Thaisa Galvão

5 de setembro de 2015 às 22:07

Em Pau dos Ferros, Robinson se depara com movimento de grevistas da Uern e se une ao grupo para conversar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria está em Pau dos Ferros onde acontece a tradicional Finecap, a feira de cultura que acontece todo ano.

No aeroporto, onde chegou com o deputado Galeno Torquato, foi recebido pelo prefeito Fabrício Torquato.

  

 

Quando entrou na cidade, Robinson se deparou com um grupo de estudantes e professores grevistas da Uern.
Como tem feito em relação a todas as categorias, Robinson viu o grupo e se aproximou.

Chamou para o diálogo.

Durante um

Bom tempo conversou com os representantes do movimento grevista, explicando a impossibilidade de atender às reivindicações da categoria como eles queriam, por causa da Lei de Responsabilidade Fiscal.

E o que poderia ser um encontro inflamado, terminou em entendimento.

  
“Reafirmei meu compromisso em chegar a uma solução para a greve. Estou empenhado nisto, buscando saídas possíveis dentro da lei. Foi uma conversa bastante amistosa, provando que o caminho do diálogo é sempre o mais importante”, disse o governador.

No palanque da Finecap, o governador discursou ao lado do prefeito e dos deputados federal Beto Rosado e estadual Galeno Torquato.

  

5 de setembro de 2015 às 20:31

Proprietário das livrarias Câmara Cascudo, Bira Marques receberá título de Cidadão Natalense [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Nascido no município de Bento Fernandes, o empresário Bira Marques será homenageado na próxima terça-feira com o título de Cidadão Natalense.

  
 Bira é proprietário da tradicional livraria Câmara Cascudo, que além do Rio Grande do Norte já chegou à Paraíba.

A proposição do título foi do vereador Adão Eridan (PR).

A sessão solene para entrega da distinção terá início às 18h30.

  

5 de setembro de 2015 às 18:11

Com presença de deputados de vários estados, Assembleia do RN promove debate sobre Pacto Federativo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Pacto Federativo será tema de uma grande discussão na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte na terça-feira, a partir das 9h.Deputados estaduais de vários estados do Brasil já confirmaram presença.

Caberá aos deputados Kennedy Nunes (PSD-SC) e Fernando Coruja (PMDB-SC) a apresentação da proposta de alteração da Constituição visando o fortalecimento de estados e municípios.

Na proposta, os deputados sugerem autonomia para os Estados legislarem sobre a descriminalização, propaganda comercial e agronegócio; a possibilidade de incluir e modificar normas sobre os impostos e sua distribuição para os estados e municípios; permitir que eleitores apresentem emendas à Constituição; e de tornar obrigatória a destinação de 10% da receita corrente bruta da União para investimentos em saúde pública.

5 de setembro de 2015 às 18:02

Para enfrentar crise, prefeito de São Paulo do Potengi reduz salários dele e dos auxiliares [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Naldinho, de São Paulo do Potengi, reduziu o salário dele, do vice e dos cargos comissionados.Corte de 20% sobre os valores.

A medida faz parte de uma série de ações tomadas para o enfrentar a crise que atinge os municípios brasileiros.

A redução dos salários foi aprovada pela Câmara de São Paulo do Potengi na quinta-feira.

Com a medida, a Prefeitura vai economizar 56 mil reais por mês.

“Estamos tomando essas medidas para que não sejam desempregados vários pais e mães de família em nosso Município. Esperamos, com fé em Deus, que essa crise passe rapidamente”, afirmou o prefeito.

  

5 de setembro de 2015 às 14:37

Garibaldi se submete a cateterismo e angioplastia e médicos dizem que alta está prevista para os próximos dias [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Assinado pelos médicos Antônio Carlos Onofre de Lira e Paulo Cézar Ayroza Galvão, o hospital oaulista Sírio Libanês emite boletim sobre o estado de saúde do senador Garibaldi Filho.

Que depois de retirar um cálculo no ureter, surpreendeu com a necessidade de se submeter a um cateterismo e angioplastia.

  

5 de setembro de 2015 às 11:03

Marinha do Brasil emite nota sobre resgate de migrantes no Mar Mediterrâneo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Marinha do Brasil emitiu nota sobre a atuação para salvar migrantes à bordo de uma embarcação no Mar Mediterrâneo.

Eis a nota:

Nota oficial da MB
Corveta Barroso realiza resgaste de 220 migrantes no Mar Mediterrâneo:  

 

Nesta sexta-feira, 4 de setembro, cerca de 13h30 hora de Brasília (18h30 na Itália), a Corveta “Barroso” da Marinha do Brasil, encontrava-se navegando no Mar Mediterrâneo, a 170 milhas da terra mais próxima, Sicília, Itália, com destino à cidade de Beirute (Líbano), quando recebeu um comunicado do Centro de Busca e Salvamento Marítimo (MRCC) italiano, por meio do sistema automático de comunicações do serviço internacional de Busca e Salvamento, sobre a existência de uma embarcação com risco de afundar com cerca de 400 migrantes, com destino à Europa. 

O MRCC solicitou ao navio brasileiro que se aproximasse da posição conhecida da embarcação, a cerca de 150 milhas da terra mais próxima, Peloponeso, Grécia, tendo o navio chegado ao local após uma hora de navegação. 

 

Dois Navios-Patrulha italianos de pequeno porte se juntaram à cena de ação e, tendo em vista a impossibilidade desses navios receberem os migrantes a bordo, a Guarda Costeira italiana solicitou o apoio da Marinha do Brasil para efetuar o resgate e o posterior transporte para o porto italiano de Catânia. O Comandante da Marinha do Brasil prontamente autorizou a prestação desse apoio, a fim de salvaguardar a vida daquelas pessoas. 

 

No momento, a transferência dos migrantes para a Corveta brasileira acaba de ser completada, tendo sido recebidas 220 pessoas, dentre os quais 94 mulheres, 37 crianças e 4 bebês de colo, muitos deles extremamente debilitados. No local, já é noite, porém o mar apresenta-se calmo, facilitando a operação em curso. 

 

A Corveta “Barroso” saiu em 8 de agosto do Rio de Janeiro para substituir a Fragata “União” na Força-Tarefa Marítima da Nações Unidas (FTM-UNIFIL) no Líbano, a fim de atuar como Navio Capitânia do Comandante da Força-Tarefa, cargo esse exercido por um Almirante brasileiro desde 2011, e realizar tarefas de interdição marítima e capacitação da Marinha libanesa. 

De projeto e fabricação nacionais, a corveta é um navio de 103,5 m de comprimento e 2.400 toneladas (a plena carga), com autonomia para permanecer por 30 dias em missão. Sua velocidade nominal máxima, com turbina a gás, é de 30 nós, e seu raio de ação, com velocidade de 12 nós, é de 4.000 milhas (ou 7.200 km). 

 

Com uma tripulação de 191 militares a bordo, o navio permanecerá no Líbano até fevereiro de 2016. Assim que a Corveta “Barroso” assumir a missão, a Fragata “União” retornará ao Brasil. 

5 de setembro de 2015 às 10:52

Palácio da Cultura não economiza na conta de energia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Foto Erick Nobre

  
Dez e meia da manhã do sábado, e as luzes do Palácio da Cultura acesas.

Conta de energia, cada vez mais cara por causa dos últimos reajustes, paga com dinheiro público…

5 de setembro de 2015 às 10:39

Presidente da Academia de Letras recorre à FJA para impedir que Casa de Cultura de Apodi despeje sede da Academia Apodiense  [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ao ler aqui no Blog que o gestor da Casa de Cultura de Apodi, havia despejado de suas instalações, a sede da Academia Apodiense de Letras, o presidente da Academia Norte-rio-grandense de Letras, Diógenes da Cunha Lima, decidiu tomar providências.

E falou com o presidente da Fundação José Augusto, Rodrigo Bico, que prometeu resolver o problema e pôr fim à polêmica, vez que as Casas de Cultura são vinculadas à Fundação.

Com a garantia da FJA, Cunha Lima já comunicou ao presidente da Academia de Letras de Apodi, Marcos Antônio Pinto, que Rodrigo Bico lhe informou que vai “resolver imediatamente o problema”.

A Cultura sem cor política-politiqueira agradece…

5 de setembro de 2015 às 10:25

Adjunta da pasta petista da Educação, Socorro Batista, do PT de Mossoró, é exonerada do cargo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Diário Oficial do Estado de hoje traz a exoneração da secretária adjunta da Educação, Maria do Socorro da Silva Batista.

Socorro é do PT de Mossoró.

O titular da pasta, Chagas Fernandes, também é do PT, como do PT é o subsecretário Domingos Neto, visto como homem forte na Secretaria.

Crise interna partidária?

5 de setembro de 2015 às 10:11

Época revela como propinas pagas a senadores do PMDB se transformavam em doações oficiais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A reportagem de capa da revista Época, na versão reduzida disponibilizada na internet.

A reportagem aponta o modus operandi do propinoduto repassado em forma de doação oficial.

O que, certamente, não aconteceu somente com os 3 senadores citados nem só com o PMDB….

  

   
A propina atômica do PMDB em Angra 3

A Procuradoria-Geral da República obtém evidências de que os senadores Renan Calheiros, Edison Lobão e Romero Jucá receberam propina de empreiteiras pelo contrato da usina nuclear

DIEGO ESCOSTEGUY

Às vésperas das eleições do ano passado, já com a Lava Jato fazendo a República tremer, o empreiteiro Ricardo Pessôa, dono da UTC, encontrou-se com o presidente da Eletronuclear, almirante Othon Pinheiro. O almirante era o responsável pela retomada da construção da usina nuclear de Angra 3, parada desde a década de 1980. Naquele momento, após anos de negociações, os contratos, que somavam R$ 3,1 bilhões, estavam prestes a ser assinados com o consórcio de empreiteiras liderado por Pessôa. O almirante Othon, que fora indicado ao cargo pelos senadores do PMDB, foi direto: “Vocês estão muito bem qualificados, vão ganhar, então vocês vão precisar contribuir para o PMDB”. Estava verbalizada, mais uma vez na longa história da corrupção política do Brasil, a chamada regra do jogo – o uso criminoso da máquina pública para enriquecer políticos e empresários, mantendo ambas as partes no comando do Estado.

Até agora, sabia-se que Pessôa, que se tornou um dos principais delatores da Lava Jato, acusara Lobão de participar do esquema nas obras de Angra 3. Houve menções vagas, também, a negociações entre o cartel do petrolão, com Pessôa à frente, e chefes do PMDB. Muito do que já se conhece da delação de Pessôa, porém, restringe-se às propinas para as campanhas presidenciais do PT em 2006 (Lula), 2010 (Dilma) e 2014 (Dilma novamente), cuja investigação foi pedida sigilosamente pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao ministro relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki. Quase nada se sabe sobre os bastidores – e as provas – da negociação e dos pagamentos de propina das empreiteiras do consórcio de Angra 3 aos senadores do PMDB. Segundo as investigações, se cartel havia entre as empreiteiras, cartel havia também entre os senadores do PMDB. E esse cartel do Senado é o próximo alvo de Janot e sua equipe – uma caça que se desenrolará nas semanas que virão, ameaçando ainda mais a frágil estabilidade política que ainda resta no Congresso, especialmente após a dura denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, também do PMDB.

ÉPOCA obteve acesso ao material de caça de Janot. Trata-se de um conjunto de documentos das investigações da Procuradoria-Geral da República (PGR), da Polícia Federal e da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba sobre a participação dos senadores do PMDB no esquema de Angra 3 – a maioria deles, inéditos. A reportagem também entrevistou investigadores, parlamentares e operadores do PMDB. Dessa apuração, emergem os detalhes desconhecidos do caso que, até o momento, destaca com mais força o envolvimento da trinca do PMDB do Senado – o presidente da Casa, Renan Calheiros, Romero Jucá e Lobão – na Lava Jato. Eles já são investigados no Supremo por suspeita de participação no petrolão. Renan, por exemplo, será denunciado em breve num desses processos. No eletrolão, que mimetizava a roubalheira da Petrobras na Eletronuclear e na Eletrobras, descobre-se não somente que os três chefes do PMDB no Senado são acusados de receber propina – descobre-­se que eles negociaram o pedágio pessoalmente, sem intermediários, como homens de negócio.
Nas próximas semanas, Janot pedirá a Teori autorização para investigar Renan e Jucá no caso de Angra 3 – Lobão já é investigado. Entre os investigadores, as últimas semanas foram tensas. Muitos queriam denunciar a turma do PMDB do Senado antes da sabatina de Janot na Casa. Também pressionavam para que o procurador-geral pedisse logo, formalmente, a investigação contra Renan e Jucá no caso Angra 3. No final de julho, os delegados da PF que atuam na Lava Jato, em Brasília, cobraram Janot e sua equipe, por escrito: por que não investigar Renan e Jucá no caso Angra 3? Janot optou pela estratégia de aguardar a recondução para, em seguida, partir para o ataque à turma do Senado. Ele foi reconduzido há duas semanas, com tranquilidade. Agora, sua equipe acelera os trabalhos para preparar os torpedos contra o PMDB do Senado.
O questionamento dos delegados sobre Renan e Jucá também foi enviado ao ministro Teori. Eles tinham razão em reclamar. As provas do caso apontam igualmente para os três senadores do PMDB. Há quatro delações premiadas, fechadas ou em andamento, algumas conhecidas e outras sigilosas, que fornecem as principais provas do que ÉPOCA narra nesta reportagem. A principal é a do empreiteiro Ricardo Pessôa, que tratava diretamente com os senadores e o almirante Othon. Há, também, as delações de dois executivos da Camargo Corrêa: Dalton Avancini e Luiz Carlos Martins. Martins era o homem da Camargo no projeto Angra 3. Está falando aos procuradores em Brasília. Há, por fim, a delação de Walmir Pinheiro, diretor financeiro da UTC, o encarregado de entregar a propina aos senadores do PMDB – e a muitos outros políticos. Teori, até agora, ainda não homologou a delação de Walmir Pinheiro. Em sigilo inquebrantável estão, por enquanto, as provas de que políticos com foro recebiam propinas em contas secretas em paraísos fiscais. Neste caso, também, há mais delações premiadas.

  
  
  
Outro lado
Os senadores do PMDB negam, veementemente, qualquer participação no eletrolão. Lobão disse, por meio de seu advogado: “A hipótese é completamente uma fantasia e o delator não tem nenhum compromisso com a verdade. Pura ficção mental”. Renan admitiu ter se encontrado com Pessôa – mas apenas isso. “O senador informa que esteve com o empresário mencionado. A doação obtida em nome do Diretório foi dentro do que prevê e permite a lei. O Senador agrega que jamais solicitou doações que fossem consequência de quaisquer impropriedades e que não se sente devedor de nenhum doador. O Senador também não conhece nenhum diretor da empresa responsável pela obra citada”, disse, em nota.
O senador Romero Jucá também negou tudo. “Não tenho conhecimento da delação e estou à disposição para prestar qualquer esclarecimento que o Ministério Público pedir. Não participei de nenhuma irregularidade em contratos com qualquer estatal”, disse, por meio da assessoria. Rodrigo Jucá não quis se pronunciar. O Consórcio Angramon, composto das empreiteiras que venceram os contratos de R$ 3,1 bilhões, negou qualquer irregularidade: “O Consórcio Angramon nunca efetuou nenhum pagamento de propina. Não podemos responder pelo que supostamente teria sido feito individualmente por qualquer pessoa ou empresa, mas podemos afirmar que todo ato relativo ao consórcio foi e está sendo executado dentro da legislação”. A UTC diz que não comenta casos sob investigação. Sibá Machado não retornou as ligações de ÉPOCA.
Na quinta-feira, o juiz Sergio Moro aceitou denúncia do MPF contra o almirante Othon e dirigentes das empreiteiras do cartel. Em sua decisão, Moro disse: “O caso é um desdobramento dos crimes de cartel, ajuste de licitação e propinas no âmbito da Petrobras, sendo identificadas provas, em cognição sumária, de que as mesmas empresas, com similar modus operandi, estariam agindo em outros contratos com a Administração Pública, aqui especificamente na Eletrobras Termonuclear S/A – Eletronuclear”. A regra do jogo está sob perigo.


  

5 de setembro de 2015 às 8:27

Lentidão do ministro do STF Teori Zavascki impede que PGR investigue pagamentos de propina nas campanhas de Lula e Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da coluna Expresso, impressa na Época “atômica” de hoje, a clareza: quem tenta proteger Lula e a presidente Dilma Rousseff, não é o procurador da República Rodrigo Janot.

Mas…o que diz a lentidão, quase esqueciemento, do ministro do STF, Teori Zavascki?