Thaisa Galvão

3 de janeiro de 2017 às 16:21

Secretário Marcelo Rosado, que acenou com saída do cargo, já admite ficar na Semurb caso seja da vontade do prefeito Carlos Eduardo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Carlos Eduardo tomou posse no domingo para seu quarto mandato.

Nos bastidores fala-se em mudanças em alguns setores do secretariado, mas até agora o prefeito não se manifestou sobre o assunto.

Sequer falou com auxiliares sobre troca ou permanência.

Fala-se em mais um cargo para o PMDB para acomodar, numa secretaria, o vice-prefeito Álavaro Dias. Álvaro nega.
Até os últimos meses de 2016 um auxiliar que era tido, por opção própria, como fora da 4ª gestão de Carlos Eduardo, já admite não deixar o cargo caso o prefeito manifeste o desejo de sua permanência.

É Marcelo Rosado, atual titular da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo.
“Na Semurb já temos todo um planejamento de prioridades, baseado na receita própria da Secretaria através do Fundo Urbanístico e Ambiental. Independente da pessoa que estiver à frente, a pasta já terá um eixo central bem definido para seguir, no sentido de modernização e desburocratização de licenciamentos, oferecendo mais rapidez ao contruibuinte”, afirmou Marcelo ao Blog, admitindo a possibilidade de continuar no governo.
“A minha intenção é ajudar. Pode ser como secretário ou de outra forma. Entendo que trabalhamos intensamente e tivemos grandes avanços no sentido de elevar a nossa Secretaria para o nível das melhores capitais. Se o objetivo principal for neste sentido o prefeito poderá contar com a minha dedicação. Hoje já temos um relacionamento consolidado com o Ministério do Meio Ambiente, fundações internacionais que atuam nesta área, e com os técnicos das secretarias das outras capitais”, justificou Rosado.
“Estou bem à vontade. A minha família conta com o meu retorno às empresas, pois deixei em segundo plano, mas os meus irmãos compreendem que eu também gosto do desafio do serviço público”, admitiu o secretário que não confirma, mas já pode ter ouvido um alô do prefeito para continuar na Semurb.
“As dificuldades são imensas, mas estamos conseguindo entregar avanços ao contribuinte e uma percepção ao servidor de carreira, que a Semurb poderá se tornar uma referência nacional graças à colaboração desta equipe (servidor de carreira) da Casa, pois o que garantirá a continuidade é saber que o trabalho vem sendo feito por servidores efetivos/concursado da própria Semurb”, garantiu Marcelo Rosado.

3 de janeiro de 2017 às 12:08

Larissa Rosado toma posse como deputada na vaga do agora vice-prefeito Álvaro Dias [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A suplente Larissa Rosado (PSB) acaba de ser empossada para o mandato de deputada estadual.

Larissa assume na vaga deixada por Álvaro Dias (PDT) agora eleito vice-prefeito de Natal.
A cerimônia de posse foi comandada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza.

Fotos Eduardo Maia

A presença do senador Garibaldi Filho na posse de Larissa pode ter sido a confirmação que no próximo ano a parlamentar do PSB poderá aproveitar a janela aberta seis meses antes da eleição para se mudar para o PMDB, devolvendo ao partido a vaga perdida com a saída de Álvaro.

E c já se fala em possível troca de legenda também dentro do PMDB.

Presença na posse de Larissa do vice-governador Fábio Dantas (PCdoB) e dos deputados Gustavo Carvalho (PSDB), Gustavo Fernandes (PMDB), Albert Dickson (PROS) e Tomba Farias (PSB).

3 de janeiro de 2017 às 11:41

Prefeitura de Natal paga amanhã salários de dezembro de servidores que ganham até 2 mil reais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de pagos salários dos servidores de órgãos com arrecadação própria, a Prefeitura de Natal anuncia para amanhã a segunda etapa do pagamento dos salários referentes ao mês de dezembro.

Irão receber os servidores que ganham até 2 mil reais.

3 de janeiro de 2017 às 4:31

Assim é Guamaré: Ano começa com um prefeito provisório e um presidente de Câmara atuando para assumir a prefeitura [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Guamaré e suas peculiaridades…

No dia 13 de dezembro, quando a justiça eleitoral diplomou os vereadores eleitos, não diplomou prefeito e vice e por um motivo: porque não sabia ainda quem assumiria a Prefeitura.

Prefeito candidato à reeleição, Hélio de Mundinho (PMDB) foi o mais votado, porém, por uma pendência jurídica foi considerado inelegível na 1ª instância, e os votos não foram computados, dando esperanças ao segundo colocado, Mozaniel de Melo (SD)…

Esperança que só aumentou quando Hélio perdeu também no TRE.
E Guamaré seguiu como único município do Rio Grande do Norte sem prefeito diplomado.
A defesa de Hélio, comandada pelo advogado Erick Pereira, que já recorreu ao TSE, apresentou recurso à instância superior e ontem o STF concedeu uma Tutela Provisória de Urgência no recurso especial mandando dar posse – provisória – ao mais votado, no caso Hélio de Mundinho.

A justificativa do ministro Herman Benjamin foi que, caso o TSE, que ainda vai julgar o recurso, decida pela posse de Hélio e ele tenha sido impedido de assumir, o dano seria “irreparável”.

Daí a decisão provisória para dar posse enquanto o pleno do TSE não julga o recurso.
Mas aí começou um novo capítulo em Guamaré.

Hélio foi o mais votado e em seu grupo se elegeram 7, dos 9 vereadores.

Mas na posse dos parlamentares uma jogada foi comandada pelo vereador Lula (PR), reeleito presidente da Câmara, que, de aliado, passou a adversário de Hélio de Mundinho, levando para a oposição as vereadoras, também aliadas do prefeito, Francisca do Camarão (PMDB) e Diva Araújo (PRB), tirando de Hélio a maioria na Câmara.
A intenção do presidente da Câmara, diante da fragilidade ainda do mandato de Hélio de Mundinho, é trabalhar para que o TSE mantenha a decisão do TRE, mantendo assim a inelegibilidade de Hélio de Mundinho, e a jurisprudência que diz que, em casos como este, o segundo lugar não assume, sendo obrigada a realização de uma nova eleição.

Com isso o presidente da Câmara, no caso Lula, assume a Prefeitura enquanto a nova eleição não é realizada.
E até o final da noite o presidente da Câmara ainda não tinha convocado a sessão de posse para Hélio de Mundinho assumir seu mandato peovisório.
Tudo pelo poder.

Coisas da política.

Coisas de Guamaré.