Thaisa Galvão

14 de setembro de 2013 às 23:58

Prefeita Cláudia Regina comanda reunião da AMORN em Umarizal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A prefeita de Mossoró, Cláudia Regina, que preside a AMORN – Associação dos Municípios do Oeste do Rio Grande do Norte, comandou reunião neste sábado em Umarizal.

Entre os assuntos em discussão, dois temas se destacaram:

-A parceria da UERN com municípios na elaboração do Plano de Resíduos Sólidos dos municípios da região Oeste.

-E a construção de uma estrada ligando Umarizal à Casa de Pedra, impulsionando o turismo regional.

A próxima reunião da Amorn está marcada para 26 de outubro, em Riacho da Cruz.

20130914-235726.jpg

Cláudia com o prefeito Mano Onofre, de Umarizal

14 de setembro de 2013 às 23:29

João Maia visita obras de estrada construída com recursos que ele ajudou a liberar em Brasília [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal João Maia (PR) e o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta (PMN), visitaram neste sábado as obras da ‘Estrada do Sal’, via quase 78 quilômetros ligando Mossoró, Upanema e Campo Grande.

A estrada, que está sendo construída com recursos do governo federal, só foi viabilizada depois que João Maia “desenterrou” o projeto que estava arquivado nas gavetas do Planalto e conseguiu incluí-lo no orçamento, possibilitando a liberação dos recursos.

Também acompanharam a visita o prefeito de Upanema, Luiz Jairo e seu vice, Anísio Júnior, o presidente da Faern, José Vieira e o vereador de Caicó, José Maria.

“Contei hoje, um sábado, quase cem máquinas trabalhando no trecho entre Campo Grande e Upanema. Pra quem não acreditava nela, está aí sendo construída. Esse foi um projeto que me dediquei, coloquei debaixo do braço, fui várias vezes ao ministro dos Transportes, ao diretor do DNIT e conseguimos viabilizar os recursos. Me sinto feliz em poder estar ajudando a construir o sonho de toda essa região. Eu também sonhei com essa estrada, mas eu sonhei acordado, trabalhei por ela”, disse João Maia.

20130914-232833.jpg

14 de setembro de 2013 às 21:52

Hospital Ruy Pereira tem mais 8 leitos de UTI [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Saúde na agenda da sexta-feira da governadora Rosalba Ciarlini.
Que começou o dia entregando 8 leitos de UTI ao Hospital Dr Ruy Pereira.

Segundo a governadora, os primeiros dos 159 novos leitos que estão sendo criados com o objetivo de solucionar a superlotação do Hospital Walfredo Gurgel (HWG).

“Nos últimos dois anos tivemos a habilitação de 88 novos leitos para a rede estadual e conseguimos a habilitação de 100 novos leitos de UTI. Iremos manter a nossa meta de implantar mais 56 novos leitos de terapia intensiva até o final do ano”, afirmou Rosalba.

Fotos: Elisa Elsie

20130914-215102.jpg

14 de setembro de 2013 às 21:49

Rosalba inaugura base do Samu em Macau [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A governadora Rosalba Ciarlini saiu do Hospital Ruy Pereira e foi a Macau, onde, ao lado do prefeito peemedebista Kerginaldo Pinto, inaugurou a base descentralizada do Samu.
A previsão é que a unidade faça 50 atendimentos por mês.
Com Macau, já são 45 os municípios do Rio Grande do Norte com bases do Samu.

*

“Espero que ninguém precise, mas se precisar a nossa Central de Regulação está apta a referenciar as ambulâncias para as unidades hospitalares. Na atual gestão, o Governo já implantou bases descentralizadas em Lajes, Areia Branca, Baraúna, Currais Novos, Pau dos Ferros e Apodi, dentre outros municípios”, disse a governadora.

Fotos: Ivanízio Ramos

20130914-214925.jpg

14 de setembro de 2013 às 21:48

Diretora da Ceasa, ex-vereadora de Macau não acompanhou governadora na inauguração do Samu [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em Macau, na solenidade de inauguração da base do Samu, a governadora Rosalba Ciarlini não achou a menor graça na ausência de uma aliada: da ex-vereadora Odete Lopes.
Filiada ao DEM, partido pelo qual foi candidata à prefeita na eleição passada, Odete ocupa uma direção na Ceasa…
Mas não foi prestigiar a chefa em Macau.

*
Dos aliados de Rosalba em Macau, também não acompanharam a governadora o ex-prefeito José Antônio Menezes, o vereador Dércio Cabral, o jornalista Bosco Afonso (PV)…

Acompanharam Rosalba os ex-prefeitos Afonso Lemos e Kidinho (presidente do DEM).

O deputado José Adécio (DEM) também foi à solenidade.

14 de setembro de 2013 às 19:29

Flor do Caribe termina sem deixar saudades em Natal [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Pergunta de telespectador…
Essa novela que acabou de acabar, que usou e abusou do nome de Natal…trouxe o quê mesmo de benefício para a capital potiguar?
Resposta que cabe bem ao trade turístico do Rio Grande do Norte.
*
Alguém sabe quanto se investiu na novela na intenção de trazer dividendos para o Rio Grande do Norte?

14 de setembro de 2013 às 19:28

Cabugi tenta voltar ao primeiro lugar anunciando série de reportagens policiais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E por falar em televisão…
Com 10 pontos a menos do que a TV Ponta Negra no horário do almoço, a InterTV Cabugi reagiu rápido.
E anunciou para segunda-feira, no noticiário do horário do almoço, uma série sobre Polícia Militar.
Vale uma consulta aos detalhes da pesquisa…

14 de setembro de 2013 às 16:56

Erick Pereira levanta análise, até então não debatida sobre os polêmicos embargos infringentes [1] Comentários | Deixe seu comentário.

D’O Globo de hoje:

BRASÍLIA — A Câmara dos Deputados manteve, deliberadamente, a possibilidade de apresentação de embargos infringentes nos julgamentos do Supremo Tribunal Federal. O GLOBO encontrou nos documentos de tramitação da mensagem presidencial número 43, de 1998, a análise da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara sobre a manutenção dos embargos e a opção dos parlamentares foi expressa a favor desse último recurso.

*

O debate foi suscitado pela chegada do texto do presidente Fernando Henrique Cardoso que propunha a extinção dos embargos. Em seu artigo 7º, a mensagem presidencial acrescentava um novo artigo à lei 8.038, de 1990. O texto sugerido pelo governo era claro: “Art 43. Não cabem embargos infringentes contra decisão do plenário do Supremo Tribunal Federal”.
No entanto, ao longo da tramitação da mensagem na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o então deputado Jarbas Lima, hoje professor de direito constitucional da PUC do Rio Grande do Sul, apresentou um voto em separado pedindo a supressão do trecho que previa o fim dos embargos. E argumentou:

*

“A possibilidade de embargos infringentes contra decisão não unânime do plenário do STF constitui importante canal para a reafirmação ou modificação do entendimento sobre temas constitucionais, além dos demais para os quais esse recurso é previsto. Perceba-se que, de acordo com o Regimento Interno da Suprema Corte (artigo 333, par. único), são necessários no mínimo quatro votos divergentes para viabilizar os embargos” — explicita o voto do deputado.

*

Lima ainda defende a necessidade de manutenção dos embargos justamente pelo fato que hoje tanto anima os condenados do mensalão: a possibilidade de uma nova composição do tribunal levar à revisão de condenações:

“Se a controvérsia estabelecida tem tamanho vulto, é relevante que se oportunize novo julgamento para a rediscussão do tema e a fixação de um entendimento definitivo, que depois dificilmente chegará a ser revisto. Eventual alteração na composição do Supremo Tribunal no interregno poderá influir no afinal verificado, que também poderá ser modificado por argumentos ainda não considerados ou até por circunstâncias conjunturais relevantes que se tenham feito sentir entre os dois momentos. Não se afigura oportuno fechar a última porta para o debate judiciário de assuntos da mais alta relevância para a vida nacional”, diz.

*

Apesar de o deputado Djalma de Almeida Cesar, que era o relator da matéria, ter defendido em seu primeiro voto a extinção dos embargos, conforme proposto por FHC, ele muda de posição ao longo da discussão e, no voto final, que acaba se transformando em lei, recebe a sugestão de Jarbas Lima e suprime o trecho que punha fim aos embargos.

*

Na avaliação do doutor em direito Constitucional pela PUC-SP Erick Wilson Pereira, a existência desse debate dentro do Congresso dará novo argumento para os defensores dos embargos:

“Você deve levar em consideração qual foi a vontade do legislador. Quando o plano da expressão não consta em determinado texto normativo, no conteúdo você pode levar em consideração o que o legislador debateu. Esse fato não foi debatido em nenhum instante. Se tivessem ciência disso, pode ter certeza que os defensores teriam levantado isso. É um fato novo,explica Erick.

14 de setembro de 2013 às 11:21

Corpo do pai do deputado Antônio Jácome será enterrado hoje à tarde [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Será logo mais às 15 horas o culto pela morte do Pastor Francisco Xavier de Mesquita, pai do deputado estadual Antônio Jpacome, que morreu nesta sexta-feira.
O velório está acontecendo na Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Candelária, onde será celebrado o culto.
Logo depois o corpo do Pastor será sepultado.

14 de setembro de 2013 às 11:16

Morre Luiz Gushiken, fundador do PT e ex-ministro de Lula [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

CORPO DO EX-MINISTRO LUIZ GUSHIKEN É VELADO EM SÃO PAULO

Ele morreu aos 63 anos na noite de sexta-feira em decorrência de câncer

Cíntia Acayaba
Do G1, em São Paul

O corpo do ex-ministro Luiz Gushiken começou a ser velado às 7h55 deste sábado (14) no Cemitério do Redentor, no Sumaré, Zona Oeste da capital paulista.

Gushiken morreu aos 63 anos na noite desta sexta-feira (13) no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O ex-ministro das Comunicações do governo Lula e fazia tratamento contra câncer no estômago desde 2002 e morreu em decorrência da doença.

Por volta das 8h30, chegou ao local o ex-presidente do PT e deputado federal por São Paulo José Genoino. Abatido, o deputado foi o primeiro político a chegar ao velório de Luiz Gushiken. Ele não quis gravar entrevista, mas ao sair, disse para as câmeras: “O silêncio fala por mim”
*
O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) também passou pelo velório por volta das 8h50.
O corpo de Gushiken chegou às 7h20 ao cemitério. O filho Guilherme Gushiken, 30, pediu que a imprensa não acompanhe o velório dentro da sala. “Ele lutava contra um câncer havia muito tempo, mas não esperávamos. Passamos a noite em claro, é um momento de muita dor”, disse.

Segundo a assessoria de imprensa do cemitério, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou presença, bem como ministros e deputados. O enterro será às 16h.

Gushiken foi ministro da Secretaria de Comunicação do governo Luiz Inácio Lula da Silva Lula. Ele exerceu três mandatos de deputado federal pelo PT (1987-1990, 1991-1994 e 1995-1999).
*
Durante o período de internação, recebeu no hospital visitas de integrantes do PT, entre os quais Lula, o presidente do partido, Rui Falcão, o senador Eduardo Suplicy, deputados e dirigentes sindicais.
Bancário, Gushiken foi fundador e dirigente do PT e da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Exerceu a coordenação de campanhas presidenciais de Lula e, no ano passado, foi absolvido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por falta de provas, da acusação de crime de peculato no julgamento do mensalão. A absolvição de Gushiken foi pedida pelo então procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

O ex-ministro foi acusado de peculato (delito cometido por servidor contra a administração pública) após depoimento de Henrique Pizzolato, ex-diretor de marketing e Comunicação do Banco do Brasil, que disse ter agido a mando de Gushiken no esquema que teria desviado, entre 2003 e 2004, R$ 73,8 milhões do Fundo de Investimento da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento (Visanet).
*
O dinheiro seria uma das fontes de recursos públicos do chamado “valerioduto”, esquema pelo qual eram repassados recursos a parlamentares como pagamento pelo apoio político ao governo Lula em votações no Congresso, segundo o entendimento dos ministros do Supremo.
Gushiken sempre negou as acusações e, em sua defesa, sustentou que não eram da sua alçada os recursos do fundo da Visanet.
Depois de deixar a Secretaria de Comunicação, Gushiken passou a ocupar a chefia do Núcleo de Assuntos Estratégicos (NAE) da Presidência da República, de onde se demitiu em novembro de 2011.
Ele conheceu Lula quando ainda era secretário-geral do sindicato, na década de 70. Depois, foi presidente nacional do PT (1988 a 1990) e duas vezes coordenador da campanha de Lula a presidente (1989 e 1998).

14 de setembro de 2013 às 10:20

As pressões quase familiares no TRE para salvar mandato do prefeito de Baraúna [3] Comentários | Deixe seu comentário.

Nos bastidores do TRE, até entre os técnicos que circulam para lá e para cá com documentos poderosos e sigilosos, só se fala nas pressões que o desembargador Virgílio Macedo vem sofrendo para votar, como substituto do desembargador João Rebouças, no processo de cassação do prefeito de Baraúna, Isoares Martins (PR).

Rebouças já havia declarado suspeição para não votar, pelo envolvimento de um genro no processo.
Macedo, até então, não tinha se manifestado para atuar no caso como juiz substituto, mesmo o caso já vindo se arrastando há mais de um mês.

Agora, mesmo com 4 votos já declarados, e o resultado praticamente conhecido, só a esquisita entrada de Macedo é capaz de alterar o placar e salvar o prefeito da cassação.

No vai e vem dos corredores do TRE, funcionários da confraria dos que sabem tudo, só falam do trabalho insistente de um advogado quase parente de um membro poderoso do Tribunal para empatar o placar e favorecer o prefeito de Baraúna.

Mas aí, num provável caso de empate, ainda resta o voto do presidente da Corte, Amilcar Maia.
Que num gesto de moralização da Justiça, assim que tomou posse, aprovou emenda ao regimento da Corte, tirando do presidente a missão de votar em processos de cassação, devendo o titular do cargo só se pronunciar em casos de empate.

A medida do presidente Amilcar Maia foi feita exatamente para evitar pressões.
Resta saber se, em dando certo o jogo do empate, o presidente do TRE vai se livrar das pressões do quase parente poderoso.

14 de setembro de 2013 às 10:00

Medida Errada: ponte Forte Redinha totalmente interditada provoca caos no trânsito [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem não está participando da caminhada do Medida Certa, da Rede Globo, que está acontecendo hoje em Natal, está chamando o programa de Medida Errada.

É que a polícia de trânsito, em vez de interditar uma via da ponte Forte Redinha, deixando o outro para o vai e vem da zona Norte e praias em pleno sabadão, interditou as duas.
E quem quer ir não vai, quem quer voltar não volta, quem está engarrafado não sai…