Holiday

Thaisa Galvão

6 de junho de 2017 às 17:28

PF ouviu 6 pessoas na operação Manus no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na operação Manus, realizada hoje em Natal, 6 pessoas foram levadas para prestar depoimento:

O assessor do PMDB, Eurico Alecrim, o publicitário Arturo Arruda e o ex-auxiliar do Ministério da Previdência, Jaime Mariz, como o Blog já havia noticiado.
Os outros 3: George Wilde Silva de Oliveira, Raline Maria Costa Bezerra e João Gregório Júnior.

6 de junho de 2017 às 15:00

Casa Cor RN vai apresentar projeto de recuperação do Aeroclube de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Casa Cor convoca vai apresentar amanhã, às 9h30, o projeto de recuperação do Aeroclube do Rio Grande do Norte, regatando as formas originais do prédio.

A reforma será explicada pelos arquitetos Haroldo Maranhão e Nilberto Gomes.

6 de junho de 2017 às 14:44

Carlos Eduardo não exonera Fred e designa Tomaz Pereira para responder pela Secretaria de Obras [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Nota da Prefeitura de Natal sobre Operação Manus que prendeu o secretário de Obras, Fred Queiroz:

 

Em virtude dos fatos ocorridos hoje pela manhã que resultaram na prisão preventiva do secretário de Obras, Fred Queiroz, o prefeito Carlos Eduardo assinou portaria que será publicada no Diário Oficial de amanhã designando o secretário adjunto, Tomaz Pereira de Araújo Neto, para responder pela secretaria nas ausências e impedimentos do titular da pasta.

Ressalte-se que não há nada nos fatos revelados que envolva a Prefeitura do Natal.

6 de junho de 2017 às 12:32

As 82 perguntas da PF ao presidente Michel Temer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Veja as 82 perguntas elaboradas pela Polícia Federal e encaminhadas ao presidente Michel Temer (PMDB), sobre o áudio gravado por Joesley Batista quando foi a casa de Temer para uma conversa sem registro na agenda oficial:

 

  1. Qual a relação de Vossa Excelência com Rodrigo da Rocha Loures?

 

  1. Desde quando o conhece? Já o teve como componente de sua equipe de trabalho? Quais os cargos ocupados por ele, diretamente vinculados ao de Vossa Excelência?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures é pessoa da estrita confiança de Vossa Excelência?

 

  1. Vossa Excelência confirma ter realizado contribuição financeira à campanha de Rodrigo da Rocha Loures à Câmara dos Deputados, nas eleições de 2014, no valor de R$ 200.650,30? Quais os motivos dessa doação?

 

  1. Vossa Excelência realizou contribuições a outros candidatos nessa mesma eleição? Se a resposta for afirmativa, discriminar beneficiários e valores.

 

  1. Vossa Excelência gravou um vídeo de apoio à candidatura de Rodrigo da Rocha Loures à Càmara dos Deputados, em 2014. Fez algo semelhante em prol de outro candidato? Quais?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures, mesmo após ter assumido vaga na Cêmara dos Deputados, manteve relação próxima com Vossa Excelência e com o Gabinete Presidencial?

 

  1. Vossa Excelência confirma ter estado com Joesley Batista, Presidente do Grupo J&F Investimentos S/A, em 7 de março de 2017 no Palácio do Jaburu, em Brasília, conforme referido por ele em depoimento de fls. 42/51 dos autos do Inquérito no 4483?

 

  1. Qual o objeto do encontro e quem o solicitou a Vossa Excelência?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures teve prévio conhecimento da realização desse encontro?

 

  1. Por qual motivo a reunião em questão não estava inserida nos compromissos oficiais de Vossa Excelência?

 

  1. Vossa Excelência tem por hábito receber empresários em horários noturnos e sem prévio registro em agenda oficial? Se sim, cite ao menos três empresários com quem manteve encontros em circunstâncias análogas ao de Joesley Batista, após ter assumido a Presidência da República.

 

  1. Vossa Excelência já havia encontrado Joesley Batista fora da agenda oficial? Quando, onde e qual o propósito do(s) encontro (s)?

 

  1. Em pronunciamento público acerca do ocorrido, Vossa Excelência mencionou que considerava Joesley Batista um ‘conhecido falastrão’. Qual o motivo, então, para tê-lo recebido em sua residência, em horário, prima facie, não usual, em compromisso extraoficial e sem que o empresário tivesse sido devidamente cadastrado quando ingressou às instalações do Palácio do Jaburu (segundo as declarações do próprio Joesley Batista)?

 

  1. Vossa Excelência aventou a possibilidade de realizar viagem a Nova York, no período de 13 a 17 de maio de 2017? Rodrigo da Rocha Loures chegou a comentar com Vossa Excelência sobre o interesse de Joesley Batista de encontrá-lo na sede da JBS, naquela cidade?

 

  1. Vossa Excelência sabe se o ex-ministro Geddel Vieira Lima mantinha encontros ou contatos com o empresário Joesley Batista, segundo referido por este às fls 42/51? Se sim, esclarecer a finalidade desses encontros?

 

  1. Vossa Excelência tem conhecimento se o ministro Eliseu Padilha mantinha encontros ou contatos com o empresário Joesley Batista segundo referido por este às fls 42/51? Se sim, esclarecer a finalidade desses encontros?

 

  1. No mesmo depoimento de fls. 42/51, Joesley Batista disse ter informado Vossa Excelência, no encontro, sobre a cessação de pagamentos de propina a Eduardo Cunha e da manutenção de mensalidades destinadas a Lúcio Bolonha Funaro, ao que Vossa Excelência teria sugerido o prosseguimento dessa prática. Em seguida, o empresário afirmou ‘que sempre recebeu sinais claros de que era importante manter financeiramente ambos e as famílias, inicialmente por Geddel Vieira Lima e depois por Michel Temer para que eles ficassem ‘calmos’ e não falassem em colaboração premiada’. Vossa Excelência confirma ter recebido de Joesley Batista, na conversa havida no Palácio do Jaburu, a informação de que ele estaria prestando suporte financeiro às famílias de Lúcio Funaro e de Eduardo Cunha, como forma de mantê-los em silêncio? Em caso de resposta negativa, esclareceu a Joesley Batista, na ocasião, que não tinha qualquer receio de eventual acordo de colaboração de Lúcio Funaro ou de Eduardo Cunha?

 

  1. Existe algum fato objetivo que envolva a pessoa de Vossa Excelência e seja passível de ser revelado por Lúcio Bolonha Funaro ou Eduardo Cunha, em eventual acordo de colaboração?

 

  1. Vossa Exceiência sabe de algum fato objetivo que envolva o ex-ministro Geddel Vieira Lima e que possa ser mencionado em acordo de colaboração premiada que eventualmente venha a ser firmado?

 

  1. Vossa Excelência conhece Lúcio Bolonha Funaro? Que tipo de relação mantém ou manteve com ele? Já realizou algum negócio jurídico com Lúcio Bolonha Funaro ou com empresas controladas por ele? Quais?

 

  1. Lúcio Bolonha Funaro já atuou na arrecadação de fundos a campanhas eleitorais promovidas por Vossa Excelência ou ao PMDB quando Vossa Excelência estava à frente da sigla? Se sim, especificar a(s) campanha (s)

 

  1. Joesley Batista também aduziu no depoimento de fls 4251 que Vossa Excelência se dispôs a ‘ajudar’ Eduardo Cunha no Supremo Tribunal Federal através de dois Ministros que lá atuam? Vossa Excelência confirma isso? Se sim, de que forma prestaria tal ajuda? Quais eram esses dois Ministros?

 

  1. Joesley Batista afirma, no depoimento de fls. 42/51, que Rodrigo da Rocha Loures foi indicado por Vossa Excelência, em substituição a Geddel Vieira Lima, como interlocutor ao Grupo J&F Investimentos S/A. Vossa Excelência confirma tê-lo indicado para tal função? Se sim, quais temas estavam compreendidos nessa interlocução?

 

  1. Vossa Excelência já indicou Rodrigo da Rocha Loures para atuar como interlocutor do Governo Federal em alguma questão?

 

  1. Vossa Excelência sabe se Rodrigo da Rocha Loures reuniu-se com Joesley Batista, após o encontro mantido entre Vossa Excelência e esse ampresário, no Palácio do Jaburu? Se sim, qual a finalidade do encontro?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures reportou a Vossa Excelência algum assunto tratado com Joesley Batista? Quais?

 

  1. Vossa Excelência esteve com Rodrigo da Rocha Loures após conversa mantida com Joesley Batista em 7 de março de 2017? Se sim, aponte, com a máxima precisão possível, quando e onde se deram tais encontros.

 

  1. Recorda-se de Joesley Batista, na conversa mantida com Vossa Excelência no Palácio do Jaburu, ter feito comentários acerca do comando do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) assim como da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Receita Federal do Brasil? Qual o interesse manifestado pelo empresário acerca desses órgãos?

 

  1. Vossa Excelência teve ciência, através de Rodrigo da Rocha Loures, do interesse do Grupo J & F Investimentos S/A em questão submetida ao CADE, envolvendo o setor de energia? Quais informações foram levadas a Vossa Excelência?

 

  1. Vossa Excelência determinou a Rodrigo da Rocha Loures que interviesse junto ao CADE no sentido de atender a interesses do Grupo J & F Investimentos S/A?

 

  1. Vossa Excelência tomou conhecimento (antes da divulgação jornalística) de encontros mantidos entre Rodrigo da Rocha Loures e Ricardo Saud, Diretor do Grupo J & F Investimentos S/A? Se sim soube do encontro antecipadamente? Qual a pauta dessas reunioes?

 

  1. Vossa Excelência compareceu à inauguração da Casa Japão, em São Paulo, em 30 de abril de 2017. Rodrigo da Rocha Loures viajou com Vossa Excelência no avião presidencial? Se sim, Rodrigo da Rocha Loures reportou a Vossa Excelência, durante a viagem, Grupo J & F Investimentos S/A. naquela mesma semana? Se sim, em que termos foi o relato?

 

34 Vossa Excelência soube que Ricardo Saud, em encontros realizados em 28 de abril de 2017, expôs a Rodrigo da Rocha Loures, em detalhes, um ‘esquema’ envolvendo o pagamento de vantagens indevidas decorrente da suposta intervenção do então parlamentar junto ao CADE, em prol dos interesses do Grupo J & F Investimentos SA?

 

  1. Em caso de resposta negativa, o que tem a dizer acerca desse episódio, mesmo que dele tenha tomado conhecimento somente por sua veiculação na imprensa?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures chegou a levar ao conhecimento de Vossa Excelência a disponibilidade do Grupo J & F Investimentos em fazer pagamentos semanais que girariam entre R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) e Rs 1.000.000,00 (um milhão de reais), por conta da resolução da questão que estava em trâmite no CADE?

 

  1. Vossa Excelência soube, também por Rodrigo da Rocha Loures, que tais pagamentos semanais estavam garantidos até dezembro do corrente ano e, a depender da extensão do contrato firmado entre empresa do Grupo J & F e a Petrobras, poderiam se prolongar por até vinte e cinco anos?

 

  1. Caso não tenha tomado conhecimento, Vossa Excelência acredita que Rodrigo da Rocha Loures possa ter participado de tais tratativas com o Grupo J & F Investimentos S/A com o intuito de obter exclusivamente para si as quantias que na hipótese da mencionada dilação contratual, chegariam pelo menos à casa dos R$ 600.000.000,00 (seiscentos milhões de reais)?

 

  1. Vossa Excelência tomou conhecimento (antes da divulgação na imprensa) do recebimento, por Rodrigo da Rocha Loures, de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) do Grupo J & F Investimentos S/A, em São Paulo, em 28 de abril de 2017? O que tem a dizer sobre tal fato (ainda que tenha tomado conhecimento do mesmo pela imprensa)?

 

  1. Após a divulgação desses fatos pela imprensa, que demonstraram a participação inequívoca de Rodrigo da Rocha Loures em conduta aparentemente criminosa, Vossa Excelência manteve algum contato com ele, diretamente, seja por interpostas pessoas? Se sim, por qual meio e qual a finalidade do contato?

 

  1. Ricardo Saud, em depoimento prestado na Procuradoria-Geral da República, conforme vídeo já amplamente divulgado, afirmou que tratou com Rodrigo da Rocha Loures sobre os repasses semanais já mencionados, mas ressaltou, categoricamente, que o dinheiro era direcionado a Vossa Excelência. O que Vvossa Excelência tem a dizer a respeito?

 

  1. Vossa Excelência considera a hipótese de Rodrigo da Rocha Loures ter usado o nome de Vossa Excelência para obter valores espúrios do Grupo J & F Investimentos S/A?

 

  1. Vossa Excelência conhece Ricardo Saud? Qual a relação que mantém com ele?

 

44, Vossa Excelência já esteve com Ricardo Saud em alguma ocasião? Onde e qual o motivo do encontro?

 

  1. Já solicitou ou recebeu algum valor através de Ricardo Saud a pretexto de contribuição de campanha?

 

  1. Vossa Excelência, em campanhas eleitorais nas quais foi candidato, recebeu alguma contribuição financeira de empresas pertencentes ao Grupo J & F Investimentos S/A? Discriminar as campanhas, os valores, quem os solicitou e como foram encaminhados (se via diretórios ou diretamente)

 

  1. Vossa Excelência tem alguém chamado ‘EDGAR’ no universo de pessoas com quem se relaciona com certa proximidade? Se sim, identificar tal pessoa, mencionando a atividade profissional, eventual envolvimento na atividade partidária, descrevendo, ainda, a relação que com ela mantém.

 

48 Vossa Excelência conhece Antônio Celso Grecco, proprietário do Grupo Rodrimar, de Santos/SP? Qual relação mantém com ele?

 

  1. Vossa Excelência já recebeu alguma contribuição financeira para fins eleitorais de Antônio Celso Grecco, da empresa Rodrimar ou de alguma outra empresa a ela vinculada? Quando e qual o valor?

 

  1. Vossa Excelência recebeu alguma reivindicação dessa empresa, ou de outra igualmente atuante no segmento de portos, relacionada à questão do ‘pré-93’? Se sim, em que termos?

 

  1. Vossa Excelência tem conhecimento se Rodrigo da Rocha Loures recebeu alguma reivindicação da Rodrimar ou de outra empresa igualmente atuante no segmento de portos, relacionada a esse tema?

 

52 Rodrigo da Rocha Loures chegou a demonstrar a Vossa Excelência interesse pela questão do ‘pré-93’?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures tem alguma relação com empresas do setor portuário?

 

  1. Vossa Excelência tem relação de proximidade com empresários atuantes no segmento portuário, especialmente de Santos/SP?

 

  1. Vossa Excelência conhece Ricardo Mesquita vinculado à Rodrimar? Que relação mantém com tal pessoa?

 

  1. Rodrigo da Rocha Loures mencionou a Vossa Excelência o fato de ter encontrado Ricardo Mesquita no mesmo dia (e local) em que esteve reunido com Ricardo Saud? Se sim, qual o propósito do encontro com Ricardo Mesquita?

 

  1. Vossa Excelência conhece João Baptista Lima Filho, Coronel inativo da Polícia Militar de São Paulo? Qual relação mantém com ele?

 

  1. João Baptista Lima Filho já teve alguma atuação em campanha eleitoral promovida por Vossa Excelência? Qual a função desempenhada por ele?

 

  1. João Baptista Lima Filho já atuou na arrecadação de valores a eventual campanha política de Vossa Excelência ou ao PMDB de São Paulo?

 

  1. Joesley Batista afirmou que desde a assunção de Vossa Excelência como Presidente da República, vinha mantendo contatos com o ministro Geddel Vieira Lima. Vossa Excelência tinha conhecimento de encontros? A que se destinavam?

 

  1. O empresário referiu também que vinha ‘falando’ com o ministro Eliseu Padilha. Vossa Excelência tinha conhecimento desses contatos?

 

  1. Quando Joesley Batista perguntou como estava a relação de Vossa Excelência com o ex-deputado Eduardo Cunha, Vossa Excelência mencionou ‘o Eduardo resolveu me fustigar’, aludindo, em seguida, a questionamentos que ele havia proposto ao juiz Sérgio Moro em seu interrogatório realizado na 13.ª Vara Federal, em Curitiba/PR. Imediatamente, Joesley Batista referiu que havia ‘zerado as pendências’ (presumivelmente em relação a Eduardo Cunha) e que perdera o contato com Geddel, ‘o único companheiro dele’, não mais podendo encontrá-lo, ao que Vossa Excelência fez o comentário ‘é complicado’. A quais pendências se referiu Joesley Batista?

 

  1. Geddel Vieira Lima efetivamente mantinha relação próxima a Eduardo Cunha?

 

64 Vossa Excelência via algum inconveniente na realização de encontros entre Joesley Batista e Geddel Vieira Lima? Qual o motivo de ter classificado a situação exposta como ‘complicada’?

 

  1. Em seguida, Joesley Batista, em outros termos, mencionou que investigações envolvendo Eduardo Cunha e Geddel Vieira Lima haviam tangenciado o Grupo J & F Investimentos SIA, afirmando, com conotação de prevenção que estava de bem com Eduardo, ao que Vossa Excelência interveio com a colocação ‘tem que manter isso, viu?’, tendo o empresário complementado dizendo ‘todo mês’.

 

  1. Explique o contexto em que se deram essas colocações, esclarecendo, sobretudo, o sentido da orientação final de Vossa Excelência, nos termos ‘tem que manter isso’.

 

  1. Uma das interpretações possíveis a essa passagem do diálogo é de que Joesley Batista, ao afirmar que ‘estava de bem’, tenha se referido a pagamentos mensais que vinha efetuando a Eduardo Cunha com o propósito de não se ver implicado em eventuais revelações que pudessem partir do ex-parlamentar. Vossa Excelência sequer considerou essa hipótese?

 

  1. Vossa Excelência tem conhecimento de alguma ilegalidade cometida por Eduardo Cunha? Quais?

 

  1. Avançando no diálogo, Joesley Batista, ao mencionar a sua condição de investigado, afirmou ‘aqui, eu dei conta, de um lado, do juiz dar uma segurada do outro lado, um juiz substituto, ao que Vossa Excelência complementou: ‘que tá segurando, os dois’, o que foi confirmado por Joesley, ‘os dois’. Logo em seguida, o empresário adicionou a informação ‘consegui um procurador dentro da força-tarefa que tá me dando informação’. Adiante, o empresário complementa que estava agindo (sem explicar como) para trocar um Procurador da República que estava ‘atrás dele’, fazendo menção, ao que o contexto indica, à atuação de um membro do Ministério Público Federal em alguma investigação. Vossa Excelência, inclusive, se certifica indagando ‘o que tá em cima de você?’, o que é confirmado pelo empresário. Vossa Excelência percebeu alguma ilicitude nas informações que lhe estavam sendo transmitidas por Joesley Batista?

 

  1. Ao fazer o breve comentário ‘segurando os dois’ Vossa Excelência aparenta compreender a alusão do empresário à suposta intervenção nas investigações instauradas em seu desfavor (de Joesley Batista). O que tem a dizer sobre isso? Caso tenha feito interpretação diversa, a exponha.

 

  1. Se, no entanto, Vossa Excelência confirma ter entendido, naquele momento, o imediato sentido que emana das expressões usadas pelo empresário, explique o porquê de não ter advertido Joesley Batista quanto à gravidade daquela revelação e, também, por qual razão não levou ao conhecimento de autoridades a ilícita ingerência na prestação jurisdicional e na atuação do Ministério Público que lhe fora narrada por Joesley Batista?

 

  1. Mais à frente, em contexto diverso, Joesley Batista aparentemente procurou estabelecer (ou restabelecer) um canal de contato com Vossa Excelência: ‘queria falar como é que é, pra falar contigo, qual melhor maneira? Porque eu vinha falando através do Geddel, eu não vou lhe incomodar, evidentemente’, Vossa Excelência confirma ter mencionado Rodrigo da Rocha Loures nesse momento?

 

  1. Qual a função que ele deveria efetivamente exercer?

 

  1. Joesley Batista já conhecia Rodrigo da Rocha Loures?

 

  1. No tocante às menções feitas pelo empresário à nomeação de presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) Vossa Excelência assegurou que tal nomeação já havia ocorrido. Vossa Excelência sugeriu a Joesley Batista que procurasse o novo Presidente do CADE para ter uma ‘conversa franca’ com ele? Qual o exato significado dessa orientação?

 

  1. Vossa Excelência, naquele momento, tinha conhecimendo de algum interesse específico de Joesley Batista no âmbito do CADE?

 

  1. Joesley Batista mencionou também que o Presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estava por ser ‘trocado’ e que se tratava de ‘lugar fundamental’. Vossa Excelencia, então, orientou o empresário para que falasse com ‘ele’. A quem Vossa Excelência se referiu?

 

  1. Qual a legitimidade de Joesley Batista para interceder (ou tentar, ao menos) na nomeação do novo presidente da CVM?

 

  1. Em seguida, Joesley Batista referiu a importância de um ‘alinhamento’ com o Ministro Henrique Meirelles, ao que Vossa Excelência manifestou concordância. Qual o sentido da expressão ‘alinhamento’?

 

  1. Vossa Excelência autorizou que Joesley Batista apresentasse pontos de interesse ao Ministro Henrique Meirellesw? Quais? Vossa Excelência tem conhecimento se isso realmente ocorreu?

 

  1. Joesley Batista também mencionou determinada operação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que tinha dado certo, sendo que Vossa Excelência manifestou ter conhecimento do tema, mencionando, inclusive, que havia falado com ‘ela’ a respeito. Qual operação referida pelo empresário?

 

  1. A pessoa aludida por Vossa Excelência no contexto é Maria Silvia Bastos Marques, ex-presidente do BNDES? O que solicitou a ela?

6 de junho de 2017 às 11:27

Justiça Federal emite nota sobre operação no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Justiça Federal no Rio Grande do Norte sobre a operação de hoje no Estado:

 

NOTA OFICIAL DA JUSTIÇA FEDERAL NO RIO GRANDE DO NORTE

 

Sobre a operação Manus, deflagrada na manhã de hoje pela Polícia Federal no Rio Grande do Norte, Distrito Federal e Paraná, a Justiça Federal no Rio Grande do Norte esclarece que o processo está tramitando em segredo de justiça. As acusações são referentes a supostos pagamentos de propinas feitos por empreiteiras com destinação a dois políticos e que teriam contado com a conivência de empresários que atuaram para lavagem de dinheiro.

Os 33 mandados de prisões preventivas, conduções coercitivas e buscas e apreensões foram expedidos pelo Juiz Federal Francisco Eduardo Guimarães Farias, titular da 14ª Vara no Rio Grande do Norte.

Os indícios apontam para o fato de que as empresas Carioca Engenharia, Odebrecht e OAS pagaram propina a políticos, com a promessa de favorecimento em obras, privatizações e facilidade em pagamento de construções.

Logo após toda operação ser concluída, a JFRN emitirá uma nova comunicação sobre os desdobramentos e maiores detalhes.

 

Natal, 6 de junho de 2017

6 de junho de 2017 às 10:57

Ao vivo: PF fala sobre prisão de Henrique [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Polícia Federal fala sobre operação que prendeu o ex-deputado Henrique Alves.

Veja transmissão ao vivo:

6 de junho de 2017 às 10:21

Colunista mostra acesso fácil de Henrique ao Palácio do Planalto [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Blog de Andréia Sadi, no G1

 

Alves tinha livre acesso ao Planalto em agendas com Temer

 

Preso pela Polícia Federal nesta terça-feira (6), o ex-ministro Henrique Eduardo Alves tinha livre acesso ao Palácio do Planalto mesmo fora da equipe ministerial.

Alves se reúne com Temer, fora da agenda oficial, assim como outros ex-auxiliares e peemedebistas de confiança do presidente.

 

Ele foi ministro do Turismo de Michel Temer e caiu na esteira de denúncias em 2016. Alves é presença constante no terceiro andar do Palácio do Planalto, com acesso livre, inclusive, à sala da chefia de gabinete do presidente, comandada por Nara de Deus.

Há cerca de um mês, por exemplo, Alves esteve no Planalto para se encontrar com Temer.

 

O terceiro andar tem acesso restrito e só pode ser frequentado com autorização por se tratar do andar de onde despacha o presidente da República.

Alves era um dos principais aliados de Eduardo Cunha, também preso pela Polícia Federal.

Quando deputados, Alves e Cunha eram dos peemedebistas que frequentavam juntos os jantares no Palácio do Jaburu, residência oficial de Temer.

Alves e Cunha foram presidentes da Câmara.

6 de junho de 2017 às 10:18

Henrique é alvo de segundo mandado de prisão nesta terça-feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1 – Brasília

 

PF faz operação sobre fraude na Caixa com mandado de prisão para Cunha e Alves

É a segunda operação deflagrada nesta terça-feira que tem, entre os alvos, os ex-presidentes da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha

 

Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram uma operação na manhã desta terça-feira (6) para apurar irregularidades nas vices-presidências de Fundos e Loterias e de Pessoas Jurídicas da Caixa Econômica Federal.

Entre os alvos com mandados de prisão estão o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves e o ex-deputado Eduardo Cunha, ambos do PMDB.

Ambos já foram presidentes da Câmara dos Deputados.

Esta é a segunda operação do dia que tem os dois como alvos.

Logo no início da manhã, em uma outra operação, essa sobre corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal, policiais federais foram à casa de Henrique Alves, na capital potiguar, para prendê-lo preventivamente.

Cunha também é alvo no caso do estádio, mas já está preso pela Lava Jato, em Curitiba.

A operação sobre fraudes na Caixa é mais uma etapa da Sepsis e Cui Bono.

Além de Cunha e Alves, há mandado de prisão para outras três pessoas.

Um dos focos da investigação são desvios no fundo de investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

A ação desta terça foi baseada em informações das delações premiadas de ex-executivos da construtora Odebrecht.

De acordo com o MPF, os investigados praticaram, de forma continuada, os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e que, mesmo com as investigações em curso, continuam agindo para ocultar mais de R$ 20 milhões que teriam sido recebidos por Eduardo Cunha.

Ainda segundo o Ministério Público, há indícios de que os investigados movimentaram irregularmente recursos no exterior entre 2011 e 2015.

6 de junho de 2017 às 10:08

Operação contra Henrique e Fred Queiroz tem 5 mandados de prisão já cumpridos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como é a operação Manus deflagrada hoje no Rio Grande do Norte:

O secretário de Obras da Prefeitura de Natal, Fred Queiroz, também foi preso preventivamente, assim como o ex-deputado Henrique Alves (PMDB).

Um terceiro mandado de prisão foi expedido contra o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), que já está preso em Curitiba.

Mas segundo dados da operação, são 5 os mandados de prisão.

Foram conduzidos coercitivamente para depor, o publicitário Arturo Arruda, que estava em Mossoró, Eurico Alecrim e o ex-auxiliar do Ministério da Previdência, Jaime Mariz.

A produtora de vídeo Peron Filmes, em Natal, foi alvo de busca e apreensão, assim como a agência Art&C.

Mas a operação tem mais coisas a revelar:

São 5 mandados de prisão preventiva, 6 de condução coercitiva e 22 de busca e apreensão nas cidades de Natal, Mossoró e Parnamirim, no Rio Grande do Norte, e Curitiba, no Paraná.

Em Curitiba é o mandado de prisão contra o já preso Eduardo Cunha.

A PF já cumpriu os 5 mandados de prisão.

6 de junho de 2017 às 9:41

Vídeo: veja prisão de Henrique [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Veja a saída do ex-deputado Henrique Alves (PMDB) do prédio onde mora sendo levado para a superintendência da Polícia Federal.

Vídeo: Juliana Manzano

 

6 de junho de 2017 às 8:20

Henrique Alves é preso [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1:
Ex-ministro Henrique Eduardo Alves é preso em operação da PF
Desdobramento da Lava Jato investiga sobrepreço de R$ 77 milhões na construção da Arena das Dunas, no RN; Cunha também é alvo.

O ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves foi preso na manhã desta terça-feira (6) em um desdobramento da Operação Lava Jato. O ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba, é alvo de um novo mandado de prisão preventiva. Ambos são do PMDB e foram presidentes da Câmara dos Deputados.
O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, disse ao G1 que tomou conhecimento da prisão pela imprensa. “Até o momento, não sei de nada sobre o que levou a PF a prender Henrique. Vou tomar pé da situação e depois me pronuncio”, falou por telefone.
Batizada de Manus, a operação investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal. Segundo a PF, o sobrepreço chega a R$ 77 milhões.

São cumpridos 33 mandados, sendo cinco mandados de prisão preventiva (sem prazo), seis de condução coercitiva (quando alguém é levado a depor) e 22 de busca e apreensão no Rio Grande do Norte e no Paraná.

A investigação se baseia em provas da Lava Jato, que apontam o pagamento de propina a Cunha e Alves em troca de favorecimento a duas grandes construtoras envolvidas na construção do estádio.

Segundo a PF, foram identificados pagamentos de propina por meio de doações oficiais entre 2012 e 2014 . Além disso, um dos investigados usou valores supostamente doados para a campanha de 2014 em benefício pessoal.

Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa e passiva, além de lavagem de dinheiro.
O nome da operação é referência ao provérbio latino “Manus Manum Fricat, Et Manus Manus Lavat”, que significa uma mão lava a outra.

Em Mossoró, na região Oeste do estado, o publicitário Arturo Arruda, um dos sócios da agência Art&C, também foi alvo de mandado de condução coercitiva e ele foi levado para prestar depoimento.

6 de junho de 2017 às 5:41

Prefeitura de Parnamirim continua inscrevendo para casamento comunitário [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Parnamirim segue com inscrições abertas para o casamento comunitário que deverá ocorrer no dia 4 de julho, às 18 horas, na Cohabinal. As inscrições serão encerradas no dia 16.

Até o momento já foram preenchidas 124 das 200 vagas.

 

Veja abaixo a relação dos documentos necessários para participar do casamento comunitário.

 

Para noivos solteiros e maiores de 18 anos:

Registro de Nascimento original Identidade RG – original e cópia

Comprovantes de residências do casal

Duas testemunhas conhecidas do casal com identidade

 

Para noivos solteiros maiores de 16 anos e menores de 18 anos:

Certidões de nascimento, RG, CPF ou CNH Cópia do RG Cópia e originais dos comprovantes de residência do casal

Duas testemunhas maiores de 18 anos, portando documentos de RG, CPF ou CNH (Os pais do menor devem estar presentes portando o RG e CPF)

Trazer informações sobre a data de nascimento ou falecimento e o local do nascimento dos pais dos noivos Para noivos solteiros menores de 16 anos Neste caso é obrigatória a autorização judicial para o casamento

 

Para noivos divorciados

Cópia da sentença do divórcio e cópia da petição inicial do processo do divórcio que indique se houve partilha dos bens do primeiro casamento ou que não possuíam bens a partilhar/ se o divórcio for extrajudicial, trazer cópia da escritura do divórcio Cópia e original da identidade do casal  Cópia e original do comprovante de residência do casal 2 testemunhas conhecidas para vir junto com o casal – trazendo identidade

6 de junho de 2017 às 3:18

Perguntas da PF a Temer começam a vazar [1] Comentários | Deixe seu comentário.

E se o presidente Michel Temer optar – por direito – por não responder às 82 perguntinhas que lhe foram enviadas pela Polícia Federal?
Aí a opinião pública só vai opinar quando todas as perguntas forem divulgadas.

Nenhuma dúvida que serão.

O Estadão já solta algumas:
Rocha Loures é pessoa da estrita confiança de Vossa Excelência?
Por que Vossa Excelência recebeu ‘conhecido falastrão’ em sua residência?
Qual o motivo, então, para tê-lo (Joesley) recebido em sua residência, em horário não usual, em compromisso extraoficial e sem que o empresário tivesse sido devidamente cadastrado quando ingressou às instalações do Palácio?
Como Temer tem batido na tecla do ‘quem não deve não temeR’, certamente vai responder tudooo.

Mas ele tem alegado que o áudio foi ‘manipulado, adulterado’. 

O ministro do STF, Edson Fachin, o mesmo que deu a Temer o direito de responder ou não à Polícia Federal, já definiu pela legalidade do áudio.
Só relembrando:  A conversa gravada mostra Joesley Batista  natrando ao presidente Michel Temer uma rotina de crimes como o pagamento de 50 mil por mês ao procurador da República Ângelo Goulart e a mesada milionária paga a Eduardo Cunha em troca do silêncio dele, por ser muito próximo do presidente.

6 de junho de 2017 às 2:50

Ministro Fachin diz que Michel Temer não é obrigado a responder perguntas da PF sobre áudio de Joesley [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Michel Temer tem 24 horas para responder por escrito às 84 perguntas elaboradas pela Polícia Federal sobre o áudio da conversa gravada entre ele e o friband  Joesley Batista, do grupo J&F, 
Teria 24 horas porque o ministro do STF e relator da lava-jato, Edson Fachin, disse que Temer não é obrigado a responder e tem o direito de permanecer em silêncio.
Então tá.
Vamos ver se Temer vai apostar no ‘quem não deve não teme’ e responder tudo o que lhe foi perguntado.

6 de junho de 2017 às 2:33

Chapa Dilma/Temer começa a ser julgada mas ministro governista deverá pedir vista e adiar o processo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Pprque Michel Temer jurava que tomar a presidência seria o fim de seus problemas.

Faltou inteligência e sobrou arrogância.
Da capa do Globo de hoje, o resumo da ópera:


Ainda na capa do Globo: