Thaisa Galvão

16 de outubro de 2015 às 23:46

Eduardo Cunha emite nota se dizendo perseguido e cresce pressão para que ele renuncie [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da revista Época:

Em nota, Eduardo Cunha diz que é vítima de perseguição

Presidente da Câmara se manifestou após TV Globo publicar foto de seu passaporte associado a contas na Suíça

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se manifestou em nota nesta sexta-feira (16) sobre as denúncias de que tem contas secretas na Suíça. Ele nega as acusações.
A TV Globo obteve acesso a documentos que comprovam contas bancárias na Suíça em nome de Cunha. Cópias do passaporte, assinatura e outros dados pessoais do deputado – como o nome completo, data de nascimento e endereço –, da mulher e da filha, foram encaminhadas do Ministério Público da Suíça para o Brasil. De acordo com os documentos, as contas de Cunha na Suíça receberam depósitos de US$ 4.831.711,44 e 1.311.700 francos suíços, o que equivale a mais de R$ 23 milhões.
Na nota, publicada na íntegra pelo G1, Eduardo Cunha diz que “nunca recebeu qualquer vantagem de qualquer natureza, de quem quer que seja, referente à Petrobras ou a qualquer outra empresa”. O texto, que não menciona as contas na Suíça, ataca a Procuradoria-geral da República. “Trata-se de uma clara perseguição movida pelo procurador-geral da República”.
Cunha diz que a Procuradoria adotou uma “estratégia ardilosa” de vazar maciçamente trechos de investigação e movimentação com “o único objetivo de desestabilizar sua gestão e atingir sua imagem de homem público”.
A divulgação de novos documentos relacionando o deputado com contas secretas na Suíça complicam a situação de Eduardo Cunha na Câmara. Segundo o Jornal Nacional, Cunha perdeu apoio de alguns aliados, e cresce a pressão para que ele renuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*