Thaisa Galvão

20 de setembro de 2014 às 11:07

China: presos jornalistas que mantinham site extorquindo “clientes” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Observatório da Imprensa:
Qualquer semelhança….é mera coincidência?

CHINA
Site fechado e jornalistas presos após denúncia de extorsão

Tradução e edição: Leticia Nunes. Informações de Chris Buckley

O site de jornalismo financeiro 21st Century Net foi fechado na China depois de descoberto um esquema de extorsão de empresas chinesas, que eram pressionadas a pagar grandes quantias em troca de artigos positivos ou do sumiço de reportagens negativas. Oito pessoas foram presas, no início de setembro, por suspeita de ligação com o caso.

O presidente do site, Liu Dong, e seu editor-chefe, Zhou Bin, participavam do esquema com outros funcionários e membros de duas empresas de relações públicas. Liu e Zhou apareceram na emissora estatal CCTV, vestidos com camisetas cor de laranja de presidiário, confessando o crime. Junto com eles foram presos um diretor da área de publicidade do site e um repórter, além de executivos das empresas de relações públicas Roya Investment Services e Nukirin Investment Advisory.

Em um ambiente corporativo recheado de escândalos de corrupção, nepotismo e fraude, não eram poucas as empresas dispostas a pagar para proteger sua imagem, afirmou o jornalista Zhou Bin em sua aparição na CCTV. O grupo extorquiu dinheiro de mais de cem empresas desde novembro de 2013. Eles pediam “pagamento alto” em troca de cobertura positiva e “dinheiro de proteção” para não publicar reportagens negativas. Eram cobrados entre 200 mil e 300 mil yuan (77 mil e 115 mil reais) para as empresas para que artigos críticos fossem apagados. O pagamento era feito por meio de contratos publicitários.

Pressão comercial

O 21st Century Net funcionava – com administração distinta – sob o jornal 21st Century Business Herald, de propriedade do grupo de mídia estatal Nanfang. Assim como os outros veículos de mídia estatais chineses, eles operam num delicado equilíbrio entre a censura pesada do Estado e uma intensa competição comercial por público e publicidade. “Na mídia financeira chinesa, não há, normalmente, uma separação entre o lado comercial e o lado editorial”, explica o jornalista Zhao Jing, que escreve com frequência para a revista Caixin.

A pressão sofrida pelos jornalistas para lidar com a autocensura e com a busca por receita acabou se transformando, no 21st Century Net, em uma oportunidade de ganhar dinheiro. “Há muita pressão para que os repórteres atendam às demandas comerciais, então certamente você terá problemas como esse”, diz Zhao, lembrando que, neste modelo de negócios, a busca por receita publicitária acaba determinando a cobertura jornalística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*