Thaisa Galvão

4 de outubro de 2015 às 16:59

Depois da entrevista, festa de casamento de Romero Jucá não bombou [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Por Thaisa Galvão 

  
A entrevista nas páginas amarelas da Veja, do senador Romero Jucá, do PMDB, onde ele defende o rompimento do partido com o governo, pode ter sido a explicação para o número de mesas vazias na festa de casamento do próprio Jucá com a ex-funcionária Rosirene, ontem no belo espaço Recanto das Águas, em Brasília.

À Veja, falando sobre a ampliação dos espaços no governo para o PMDB, Jucá disse que o partido só “ampliou o número de suítes no Titanic”, dando a entender que PMDB e governo afundarão, assim como o navio…

A presidente Dilma Rousseff, que foi convidada, não compareceu, mas mandou avisar que não iria.

O presidente do Senado, Renan Calheiros marcou presença com a mulher Maria Verônica.

A presença do presidente não garantiu participação maciça do Senado na festa do colega.

Estavam o ex-presidente da Casa e padrinho do noivo, José Sarney, um dos líderes do PMDB no Senado, EunÍcio Oliveira, Edison Lobão, Blairo Maggi, Aloysio Nunes Ferreira, Ana Amélia Lemos, Marta Suplicy, o potiguar José Agripino Maia, e Fernando Collor de Mello, que circulava com o ar mais puro do universo…

Circulando nas mesas da oposição, o ex-presidenciável José Serra.

Do Rio Grande do Norte mais duas presenças e duas ausências:

Faltaram o ministro do Turismo Henrique Alves e o senador Garibaldi Filho.

O senador ainda se recuperando dos procedimentos cardíacos aos quais se submeteu.

Presentes à festa, além de Agripino com Anita, o empresário Flávio Rocha e o conselheiro do CNJ, Emmanoel Campelo.

Flávio e a mulher Anna Cláudia posaram com os os noivos.

  
Campelo esteve acompanhado do ministro do TSE, Admar Gonzaga, do ministro do TCU, Bruno Dantas, e do também conselheiros do CNJ, Fabiano Silveira.

*

Alheios às contas na Suíça, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha e a mulher, jornalista Cláudia Cruz, foram ao casamento do senador Romero Jucá com Rosirene.

Cunha não tinha como faltar, pois já havia declarado que o casamento foi o motivo da desistência da viagem que faria à Itália.

Investigado na Suíça, Cunha, segundo a imprensa nacional, temia ser preso na Europa. Ele nega.

Na festa de casamento ontem, Eduardo Cunha não parecia o homem festejado de até bem poucos dias atrás. Nem ele nem a mulher, ex-apresentadora global, sempre muito assediada por mulheres de políticos

O presidente da Câmara não foi assediado, e ficou o tempo todo com o baiano Geddel Vieira e o seu irmão, deputado Lúcio Vieira.

De ministros, Edinho Silva (PT) da Comunicação, Eliseu Padilha (PMDB) da Aviação, Aldo Rebelo (PCdoB) da Defesa, Kátia Abreu, da Agricultura, que posou com os noivos e postou nas redes sociais.

  
A festa de Romero Jucá e Rosirene foi bonita, porém, na linha de bebidas, tentou economizar nos comentários sobre ostentação.

O champagne não era francês: M. Chandon; o vinho mediano, whiski sem rótulos dos mais caros…

Apesar da pompa com decor e cerimonial dos mais badalados de Brasília, a festa do senador do PMDB não bombou.

Entrada e saíds sem congestionamentos, o que facilitou o trabalho dos manobristas.

Nenhum convidado tomou chá de banquinho aguardando o manobrista.

Resumindo, a festa que tinha tudo para unir presidentes de poderes e presidente da República, não bombou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*