Thaisa Galvão

6 de setembro de 2014 às 23:09

Lula promete mergulhar fundo para pegar petróleo [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da série 'Desafios de Campanha":

O senador José Agripino, presidente do DEM, declarou, na convenção do PMDB, que iria subir até em um coqueiro para buscar um voto para seus candidatos a governador, Henrique Alves e à senadora, Wilma de Faria.

Hoje, no programa eleitoral da presidente-candidata Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula apareceu dizendo que, se preciso, vai mergulhar até uma camada de pré-sal para pegar petróleo.

E o marketing de Dilma ainda botou no ar.

CLIQUE AQUI para ver o vídeo

IMG_0609.PNG

6 de setembro de 2014 às 15:14

Em Nota, Henrique nega participação no escândalo da Petrobras e alerta sobre uso político de denúncia sem provas [7] Comentários | Deixe seu comentário.

Citado pela revista Veja, na reportagem sobre o escândalo da Petrobras, o deputado Henrique Alves (PMDB) emitiu nota, negando que tenha se beneficiado com dinheiro da estatal.

NOTA

Nunca pedi nem recebi quaisquer recursos por meio do senhor Paulo Roberto Costa.

As insinuações publicadas pela revista Veja, de forma genérica e sem apresentar evidências sobre o meu nome, não podem ser tomadas como denúncia formal nem fundamentada.

Foram feitas em um processo de delação premiada, sem apresentação de provas.

E delação premiada exige provas.

Peço a todos que fiquem atentos à manipulação do episódio na campanha eleitoral, por candidatos sem respeito pela verdade dos fatos.

Henrique Eduardo Alves

6 de setembro de 2014 às 13:34

Seta: Henrique e Fátima lideram [3] Comentários | Deixe seu comentário.

Divulgada hoje a pesquisa do instituto Seta contratada pelo portal Nominuto.
Eis os números:

Governo

Henrique Alves (PMDB) – 37,5%
Robinson Faria (PSD) – 28,3%
Robério Paulino (PSOL) – 1,8%
Simone Dutra (PSTU) – 1,6%
Araken Farias (PSL) – 0,8%
Brancos e nulos – 15,2%
Não responderam – 14,8%

Rejeição para Governo

Henrique – 20,1%
Robinson – 15,3%
Robério – 8,7%
Simone – 5,7%
Araken – 5,4%
Brancos e nulos – 25,6%
Não responderam – 19,2%

Senado

Fátima Bezerra (PT) – 30,1%
Wilma de Faria (PSB) – 26,4%
Roberto Ronconi (PSL) – 2,5%
Ana Célia (PSTU) – 1,2%
Lailson Almeida (PSOL) – 0,8%
Brancos e nulos – 17,9%
Não responderam – 21,1%

Rejeição para o Senado

Wilma – 22%
Fátima – 13,3%
Ronconi – 11,5%
Ana Célia – 4,4%
Lailson – 3,5%
Brancos e nulos – 25,2%
Não responderam – 20,2%

6 de setembro de 2014 às 9:02

Robinson e Fátima fazem campanha em Macaíba com o prefeito Fernando Cunha [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Os candidatos ao Governo, Robinson Faria (PSD) e ao Senado, Fátima Bezerra (PT) caminharam em Macaíba na noite desta sexta-feira.
Com a chapa da coligação Liderados pelo Povo estavam o prefeito
Fernando Cunha e os vereadores Ismarleide, João de Damião, Socorro Nogueira, Dadaia, Edma Maia e Rita.

“Está na terra de Macaíba aquele que não teve medo e vai ser o governador do Rio Grande do Norte”, discursou o candidato que começa a agenda deste sábado pelas ruas de Mossoró.

IMG_0485.PNG

6 de setembro de 2014 às 8:51

Com prefeito e vereadores, Fábio Faria faz campanha em Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o deputado federal-candidato Fábio Faria (PSD), já está em Mossoró.
Ontem à noite, com o prefeito aliado Francisco José Júnior, fez caminhada e comício.

Depois participou de reunião de lideranças na casa do vereador Ricardo de Dodoca (PTB).

“Fábio e eu temos em comum a disposição e a coragem para trabalhar. Ele firmou o compromisso de destinar 30% do orçamento de emendas para a nossa cidade. Serão 4,5 milhões para que em Mossoró tenhamos mais qualidade de vida”, afirmou o prefeito.

Em Mossoró Fábio tem apoio dos vereadores Cícera Nogueira (PSD), Ricardo de Dodoca (PTB), Jório Nogueira (PSD), Alex do Frango (PV), Genilson Alves (PTN) e Eró Alves (PROS).

Agora pela manhã o deputado acompanha o candidato a governador
Robinson Faria e lideranças pelo Mercado Central de Mossoró, a partir das 9h.

IMG_0484.PNG

6 de setembro de 2014 às 8:23

VEJA e o Petrolão: leia a íntegra da reportagem [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Veja a íntegra da reportagem sobre o Petrolão nas páginas da revista Veja.

IMG_0451.PNG

IMG_0456.PNG

IMG_0457.PNG

IMG_0458.PNG

IMG_0459.PNG

IMG_0465.PNG

IMG_0466.PNG

IMG_0467.PNG

IMG_0468.PNG

IMG_0469.PNG

IMG_0473.PNG

IMG_0474.PNG

IMG_0475.PNG

6 de setembro de 2014 às 8:00

Currais Novos: Henrique com Carlson na sexta e com Ezequiel no sábado [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O candidato a governdor, Henrique Alves (PMDB) esteve ontem à noite em Currais Novos.
Vai estar hoje à noite de novo.
Ontem, no palanque do DEM, do ex-prefeito Geraldo Gomes e do filho candidato a deputado Carlson Gomes.
São os novos aliados de CN.
Hoje estará com o deputado Ezequiel Ferreira e o ex-prefeito Zé Lins, do PMDB, e o atual prefeito Vilton Cunha, do PR.
Esses, os antigos aliados.
Em Currais Novos, antigos e novos não se misturam.
Em comum, o apoio à candidatura de Henrique ao Governo.
“Agradeço ao meu partido, pela compreensão de que sozinho, com a bandeira do PMDB, não teria condições de vencer as eleições”, declarou Henrique, no palanque de Carlson, agradecendo a Ezequiel.
Os dois disputam uma vaga na Assembleia Legislativa.
Ezequiel já tem e trabalha para renovar, com chances de ser um dos mais votados.
Carlson está na lanterna, mas trabalha para fazer o nome e disputar a Prefeitura de Currais Novos em 2016.
Vai disputar contra um candidato do grupo de Ezequiel.
Que poderia ser Zé Lins, se o mesmo não estivesse com os direitos políticos cassados.
Daí o clima de água e vinho entre os apoiadores da candidatura de Henrique em CN.
É que 2016 está bem ali, a um palmo do nariz.

No palanque de Carlson, Henrique
anunciou que no dia 15 o diretor do DNOCS vai a Currais Novos lançar o edital da adutora que será construída para solucionar o problema da falta de água no município e em Acari.

Carlson sabe que, dessa vez, se for prestigiar seu candidato, vai dividir a mesma sala – ou palanque – com seu adversário Ezequiel.
É que a luta pela construção da dita adutora começou com Ezequiel, na condição de deputado, pedindo primeiro à governadora Rosalba Ciarlini, inclusive em audiência com presença de Henrique.
Foram muitas as reuniões na Governadoria e no apartamento de Henrique.
Henrique anunciou no palanque de Carlson, que a adutora de 35 milhões será construída, e vai repetir o discurso hoje, no palanque de Ezequiel.
Na carreata de ontem participaram o candidato a governador Henrique Alves e seu vice, João Maia.
E na Caravana da Mudança em Currais Novos, Henrique citou João, que tem base eleitoral na região, como seu parceiro no Governo.
“Quero contar com a participação decisiva de João Maia à frente do nosso governo, e o Seridó será privilegiado, pois terá dois governadores a partir de Janeiro, eu e João Maia”.

Para hoje, em Currais Novos, são esperados Henrique, João, a candidata ao Senado Wilma de Faria, o candidato a federal Walter Alves e o ministro Garibaldi Filho.
Henrique deixou o palanque de Carlson ontem e pernoitou na fazenda Furna da Onça, de Ezequiel.
Se dizendo satisfeito com os dois palanques no município.
Fotos Rodrigo Matarazzo

IMG_0450.PNG

6 de setembro de 2014 às 7:18

Petrolão: Lula sabia de tudo e, citado, Henrique dispara: “A Petrobras é petista” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do blog de Reinaldo Azevedo, na Veja Online:

Petrolão
A lista de Paulo Roberto: esquema na Petrobras distribuiu propina nos governos Lula e Dilma

Petrolão – A lista de Paulo Roberto: esquema corrupto lotado na Petrobras distribuiu propina durante os governos Lula e Dilma; compra de Pasadena foi fraudulenta; Lula sabia de tudo. Eduardo Campos era um dos beneficiários. E Dilma? Pois é…

IMG_0443.PNG
Entre 2004 e 2012, Paulo Roberto Costa foi diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras. Ocupou, portanto, esse cargo, em sete dos oito anos do governo Lula e em quase dois do governo Dilma. Ao longo desse tempo, comandou o que pode ser chamado de “Petrolão” — ou o mensalão da Petrobras. As empreiteiras que faziam negócio com a estatal pagavam propina ao esquema e o dinheiro era repassado a políticos. A quais? Paulo Roberto já entregou à Polícia Federal e ao Ministério Público, num acordo de delação premiada, os nomes de três governadores, de um ministro de estado, de um ex-ministro, de seis senadores, de 25 deputados e de um secretário de finanças de um partido. Segundo o engenheiro, Lula sempre soube de tudo. E, até onde se pode perceber por seu depoimento, talvez a presidente Dilma — que era a chefona da área de energia do governo Lula e presidente do Conselho da Petrobras — não vivesse na ignorância. Paulo Roberto diz que a compra da refinaria de Pasadena foi, sim, fraudulenta e serviu para alimentar o esquema.

Paulo Roberto começou a prestar seu depoimento no dia 29 de agosto. Já gravou 42 horas de conversa. E, tudo indica, está apenas no começo. O Ministério Público Federal e o STF acompanham a operação, já que a denúncia envolve uma penca de autoridades com direito a foro especial. O esquema que ele denuncia é gigantesco. Ainda voltaremos muitas vezes a esse tema. Mas notem como é ridícula toda aquela conversa sobre financiamento público de campanha. Ainda que isso existisse, o mecanismo não serviria para impedir que máquinas criminosas se instalassem em estatais. Se o Brasil quer acabar com boa parte da roubalheira, deve começar privatizando as empresas públicas. Quais? Todas!

VEJA teve acesso a parte do depoimento de Paulo Roberto e traz reportagens exclusivas na edição desta semana, com a lista dos nomes citados por Paulo Roberto. Entre eles, estão cabeças coroadas da política brasileira, como o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, que morreu numa acidente aéreo no dia 13 de agosto, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), e Sérgio Cabral, ex-governador do Rio (PMDB). Paulo Roberto acusa ainda Edison Lobão, atual ministro das Minas e Energia, e atinge o coração do Congresso: estão em sua lista os presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

PT, PMDB e PP seriam os três beneficiários do esquema, que teria também como contemplados os senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Romero Jucá (PMDB-RR), e os deputados petistas João Pizzolatti (SC) e Candido Vaccarezza (SP), que já havia aparecido como um dos políticos envolvidos com o doleiro Alberto Youssef, que era quem viabilizava as operações de distribuição de dinheiro. Mas há muitos outros, como vocês poderão constatar nas reportagens de VEJA, como Mário Negromonte, ex-ministro das Cidades, do PP da Bahia.

O esquema começou no governo dele, que, segundo Paulo Roberto, sabia de tudo…

…e continuou no governo dela. Será que não sabia? O engenheiro está magoado a presidente…
Lula e Dilma não quiseram se pronunciar a respeito. Os demais negam envolvimento com Paulo Roberto. Alves, o presidente da Câmara, chega a dizer ao repudiar a acusação: “A Petrobras é petista”. Que o PT estivesse no centro do esquema, isso parece inegável. Um dos nomes da lista feita pelo engenheiro é João Vaccari Neto, o homem que cuida do dinheiro do PT. É secretário de Finanças do partido. Ele é, vejam a ironia da coisa, o substituto de Delúbio Soares. Não é a primeira fez que seu nome frequenta o rol de envolvidos em escândalos.

Paulo Roberto tem noção da gravidade de suas acusações. Tanto é que, quando ainda hesitava em fazer a delação premiada, cravou a frase: “Se eu falar, não vai ter eleição”.

E por que falou? A interlocutores, ele diz que não quer acabar como Marcos Valério, que ficará por muitos anos na cadeia, enquanto os chefões políticos do mensalão já se preparam para viver dias felizes fora do xadrez. O homem também está muito magoado com a presidente Dilma. Até agora, ele não fez nenhuma acusação direta à candidata do PT à reeleição — Lula não escapou —, mas deixa claro que ela foi, sim, politicamente beneficiada pelo propinoduto, que mantinha feliz a base aliada.

Qual vai ser o desdobramento político disso? Vamos ver. Uma coisa é certa: as revelações de Paulo Roberto atingem em cheio as duas candidatas que lideram a disputa pela Presidência da República: Dilma, por razões óbvias, e Marina, por razões menos óbvias, mas ainda assim evidentes. Ela é a atual candidata do PSB à Presidência. Confirmadas as acusações de Paulo Roberto, é de se supor que o esquema ajudou a financiar as ambições políticas de Campos, de que ela se tornou a herdeira.

A situação de Dilma, obviamente, é mais grave: afinal, ela era a czarina do setor energético, ao qual pertence a Petrobras. Presidia também o seu conselho. Deu um empregão para Nestor Cerveró, o homem que ajudou a viabilizar a compra de Pasadena, que Paulo Roberto agora diz ter sido fraudulenta. O chefão das finanças de seu partido é um dos implicados no esquema.

Paulo Roberto ainda está preso. Ele se comprometeu a abrir mão dos bens que acumulou em razão do esquema fraudulento e a pagar uma multa. As pessoas que atuam na investigação têm agora de confrontar suas informações com outras provas colhidas, com o objetivo de verificar se suas informações são procedentes. Se forem e se ele realmente ajudar a desbaratar um esquema de falcatruas bilionárias, pode ser até ganhar a liberdade.

A República treme.

Por Reinaldo Azevedo

6 de setembro de 2014 às 7:01

Aos 93 anos, morre Sylvia Ramalho Dantas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu nos primeiros minutos da madrugada de hoje a senhora Sylvia Ramalho Dantas, viúva de Osório Bezerra Dantas.
Ela morre aos 93 anos de idade e deixa os filhos Edgard, Ana Maria, Sylvia Maria e Maria do Carmo.
O corpo está sendo velado no Centro de Velório da rua São José, em Natal, e o enterro será no Cemitério Morada da Paz, no final da tarde.

6 de setembro de 2014 às 6:55

Justiça não acata representações de Fátima Bezerra para tirar programa de Ronconi do ar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Justiça Eleitoral não acatou as 4 representações da deputada-candidata ao Senado, Fátima Bezerra para tirar do ar os programas do candidato concorrente, Roberto Ronconi, dando a ela os espaços para direito de resposta.
Em seus programas, Ronconi tem dito que Fátima fala “besteira” quando se auto-intitula a “candidata ficha-limpa”, argumentando que, se algum candidato não fosse ficha-limpa não teria tido o registro deferido pelo TRE.
Ronconi ainda lembra a Fátima, em seus programas de rádio e TV, que fichas-sujas são os “corruptos do PT” que estão no Presídio da Papuda.
Ronconi disse que vai continuar falando a verdade em seus programas e não vai aceitar pressões.

6 de setembro de 2014 às 0:23

Perfil: Henrique lidera com maioria de 16% [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Divulgados nesta sexta-feira os números da pesquisa Perfil, registrada no TRE (00018/2014).
Eis os números pesquisados apenas em Natal:

Governo:

Henrique Alves (PMDB) – 36,40%
Robinson Faria (PSD) – 20,30%
Robério Paulino (PSOL) – 3,30%
Simone Dutra (PSTU) – 1,50%
Araken Farias (PSL) – 1,10%
Brancos/Nulos – 21,20%
Indecisos – 16,20%

Rejeição para Governo:

Henrique – 21,9%
Robinson – 13,4%
Araken – 9,7%
Simone – 7,6%
Robério – 4,7%
Rejeita todos – 18,4%
Não rejeita ninguém – 15,7%
Indecisos – 8,6%

Detalhe: Se 18,4% dos entrevistados rejeitam todos os candidatos, então por que há candidato com menos de 18% de rejeição?

6 de setembro de 2014 às 0:22

Senado: Wilma lidera mas dentro da margem de erro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na pesquisa do instituto Perfil, feita em Natal, a x-governadora Wilma de Faria lidera corrida pelo Senado

Senado

Wilma de Faria (PSB) – 32,3%
Fátima Bezerra (PT) – 31,8%
Roberto Ronconi (PSC) – 2,4%
Laílson (PSOL) – 1,6%
Ana Célia (PSTU) – 0,9%
Brancos/Nulos – 17,4%
Indecisos – 12,6%

Rejeição para Senado:

Wilma – 23,3%
Fátima – 17,5%
Ana Célia – 9,1%
Ronconi – 8,4%
Indecisos – 8,6%