Holiday

Thaisa Galvão

12 de junho de 2017 às 18:12

Ex-deputado Henrique Alves não será transferido para Brasília [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1
A defesa do ex-ministro e ex-deputado Henrique Eduardo Alves conseguiu uma liminar suspendendo a transferência dele. 
Na sexta-feira (9), o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira havia determinado a transferência do ex-ministro de Natal para a carceragem da Polícia Federal em Brasília. 
Alves está preso desde a última terça (6), na Academia de Polícia Militar, em Natal. 
A liminar suspendendo a transferência foi concedida pelo desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região. 
O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, entrou com pedido de liminar ainda na sexta-feira passada.
“Eu já tinha ingressado com dois habeas corpus com pedidos de liberdade, que ainda não foram julgados, e depois dessa determinação de transferência entrei com novo habeas corpus para impedir que ele fosse transferido e o pedido de liminar foi deferido”, explica o advogado Marcelo Leal.
O desembargador Ney Bello, do TRF1, publicou em sua decisão: 
“quanto à desnecessidade de transferência do paciente para lugar diverso de sua residência, aliada ao fato de ser onerosa e descabida, haja vista que tanto o magistrado federal de Natal/RN quanto o do Distrito Federal gozam das mesmas prerrogativas funcionais e institucionais”.
O ex-ministro Henrique Eduardo Alves está preso por mandado de prisão expedido pela 14ª Vara da Justiça Federal no Rio Grande do Norte, dentro da Operação Manus, bem como mandado expedido pela 10ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal, referente a Operação Sépsis.
A liminar suspendendo a transferência é provisória. O desembargador Ney Bello destaca que a decisão definitiva será tomada após informações prestadas pelo juízo de origem. 
O juiz Eduardo Guimarães, da 14º vara federal do Rio Grande do Norte, deu um prazo de 72 horas para o Ministério Público Federal se manifestar acerca do pedido de reconsideração. O prazo termina nesta segunda-feira (12).

12 de junho de 2017 às 16:44

Geddel Vieira na fila da prisão (?) [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O valente Geddel Vieira seria mais um peemedebista na fila da prisão?

É o que sugere o colunista Lauro Jardim, na coluna do Globo Online.

12 de junho de 2017 às 16:36

Movimento Brasil Livre quer lançar candidatura de Flávio Rocha ao Governo de SP [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do site ‘Coluna Esplanada’:

O pré-candidato de Goiânia pode até ser filhote de Dória.

Já o potiguar Flávio Rocha pode ser pai.

É que a candidatura do atual prefeito de São Paulo partiu de dentro da casa de Rocha.

Tudo articulado a partir do PIB ao qual Flávio Rocha faz parte.

O todo-poderoso do grupo Riachuelo tem dito por aqui que não pretende voltar à política.

Ele só não acrescentou que não interessa a ele a política poriguar.

São Paulo são outros quinhentos.

12 de junho de 2017 às 13:11

Novo depoimento de Emilio Odebrecht a Sérgio Moro dura 6 minutos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O empresário Emilio Odebrecht, dono da construtora Odebrecht, foi ouvido hoje mais uma vez pelo juiz federal Sérgio Moro.

O depoimento ocorreu por videoconferência com São Paulo, e durou apenas  seis minutos. Emilio Odebrecht é testemunha de acusação.

Emilio Odebrecht voltou a ser ouvido a pedido da defesa do ex-presidente Lula (PT), réu nesta ação penal.

12 de junho de 2017 às 13:06

Senadores que hoje apoiam o prefeito de Natal poderão integrar chapa com Tião Couto [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem escuta o converse político em Mossoró sai com uma certeza:

Que o ex-candidato a prefeito da cidade, Tião Couto (PMDB), está com a corda toda para disputar o Governo do Rio Grande do Norte.

A chapa hoje seria formada com os senadores Garibaldi Filho (PMDB) e José Agripino Maia (DEM) como candidatos à reeleição.

Os dois hoje integram a base de apoio ao prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT).

Mas…sem muito amor diante dos acontecimentos.

E sem perspectivas de um futuro longínquo.

12 de junho de 2017 às 12:59

Projeto do PT inclui nome do prefeito Carlos Eduardo como candidato ao Senado [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Nos bastidores da política potiguar, já se discute um novo rumo para o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), que tem o nome cogitadíssimo para disputar o Governo do Estado no próximo ano.

E o futuro do prefeito começa por tirar do PMDB o seu vice-prefeito, Álvaro Dias.

Primeiro passo para se descolar do partido que hoje tem o seu presidente Henrique Alves preso.

Não interessa mais a Carlos Eduardo ser aliado do PMDB.

E sem o PMDB como aliado, com seu poderoso tempo de televisão, fica difícil para o prefeito sair sozinho ou com aliados de pouco peso para um projeto de Governo.

O Senado tem sido a nova cogitação para o prefeito de Natal.

Mas, nada de integrar a chapa de reeleição do governador Robinson Faria (PSD) como tem se falado.

Carlos seria o nome que falta hoje para a chapa que terá – em tempos de hoje – a senadora Fátima Bezerra (PT) como candidata ao Governo e a deputada federal Zenaide Maia (PR – se filiará ao PMB) como candidata ao Senado.

Carlos, do PDT que votou contra o impeachment de Dilma Rousseff, seria o segundo senadorável do projeto liderado pelo PT.

O projeto vem sendo discutido a sete chaves, a ponto de aliados já estarem se desfazendo de projetos que vinham tomando forma.

Resta saber se um contratempo, tipo…a prisão do ex-presidente Lula, não viria a atrapalhar.

*

E voltando à troca de partido de Álvaro Dias…

Não interessa a Carlos Eduardo renunciar ao mandato e entregar a Prefeitura de Natal ao PMDB, que no projeto em discussão, será seu adversário.

No cenário que começa a se debater, Carlos disputaria o Senado contra o primo senador Garibaldi Filho, do PMDB.