Thaisa Galvão

1 de abril de 2016 às 23:52

Impeachment para Temer? [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E se Dilma sai, por que Temer fica?

Quem há de temer um impeachment? 

Temer?

Do G1:
Cid Gomes entrega na Câmara pedido de impeachment do vice Michel Temer

Ex-governador do Ceará alega que o vice-presidente é citado na Lava Jato. Para assessoria de Temer, são ‘notícias velhas’ e ‘citações equivocadas’


Por Nathalia Passarinho

Do G1, em Brasília
O ex-governador do Ceará e ex-ministro da Educação Cid Gomes (PDT) protocolou nesta sexta-feira (1º) na Câmara dos Deputados um pedido de impeachment do vice-presidente da República, Michel Temer.

No documento, Cid solicita que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não analise o pedido de afastamento.

Para Cid Gomes, como Cunha foi denunciado por fatos relacionados à Operação Lava Jato, quem deve decidir é o vice-presidente da Casa, Waldir Maranhão (PMDB-MA).

Temer contesta

Em nota divulgada na noite desta sexta, a assessoria de Temer afirmou que o pedido de impeachment movido por Cid Gomes traz uma “série de citações já esclarecidas à imprensa, notícias velhas sem sustentação, citações equivocadas e interpretações de pessoas mal informadas”.

Em outro trecho, a assessoria afirma que Temer defende a operação Lava Jato, pelos “grandes e relevantes serviços” que tem prestado ao país. Além disso, diz a assessoria, o vice-presidente tem a “convicção” de que os trabalhos baseados em Curitiba significam o início de uma “reforma nos hábitos políticos brasileiros”.

“Só com um processo de evolução de nossos costumes deixaremos de assistir ao espetáculo deprimente representado hoje pelo senhor Cid Gomes, agente terceirizado escalado para atingir reputação alheia de forma vil e rasteira. Tudo isso nada mais é que um plano orquestrado cujo objetivo é desconstruir a imagem do vice-presidente da República”, diz a nota.

O pedido de Cid Gomes

No documento, Cid afirmou que o vice-presidente e o PMDB são mencionados nas investigações da Operação da Lava Jato.

O ex-governador cita na peça uma mensagem de texto identificada no celular do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro no qual foi mencionado o pagamento de R$ 5 milhões a peemedebistas.

“Foi revelado, por força da Operação Catilinárias [uma das fases da Operação Lava Jato], o pagamento da quantia de R$ 5 milhões ao denunciado, valor cuja suspeita de origem ilícita é marcante, mormente pelas insuficientes explicações ofertadas pelo denunciado após a revelação de mensagens sobre o pagamento de tal quantia, por parte do senhor Léo Pinheiro, trocadas pelo denunciado e o presidente da Câmara dos Deputados, em cobrança por adiamento na quitação de compromissos com a ‘turma’”, diz trecho do pedido de impeachment protocolado contra o vice-presidente da República.

Cid Gomes traz como evidências do suposto envolvimento do vice-presidente no esquema de corrupção que atuava na Petrobras notícias de jornais e trechos de delações premiadas de investigados na Operação Lava Jato.

Embora não haja no pedido de impeachment citação a recebimento direto de propina por Temer, o ex-governador do Ceará diz que o vice-presidente da República deve ser responsabilizado pelas denúncias que envolvem o PMDB e seus integrantes, já que é presidente nacional do partido.

“Observam-se diversas menções acerca de ilicitudes envolvendo o PMDB, razão que enseja detida atenção quanto à responsabilidade do denunciado, uma vez que, desde 2011, exerce a presidência do referido partido”, diz o pedido de impeachment.

Aliado político da presidente Dilma Rousseff, Cid teve uma passagem relâmpago pelo governo da petista no início de 2015. Menos de três meses depois de assumir o comando do Ministério da Educação, ele pediu demissão após protagonizar um bate-boca com deputados no plenário da Câmara.

O pedido de impeachment de Temer ocorre no momento em que Dilma é alvo de um processo de afastamento no Congresso Nacional. Atualmente, a comissão especial que analisa o processo de impeachment da petista aguarda o fim do prazo para a presidente apresentar sua defesa ao colegiado.

Delação de Delcídio

Cid Gomes destaca ainda no documento que o ex-líder do governo no Senado Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e o doleiro Alberto Youssef citam, em suas delações premiadas, a participação de peemedebistas no esquema de corrupção da Petrobras.

“As declarações do senador Delcídio do Amaral, referentes ao PMDB e sua participação por meio de afiliados em ilicitudes, não ressoam de forma isolada. No termo de colaboração de Alberto Youssef, pode-se observar a presença de menções à sigla partidária e seus operadores”, diz o ex-governador.

O ex-governador destaca que, em sua delação, Delcídio do Amaral e outros “colaboradores” disseram que o PMDB foi responsável pela indicação de Jorge Zelada para a Diretoria Internacional da Petrobras, executivo condenado em primeira instância por participação no esquema de propina da estatal.

“Resta evidenciado, claramente, que o denunciado incorreu em crime de natureza política-administrativa, em primeiro lugar, como presidente de um partido tragado por graves denúncias de corrupção e, em segundo lugar, por exercer a função de vice-presidente da República e ter o dever de zelar pelos valores e princípios da administração pública e do Estado de Direito, em consonância com a probidade e o decoro que se exige de tal posição institucional”, afirma.

Supremo

Além da investida de Cid Gomes no Congresso, o advogado Mariel Márley Marra, de Minas Gerais, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir que a Corte obrigue a Câmara dos Deputados a analisar outro pedido de impeachment contra Michel Temer.

Inicialmente, Marra apresentou o pedido à Camara, mas o presidente da Casa arquivou no dia 5 de janeiro por entender que não havia indício de crime de responsabilidade do vice-presidente.

Marra pediu ainda ao Supremo uma liminar (decisão provisória) a fim de suspender o processo de impeachment de Dilma Rousseff em tramitação na Câmara até que o Supremo decida sobre o teor do pedido dele para inclusão de Temer no caso.

O pedido de Cid é o quarto relacionado a Temer que chega à Câmara. Dois pedidos já foram arquivados por Cunha – um de autoria do advogado mineiro Mariel Marra e outro assinado pelo deputado Cabo Daciolo (PTdoB-RJ).

No caso do pedido feito por Mariel Marra, Cunha alegou “inépcia da denúncia”, ou seja, que não havia fato determinado e indícios de crime que justificassem a abertura do processo de impeachment.

Já o requerimento do deputado Cabo Daciolo foi arquivado sob o argumento de que não cumpriu requisitos formais, como reconhecimento de firma em cartório e certidão de quitação eleitoral do autor. Há ainda um terceiro pedido de impeachment de Temer, também do Cabo Daciolo, que ainda não foi decidido por Cunha.

1 de abril de 2016 às 23:45

Vazou! [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:
Por engano, STF divulga minuta que manda Câmara analisar impeachment de Temer
MÁRCIO FALCÃO

DE BRASÍLIA
O STF (Supremo Tribunal Federal) divulgou, na noite desta sexta-feira (1o), uma decisão do ministro Marco Aurélio Mello determinando que a Câmara dê início à análise de um pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer (PMDB) –mas, minutos depois, informou que o texto se tratava de uma minuta em elaboração.
Procurado pela Folha, Marco Aurélio negou que tenha tomado qualquer decisão sobre o caso. “Não decidi nada. Só vou analisar essa questão na segunda [4]. É melhor checar essa informação [a divulgação]”, disse o ministro, durante um evento acadêmico.
A assessoria do Supremo informou que o documento era “uma minuta, não assinada pelo ministro Marco Aurélio, que, portanto, não tem decisão e que foi um erro de comunicação entre as áreas técnicas do tribunal”.
Na versão do que seria uma decisão liminar (provisória), o ministro estabelece que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve admitir o pedido de afastamento do peemedebista e enviar para a análise de uma comissão especial que teria que ser criada pela Casa para discutir a denúncia.
“Ante o quadro, defiro parcialmente a liminar para, afastando os efeitos do ato impugnado, determinar o seguimento da denúncia, vindo a desaguar na formação da Comissão Especial, a qual emitirá parecer”, diz a minuta.
“Não se está a emitir qualquer juízo quanto à conduta do vice-presidente da República, revelada na edição dos decretos mencionados na petição inicial e no acervo probatório que a acompanha. No caso, a controvérsia envolve controle procedimental de atividade atípica do Poder Legislativo”, completou.
O pedido de impeachment de Temer foi pedido pelo advogado Mariel Márley Marra e chegou ao STF porque foi arquivado por Cunha sob a justificativa de que não havia indícios de que o vice cometeu crime de responsabilidade.
Marra pede uma liminar para paralisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff em discussão na Câmara até que o plenário do STF decida se Temer deve ser processado com a petista.
O pedido do advogado argumenta que o vice-presidente cometeu crime de responsabilidade e teria atentado contra a lei orçamentária ao assinar decretos autorizando a abertura de crédito suplementar sem autorização do Congresso.
As irregularidades são as mesmas que motivam o atual pedido de impeachment da petista.

1 de abril de 2016 às 23:15

Fatos da 27ª fase da lava jato já foram denunciados na CPI da Petrobras pela deputada Mara Gabrilli [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A 27ª fase da operação Lava Jato traz à tona denúncias contra o PT e empresários do município paulista de Santo André.

E segundo o juiz Sérgio Moro, o caso investigado pode ter ligação com o assassinato do prefeito Celso Daniel.

Quem contou detalhes do caso foi a deputada Mara Gabrilli, em suas participações na CPI da Petrobras.

Em todos os seus depimentos, ela lembra que seu pai foi vítima do grupo comandado pelo empresário Ronan Maria Pinto, que insatisfeito com o noticiário…comprou o jornal.

Acompanhe as palavras da deputada federal:

1 de abril de 2016 às 22:49

Governador Robinson Faria nomeia mais de 900 aprovados em concurso da Educação [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do governador Robinson Faria:

  

1 de abril de 2016 às 22:32

Nelter Queiroz anuncia novas filiações ao PMDB de Jucurutu e faz mistério quanto ao nome do candidato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado Nelter Queiroz anuncia as filiações ao PMDB de Jucurutu, administrada pelo filho prefeito, George Queiroz.

Se filiaram ao partido o médico Luciano Júnior, a advogada Luciana Lopes, a vice-prefeita Paula Lopes, e Iogo Queiroz.

Nelter lidera o PMDB em Jucurutu, que tem em sua base ainda os ex-prefeitos Luciano Lopes, Saint-Clair Torres, Júnior Queiroz e o médico Jares Queiroz. 

“Agradeço o diálogo existente em torno de todas as lideranças e partidos que estão afinados com nossa administração. Agradeço também a chegada dos novos peemedebistas que nos ajudarão, junto ao nosso coordenador político e deputado Nelter Queiroz, a ampliar a paz e união em torno de Jucurutu”, declarou o prefeito, que ainda não definiu se vai disputar reeleição.

Para o deputado Nelter, há nomes e tempo para definir.

“Apesar de já termos fechado questão quanto ao partido, esse nome será debatido entre os demais partidos aliados e população de nossa Jucurutu. Estamos dialogando bastante para construir esta candidatura e, consideramos, imprescindível, que o escolhido dê continuidade à paz, harmonia, união e desenvolvimento, que alcançamos com tanto esforço”, disse Nelter.

  

1 de abril de 2016 às 22:09

Corpo do ex-deputado Patrício Júnior, velado na Assembleia, será sepultado neste sábado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Começou a ser velado no Salão Nobre da Assembleia Legislativa o corpo do ex-deputado Patrício Júnior.

Parlamentar com 5 mandatos, Patrício morreu de infarto na manhã desta sexta-feira.

O velório prossegue neste sábado e o sepultamento está marcado para 16 horas no Morada da Paz.
O ex-parlamentar era casado com a prefeita de Martins, Olga Fernandes.

Ele deixa 3 filhos devoutros casamentos: Patrício Neto, Patrício José e Maria Luísa.
José Patrício de Figueiredo Júnior foi deputado nos anos 80, Constituinte de 1989 e atuante na inauguração da sede do legislativo potiguar, compondo a 52ª legislatura.

  

1 de abril de 2016 às 21:56

Morre a irmã do blogueiro fotógrafo Márlio Forte [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Daqui do Blog, meu abraço para o amigo e colaborador, o fotógrafo Márlio Forte, que perdeu a irmã.

Marlionete Forte lutava contra um câncer há 3 anos e depois de muito tratamento e internações, foi descansar com Deus.

O corpo dela foi velado agora à noite no Centro de Velório do Morada da Paz, na rua São José, em Natal, de onde seguiria para Patu, onde será sepultado neste sábado.

Márlio e Marlionete são irmãos de Gorete Forte, vice-prefeita de Patu.

1 de abril de 2016 às 21:13

Depois de dizer que Henrique estava internado com falta de poder, colunista se derrama em elogios ao ex-ministro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O jornalista Ricardo Noblat não tem tido sorte – ou cuidado? – quando se refere a políticos do Rio Grande do Norte.

Há poucos dias Noblat disse que o senador José Agripino tinha sido citado na delação premiada do senador Delcídio do Amaral.

Não tinha.

Noblat foi para o twitter pedir desculpa a Agripino.

Hoje foi com o ex-ministro Henrique Alves.

Primeiro deu uma nota errada…mas para justificar se valeu do 1º de abril, dia da mentira,  dizendo que fez uma brincadeirinha com o ex-ministro.

Mas…por que só com ele?

O Dia da Mentira pagou o pato…

Eis as notas:

  
Está internado, em Brasília, o ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. Ele renunciou ao cargo um dia antes do desembarque do PMDB do governo.
Exerceu 11 vezes consecutivas o mandato de deputado federal pelo Rio Grande do Norte.
Sofre da síndrome de abstinência do Poder, mas passa bem.
*
Ao ser desmentido, o colunista se valeu da data…e exagerou nos elogios…

  

Tudo havia sido combinado antes pela direção do PMDB com os sete ministros do partido. Uma vez que o Diretório Nacional anunciasse o desembarque do PMDB do governo, eles pediriam demissão.
Alguns estavam inconformados com o desembarque, e tudo fizeram, sem sucesso, para obstrui-lo. E pelo menos dois, Kátia Abreu (Agricultura) e Marcelo Castro (Saúde), resistiam firmemente a ideia.
O que poucos imaginaram: que, na véspera do desembarque, Henrique Eduardo Alves, ministro do Turismo, enviaria à presidente Dilma Rousseff sua carta de demissão. Nem Dilma imaginou, já que eles eram tão ligados. Mas foi o que Henrique fez.
Os demais, até hoje, agarram-se aos cargos em desrespeito à decisão do partido. Juram a Dilma entregar votos contra o impeachment que não têm. E se submetem a todo tipo de humilhação desde que não percam o emprego.
Não é Henrique que sofre a abstinência do poder como aqui escrevi mais cedo de brincadeira para marcar o 1º de abril. Ele foi o único digno.
São os seis ministros oportunistas do PMDB: Eduardo Braga (Minas e Energia), Mauro Lopes (Aviação Civil), Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), Helder Barbalho (Portos), Kátia e Castro.

  

1 de abril de 2016 às 20:57

Prefeito de Várzea Getúlio Ribeiro toma posse na presidência da AMLAP  [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito de Várzea, Getúlio Ribeiro (PSD), tomou posse hoje em Natal como presidente da Associação dos Municípios do Litoral Agreste Potiguar (AMLAP).

Solenidade com presença do governador Robinson Faria, do senador Garibaldi Filho, dos deputados federaos Fábio Faria e Rogério Marinho, estaduais Dison Lisboa e Hermano Morais…

A AMLAP tem hoje 32 municípios associados das regiões do Litoral, Agreste e também do Potengi.

  

1 de abril de 2016 às 17:20

Renúncia: Senador Álvaro Dias pede para vice-presidente Michel Temer também entregar seu cargo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Lauro Jardim:

  
Desde o rompimento do PMDB com o governo na terça-feira, alguns petistas têm pedido a renúncia de Michel Temer. Agora, o oposicionista Álvaro Dias (foto), hoje no PV, foi para o Facebook e, sob o título “Renuncia, Temer”, pediu o mesmo.

Disse Dias:
— E o cargo mais importante do partido, o de vice-presidente? Temer não vai entregar? Assim fica consagrado o maior espetáculo de traição, covardia e oportunismo político de nossa história.

1 de abril de 2016 às 17:13

Políticos investigados estudam forma legal de cercear a lava jato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como assim?

Quem mais se elegerá no Brasil se aprovar algo assim no Congresso?
Por Vera Magalhães, no Radar Online da Veja:
Vem aí uma lei para cercear a Lava-Jato?
Muito se fala em Brasília sobre uma operação para cercear a Lava-Jato caso Dilma Rousseff sofra impeachment e Michel Temer assuma. O vice negou que qualquer operação-abafa esteja no bojo das negociações de seu eventual governo.
Conversas muito reservadas em Brasília, tendo como protagonistas aliados fiéis do vice-presidente, no entanto, permitem antever um caminho que, se não terá o condão de parar as investigações, pode cercear a Polícia Federal e o Ministério Público.
Esses emissários estudam a formulação de uma lei — ou de uma emenda à lei anti-corrupção — que estabelecesse prazo-limite para as investigações e que a unidade orçamentária que acusar alguém e, no final, isso não resultar em prova, ficaria responsável por arcar com a sucumbência e com eventuais reparações.
Políticos investigados na Lava-Jato se queixam de que, em muitos casos, Rodrigo Janot abriu inquéritos há mais de um ano e nem oferece denúncias, nem arquiva. Pela proposta, haveria um prazo ao término do qual, sem provas, o procedimento seria arquivado.
No caso do ônus financeiro, a ideia é evitar procedimentos como a prisão temporária do banqueiro André Esteves, por exemplo, sobre a qual hoje até ministros do STF fazem ressalvas. Em um caso como esse, se nada ficar provado, o MPF e a Polícia Federal teriam de arcar com a sucumbência e ainda indenizar Esteves e o BTG por prejuízos provocados pela prisão.

1 de abril de 2016 às 17:07

TCE nomeia 11 aprovados no último concurso [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, Carlos Thompson Fernandes, assinou hoje portarias nomeando 11 aprovados no mais recente concurso para provimento de cargos de nível superior.

O Diário Eletrônico deste sábado publicará as nomeações de:

Assessor técnico (01)

Inspetor de controle externo com especialidade em administração, direito, contabilidade e economia (04)

Inspetor de controle externo com especialidade em engenharia civil (02)

Inspetor de controle externo com especialidade em tecnologia da informação (01). 

O concurso foi realizado em outubro do ano passado e contemplou vagas para os seguintes cargos: Assessor Técnico de Informática (6 vagas, sendo uma destinada para portadores de necessidades especiais), Assessor Técnico Jurídico (3 vagas), Inspetor de Controle Externo, com as seguintes especialidades: Administração, Direito, Contabilidade ou Economia (3 vagas); Engenharia Civil (3 vagas); Tecnologia da Informação (1 vaga).

1 de abril de 2016 às 17:00

Prefeitura interdita choparia Devassa em Ponta Negra [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A choparia Devassa, em Ponta Negra, acaba de ser interditada pela Semurb, Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e Guarda Municipal Ambiental.

Alegações: funcionando sem licença e promovendo festas em ambiente externo sem adequações acústicas.

  

1 de abril de 2016 às 16:50

Prefeito de Carnaúba dos Dantas deixa PSB e vai disputar reeleição pelo PTB [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O PTB fechou pré-candidaturas majoritárias em mais dois municípios: Pureza e Carnaúba dos Dantas.

Em Pureza o pré-candidato é Ricardo Brito, que assinou ficha de filiação com o presidente da legenda, Getúlio Batista.

Em Carnaúba foi o prefeito Doutor Sérgio, que trocou o PSB pelo PTB e vai disputar reeleição com apoio do deputado federal Walter Alves e do senador Garibaldi Filho.
  

1 de abril de 2016 às 16:40

Fiern: industriais reprovam governos e são favoráveis ao impeachment de Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente da Fiern, Amaro Sales, divulgou há pouco números de uma pesquisa.
Segundo o levantamento, o governo da presidente Dilma Rousseff é desaprovado por 91% dos empresários e por 74,5% da população do Rio Grande do Norte.
Os percentuais favoráveis ao impeachment da presidente são ainda mais próximos: 66% dos empresários são favoráveis, enquanto que o índice chega a 61,4 entre a população.

Os números relativos à aprovação e desaprovação do governo Robinson Faria entre industriais e população também estão próximos. 

Entre os empresários da indústria, 29,5 aprovam e 49,5 desaprovam; a população deu 32,7 de aprovação e 50,1 de desaprovação à administração estadual. 
A pesquisa quis saber o que a população considera como seus maiores problemas. 

Falta de segurança lidera, com 46,5%

Saúde 21,7%

Desemprego 9,4%

Falta d’água 5,9%
De acordo com a pesquisa os principais responsáveis pelos problemas enfrentados no estado são:

Classe política 48,8%

Todos 31,9%

Governo Federal 11,3%

Governo Estadual 4,3%

1 de abril de 2016 às 16:31

Prefeito de Elói de Souza renuncia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O preceito do município de Elói de Souza, Kerginaldo Medeiros, renunciou ao cargo.

Em seu lugar a Câmara nomeou o vice, Grimalde Ferreira.

Em Elói de Souza, sensação de um ‘já vai tarde’.

1 de abril de 2016 às 16:23

Advogada que teve braço quebrado por agressor em boate quer ser vereadora para combater violência contra mulher [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Lembram de Rhanna Diógenes, aquela estudante que em 2011 teve o braço quebrado por um agressor numa boate, por ter resistido a assédio?  

Na época o caso repercutiu em todo o Brasil.

Agora ela é advogada, militante de políticas wue combatem a violência contra mulheres, e vai disputar vaga de vereadora na Câmara de Natal.

E hoje se filiou ao PDT do prefeito Carlos Eduardo.

A bandeira de Rhanna será a redução dos casos de violência contra as mulheres.

  

1 de abril de 2016 às 15:37

Em decisão judicial, Sérgio Moro liga operação de hoje à morte de Celso Daniel [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:
Moro diz ser ‘possível’ que esquema na prefeitura tenha relação com morte de Celso Daniel
MÁRCIO FALCÃO

AGUIRRE TALENTO

DE BRASÍLIA
O juiz Sergio Moro afirmou que “é possível” que a morte do prefeito Celso Daniel, em 2002, tenha relação com o esquema de corrupção e extorsão na Prefeitura de Santo André (SP), “o que seria ainda mais grave”, segundo o magistrado.
A avaliação foi feita na decisão que autorizou a execução da 27ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta (1º) e que tem entre os alvos o empresário e dono do “Diário do Grande ABC” Ronan Maria Pinto, além de condenados no esquema de corrupção do mensalão no governo Lula, como o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira e o ex-tesoureiro Delúbio Soares.
Moro relata que Ronan Maria Pinto foi condenado na Justiça de Santo André por crimes de extorsão e corrupção ativa no esquema de corrupção e extorsão na Prefeitura de Santo André. “É ainda possível que este esquema criminoso tenha alguma relação com o homicídio, em janeiro de 2002, do então prefeito de Santo André, Celso Daniel, o que é ainda mais grave”, afirmou Moro.
“Se confirmado o depoimento de Marcos Valério [operador do mensalão], de que os valores lhe foram destinados em extorsão de dirigentes do PT, a conduta é ainda mais grave, pois, além da ousadia na extorsão de na época autoridades da elevada Administração Pública, o fato contribuiu para a obstrução da Justiça e completa apuração dos crimes havidos no âmbito da Prefeitura de Santo André”, completou.
No documento, o juiz cita que Marcos Valério “declarou uma possível motivação, de que indivíduos do PT estariam sendo vítimas de extorsão da parte de Ronan Maria Pinto” e “citou expressamente como envolvidos” Sílvio Pereira, José Dirceu, o ex-ministro Gilberto Carvalho, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e o jornalista Breno Altmann.
Moro afirmou que a fala de Marcos Valério “embora deva ser vista com muitas reservas, o fato é que metade do valor do empréstimo foi, pela prova colhida, inclusive documental, destinada a Ronan Maria Pinto.”
O referido empréstimo seria de R$ 12 milhões e foi contraído em 2004 pelo pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente, cujo destinatário final teria sido o PT.
“Chama a atenção o malabarismo financeiro para viabilizar a transação, tendo o valor transferido do Banco Schahin para Ronan Maria Pinto passado por três intermediários (José Carlos Bumlai, Bertin Ltda. e Remar Agenciamento)”, disse o juiz, além da elaboração de contratos fraudulentos de mútuo para ocultar a operação, um deles com utilização da empresa 2 S Participações de Marcos Valério.
Irmão de Celso Daniel, Bruno José Daniel prestou depoimento e relatou que após o homicídio, lhe foi relatada a existência desse esquema criminoso [Santo André] e que envolvia repasses de parte dos valores da extorsão ao PT.
De acordo com seu relato, o fato lhe teria sido relatado por Gilberto Carvalho e por Miriam Belchior [ex-mulher do prefeito e ex-ministra].
Ele contou aos investigadores que o destinatário dos valores devidos ao PT seria José Dirceu e levantou suspeitas ainda sobre o possível envolvimento de Sergio Gomes da Silva no homicídio do irmão. Declarou não ter conhecimento do envolvimento de Ronan Maria Pinto no episódio ou de extorsão por ele praticada contra o Partido dos Trabalhadores.

1 de abril de 2016 às 15:28

Petistas temem que ex-secretário do partido preso hoje fale o que sabe [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

PT teme instabilidade de Silvinho, alvo da nova fase da Lava Jato

CATIA SEABRA
DE SÃO PAULO

Integrantes da cúpula do PT manifestaram, nesta sexta-feira (1º), preocupação com a nova fase da Operação Lava Jato. Os petistas estão especialmente tensos com a detenção do ex-secretário-geral do partido Silvio Pereira, o Silvinho, que, em 2003, detinha a lista de todos os ocupantes de cargos da Esplanada dos Ministérios e seus padrinhos políticos.

Desde o mensalão, Silvinho tem rompantes e envia recados ao comando do PT. A avaliação de petistas é que, sob pressão, ele seria capaz de “falar qualquer coisa”, mesmo o que não sabe.

Já Delúbio Soares é apontado como mais centrado e não causa tanta apreensão. Breno Altman, por sua vez, é tido como um braço do ex-ministro José Dirceu e é conhecido como uma pessoa resiliente.

O ex-secretário-nacional do PT Silvio Pereira e o empresário e dono do “Diário do Grande ABC” Ronan Maria Pinto tiveram suas prisões decretadas pela força-tarefa da Lava Jato. Já o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o jornalista e diretor editorial do site “Opera Mundi” Breno Altman são alvos de condução coercitiva.

Denominada de “Carbono 14”, a 27ª fase, deflagrada nesta sexta, investiga crimes de extorsão, falsidade ideológica, fraude, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo o Ministério Público Federal, a operação investiga um suposto esquema de lavagem de capitais de cerca de R$ 6 milhões provenientes de gestão fraudulenta no Banco Schahin, cujo rombo foi coberto depois pela Petrobras.

1 de abril de 2016 às 15:19

Resumo do Brasil [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Cai a tarifa de energia elétrica.
Com a bandeira verde, sai a cobrança extra.
Sobem os preços dos remédios.
Aumento de 12,5%.
Inflação pelo IPC-S acumula alta de 9,37% em 12 meses.