Thaisa Galvão

29 de setembro de 2015 às 21:18

Refém do PMDB, Dilma demite ministro petista da Saúde pelo telefone para dar pasta ao grupo de Eduardo Cunha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Por Thaisa Galvão
Refém do PMDB, a presidente Dilma Rousseff tem feito de tudo para agradar o partido que, apesar de ser do seu vice Michel Temer, tem trabalhado para botar em votação o impeachment da presidente.E nesse agradar, está o ‘voltar atrás’ na decisão de deixar o partido que tem 6 ministérios, com apenas 3.

Dilma, bravamente, anunciou o corte de 10 ministérios, e redução pela metade das pastas sob o comando do PMDB.

Só que, como o que se diz não se escreve, de 3, as pastas para o PMDB passaram para 5, e deverão permanecer em 6, como hoje, ou até chegar a 7, ampliando o espaço do partido que se preocupa mais com os cargos, e menos com o país.

Refém do PMDB, a presidente perde até mesmo a palavra.

E em nome do PMDB, Dilma demitiu hoje, pelo telefone, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, do PT.

Chioro andou se queixando que estava se sentindo “rifado” pelo Planalto, que anunciava aos 4 cantos que o ministro da Saúde deverá ser o deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), indicado pelo líder do PMDB, Leonardo Picciani.

Chioro só é ministro até quinta, quando se espera que a presidente anuncie, de verdade, o corte de 10 ministérios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*