e percepções pessoais sem que ninguém chegue a um diagnóstico único, de fato o movimento é difuso, complexo e sem líderes marcantes, entretanto não foi a primeira vez em que ocorreu uma manifestação com essa característica no Brasil.

Em 31 de outubro de 1874, na Vila de Ingá, Paraíba ocorreu uma manifestação, com muitas similaridades a que hoje vivemos, ficou conhecida como “A Revolta do Quebra-Quilos” que se espalhou por boa parte do nordeste e somente em janeiro de 1875 que o governo Imperial conseguiu sufocar o movimento.

 

Para situar o cenário que motivou a revolta popular no contexto daquela época e já fazendo uma analogia aos dias atuais, entendam que o camponês nordestino no passado do Brasil imperial já sofria, como sofre hoje e a história se repete, com altos impostos cobrados e pela discrepante concentração de renda e de propriedades rurais provocando um desequilíbrio social como podemos observar em um trecho de um relatório enviado pelo então Governador Diogo Velho Cavalcante de Albuquerque à Assembléia Provincial:

“Realmente, há uma parte de nossa população profundamente desmoralizada, perdida até, mas resta uma grande massa, donde podem sair braços úteis. Que garantias, porém, acha esta para seus direitos, que segurança para os serviços que presta, que incentivo para preservar nas boas práticas? A constituição de nossa propriedade territorial, enfeudando vastíssimas fazendas nas mãos do privilegiados da fortuna, só por exceção permite ao pobre a posse e o domínio de alguns palmos de terra. Em regra, ele é rendeiro, agregado, camarada ou o que quer que seja; e então a sua sorte é quase um antigo servo de gleba”

Como percebemos as semelhanças são incríveis e não param por ai, naquela época o Brasil também vivia uma crise econômica pela queda dos preços do açúcar e do algodão no mercado exterior.

 

E como hoje, o governo daquela época invés de cortar gastos, aumentou despesas e inchou a máquina pública, houve também uma multiplicação de coletorias, visando aumentar a cobrança de impostos. De fato a arrecadação bateu recorde, como acontece hoje, mas também, não diferente, aumentaram as insatisfações das pessoas.

Meus amigos, quando me atentei por reler sobre a “Revolta do Quebra-Quilos” já imaginava encontrar uma ou outra similaridade, contudo ao pesquisar encontrei praticamente todos os elementos que testemunhamos hoje na “Revolta dos Vinte Centavos” e seu estopim nos leva a uma inusitada coincidência, ambas baseadas numa insatisfação prática, básica e cotidiana.

Se na “Revolta dos Vinte Centavos” foi o aumento da tarifa do transporte coletivo, na “Revolta do Quebra-Quilos” foi a mudança pelo Império do sistema de peso e medida, ou seja, na intenção de regular melhor a cobrança de impostos instituiu a obrigação de balança, antes as mercadorias eram medidas em palmos, jardas, polegadas ou côvados, e o peso calculado em libras e arrobas.

Naquela época, como hoje, a gota d’água que entornou o caldo das insatisfações foi simples e em ambas a inexistências de líderes foi uma característica, lembrem que naquela época as distancias eram maiores e obviamente não havia twitter, instagram e facebook e aquela revolta como essa se espalharam como pólvora com viés de vandalismos e quebradeira.

 

Aquela revolta foi reprimida pelo Império, mas a insatisfação não se reprime, as idéias permanecem e quatorze anos depois, precisamente em 15 de novembro de 1889 foi proclamando a República e a renovação da esperança.

Hoje, estamos vivendo ou revivendo a mesma oportunidade, o sistema “não nos representa mais”, como ficou comum dizer em qualquer roda de amigos, familiares, redes sociais e como a outra, essa é uma revolta sem líderes, logo não somos massa de manobra e como os brasileiros do passado podemos um dia conquistar uma nova república, mais democrática, mais igualitária para todos nós e para os que ainda nascerão e ai sim em berço esplendido.

Fica então uma homenagem ao passado e um vate ao futuro de todos nós, viva o Brasil!

“Sou quebra-quilos encoletado em couro Por vil desdouro me trouxe aqui A bofetada minha face mancha À corda, à prancha me afligir senti (…)E ao quebra-quilos desonrado, louco É tudo pouco quanto a infâmia faz; Se aqui contempla da família o roubo, Ali, no dobro, o flagelam mais (…)”

Renato Cunha Lima Filho