Thaisa Galvão

8 de agosto de 2013 às 0:45

Mesmo sem investigação, polícia e imprensa não cansam de acusar garoto de 13 anos por assassinato da família [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Ê Brasil…

Quando o assunto é Amarildo, o ajudante de pedreiro do Rio de Janeiro, que foi levado em uma viatura por policiais e misteriosamente desapareceu…a polícia é cuidadosa. Meticulosa.

Diz até que não tem certeza que Amarildo foi levado por policiais…Muito menos que ele pode estar morto.

 

Maasss…no caso do garoto de 13 anos, morto com a família em São Paulo, a polícia, sem sequer investigar, já atribuiu o crime ao menino…

Mais fácil incriminar quem já está morto. Mais fácil do que investigar.

A polícia sequer admite a participação de outra pessoa no crime. Vai dar trabalho…

Para encerrar logo o caso, como quem se apressa para esconder, ou não descobrir alguma coisa, a polícia acusa o menino, e o pior, ainda convence a imprensa.

Os telejornais da Rede Globo estão sendo implacáveis: não tem a menor dúvida que o menino matou todo mundo e depois se matou.

Um perigo pensar assim…

Ainda mais depois que se assistiu, em um protesto no Rio de Janeiro, a polícia acusar um rapaz de ter jogado coquetel Molotov na frente do palácio do governo…e depois, a partir de imagens gravadas, se comprovar que o rapaz não era nada daquilo que a polícia dizia…

Há bem pouco tempo, mais um caso: funcionários de um parque de diversão foram presos sob acusação de terem matado uma adolescente.

Não mataram.

Foram quase condenados apenas pelo fato de estarem no caminho da menina. E admitiram ter assassinado a garota por terem sofrido horas de tortura.

Então…mais fácil investigar assim: torturar para obter depoimento, mesmo mentiroso…ou acusar quem já morreu.

Tá difícil…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*