Holiday
Holiday

Thaisa Galvão

9 de outubro de 2015 às 22:32

MP da Suíça apresenta detalhes dos gastos da mulher de Eduardo Cunha com dinheiro das contas secretas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha Online:

Mulher de Cunha pagou academia de tênis com conta secreta, diz Suiça

MÁRCIO FALCÃO

RANIER BRAGON

DE BRASÍLIA

  
Dossiê entregue pelo Ministério Público suíço à Procuradoria-Geral da República do Brasil revela que o dinheiro que saiu de uma conta secreta na Suíça atribuída à jornalista Claudia Cruz, mulher do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pagou despesas com dois cartões de crédito e até uma famosa academia de tênis na Flórida (EUA).
Segundo os investigadores, o dinheiro é fruto de propina da Petrobras, mais especificamente de um contrato de US$ 34,5 milhões da estatal relativo à compra de um campo de exploração em Benin, na África.
Segundo dados do banco Julius Baer, os recursos foram movimentados na conta com nome fantasia KOEK, que está em nome da jornalista, entre 2008 e 2015, e tem uma das filhas do deputado como dependente.
Essa conta tinha 146,3 mil francos suíços e foi bloqueada pelo Ministério Público da Suíça em 17 de abril de 2015, um mês após o STF (Supremo Tribunal Federal) abrir inquérito contra Cunha por suspeita de participação no esquema de corrupção da Petrobras investigado pela Operação Lava Jato.
GASTOS
Em um dos cartões de crédito foram gastos US$ 525 mil de janeiro de 2013 a abril de 2015. O outro registrou despesas de US$ 316,5 mil em quatro anos.
Os familiares de Cunha gastaram ainda US$ 59,7 mil com a IMG Academies, academia de tênis do treinador Nick Bollettieri na Flórida –uma das mais prestigiadas do mundo. Ele é considerado um “descobridor de estrelas” e já treinou campeões mundiais como Andre Agassi, Boris Becker e as irmãs Venus e Serena Williams. Além das aulas na Flórida, Bollettieri dá várias clínicas de tênis pelo mundo, inclusive no Brasil.
Há ainda pagamento de US$ 8.400 à Malvern College, uma escola na Inglaterra, e repasse de US$ 119,7 mil para a Fundacion Esade Banco, instituição financeira espanhola, além de transferência de US$ 52,4 mil a uma pessoa que não teria ligação com os desvios.
Além das transações financeiras de Claudia Cruz, os documentos revelam que três empresas offshore são ligadas a Cunha: Orion SP, Netherton e Triumph SP, que foram abertas entre maio de 2007 e setembro de 2008, sendo uma delas em Singapura.
De acordo com o material, as quatro contas somam entradas no valor de R$ 31,2 milhões e saídas de R$ 15,8 milhões, em valores convertidos para cotação desta sexta (9).
Os depósitos e retiradas foram feitos em dólar, francos suíços e euros.
As investigações na Suíça apontaram um repasse direto de 1,3 milhão de francos suíços (R$ 5,1 milhão) de uma offshore do empresário João Augusto Henriques para a Orion SP, de Cunha, entre 30 de maio e 23 de junho de 2011. Os depósitos foram feitos três meses após a Petrobras fechar o negócio envolvendo o campo de petróleo na costa oeste da África.
OUTRO LADO
Procurada no início da noite desta sexta, a assessoria de Cunha disse que ele reafirma os termos da nota que soltou sobre as supostas contas na Suíça.
No texto, o peemedebista diz “desconhece o teor dos fatos veiculados” e que só os comentará após ter “acesso ao conteúdo real do que vem sendo divulgado”.
O advogado de Cunha, o ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza, não atendeu à ligação da reportagem.
Em entrevista à Folha publicada nesta sexta, Cunha afirma ser vítima de “execração” devido a uma divulgação de dados seletiva, “vazada de forma criminosa”.

  
  
  

9 de outubro de 2015 às 21:39

Lewandowski homenageado no Tribunal de Justiça [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do STF e CNJ, ministro Ricardo Lewandowski, que lançou hoje no Tribunal de Justiça do RN, o programa de Audiências de Custódia, recebeu do presidente do TJ, desembargador Claudio Santos, a Medalha Valor Judiciário – Seabra Fagundes, a mais alta honraria do Poder Judiciário potiguar.“Sinta-se homenageado com o que temos de melhor”, disse Santos, lembrando que Miguel Seabra Fagundes é considerado um dos maiores juristas da história brasileira.
  

9 de outubro de 2015 às 17:55

Presidente do STF recebe título de cidadão do RN na Assembleia Legislativa. [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Terminada a solenidade no Tribunal de Justiça, o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski foi à Assembleia Legislativa receber o título de cidadão norte-rio-grandense. 

“O ministro tem um elogiado e respeitado trabalho que ecoa por todos os Estados e aqui no Rio Grande do Norte é um dos incentivadores do projeto Audiência de Custódia, que se caracteriza pela preservação dos direitos humanos e ameniza na superlotação dos presídios”, afirmou o presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza.

“Temos que reconhecer o valor para a democracia daqueles que vão buscar o voto dos cidadãos”, afirmou o ministro, agradecendo a homenagem.

À sessão solene, compareceram, além de deputados, o governador Robinson Faria, o presidente da Câmara, Franklin Capistrano e representantes da justiça do RN.

Fotos João Gilberto

  

9 de outubro de 2015 às 12:11

Democrata Fátima Lapenda recebe título de cidadã natalense [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Por proposição do vereador democrata Dagô, a Câmara de Natal concedeu ontem título de cidadã natalense à educadora Fátima Lapenda.Depois de atuar em sala de aula, Lapenda se dedicou à política e hoje trabalha na sede do Partido Democratas. 

Presente à sessão solene, a presidente do DEM Mulher, Anita Catalão Maia, presidente do MEIOS à época em que a homenageada trabalhava no órgão estadual.

Maria de Fátima Lapenda é natural de Nova Cruz/RN. 
Fotos Verônica Macedo

  

9 de outubro de 2015 às 11:57

Nome do advogado potiguar André Castro cogitado para disputar vaga de Marcelo Navarro no TRF-5 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Vai ser publicado no Diário Oficial de segunda-feira, 12, o Edital da OAB nacional abrindo o período de inscrições para o cargo de desembrgador federal do Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

O cargo, destinado a advogados, será para ocupar a vaga aberta pelo agora ministro do STJ, Marcelo Navarro Ribeiro Dantas.

As inscrições poderão ser feitas entre 26 de outubro e 17 de novembro, no Conselho Federal da OAB, em Brasília.

No dia 2 de dezembro, os 81 conselheiros – 3 de cada Estado – farão uma votação para escolha de uma lista sêxtupla que será encaminhada ao TRF-5, que por sua vez fará votação para escolha de lista tríplice.

Os 3 nomes indicados pelo TRF serão encaminhados ao Palácio do Planalto, para escolha da presidente Dilma Rousseff.

O Rio Grande do Norte já tem um pré-candidato: o advogado André Castro.

Castro tem hoje o apoio da senadora Fátima Bezerra e do vice-governador Fábio Dantas.

9 de outubro de 2015 às 11:37

Cachorrinho perdido já foi encontrado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O cachorrinho da raça shitzu que estava perdido hoje entre os bairros de Morro Branco e Nova Descoberta, em Natal, foi encontrado.

Uma pessoa que achou Lucky já devolveu à pequena dona inconsolável.

Ainda bem!

9 de outubro de 2015 às 11:06

Ministro Ricardo Lewandowski acaba de chegar a Natal para lançar audiências de custódia no TJ-RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Desembarcou agora na Base Aérea de Natal, em Parnamirim, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski.

Foi recebido pelo governador Robinson Faria, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cláudio Santos, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza, e o juiz federal Marco Bruno Miranda.

O ministro chegou com a esposa que foi recebida pelas esposas dos anfitriões.

Fotos João Gilberto

   
 

9 de outubro de 2015 às 10:58

Cachorrinho de raça shitzu se perdeu entre Morro Branco e Nova Descoberta e criança está inconsolável à sua procura [0] Comentários | Deixe seu comentário.

  
Se você está no bairro de Morro Branco, Nova Descoberta ou arredores, em Natal, e viu esse cachorrinho, ele tem uma dona que está inconsolável com o seu sumiço.

O cãozinho de raça shitzu é de uma criança que implora pela sua volta.

Quem souber do paradeiro do cachorrinho que atende pelo nome de LUCKY pode ligar para o número (84) 98809-2444.

9 de outubro de 2015 às 9:21

Manifestantes já esperam pelo presidente do STF na frente do Tribunal de Justiça [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O acesso ao Tribunal de Justiça do RN, em Natal, está sob a batuta do Supremo Tribunal Federal.

Credenciamento restritíssimo e previsão de protesto contra o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, que lançará o programa de audiências de custódia agors pela manhã.

Na frente do TJ o movimento já começou.

O policiamento é ostensivo.

Não seria melhor se esse rapaz não viesse?

Fotos Márlio Forte

   

 

9 de outubro de 2015 às 8:49

Ministro Ricardo Lewandowski chega a Natal e segurança do presidente do STF teme por novos protestos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do STF e CNJ, ministro Ricardo Lewandowski, desembarca às 10 horas no aeroporto de São Gonçalo.

Será recebido pelo governador Robinson Faria, pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Cláudio Santos, pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza…

A segurança do ministro teme novo protesto, já que ele foi recebido como um membro do PT tanto em Alagoas quanto na Paraíba, onde também foi lançar o programa de audiências de custódia.

Mesmo

Programa que será lançado em Natal, logo mais no Tribuna de Justiça.

E o TJRN também trabalhou para garantir a segurança do ministro e evitar protestos.

Ontem o TJ decidiu suspender o atendimento interno…depois suspendeu só o externo mantendo o interno….depois suspendeu de novo o interno.

Lewandowski não está livre de protesto em Natal.

Na programação do ministro, o lançamento do programa e um almoço no restaurante Camarões, na avenida Roberto Freire, em Ponta Negra.

9 de outubro de 2015 às 8:37

Manifestantes receberam Lewandowski em Maceió ao som de “STF é um puxadinho do PT” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, foi a Maceió, no dia 2 passado, também para lançar o programa de audiências de custódia no Tribunal de Justiça de Alagoas.

Visto como defensor do PT, foi alvo de protesto.

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF) foi recebido por integrantes do ‘Movimento Brasil’ usando camisetas com frases de ‘Fora, Dilma’ e com bonecos do ex-presidente Lula vestindo roupa de presidiário, e entoando um “Olê, olê, STF é puxadinho do PT”.

VÍDEO Clique Aqui e veja o protesto contra o presidente do STF em Maceió

  
 

9 de outubro de 2015 às 8:12

Nobel da Paz 2015 vai para a Tunísia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Quarteto de diálogo nacional da Tunísia vence Nobel da Paz 2015

Grupos tiveram ação decisiva para democracia na revolução de 2011. Protestos populares derrubaram regime de Ben Ali, há 23 anos no poder

  

 
O Quarteto de Diálogo Nacional da Tunísia ganhou nesta sexta-feira (9) o Prêmio Nobel da Paz de 2015, “por sua decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país durante a revolução de 2011″, segundo o comitê que entrega o prêmio.

O quarteto foi formado em 2013, quando o processo de redemocratização do país estava correndo risco de colapsar após assassinatos políticos e protestos se espalharem pelo país.

As organizações dividirão os 8 milhões de coroas suecas (US$ 963 mil) concedidos pelo prêmio, que será entregue em 10 de dezembro em Oslo, na Noruega.

Ele é composto por quatro organizações: a União Geral Tunisiana do Trabalho (UGTT, um sindicato), a União Tunisiana da Indústria, do Comércio e do Artesanato (Utica, patronato), a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia (ONAT) e a Liga Tunisiana dos Direitos Humanos (LTDH).

Durante o anúncio, o comitê do Nobel afirmou que o quarteto “estabeleceu uma alternativa, um processo político pacífico em um período no qual o país estava à beira de uma guerra civil”, e foi “instrumental ao permitir que a Tunísia, em um espaço de alguns anos, estabelecesse um sistema de governo constitucional.”

Segundo o comitê, sua formação garantiu “direitos fundamentais para toda a população, sem distinção de gênero, convicção política ou religião”, e seu trabalho permitiu que os avanços alcançados durante a revolução não fossem perdidos.

As organizações representam diferentes setores e valores da sociedade tunisiana. “Com essa base, o quarteto exerceu seu papel de mediador e força motriz para promover o desenvolvimento democrático pacífico na Tunísia com grande autoridade moral”, disse o comitê do Nobel. Por isso, o prêmio foi dado ao quarteto em si, e não às quatro organizações individuais.

O Nobel ressaltou o papel essencial que o quarteto teve na transição da revolução até a realização de eleições democráticas e pacíficas na Tunísia em dezembro de 2014.

Reação dos ganhadores

O chefe da UGTT disse que o prêmio é uma mensagem para a região sobre o poder da negociação e do diálogo e “uma homenagem aos mártires da democracia tunisiana”.

“Este esforço feito por nossa juventude permitiu que o país virasse a página da ditadura”, acrescentou Houcine Abassi, líder do histórico sindicato.

Revolução de 2011

A Revolução de Jasmim, como ficou conhecido o processo que atingiu a Tunísia entre 2010 e 2011, levou à queda do presidente Ben Ali, que ocupava o cargo desde 1987.

Ela começou com protestos populares após o suicídio de um vendedor ambulante, contra o regime autoritário do presidente. As manifestações foram reprimidas violentamente, e resultaram na derrubada do regime em 14 de janeiro de 2011.

*

Últimos ganhadores

2014: os vencedores do Nobel da Paz foram o indiano Kailash Satyarthi e a paquistanesa Malala Yousafzay, “pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação”. A estudante do Paquistão se tornou a mais jovem ganhadora do prêmio.
2013: Organização para a Proibição das Armas Químicas, entidade que supervisiona destruição do arsenal químico na Síria em guerra.
2012: União Europeia (UE), por ter contribuído para pacificar um continente devastado por duas guerras mundiais.
2011: Ellen Johnson Sirleaf, Leymah Gbowee (Libéria) e Tawakkol Karman (Iêmen), por sua luta não violenta em favor da segurança das mulheres e seus direitos a participar dos processos de paz.
2010: Liu Xiaobo (China), dissidente detido, “por seus esforços duradouros e não violentos em favor dos Direitos Humanos na China”.
2009: Barack Obama (Estados Unidos) “por seus esforços extraordinários com o objetivo de reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos”.
2008: Martti Ahtisaari (Finlândia) por suas numerosas mediações de paz em todo o mundo.
2007: Al Gore (Estados Unidos) e o Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU por seus esforços para aumentar o conhecimento sobre as mudanças climáticas.
2006: Muhammad Yunus (Bangladesh) e seu banco especializado no microcrédito, o Grameen Bank, porque “uma paz duradoura não pode ser obtida sem que uma parte importante da população encontre a maneira de sair da pobreza”.

9 de outubro de 2015 às 7:41

Apesar de provas, Cunha continua dizendo que não tem contas na Suíça e afirma que não vai renunciar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sair?

Jamais.

Mesmo com as contas na Suíça em seu nome e no nome da mulher, a jornalista Cláudia Cruz; mesmo com as contas tendo como endereço a residência do casal, na Barra da Tijuca, no Rio; mesmo com os extratos em seu nome constando 2 milhões e 500 mil dólares não declarados, o presidente da Câmara,  Eduardo Cunha (PMDB) não admite a hipótese de renunciar ao cargo para tentar manter o mandato de deputado.

E mais: continua negando que tenha contas na Suíça.

Mas, se não são dele, seriam de quem, em nome dele?

Eis a entrevista de Cunha à colunista Mônica Bérgamo, na Folha de hoje:
‘Esquece, não vou renunciar a meu mandato, vou persistir’, diz Cunha

MÔNICA BERGAMO

DE COLUNISTA DA FOLHA

  
Sob fogo cruzado depois da revelação de que mantém contas bancárias secretas na Suiça, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) diz que seu direito de defesa está sendo atropelado e refuta a hipótese de deixar o cargo.
“Esquece, eu não vou renunciar”, afirmou à Folha.
O peemedebista diz achar “engraçado” que parlamentares que “pedem o benefício da dúvida para eles” agora tentem afastá-lo da presidência da Câmara. “Isso é fascismo”, diz o deputado.
Nesta quinta-feira (8), ele recebeu a Folha para uma entrevista em seu gabinete. A seguir, os principais trechos:

*

Folha – O senhor tem ou já manteve contas na Suíça?
Eduardo Cunha – Sobre esse assunto eu não vou falar.
É que, se o senhor não fala…
Eu divulguei uma nota oficial em que reiterei o meu depoimento à CPI da Petrobras. Ponto. [Cunha afirmou na comissão, em março, que não tem contas no exterior].
Então o senhor está dizendo que as contas não são suas?
O meu depoimento está lá, eu reitero o meu depoimento.
E o senhor tem empresas offshore que seriam as titulares e controlariam essas contas?
Eu não vou cair na armadilha de alimentar essa discussão. Eu não vou tratar de especulações. A cada dia aparece uma história diferente. Eu estou sendo execrado por uma divulgação seletiva, vazada de forma criminosa, para tentar me constranger, como sempre. Meu advogado não quer que eu fale. Quando tivermos conhecimento dos fatos, ele falará por mim.
Mas o senhor não pode nem ao menos falar “sim” ou “não” sobre as contas?
Não vou falar uma palavra.
O senhor está confiante de que segue na presidência da Câmara dos Deputados até o fim de seu mandato?
O meu mandato só pode ser alterado se eu renunciar. E eu não vou renunciar. Não existe impeachment de presidente da Câmara. Aqui [um afastamento] é só sob meu juízo próprio. E eu vou persistir.
Ainda que o STF aceite denúncia que o Ministério Público apresentou contra o senhor?
Esquece, eu não vou renunciar. Eu já fui réu. Um ano depois, fui inocentado por unanimidade. Eu tenho direito à presunção da inocência, ela tem que valer para todos.
O meu direito está sendo atropelado. Há uma seletividade. A minha pergunta é a seguinte: depois de um ano e oito meses de investigação, 39 inquéritos abertos, quem com foro, do PT ou do governo, está denunciado como eu? Tem alguém? Por que esse açodamento comigo? Obviamente há uma escolha.
Há notícias de que a oposição, em especial o PSDB, defenderá o seu afastamento caso as denúncias se comprovem.
É mentira esse negócio de que vieram me comunicar qualquer coisa. Agora, eles têm direito de ter um posicionamento. Mas não há a menor possibilidade de alterarem o meu. Não vou admitir ser colocado em xeque em função de problemas políticos de quem quer que seja.
O TCU rejeitou as contas de Dilma Rousseff anteontem. A oposição em seguida foi à casa do senhor discutir o impeachment da presidente.
A oposição não foi à minha casa discutir impeachment coisa nenhuma. Todas as noites eu recebo deputados, tanto os que são radicalmente a favor do impeachment quanto os que são radicalmente contra. Desminto isso categoricamente. Senão fica parecendo que estou fazendo algum tipo de conspiração.
Claramente: o senhor está trabalhando pelo impeachment?
Se eu estivesse, por que não aceitaria os pedidos [que deram entrada na Câmara]?
Para não arcar com o ônus de aceitar a proposta sozinho.
Vi reportagens que dizem isso. Me deixam até um pouco irritado porque só tenho duas opções: aceitar ou rejeitar os pedidos de impeachment.
Há uma terceira: não analisá-los agora. Afinal, o senhor não tem prazo para fazer isso.
E botar na gaveta? Qual foi o presidente da Casa que deixou na gaveta um pedido de impeachment? Tem um livro aqui com o registro de todos os pedidos de impeachment [contra outros presidentes]. Não tem um caso que ficou na gaveta. Então eu não tenho esse direito. Tenho obrigação funcional. E vou cumprir a minha obrigação. Ninguém pode me cobrar por não botar [os pedidos] na gaveta, por não usar um subterfúgio. Se eu fizesse isso, diriam que o governo me comprou.
O senhor não está então combinando com a oposição?
Eu não estou combinando com ninguém. Apesar das minhas divergências com o governo, não tem uma declaração minha a favor do impeachment. Eu sempre digo que ele não pode ser um recurso eleitoral. E até agora não houve representação que juridicamente apontasse fato que poderia ser enquadrado como impedimento, um crime cometido no mandato.
O senhor arquivará o pedido dos juristas Helio Bicudo e Miguel Reale Junior?
Pretendo passar o feriado debruçado sobre esse pedido. Quero ver todas as nuances possíveis e imaginárias. Mas, se forem apontados fatos de mandatos passados, a tendência será essa [arquivar].
A oposição recorrerá então ao plenário. Ela tem a maioria para admitir a discussão?
Difícil dizer. A casa tem circunstâncias, ela tem momentos. Uma coisa é derrotar o governo. Outra coisa é impor a ele esse tipo de circunstância.
O governo acaba de fazer uma reforma ministerial e sofre derrotas na Câmara. Por que?
A reforma ministerial teve um ponto positivo, que foi a retomada, pelo núcleo majoritário do PT, da articulação política e do Palácio do Planalto. No resto, foi inócua. Dos dez ministros, sete só trocaram de pasta e apenas três são novos. Não teve reforma. Não alterou nada. Quem era contra, continua contra. Quem era a favor continua a favor. Partidos que não participaram do processo ficaram revoltados. No PMDB, a disputa interna foi acirrada desnecessariamente. Mas o problema é um pouco maior.
E qual é o problema?
O governo não entende que conquistar a maioria não significa só dar cargo. É necessário discutir as políticas públicas. E as decisões continuam centralizadas.
O ministro Joaquim Levy, da Fazenda, por exemplo, discutiu exaustivamente o ajuste fiscal com o Congresso.
O Levy não veio aqui para nos escutar. Ele veio tentar nos doutrinar. Alguém [do governo] nos perguntou se seria conveniente relançar a CPMF? Nunca. Alguém discutiu previamente com a gente as propostas de ajuste fiscal, os cortes nas emendas impositivas? Que iam fazer e acontecer? É um desastre o que foi feito.
O ajuste não passa?
Que ajuste? Não tem ajuste. Esse ajuste é uma brincadeira. O governo fala que está cortando R$ 26 bilhões mas na verdade só cortou R$ 2 bilhões. Destes, R$ 200 milhões vêm da redução de ministérios. Eu, só de despesa com hora extra, em uma canetada aqui, economizei R$ 80 milhões. Estão fingindo que cortam. E querem passar a conta para o aumento de impostos, sem discutir que a retração da economia está fazendo com que a arrecadação caia. Como já disse o Renan [Calheiros, presidente do Senado], é como o cachorro mordendo o próprio rabo.
Enfim, eu tenho profundas divergências na forma da condução da economia.
Por exemplo?
Se eu for te detalhar aqui pode virar uma crise. Mas essa história de que você só coloca o pessimismo, só coloca o pessimismo, gera uma tragédia. O país parou. A revolta é muito grande, com empresas fechando, empregos sendo perdidos. A palavra ajuste virou quase que um palavrão.
A presidente sofre derrotas no Congresso, no TCU e no STF e será investigada pelo TSE. Imaginando que o impeachment não prospere, o que se pode esperar? Um governo que se arrasta por três anos, em recessão profunda?
Se não mudar, é isso. Eu acho que não tem nada que não seja solucionável. E, ao mesmo tempo, tudo pode ser um problema. É aquela velha história do sujeito com um passarinho que fecha a mão e pergunta ao sábio se o passarinho está vivo ou morto. E o sábio diz: está nas suas mãos.

9 de outubro de 2015 às 0:25

Provas contra envolvidos no esquema da Petrobras serão comparadas com movimentações na Receita Federal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1
Ministro do STF compartilha provas da Operação Lava Jato com Receita
Órgão poderá fazer cobranças fiscais se encontrar irregularidades. Pedido foi feito pela Ministério Público no Paraná e teve aval da PGR

Por Renan Ramalho

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta quinta-feira (8) o compartilhamento de provas colhidas na Operação Lava Jato com a Receita Federal.

Com o material, o órgão poderá abrir procedimentos fiscais, para realizar cobranças de tributos não pagos, por exemplo, caso sejam encontrados indícios de irregularidades.

 

O pedido foi feito pela Ministério Público Federal no Paraná e foi repassado ao STF pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Serão remetidas à Receita provas sobre o esquema de corrupção da Petrobras produzidas a partir dos depoimentos do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa.
Delatores do caso, os fatos narrados pelos dois e também por outros delatores da Lava Jato levaram à abertura de 27 inquéritos contra 23 deputados federais e 13 senadores no Supremo Tribunal Federal.
Na decisão que autorizou o acesso às provas, Zavascki cita outras decisões da Corte que não veem impedimento para o compartilhamento para abertura de outros processos criminais.

Além disso, lembrou que os inquéritos derivados das delações de Youssef e Paulo Roberto não tramitam sob segredo de Justiça.