Holiday

Thaisa Galvão

7 de Maio de 2017 às 14:38

Verdades e mentiras sobre um novo amor na vida da ex-presidente Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Antes de contar tudo sobre o boato do um romance da ex-presidente, melhor explicar o que é MISOGINIA.

Misoginia é a repulsa, desprezo ou ódio contra as mulheres.

Esta forma de aversão mórbida e patológica ao sexo feminino está diretamente relacionada com a violência que é praticada contra a mulher.

Explicado…vamos ao noticiário.

 

Da Folha:

 

Professor americano atribui boato de ‘affair’ com Dilma a misoginia



 

Dilma Rousseff está de namorado novo –e parece que a coisa é séria.”Não ouviu a boa notícia? Eu e Dilma vamos nos casar!”, ironiza o professor de história latino-americana da Brown University, o americano James Green, a Flora Thomson-Deveaux, doutoranda na mesma universidade.

 

Flora descreve a conversa na revista “piauí”. O tom zombateiro de Green continua: “Sabe que a gente realmente se deu muito bem? Ela é tão inteligente, a gente teve conversas maravilhosas. Ela conhece melhor os impressionistas franceses do que eu, e olha que eu conheço bem”.

 

O boato de que os dois estão juntos começou –onde mais?– na internet. Mais precisamente no portal RD1, que compila notícias sobre celebridades (no sábado, 6, os destaques eram um ex-BBB e uma briga entre Luana Piovani e Zilu, ex de Zezé Di Camargo).

 

“Saiba detalhes sobre o novo affair de Dilma”, dizia manchete do site, que cita “duas fontes que preferem não ser identificadas”. O homem que “não para de falar da petista”, como descreveu o RD1, é um historiador brasilianista de 65 anos. Ele participou de ao menos um protesto em Nova York contra o impeachment daquela que, um ano depois, seria sua amiga. À Folha, por e-mail, refutou o relacionamento em duas palavras: “Que bobagem!”.

 

Os dois se conheceram em 2016. Historiadores foram ao Palácio da Alvorada fazer um desagravo a Dilma, então afastada temporariamente. Green lembrou do dia à “piauí”:

 

“Estava bem ansioso, como sempre quando falo em português. Tem que acertar o gênero, se é ‘o’ ou ‘a’, se tem que usar o subjuntivo”¦ E eu falei da solidariedade internacional, e de como, enquanto ela estava sendo submetida à tortura no Brasil, pessoas nos EUA estavam se mobilizando em solidariedade. Eu estava tão tenso que nem olhava para ela, mas as pessoas comentaram depois que ela estava prestando muita atenção”.

 

Quando a já ex-presidente fez uma turnê por faculdades dos EUA, em abril, Green foi seu intérprete. Do período vêm fotos que levantaram suspeita sobre o possível romance. Numa delas, Dilma e James se abraçam num restaurante.

 

É namoro ou amizade? Bom, Moshe Sluhovsky está “super ciumento”, brinca Green. Refere-se ao homem com quem se relaciona há 24 anos.

 

“O curioso sobre esse boato é que reflete toda a misoginia que ronda a Dilma. Tem a percepção de que uma mulher não pode ser livre e independente, tem que ter sempre algum homem para apoiá-la. Daí, quando aparece com qualquer pessoa, surge essa especulação imediata sobre um relacionamento romântico se ela vai casar”, diz à “Piauí” o professor, que avisa no Facebook: estará no Rio no próximo dia 16, para uma palestra sobre o mineiro Herbert Daniel, “revolucionário e gay”, que lutou contra a ditadura brasileira, como Dilma.

 

No sábado (6), três dias após ter reportado o caso, o RD1 publicou texto dizendo que Green “nega affair”. A chamada: “Não rolou ‘match'”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*