Thaisa Galvão

14 de janeiro de 2017 às 23:52

Secretário de Segurança fala sobre ações do governo para conter rebelião [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do secretário de Segurança do RN, Caio César, sobre as ações do governo para conter a rebelião em Alcaçuz:

14 de janeiro de 2017 às 23:07

Sistema penitenciário do Brasil em crise: motim no RN e fugas na Bahia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o caos no sistema penitenciário não atinge só o Rio Grande do Norte neste final de semana:

Em menos de 24 horas, 38 detentos fugiram de um presídio e de uma cadeia de Salvador e Santo Antônio de Jesus, na Bahia, nesta sexta-feira (13). As fugas levaram o governador Rui Costa (PT) a exonerar o diretor da Cadeia Pública do Estado, o capitão da Polícia Militar Fagner Araújo Carvalho, e o diretor adjunto, Paulo Cesar Gonçalves Sacramento.
Na madrugada de sexta, um grupo de 17 detentos serrou as grades de uma cela e fugiu do Complexo Penitenciário de Mata Escura, em Salvador. A fuga só foi percebida pela manhã, quando os agentes penitenciários da unidade viram os danos nas grades e em três barreiras fixas.
De acordo com a polícia, um delegado plantonista, um escrivão e outros dois agentes estavam na unidade, mas não perceberam a fuga. Seis detentos já foram recapturados.
Ainda segundo a polícia, a maioria dos fugitivos responde por tráfico de drogas, homicídio e roubo. A maioria já havia sido sentenciada e aguardava vaga em presídio.

14 de janeiro de 2017 às 22:49

Governador acompanha rebelião ao lado de auxiliares, polícias, TJ e MP, e aciona Ministério da Justiça [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Governo do Rio Grande do Norte:
  

 NOTA À IMPRENSA




A respeito da rebelião em curso no presídio de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal-RN, o Governo do Rio Grande do Norte esclarece que:

1. A rebelião teve início por volta das 17h, partiu de uma briga entre presos dos pavilhões 4 e 5 e está restrita aos dois pavilhões. Estão sendo levantadas informações acerca do envolvimento de facções criminosas. A polícia está trabalhando no local para a contenção da rebelião.

2. Não há registro de fugas;

3. As informações quanto ao números de mortos e feridos estão em levantamento, com pelo menos 10 mortes confirmadas até o momento;

4. Desde o início da noite, o governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, está no Gabinete de Gestão Integrada (GGI), com o secretário de Segurança Pública, Caio César Bezerra; o secretário de Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino; o presidente do Tribunal de Justiça, Expedito Ferrreira; o procurador geral de Justiça do RN, Rinaldo Reis; o comandante da PM, André Azevedo; e representantes das polícias civil e federal, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros e Força Nacional, no comando das medidas para a contenção e resolução do problema nas próximas horas;

5. O governador Robinson Faria entrou em contato com ministro da Justiça, Alexandre de Morais, para que o Governo Federal acompanhe a situação do Estado, e pediu reforço da Força Nacional no lado externo do presídio, o que foi autorizado prontamente;

6. Não há registro de nenhuma ação externa aos presídios. O problema está restrito a Alcaçuz e a população pode seguir com suas atividades dentro da normalidade.

14 de janeiro de 2017 às 22:40

Secretário de Segurança diz que bloqueadores de celular estão funcionando em Alcaçuz [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Os bloqueadores de celular instalados no presídio de Alcaçuz estão funcionando, segundo informação do secretário de Segurança do Estado, Caio César, em entrevista à TV Ponta Negra.
Há a informação de que líderes da criminalidade iriam dar ordem de dentro do presídio para que houvesse ataques em Natal.

Porém, segundo o secretário, a situação está sob controle, mas não há condição da polícia entrar no presídio que está com as luzes apagadas.
O motim continua.
A TV Ponta Negra foi acionada pela agência France Press para mandar informações sobre a briga de facções no maior presídio do Rio Grande do Norte.

14 de janeiro de 2017 às 21:41

Sejuc não tem confirmação de número de presos mortos em Alcaçuz [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De acordo com a Secretaria de Justiça, o número de mortos no presídio de Alcaçuz que vem sendo divulgado ainda não é o oficial.

É certo que não há reféns entre os agentes penitenciários.
A rebelião continua e não dá sinais de que pelo menos está perto de terminar. 
O tirular da Sejuc, Wallber Virgolino, está na unidade. 
O GOE (Grupo de Operações Especiais), O GEP (Grupo de Escolta Penal), além de grupos da Polícia Militar estão garantindo a segurança nos arredores do presídio para impedir fuga.
Não há registro de fuga até agora.

14 de janeiro de 2017 às 20:33

Alcaçuz: Polícia confirma que tem 3 presos degolados e diz que não há condição para intervir antes do amanhecer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1-RN



PM vai esperar amanhecer para intervir em rebelião no RN; há mortes

Saídas foram bloqueadas e barricadas feitas no exterior de Alcaçuz. Mulheres de presos se reuniram e tentaram furar o bloqueio

Policiais militares e agentes penitenciários vão esperar o dia amanhecer para entrar nos pavilhões da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, onde acontece uma rebelião desde a tarde deste sábado (14). 
“Pelo visual, podemos afirmar que pelo menos três presos foram mortos. Deu pra ver as cabeças arrancadas”, afirmou Zemilton Silva, coordenador de administração penitenciária do Rio Grande do Norte.

Alcaçuz é o maior presídio potiguar. A área externa já está sob o controle das autoridades, segundo a Polícia Militar. As saídas foram bloqueadas e o Corpo de Bombeiros está fazendo barricadas no local.

“A intervenção é impossível agora. No momento estão todos soltos lá dentro, e armados. Nossa missão é evitar que ele saiam”, declarou o major Camilo, da PM.

Do lado de fora do presídio, que está às escuras, se ouvem muitos tiros e é possível ver muita fumaça. Segundo a Polícia Militar, a rebelião começou às 15h40, depois do horário de visitas das famílias.

Os familiares dos presos que estão no local dizem que detentos de Alcaçuz que não estão envolvidos na rixa entre as facções estão pedindo socorro. Um grupo de mulheres das famílias dos presos se reuniu e tentou furar o bloqueio, sem sucesso.

Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal. A unidade possui cerca de 1.150 presos e capacidade para 620 detentos, segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc).

A invasão

O major Eduardo Franco, da comunicação da PM, disse que o motim começou por volta das 16h30 (horário de Natal) e houve invasão de presos do pavilhão 1 no pavilhão 5, onde estão internos de uma facção criminosa rival. Ainda não há confirmação de fuga.

Zemilton Silva disse ainda não saber se os presos dos outros pavilhões também se rebelaram. 
O chamado pavilhão 5 é o presídio Rogério Coutinho Madruga, que fica anexo à Alcaçuz, em Nísia Floresta. 

Há separação entre presos de facções criminosas entre esses dois presídios. 
A repórter Michelle Rincon, da Inter TV Cabugi, está na área externa de Alcaçuz. Ela informa que há fumaça na parte interna, barulhos de tiros e de quebra-quebra no local.

Em contato com o G1, o secretário da Sejuc, Wallber Virgolino, disse que a determinação é retomar o controle. 
“A ordem já foi dada: retomar o controle de Alcaçuz e evitar rebeliões em outras unidades”, afirmou. Para isso, Virgolino acrescentou que também mandou chamar todos os agentes penitenciários que estão de folga. 
“Quero a nossa capacidade máxima atuando”, destacou. O estado possui cerca de 800 agentes penitenciários.

14 de janeiro de 2017 às 19:42

Rebelião em Alcaçuz já contabiliza mais de 10 presos mortos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Não foi à toa que, durante o motim que terminou em 56 mortes no presídio de Manaus, Natal foi citada como provável ponto de assassinatos de presos.

Uma possível ligação entre facções.

Neste momento presos se rebelam em Alcaçuz e mortos já passam de 10.

Não há notícia de fugas do presídio.
De acordo com a Polícia Militar, a situação é de gravidade.

O secretário de Justiça, Walber Virgolino, acompanha toda a movimentação policial de fora do presídio.

A rebelião começou pouco antes das 17 horas quando presos do pavilhão 1 invadiram o pavilhão 5.
As facções envolvidas são Sindicato do Crime e PCC.

14 de janeiro de 2017 às 13:49

Lava jato mais próxima da delação de Eduardo Cunha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha

A Operação Cui Bono? (“A quem beneficia?”), deflagrada a partir do conteúdo de mensagens apreendidas em um celular antigo do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), ampliou a pressão para o peemedebista delatar o que sabe e tentar minimizar seus problemas com a Justiça e também induziu o mundo político e empresarial a pelo menos duas conclusões.

1) O teor das conversas divulgadas em relatório da Polícia Federal reforça a tese de que Cunha detém informações explosivas sobre negociatas fechadas entre o primeiro escalão do PIB, o Congresso e órgãos do governo federal. 
2) Ele deve se apressar em firmar um acordo de colaboração premiada para falar o que sabe à Justiça.

Pessoas próximas ao ex-deputado não acreditam que ele tenha deixado, por simples descuido, um volume tão grande de dados em um aparelho de telefone desativado há dois anos.

Cunha sempre foi estrategista, e há quem tenha visto no teor das mensagens encontradas pela PF uma forma de ele deixar “pistas” para ampliar a necessidade de elucidar aos investigadores questões pertinentes à Operação Lava Jato.
A avaliação corrente no mundo político é que, agora que a PF tem tantos detalhes em mãos –as informações apreendidas revelam pormenores de conversas sobre aprovações de crédito em bancos públicos e votações de projetos na Câmara–, Cunha se apressará em apresentar um roteiro de delação, para não se tornar uma peça desnecessária com o avanço das investigações.

Procurado, o advogado Pedro Ivo Velloso, que integra a banca de defesa de Cunha, manteve a linha adotada até aqui e disse que, embora desconheça os detalhes da investigação, “rechaça veementemente desde já as suspeitas” levantadas sobre seu cliente.
Antigos aliados do ex-deputado, porém, afirmam que, diante do cenário, Cunha pode levar adiante as ameaças que fez às vésperas de perder o mandato na Câmara e ser preso, em outubro.
Um parlamentar próximo ao peemedebista disse à Folha que, se “ele fizer o que disse que ia fazer, vai sobrar pouco da República”.
As mensagens encontradas no telefone antigo de Cunha arrastaram ao menos três setores para o centro da Lava Jato: frigoríficos (com destaque para o grupo que gerencia a Friboi), concessionárias de rodovias e imobiliário.

Esse elenco confirmou projeções feitas tanto por adversários como por aliados de Cunha: o ex-deputado tem arsenal para alavancar ainda mais o alcance da Lava Jato, para além das empreiteiras, que são hoje o foco e nascedouro da operação.

14 de janeiro de 2017 às 10:00

Femurn: Maioria de Benes sobre Rivelino foi de 20 votos [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Foi com 20 votos de maioria sobre o segundo colocado a vitória do ex-prefeito de Lajes, Benes Leocádio (PMDB), para a presidência da Federação dos Municípios do RN
Benes Teve 66 votos contra 46 de Rivelino Câmara, o candidato oficial do PMDB.

Em terceiro lugar ficou Dagoberto Bessa (PSD) com 34.

“O momento é de engrandecimento do municipalismo potiguar. Acho que não houve nem ganhadores nem perdedores. Hoje ganhou a representação do que eu já fui enquanto presidente da Femurn, portanto ganhou o municipalismo do Rio Grande do Norte”, disse Benes após conhecido o resultado da eleição.