Holiday

Thaisa Galvão

12 de abril de 2017 às 10:52

Rosalba diz que nunca recebeu doação da Odebrecht [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP), envolvida em inquérito após delações de executivos da Odebrecht.

Rosalba foi citada como tendo recebido doação de 350 mil reais na campanha de 2010, quando era candidata à governadora do Rio Grande do Norte.
Nota
Rosalba esclarece que não fez obra com Odebrecht e nem recebeu doação da empresa.
A respeito da matéria do jornal o Estado de São Paulo, a prefeita Rosalba Ciarlini esclarece que nunca recebeu doação de campanha da Odebrecht nem, durante seu período no Governo do Estado do Rio Grande do Norte, contratou qualquer obra ou serviço com essa empresa ou o grupo e também não recebeu deles qualquer benefício ou favor.
Isso, por si só, prova a completa improcedência da referência a seu nome.

12 de abril de 2017 às 10:09

Aniversariante do dia, governador Robinson Faria cumpre agenda de trabalho e se pronuncia sobre lista da Odebrecht [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Aniversariante do dia, o governador Robinson Faria cumpre agenda administrativa em São José de Mipibu.

No seu instagram, ele se pronuncia sobre citação ao seu nome por delatores da Odebrecht e o inquérito aberto para investigar doação de campanha em 2010, à então candidata ao Governo, Rosalba Ciarlini (PP), quando ele integrava a chapa como vice:


12 de abril de 2017 às 8:22

Fachin devolve a Janot processo envolvendo Garibaldi, Agripino e Felipe para que a PGR justifique abertura de investigações [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como a pressa é inimiga da perfeição, e a lista da Odebrecht – agora com o aval do relator da lava-jato no STF, ministro Edson Fachin – saiu em cima do fechamento de telejornais, teve coisa que não saiu, e coisa que saiu distorcido…
No caso dos senadores Garibaldi Filho (PMDB) e José Agripino Maia (DEM), também do deputado Felipe Maia (DEM), eles ainda não serão investigados

Como o Blog mostrou, eles integram a lista dos processos que retornaram, por determinação de Fachin, ao procurador geral da República, Rodrigo Janot.

Para que ele acrescente dados que justifiquem a investigação.

Pelo menos por enquanto, em relação à lista da Odebrecht, eles não serão investigados.
Abaixo a notificação referente ao inquérito 4440/DF, que envolve Garibaldi, mas que é o mesmo caso de Agripino e Felipe.

A seguir a lista devolvida a Janot para que sejam acrescidas novas manifestações:


12 de abril de 2017 às 8:08

Henrique investigado no Distrito Federal, RN, Paraná e agora Piauí [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Estranho…

Pela lista da Procuradoria Geral da República, com nomes de políticos citados nas delações de executivos da Odebrecht, o ex-deputado Henrique Alves (PMDB), que não tem foro privilegiado, será investigado pela Justiça Federal do Piauí.

Ele e o ex-deputado e ex-ministro Geddel Vieira, também do PMDB.
Mas, por que Piauí?

Certamente a investigação definirá.
Henrique já é investigado pela justiça do Distrito Federal, no caso da conta na Suíça, e pela justiça do Rio Grande do Norte, numa ação que envolve ele e o ex-deputado Eduardo Cunha.

Agora, além do Piauí, será investigado pela justiça do Paraná.

É que, sem foro privilegiado, a citação ao nome dele foi distribuída para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba.