Holiday

Thaisa Galvão

16 de outubro de 2015 às 23:56

Fernando Baiano revela pagamento de propina ao presidente do Senado, Renan Calheiros [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Época:

A cota de Renan no petrolão

O lobista Fernando Baiano afirma que propina de US$ 6 milhões por uma sonda da Petrobras foi paga ao PMDB – parte foi para o presidente do Senado

DANIEL HAIDAR E TALITA FERNANDES

Desde seu início, a Operação Lava Jato gera conversas tensas no gabinete do presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB. Com seus aliados, Renan já temeu o que poderia surgir da Transpetro, subsidiária da Petrobras comandada durante 11 anos por seu afilhado Sérgio Machado. 

Recentemente, o foco de suas preocupações se transferiu para os depoimentos prestados pelo lobista Fernando Soares, o Baiano, no acordo de delação premiada. 

Há quase nove meses preso em Curitiba, Fernando Baiano revelou nas últimas semanas a extensão da influência de líderes do PMDB na Petrobras. Mais especificamente, Baiano contou que parte da propina obtida em contratos da estatal com empresas privadas era direcionada a Renan Calheiros.
A área de atuação de Baiano era a diretoria de Internacional da Petrobras, em que Nestor Cerveró e, em seguida, Jorge Zelada reinaram graças ao apoio do PMDB. 

Baiano contou aos investigadores que, no segundo mandato de Lula, foi avisado por Silas Rondeau, então ministro das Minas e Energia, que Cerveró passaria a ser copatrocinado pelo PMDB do Senado, do qual Silas era soldado e Renan general. 

A partilha da propina pelos contratos na área Internacional deveria, portanto, contemplar também o PMDB do Senado, como determina o fisiologismo brasileiro. Um dos negócios desse novo acordo, que beneficiou Renan, foi a partilha na contratação da empresa Samsung Heavy Industries, em 2006, para a construção de um navio-sonda para a Petrobras: o Petrobras 10000, adquirido pela estatal por US$ 586 milhões, para ser utilizado na exploração de petróleo em águas profundas, em campos adquiridos pela empresa em Angola, na África. A Petrobras se deu mal. Os poços explorados se mostraram secos. A propina, no entanto, não tinha nada a ver com esses percalços. Foi paga.
Quando Zelada assumiu a Diretoria Internacional, em 2008, por indicação da bancada do PMDB na Câmara, Baiano passou a manter contato com o deputado Eduardo Cunha, conforme narrou em sua delação. E diz ter pagado propina a Cunha. O Ministério Público Federal já rastreou mais de US$ 50 milhões em pagamentos de comissão por esses contratos. É tanto dinheiro, durante tantos anos, que até o insaciável PMDB ficou satisfeito. No acordo de delação, Fernando Baiano detalha que foi avisado que o PMDB do Senado tinha direito a seu quinhão. Os senadores Renan Calheiros e Jader Barbalho deveriam receber US$ 6 milhões pelo negócio da sonda. Fernando Baiano deu detalhou os pagamentos. Contou que não pagou diretamente a Renan. De suas mãos, o dinheiro desviado da Petrobras trilhou dois caminhos. Parte foi direcionada a outro lobista, Jorge Luz. Paraense, Luz é um veterano da arte de unir Petrobras, empresas privadas e políticos bem posicionados. Consolidou sua carreira, no governo Lula, pela influência de outro chefe do PMDB, o senador Jader Barbalho, atual aliado de Renan em batalhas no Congresso. Jorge e seu filho, Bruno Luz, cuidaram de pagar Renan em contas no exterior. A parte operacional ficava por conta de um gerente de contas na Suíça, em especial dos bancos PKB e Pictet.
A outra parte da comissão foi paga por meio do deputado federal Aníbal Gomes, do PMDB cearense. Parlamentar de pequena expressão, Gomes é um notório auxiliar de Renan. No caso dos negócios com a Petrobras, era seu emissário à sede da Petrobras, onde esteve 45 vezes desde 2007, e ao gabinete de Silas Rondeau no ministério, onde ia pelo menos duas vezes por semana. Aníbal Gomes e Renan são investigados em inquérito no Supremo Tribunal Federal desde março, quando o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa mencionou a dupla como beneficiária de negócios na estatal. O Ministério Público Federal notou uma curiosa prática de Gomes, típica de quem “esquenta” dinheiro de origem ilícita. Nas declarações de Imposto de Renda, Gomes dizia ter R$ 1,3 milhão em espécie no ano de 2010 e R$ 1,8 milhão em 2014.
Como ÉPOCA revelou em março de 2014, Baiano era um dos lobistas mais poderosos em atuação na estatal, com bom trânsito entre as multinacionais do setor, tanto no Brasil quanto no exterior. No mundo dos interesses que gravita ao redor da Petrobras, Fernando Baiano nunca foi um mero operador de partidos políticos, muito menos exclusivo do PMDB, como confirmaram a ÉPOCA quatro fontes diferentes. Em dado momento da atuação do petrolão, no entanto, os interesses partidários bateram a sua porta. 

Baiano já conhecia políticos, é óbvio, de trabalhos anteriores na esfera carioca. Na partilha da propina do petrolão, esquadrinhada pela Operação Lava Jato, ele passou a cuidar da distribuição do suborno para a bancada do PMDB e, em um segundo momento, atendeu também a parlamentares do PT. Chegou a representar o estaleiro OSX, do empresário Eike Batista. Baiano disse ter pagado R$ 2 milhões ao empresário José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pela obtenção de contratos do pré-sal para o OSX. O negócio deu errado, mas Baiano pagou porque Bumlai disse que precisava honrar compromissos de Fábio Luiz da Silva, um dos filhos de Lula.
Baiano resistiu por muito tempo a contar o que sabe. Ficou mais propenso a delatar políticos depois de ser condenado a 16 anos de prisão e pagamento de R$ 2 milhões de multa, em agosto. Pelo acordo de delação premiada, Baiano se comprometeu a devolver R$ 13 milhões, um valor que surpreendeu pelos milhões que movimentou no esquema. O advogado de Fernando Baiano disse que não pode comentar os termos da delação. Por meio de sua assessoria, Renan afirmou que não conhece Fernando Baiano e que não autorizou o deputado Anibal Gomes a falar “em meu nome em qualquer circunstância. Quanto a Jorge Luz, conheço, mas não o vejo há mais de dez anos”. O deputado Anibal Gomes (PMDB) afirma que conheceu Baiano “há uns quatro anos, em um restaurante”, mas nunca o encontrou. “Eu conheço melhor o doutor Jorge Luz. Mas jamais tratei de valores, de negócios ou de nenhuma relação comercial com nenhum dos dois. Nem direta nem indiretamente”, disse. “Minha relação com o senador Renan Calheiros é a mesma que tenho com outros senadores do partido. Nunca recebi valores em nome do senador.” Advogados de Jorge Luz não conseguiram “respostas” do cliente sobre o assunto.

16 de outubro de 2015 às 23:46

Eduardo Cunha emite nota se dizendo perseguido e cresce pressão para que ele renuncie [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da revista Época:

Em nota, Eduardo Cunha diz que é vítima de perseguição

Presidente da Câmara se manifestou após TV Globo publicar foto de seu passaporte associado a contas na Suíça

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se manifestou em nota nesta sexta-feira (16) sobre as denúncias de que tem contas secretas na Suíça. Ele nega as acusações.
A TV Globo obteve acesso a documentos que comprovam contas bancárias na Suíça em nome de Cunha. Cópias do passaporte, assinatura e outros dados pessoais do deputado – como o nome completo, data de nascimento e endereço –, da mulher e da filha, foram encaminhadas do Ministério Público da Suíça para o Brasil. De acordo com os documentos, as contas de Cunha na Suíça receberam depósitos de US$ 4.831.711,44 e 1.311.700 francos suíços, o que equivale a mais de R$ 23 milhões.
Na nota, publicada na íntegra pelo G1, Eduardo Cunha diz que “nunca recebeu qualquer vantagem de qualquer natureza, de quem quer que seja, referente à Petrobras ou a qualquer outra empresa”. O texto, que não menciona as contas na Suíça, ataca a Procuradoria-geral da República. “Trata-se de uma clara perseguição movida pelo procurador-geral da República”.
Cunha diz que a Procuradoria adotou uma “estratégia ardilosa” de vazar maciçamente trechos de investigação e movimentação com “o único objetivo de desestabilizar sua gestão e atingir sua imagem de homem público”.
A divulgação de novos documentos relacionando o deputado com contas secretas na Suíça complicam a situação de Eduardo Cunha na Câmara. Segundo o Jornal Nacional, Cunha perdeu apoio de alguns aliados, e cresce a pressão para que ele renuncie.

16 de outubro de 2015 às 22:33

tvTG: Senador José Agripino concede entrevista exclusiva ao Jornal da Noite e se explica sobre investigação pelo STF [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador José Agripino Maia aceitou convite do nosso Jornal da Noite e nos deu uma entrevista nesta sexta-feira.
Entrevista que já está repercutindo desde cedo na mídia impressa e digital do Rio Grande do Norte.
Acusado se tráfico de influência e corrupção, ele aceitou falar depois de ter acesso ao processo.
Abaixo a entrevista concedida com exclusividade a esta blogueira e aos colegas de rádio, Eugênio Bezerra e Juliana Celli.

16 de outubro de 2015 às 22:27

Além de entrevista ao Jornal da Noite, senador José Agripino emitiu nota [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador José Agripino Maia, investigado pelo STF, emitiu nota esclarecendo o que identifica como ilações pelo fato dele fazer oposição ao governo do PT.

O senador nos concedeu uma entrevista exclusiva hoje no Jornal da Noite, da 95FM, que já está repercutindo em impressos e veículos digitais de todo o estado.

Abaixo a nota do senador.

AO POVO DO RIO GRANDE DO NORTE
 

O respeito que nutro por cada cidadão norte-rio-grandense me impõe o dever de esclarecer fatos inverídicos, imputados à minha conduta de homem público, o que faço após conseguir formalmente a íntegra dos elementos de investigação em curso na Procuradoria Geral da República.

Pelo que foi noticiado, uma conversa republicana, ocorrida entre autoridades públicas, foi interpretada como “tráfico de influência” perante o BNDES para favorecer a empresa que construía a obra Arena das Dunas em Natal.

A atividade político-parlamentar inclui, entre suas funções, a de, se necessário, se por à disposição para promover reuniões entre agentes públicos, objetivando defender interesses legítimos e transparentes do Estado, a exemplo da ocorrida para evitar a paralisação da obra de construção do estádio que foi usado para sediar a copa do mundo em Natal. 

Dessa reunião específica não resultou entendimento entre as partes, provocando iniciativa do Estado, diretamente ao TCU, sem a minha interferência, que deliberou pela continuidade da obra, autorizando o BNDES a dar prosseguimento ao financiamento contratado. Minha participação nesse assunto resumiu-se a essa reunião e não intercedi, sob nenhum pretexto, nas decisões tomadas pelo Tribunal de Contas da União e, muito menos, pelo BNDES.
É importante salientar que a liberação dos pagamentos da obra foi submetida ao crivo de todos os órgãos de controle estatal e, evidentemente, sem a minha participação, até por ser um Senador da oposição sem qualquer acesso ao atual governo. A análise e a decisão da Corte de Contas da União determinando o prosseguimento da obra afastam inteiramente a repugnante notícia que interpreta como “corrupção passiva” a doação de campanha destinada ao Diretório Nacional do DEM e distribuída a diversos diretórios regionais, conforme consta das prestações de contas e dos registros contábeis do partido que presido.
Do mesmo modo, não se podem interpretar como existência de cumplicidade e conluio com o Diretor Presidente da OAS, os esforços desempenhados para salvar a vida do ex-deputado João Faustino. O pedido que fiz em nome da família para conseguir um avião que o transportasse de Natal a São Paulo foi motivado pela estreita amizade que unia João Faustino a Léo Pinheiro. Infelizmente a viagem não se consumou, pois sobreveio o falecimento que buscávamos evitar.
Por fim, repudio, com veemência, a ilação de que pratiquei “lavagem de dinheiro”, decorrente da análise da movimentação financeira de minhas contas bancárias levada a efeito pelo COAF – órgão subordinado ao Ministério da Fazenda. As movimentações apontadas são provenientes, todas de recursos próprios, operados sob minha inteira responsabilidade, com todos os comprovantes de licitude e legalidade que serão colocados à disposição dos órgãos de investigação e da Justiça.

Estes esclarecimentos conduzem a uma conclusão certa e inabalável: limitei-me ao cumprimento do meu mandato de Senador, cujo papel de oposição continuarei firmemente a exercer, com o entendimento de que as notícias veiculadas têm origem em manobras e armações inaceitáveis, promovidas, deliberadamente, com o propósito de manchar minha reputação construída ao longo de 40 anos de vida pública e tantas vezes submetida ao julgamento popular. Tudo, na tentativa vã de calar a minha voz.
NÃO VÃO CONSEGUIR!

Senador José Agripino Maia

16 de outubro de 2015 às 22:09

Registrada chapa da oposição na disputa da OAB/RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Divulgada a chapa completa ds oposição na disputa pela diretoria da OAB/RN.
A chapa foi registrada pelos candidatos que foram à sede da Ordem.
Abaixo a chapa completa:
Diretoria

Magna Letícia – Presidente

Carlos Sérvulo – Vice-presidente

João Victor de Holanda – Secretário-geral

Álvaro Borges – Secretário-geral adjunto
Cássia Bulhões – Tesoureira
Conselho Federal

Titulares – Aldo Medeiros, Artêmio Azevedo e Jefferson Lima

Suplentes – André Luis Gomes, Heriberto Escolástico Júnior e Pedro Henrique Fernandes

CAARN

José Rositer Araújo – Presidente da CAARN

Jailton Magalhães da Costa – Vice-presidente da CAARN

Dinno Iwata Monteiro – Secretário-geral da CAARN

Adriano Ruffino Sousa da Silva – Secretário-geral adjunto da CAARN

Carlos Menezes Diniz Júnior – Tesoureiro da CAARN

  

16 de outubro de 2015 às 21:38

Canção Nova promove evento em Natal com cantores e pregadores de São Paulo [7] Comentários | Deixe seu comentário.

A Comunidade Canção Nova realiza neste final de semana o Acampamento de Oração “Conquistando a Liberdade Interior”. O evento será no sábado e domingo, a partir das 8 horas, no Ginásio do Colégio Sagrada Família, no Alecrim.Para entrar basta levar 1 quilo de alimento não perecível.
O padre Adriano Zandoná e o missionário Emanuel Stênio, da Comunidade Canção Nova de São Paulo, incluem a lista de atrações.
A cantora Fátima Souza se apresentará no sábado, a partir das 19h30, e o ingresso custa R$ 10. 

A cantora, compositora e pregadora vem a Natal apresentar seu primeiro CD solo com o título “Sem ti nada posso”.

Detalhes do evento no blog.cancaonova.com/natal ou pela página no Facebook cancaonovanatal.

  

16 de outubro de 2015 às 18:13

Grupo de advogados não acata adesão de Marisa à situação e se integra à campanha de Magna  [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Pré-candidata à presidência da OAB/RN, a advogada Magna Letícia recebeu ontem o apoio de um grupo de 20 advogados.

O apoio foi articulado pelo advogado e diretor-geral do Ipem/RN, Cyrus Benavides, que iria apoiar a possível candidatura de Marisa Almeida, mas, por não acatar a decisão dela de largar o projeto de oposição e aderir à situação, aceitando ser vice do presidenciável Paulo Coutinho, optou por apoiar Magna Letícia, hoje a candidata da oposição.

“Nós já sabíamos que Magna seria uma grande presidente. Agora ela se torna a única bandeira da independência, da mudança, e esse lema de que a OAB pode mais, só existe agora dentro de Magna como presidente”, explicou Cyrus.

“Cyrus, assim como eu, é um entusiasta. Nós temos essa característica em comum que eu prezo demais e nunca quero perder, que é de acreditar nas ideias e ir à luta. Apoios como esse de Cyrus e dos seus amigos nos dão respaldo para continuar lutando pela valorização da advocacia”, disse Magna.

Depois do grupo de Cyrus, Magna Letícia se reuniu com outro grupo de advogados, formado por jovens profissionais com menos de cinco anos de atuação. 

Fotos Joana Lima​

  

16 de outubro de 2015 às 16:29

TV Globo mostra documentos e assinaturas de Eduardo Cunha nos bancos suíços [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Passaporte e assinatura comprovam contas de Eduardo Cunha na Suíça

TV Globo obteve com exclusividade cópia dos documentos do deputado. G1 não conseguiu contato com o advogado do presidente da Câmara

Por Vladimir Netto

Da TV Globo, em Brasília

Cópias do passaporte, da assinatura e de dados pessoais do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), enviados pelas autoridades da Suíça à Procuradoria Geral da República (PGR) comprovam contas bancárias secretas do deputado, da mulher e da filha dele no país europeu, segundo investigadores do caso.

A TV Globo teve acesso com exclusividade à documentação encaminhada pelo Ministério Público suíço ao Brasil – por meio de 35 arquivos –, na qual, além da reprodução do passaporte e do visto norte-americano de Cunha, constam nome completo, data de nascimento e endereço dele em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

  
Procurada pelo G1, a assessoria de imprensa da presidência da Câmara informou que quem poderia falar sobre o assunto era o advogado de Cunha, Antonio Fernando de Souza. A reportagem tentou contato com o criminalista, mas não tinha conseguido localizá-lo até a última atualização desta reportagem.

  
Os documentos enviados pelo MP suíço mostram o caminho do dinheiro repassado a contas bancárias atribuídas ao presidente da Câmara dos Deputados e familiares.

No total, as contas de Cunha na Suíça, indicam as investigações, receberam nos últimos anos depósitos de US$ 4.831.711,44 e 1.311.700 francos suíços, equivalentes a cerca de R$ 23,8 milhões, segundo a cotação desta sexta-feira (16).

  
Os investigadores da PGR dizem que os documentos pessoais de Eduardo Cunha enviados pelo procuradores suíços (cópias de passaporte, comprovantes de endereço no Rio de Janeiro e assinaturas) comprovam que ele era o beneficiário dessas contas.

Em uma das contas atribuídas ao presidente da Câmara na Suíça, em nome da offshore Triumph SP – constituída em Edimburgo, na Escócia –, há uma cópia do passaporte de Cunha. A Triumph, ressalta o Ministério Público, é uma empresa de trust utilizada para fazer a custódia e a administração dos bens, interesses e dinheiro do presidente da Câmara.

Em outro documento, que autoriza investimentos vinculados à conta bancária, aparece uma assinatura semelhante à registrada no passaporte do peemedebista.

  
 
Ao banco suíço Julius Baer (antigo Merrill Lynch Bank), mostram os documentos, o presidente da Câmara solicitou que as correspondências relacionadas à conta da offshore Orion não fossem enviadas ao Brasil, e sim aos Estados Unidos, em um endereço de Nova York. Ele justificou o pedido alegando que “mora em um país onde os serviços postais não são seguros”.

  
No formulário chamado de Know your Customer (Conheça seu Cliente), o documento esclarece que o beneficiário efetivo – a pessoa responsável pelo controle da conta – era Eduardo Cunha (veja o documento acima).

Na noite desta quinta-feira (15), o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de um novo inquérito para investigar Cunha. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quer apurar suspeitas de corrupção e lavagem de dinheiro em razão das quatro contas na Suíça atribuídas ao parlamentar do PMDB e a familiares.

A Procuradoria Geral da República informou nesta sexta-feira (16) haver “indícios suficientes” de que as contas do presidente da Câmara no exterior são “produto de crime” e pediu o bloqueio e o sequestro do dinheiro depositado. Segundo a PGR, entre 2002 e 2014, a evolução patrimonial de Cunha foi de 214%.

  
O caminho da propina

As investigações do Ministério Público da Suíça indicam que Eduardo Cunha manteve quatro contas bancárias no país europeu, abertas entre 2007 e 2008. Dessas, duas teriam sido fechadas pelo deputado no ano passado, em abril e maio.

As outras duas contas, com saldo de 2,4 milhões de francos suíços (cerca de US$ 2,4 milhões ou R$ 9,3 milhões), foram bloqueadas pela Justiça suíça.

Neste ano, em depoimento à CPI da Petrobras, o presidente da Câmara afirmou que não tem contas no exterior. Posteriormente, quando surgiram as informações de que ele tinha quatro contas na Suíça, o peemedebista reiterou as declarações que deu aos integrantes da comissão de inquérito.

De acordo com as investigações, parte do dinheiro teria sido pago a Cunha como propina por contrato fechado entre a Petrobras e a empresa Companie Beninoise des Hydrocarbures Sarl, em Benin, na África.

O empresário Idalecio de Oliveira era proprietário de um campo de petróleo em Benin e, segundo documentos, fez um contrato de US$ 34,5 milhões com a Petrobras para exploração dessa área.

Os investigadores afirmam ainda que o engenheiro João Augusto Rezende Henriques, apontado pela força-tarefa da Operação Lava Jato como um dos operadores do PMDB, recebeu em maio de 2011 da Lusitania Petroleum Ltd – cujo titular é Idalecio de Oliveira – US$ 10 milhões como “taxa de sucesso” pelo negócio fechado pela Petrobras em Benin.

Entre maio e junho de 2011, Henriques fez cinco depósitos no valor total de 1,31 milhão de francos suíços (cerca de R$ 5 milhões) para a offshore Orion SP com conta registrada no banco Julius Baer, na Suíça.

Segundo investigadores com acesso às informações, o titular da offshore era, à época dos depósitos em 2011, o presidente da Câmara. Constam nos documentos cadastrais da conta Orion SP cópia do passaporte e do visto norte-americano de Eduardo Cunha.

De acordo com os dados suíços, essa conta foi aberta em 20 de junho de 2008 e encerrada em 23 de abril de 2014. Em meio à papelada da da conta bancária ligada à Orion SP na Suíça, há um formulário que revela o peemedebista era cliente do Meryll Lynch de Nova York desde 2003, embora fosse correntista do banco nos Estados Unidos desde 1991.

Cinco anos depois, explicaram as autoridades suíças, ele resolveu transferir a conta para a filial do banco em Genebra.

Em depoimento a investigadores da Operação Lava Jato no Paraná, Henriques disse que não sabia quem era o destinatário do dinheiro repassado para a conta Orion, mas afirmou que fez o depósito a pedido de Felipe Diniz, filho do ex-deputado Fernando Diniz (PMDB-MG).

Avaliação de crédito

Em um memorando interno de avaliação de crédito para Eduardo Cunha – elaborado em novembro de 2012 –, uma funcionária do antigo Merryll Lynch relatou aos superiores a experiência profissional e as propriedades declaradas pelo presidente da Câmara.

O documento conta que o peemedebista é economista desde 1980, atuou como economista-chefe na filial brasileira da multinacional Xerox e presidiu a Telerj entre 1991 e 1993.

De acordo com a avaliadora de crédito, Cunha foi “muito bem-sucedido” no comando da extinta estatal de telefonia do Rio. A funcionária desta ainda que, no cargo, ele “introduziu a telefonia celular” no Brasil.

Além disso, o memorando ressalta que antes de ser eleito deputado federal, em 2001, Eduardo Cunha trabalhou como consultor privado da área imobiliária durante o desenvolvimento da Barra da Tijuca, atualmente, um dos bairros mais valorizados do Rio de Janeiro.

O documento aponta que o peemedebista tem propriedades no Rio e em São Paulo e que, boa parte desse patrimônio foi obtido por meio de investimentos que ele fez na Barra da Tijuca na época em que o bairro era apenas um subúrbio da capital fluminense.

“Hoje, a Barra da Tijuca é uma área residencial e comercial chique, que continua crescendo. Ele [Cunha] tem rendimentos de seu salário, de seus investimentos locais [no Brasil] e dos aluguéis de imóveis”, observou a funcionária do Marryll Lynch.

16 de outubro de 2015 às 10:52

Assembleia Legislativa emite nota de pesar pela morte do ex-coodenador de Comunicação, Luciano Herbert [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Assembleia Legislativa do RN, que teve Luciano Herbert como seu coordenador de Comunicação, acaba de emitir nota de pesar pela morte do jornalista.

  
Nota

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte rende homenagens ao ex-coordenador de Comunicação da Casa, Luciano Herbert que faleceu na manhã desta sexta-feira (16) vítima de câncer de pâncreas.
O jornalista Luciano Herbert foi o primeiro assessor da Assembleia Legislativa no ano de 2006 e durante quatro anos emprestou seu talento à área de Comunicação da Casa. Luciano era conhecido pela receptividade aos jornalistas, radialistas, blogueiros e comunicadores do Rio Grande do Norte.
Com pesar, a Assembleia Legislativa presta solidariedade à família e aos servidores do Poder Legislativo que lamentam o seu falecimento.
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Palácio José Augusto

16 de outubro de 2015 às 10:27

OAB/RN: Advogados Paulo Coutinho e Marisa Almeida registram chapa e tomam café com aliados [0] Comentários | Deixe seu comentário.

No último dia de prazo para registro de chapas na disputa pela diretoria da OAB/RN, os candidatos da situação, Paulo Coutinho, disputando a presidência, e Marisa Almeida, vice, protocolaram a chapa e foram tomar café com um grupo de apoiadores, na padaria Mercatto.

Para Coutinho, otimismo para vencer.

Para Marisa, que até semana passada era um nome da oposição, a escolha, mesmo estando sendo apontada como responsável por um “acordão”, a decisão não foi sua, mas de grupo.

A eleição será daqui a exatamente 1 mês, no dia 16 de novembro.

Fotos Thaisa Galvão

  

  

16 de outubro de 2015 às 9:05

Morre o jornalista Luciano Herbert [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu hoje cedo o jornalista querido Luciano Herbert.

Após marcar sua carreira no jornalismo nos principais veículos impressos do estado, e de ter enveredado para o setor de assessoria de imprensa, abrindo oportunidades de emprego para a categoria, primeiro na empresa Bert, e depois na Lumiar Comunicação, Luciano foi assessor de imprensa da Assembleia Legislativa do RN e do Tribunal Regional Eleitoral.

Também editou por algum tempo o blog Bastidores.

Luciano foi acometido por um violento câncer no pâncreas e estava internado no Hospital do Coração.

De Luciano, fica a lembrança do meu primeiro editor, quando fui estagiar na Tribuna do Norte.

O espaço que conquistei, desde o primeiro texto, de foca, já assinado em meia página do então Caderno de Domingo, devo a ele. E a ele registrei, em vida, e várias vezes, a minha gratidão.

“Reeerbert”…como eu gostava de chamá-lo, numa alusão a um personagem de uma novela da Globo, chamado assim pela personagem de Marília Pera, fica no meu coração e na minha história.

Que ele tenha no Reino do Céu, o mesmo espaço que conquistou na terra. Com o tanto de amigos que teve por aqui.

A foto abaixo ele escolheu como perfil de suas redes sociais.

  

16 de outubro de 2015 às 8:21

Deputado Antônio Jácome vai à Câmara de Parnamirim participar de debate sobre ações de combate ao câncer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidente da Frente Parlamentar Mista de Combate ao Câncer, da Câmara Federal, o deputado Antônio Jácome participa agora às 9 horas, de audiência pública em Parnamirim.
A audiência, para discutir o combate ao câncer infanto-juvenil e ao câncer de mama, numa alusão às campanhas “Setembro Dourado” e “Outubro Rosa”, é uma proposição da vereadora Elienai Cartaxo e acontecerá na Câmara Municipal de Parnamirim, com presença de autoridades municipais e representantes de entidades que atuam no atendimento e tratamento da pessoa com câncer no Rio Grande do Norte.

16 de outubro de 2015 às 8:11

Deputado George Soares homenageia Assu [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do deputado estadual George Soares, em homenagem ao aniversário do município de Assu.

  

  

16 de outubro de 2015 às 8:05

Henrique e Juliano e banda Calypso nos últimos dois dias na Festa do Boi [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na programação da Arena de Shows da Festa do Boi, no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, a atração de hoje éna dupla Henrique e Juliano.

Amanhã, encerrando a temporada de shows, a banda Calypso, com Joelma, será a atração principal.

16 de outubro de 2015 às 7:54

Robinson lança programas para setores de pecuária e pesca e recebe homenagens na Festa do Boi [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria lançou ontem à noite, no novo escritório da Emparn no Parque Aristófanes Fernandes, na Festa do Boi, o Programa “Palmas para o RN”.
O programa que será executado pela Emparn consiste na produção e distribuição de palma como alternativa para alimentar o rebanho no Rio Grande do Norte no período de seca.
“Temos um governo comprometido com o pequeno produtor. E a palma, neste momento de grande crise hídrica, pode salvar produção de carne e leite no Rio Grande do Norte e o emprego no campo”, justificou o governador.
O programa também inclui a distribuição de uma cartilha com informações sobre a produção da palma.
Ainda na Festa do Boi, Robinson entregou kits do projeto Velas ao Vento, da Secretaria de Agricultura, retomando com isso o projeto que estava parado desde o ano passado, e que visa oferecer capacitação e estrutura a 900 pescadores artesanais.
Os kits incluem GPS e velas para embarcações. 

A sede da Emparn no parque recebeu o nome de Rommel Mesquita de Faria, irmão falecido do governador, que foi engenheiro agrônomo e pesquisador, além de presidente da Emparn, liderando projetos de pesquisa e extensão rural.
Homenagens
Na noite de ontem, no parque de exposições, o governador Robinson Faria foi homenageado pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) com a comenda Amigo da Apae Parnamirim.
E em nome de seu pai, Osmundo Faria, recebeu homenagem durante o leilão da raça Sindi.
O empresário foi pioneiro na criação da raça no Rio Grande do Norte. 
 

 Fotos Ivanízio Ramos
  

16 de outubro de 2015 às 7:35

Além de Eduardo Cunha, a jornalista Cláudia Cruz e uma filha também serão investigados [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha

Ministro do STF autoriza abertura de novo inquérito contra Cunha

MÁRCIO FALCÃO

DE BRASÍLIA

Relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Teori Zavascki autorizou na noite desta quinta-feira (15) a abertura de inquérito para investigar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e familiares por suspeita de que recursos desviados da Petrobras abasteceram contas deles no exterior.
Teori atendeu a um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Além do deputado, serão alvos de investigação a mulher do deputado, a jornalista Claudia Cruz, e sua filha, Danielle Cunha, que seria dependente de uma das contas em um banco suíço. Eles serão investigados por crimes como corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
A nova investigação é motivada por um dossiê entregue pelo Ministério Público da Suíça à Procuradoria-Geral da República indicando que dinheiro de propina paga para viabilizar um negócio com a Petrobras na África em 2011 alimentou contas secretas atribuídas ao peemedebista e a sua mulher.
Ao revelar o caminho do dinheiro pelas contas de Cunha, os documentos mostram que da conta em nome da mulher do deputado saíram recursos para o pagamento de despesas pessoais no valor total de US$ 1,09 milhão (o equivalente a R$ 4,1 milhões) em sete anos, incluindo faturas de dois cartões de crédito e uma famosa academia de tênis na Flórida (EUA).
Segundo os investigadores, parte do dinheiro movimentado por Cunha tem como origem um contrato de US$ 34,5 milhões assinado pela Petrobras para a compra de um campo de exploração de petróleo em Benin, na África.
De acordo com os documentos, o empresário João Augusto Henriques, lobista que viabilizou o negócio no Benin, repassou 1,3 milhão de francos suíços (R$ 5,1 milhões) a uma das contas atribuídas a Cunha, entre 30 de maio e 23 de junho de 2011.
Os depósitos foram feitos três meses após a Petrobras fechar o negócio na África. A Suíça encontrou quatro contas associadas a Cunha e sua mulher. Os documentos indicam entradas de R$ 31,2 milhões e saídas de R$ 15,8 milhões, entre 2007 e 2015, em valores corrigidos.
Os depósitos e retiradas foram feitos em dólares, francos suíços e euros. As informações enviadas pela Suíça mostram uma intensa circulação de dinheiro entre as quatro contas, não sendo possível calcular quanto do dinheiro movimentado foi gasto.
O Ministério Público da Suíça chegou a bloquear 2,469 milhões de francos suíços (R$ 9,6 milhões) de Cunha e da mulher, sendo 2,3 milhões de francos suíços do deputado (R$ 9 milhões).
OUTRA INVESTIGAÇÃO
Cunha já é alvo de um inquérito que investiga suas ligações com os desvios da Petrobras. Janot ofereceu denúncia contra Cunha sob a suspeita de que ele cometeu crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, tendo sido beneficiado com US$ 5 milhões em propina.
A acusação do lobista Julio Camargo é de que o peemedebista recebeu dinheiro de recursos desviados de contratos de aluguel de navios-sonda pela Petrobras.
OUTRO LADO
Cunha voltou a se recusar a comentar em detalhes as acusações, afirmando que seus advogados vão se pronunciar no devido tempo. “Prefiro que tenha as coisas às claras. Não vejo como nenhum problema, vejo como solução”, afirmou, se referindo à possibilidade de que os documentos venham a público.
O peemedebista vem afirmando que as investigações são políticas, com vazamentos que teriam o intuito de desmoralizá-lo.
“Quinta-feira já o dia normal que tem alguma coisa divulgada em relação a mim, então toda quinta eu espero alguma coisa.”
Mais cedo, Cunha havia dito que apresentaria sua defesa apenas quando notificado pelo Conselho de Ética sobre o processo que pede a cassação do seu mandato, protocolado na terça (13) pelo PSOL e pela Rede Sustentabilidade.

16 de outubro de 2015 às 0:35

Lula presta depoimento ao Ministério Público Federal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Lula depõe ao Ministério Público no DF sobre suposto tráfico de influência

Segundo assessoria do ex-presidente, Lula foi ao MP voluntariamente. Inquérito apura se ele favoreceu empresa privada em negociações


 ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou nesta quinta-feira (15) depoimento de duas horas e meia ao Ministério Público Federal no Distrito Federal em inquérito que apura suposto tráfico de influência.

Ele prestou o depoimento voluntariamente, de acordo com o MPF-DF (leia ao final desta reportagem íntegra de nota divulgada pelo Instituto Lula).

O alvo das investigações são viagens internacionais feitas por Lula que teriam sido bancadas pela Odebrecht. Entre os países visitados pelo ex-presidente com patrocínio da maior construtora brasileira estão Cuba, República Dominicana, Gana e Angola.

Em reportagem publicada em maio, a revista “Época” revelou documentos que mostram que o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) fechou o financiamento de, ao menos, US$ 1,6 bilhão com destino final à Odebrecht após Lula, já como ex-presidente, se encontrar com os presidentes de Gana e da República Dominicana – sempre bancado pela empreiteira.

De acordo com o instituto, no depoimento desta quinta Lula respondeu às perguntas e argumentou que presidentes e ex-presidentes do mundo inteiro defendem as empresas de seus países no exterior.


Sem interferência no BNDES

A assessoria do ex-presidente disse também que ele ressaltou “jamais ter interferido” em qualquer contrato celebrado entre o BNDES e empresas privadas. 

O depoimento de Lula foi dado ao procurador Ivan Cláudio Marx, que assumiu a investigação sobre o ex-presidente no início deste mês.

Ele substituiu outras duas procuradoras que deixaram o caso neste ano por licença maternidade e transferência dentro do Ministério Público Federal.

O MPF-DF não informou detalhes sobre como foi o depoimento, mas confirmou que Lula foi ao órgão espontaneamente, sem ter sido intimado.

Segredo de Justiça

A investigação sobre suposto tráfico de influência do ex-presidente tramita em segredo de Justiça. Desde o início das apurações, o MPF já solicitou informações a vários órgãos, incluindo a Odebrecht, o BNDES, a Infraero, o Itamaraty e o próprio Instituto Lula.

Em julho, os investigadores pediram também compartilhamento das provas já colhidas na Operação Lava Jato, sob comando do juiz Sergio Moro, da Justiça Federal em Curitiba.

Lula não está entre os políticos que são investigados em inquéritos na Lava Jato.

*

Nota

O Instituto Lula divulgou a seguinte nota sobre o depoimento do ex-presidente ao Ministério Público Federal do Distrito Federal:

NOTA À IMPRENSA

LULA PRESTA DEPOIMENTO VOLUNTÁRIO AO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL DO DISTRITO FEDERAL

São Paulo, 15 de outubro de 2015,

Nesta quinta-feira (15), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, esteve com o Procurador da República, Ivan Cláudio Marx, e prestou voluntariamente depoimento acerca do inquérito aberto pelo Ministério Público do Distrito Federal (MPF-DF) pedindo esclarecimentos a respeito das palestras e viagens ao exterior do ex-presidente.

Lula respondeu às perguntas do procurador e argumentou que os presidentes e ex-presidentes do mundo inteiro defendem as empresas de seus países no exterior. Afirmou também que para ele isso é motivo de orgulho. Disse que todas as suas palestras feitas estão declaradas e contabilizadas, com os devidos impostos pagos, e que jamais interferiu na autonomia do BNDES e nas decisões do banco sobre concessões de empréstimos. Em seu depoimento afirmou: “quem desconfia do BNDES não tem noção da seriedade da instituição”. 

Lula ressaltou “jamais ter interferido” em qualquer contrato celebrado entre o BNDES e empresas privadas. Mas que sempre procurou ampliar as oportunidades de divulgação dessas companhias no exterior, com vistas à geração de empregos e de divisas para o Brasil.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula