Thaisa Galvão

7 de agosto de 2017 às 18:10

As vaias de Agripino, Robinson e Fátima Bezerra [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Os festivais de inverno que aconteceram no final de semana em Martins, Serra de São Bento e Cerro Corá comprovaram que política e festa não se misturam mais.

Em Martins, citado pelo locutor, o senador José Agripino recebeu uma vaia tímida, que cresceu depois que a prefeita Olga Fernandes resolver dar um carão no grupo…

Em Cerro-Corá, o governador Robinson Faria também não escapou da militância da vaia.
E em Serra de São Bento a vaia foi para a senadora Fátima Bezerra, que não circulou pela festa.

Sentou com seu grupo, posou para fotos com quem foi à sua mesa, enquanto os deputados federal Antônio Jácome e estadual Jacó Jácome circulavam e cumprimentavam os presentes

Quando citada, Fátima levou vaia.

7 de agosto de 2017 às 16:16

PF libera mais trechos de mensagens entre Eduardo Cunha e Henrique Alves [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo:
Eduardo Cunha sobre propina: ‘Aqui se atrasa, mas não falha’


Carolina Brígido e Catarina Alencastro, O Globo
Um relatório da Polícia Federal produzido a partir de mensagens capturadas do telefone do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso no âmbito da Lava-Jato, mostra que os tentáculos do político alcançavam as mais diversas áreas.
O ex-deputado influenciava nomeações para cargos públicos, distribuição de propina para o PMDB e até vagas de internação de hospitais do Rio. 

Quando o assunto era o pagamento de vantagens indevidas, ele se garantia. 
“Chegou! Valeu. Agradeça lá”, escreveu o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), também preso, em mensagem de 2012. 

“Claro, não tinha dúvidas. Aqui se atrasa, mas não falha”, responde Cunha.
O diálogo foi um dos muitos em que Cunha e Alves acertam suposto pagamento de propina, muitas vezes oriunda de empreiteiras. 

No dia 15 de agosto de 2012, Alves havia cobrado o pagamento de propina que viria da Carioca Engenharia, segundo a interpretação dos investigadores. Aparentemente, a cobrança deu certo, porque o agradecimento foi repassado a Cunha no dia seguinte.

7 de agosto de 2017 às 14:22

Senador Garibaldi Filho assumirá presidência do PMDB-RN em janeiro  [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidido interinamente pelo vice-presidente, deputado federal Walter Alves, o PMDB do Rio Grande do Norte terá novo comando a partir de janeiro próximo.

O senador Garibaldi Filho será o novo presidente.

Presidente da legenda, o ex-deputado Henrique Alves, que está preso, se licenciou do cargo assumido interinamente por Walter.

7 de agosto de 2017 às 14:07

Médico Jeancarlo Cavalcante presidirá o Solidariedade em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Novo nome da Medicina no cenário político.

O médico Jeancarlo Cavalcante, ex-presidente do Conselho Regional de Medicina, assumirá nos próximos dias a presidência do diretório municipal de Natal do Solidariedade.

O médico está na lista dos que disputarão mandato eletivo no pleito do próximo ano.

7 de agosto de 2017 às 14:00

Capitão Styvenson é o nome dos sonhos do Solidariedade para fazer dobradinha com Magnólia na disputa pelas duas vagas do Senado [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Com o nome da atleta campeã, Magnólia Figueiredo, já oficializado como pré-candidata ao Senado, o Solidariedade trabalha outro nome para compor a dobradinha.

E o nome dos sonhos do partido do deputado Kelps Lima é o do Capitão Styvenson Valentin.
Pelo que o Blog apurou, contatos já foram feitos na tentativa de atrair Valentim para o projeto que ainda poderá ter Kelps como candidato ao Governo, caso uma chapa forte para o Senado seja apresentada.
O Capitão, que ficou conhecido com seu trabalho no comando da Lei Seca, em Natal, tem se dedicado a projetos sociais que incluem a realização de palestras em escolas para falar, entre outros temas, do combate às drogas. 
Quem acompanha as redes sociais de Styvenson vê que as ações dele não se resumem a Natal.

Ele também tem andado pelo interior e…juntado gente nas suas palestras.

No vídeo abaixo, só um pouco do carisma do Capitão que poderá virar senador…

7 de agosto de 2017 às 9:07

Descabelado e justo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O jornal O Globo registra hoje como ‘Imagem da Semana’, a foto do descabelado presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Em seu instagram, Maia parabenizou o fotógrafo pelo flagrante.

7 de agosto de 2017 às 8:58

A meia-sola e o besteirol de Moreira Franco [0] Comentários | Deixe seu comentário.

“Queremos uma reforma, não uma meia-sola”.
Piada de mau gosto a frase acima se considerarmos que ela tem como autor o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco (PMDB).
Esquece da “meia-sola” que o presidente Michel Temer fez para poupá-lo da lava-jato, transformando o cargo dele de Secretário em Ministro, dando-lhe de presente um foro privilegiado.
Esquece que meia-sola foram as decisões tomadas pelos governos Dilma (PT) e Temer (PMDB), com apoio do PMDB onde Moreira sempre teve voz ativa, como o resjuste astronômico do fundo partidário, prestes a aumentar de novo para pagar a conta com dinheiro público de campanhas milionárias….
Esquece que meia-sola sempre foi a base das “reformas políticas” feitas até agora com o voto dele, na intenção sempre de defender a categoria dele em detrimento da população, pois se não tivesse sido assim, ele já estaria fora de cena…
Esquece que meia-sola foi o que ele ajudou a planejar, para tirar uma presidente do cargo com o único objetivo de seu partido se instalar no poder, em vez de sugerir medidas para tirar o país da crise. 

O ministro Moreira Franco ajudou mesmo foi a potencializar a crise.
Para ser Franco com os brasileiros, o Moreira, prestes a ser denunciado pelo procurador Rodrigo Janot, bem que poderia parar de falar besteira…

7 de agosto de 2017 às 8:28

Previdência: Rodrigo Maia cobra pulso de Temer na reforma para o abacaxi não cair no colo dele [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Como a gente sabe que na política só tem ‘menino besta’, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), faz força para que o presidente Michel Temer (PMDB), que já está mal das pernas, bata o pé e cobre uma reforma da Previdência do jeitinho que o povo não quer…

É que Maia não é besta coisa nenhuma.

Ele quer que Temer termine de se esparrachar no chão porque sabe que se não for agora, a reforma da previdência cairá no colo do próximo presidente.

E o próximo presidente, Rodrigo Maia quer que seja ele próprio.
E enquanto Temer chama Maia de estadista, Maia se aproveita dos quase 100% de desgaste de Temer para ficar bem na foto…
Leia reportagem do Estadão:

Do Estadão
Maia pede que presidente não ceda na Previdência
Em reunião no Planalto, presidente da Câmara sugere que Temer mantenha negociação da PEC no Congresso; ele defende modelo de transição e campanha publicitária
Vera Rosa e Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo
BRASÍLIA – Após a denúncia por corrupção passiva ser rejeitada por 263 deputados na semana passada, o presidente Michel Temer fez ontem um afago ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e aceitou suas sugestões para não ceder antes da hora na negociação da reforma da Previdência.

Em reunião no Palácio do Planalto, da qual também participaram ministros, Temer concordou com as observações de Maia e deu sinais de que vai transformá-lo numa espécie de articulador da reforma, curando feridas deixadas no relacionamento dos dois no processo de votação da denúncia.
O presidente disse em entrevista ao Estado, publicada no sábado, que as mudanças na Previdência poderiam se resumir à fixação da idade mínima para aposentadoria (65 anos para homens e 62 para mulheres) e ao corte dos privilégios do funcionalismo. 
Na reunião de ontem, porém, ouviu de Maia que é preciso discutir também um modelo de transição para os que ingressaram no serviço público antes de 2003. 
O deputado defendeu uma campanha publicitária para mostrar, em termos didáticos, que os aposentados podem ficar sem receber, como no Rio, se nada for feito agora.

“Queremos uma reforma, não uma meia-sola”, afirmou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, que também participou da reunião. 
“O presidente pediu trabalho e empenho para que possamos cumprir a agenda econômica. 

São medidas que podem dar tranquilidade fiscal, como a Previdência, a simplificação tributária e o Refis.” Além do Programa de Recuperação Fiscal, há mais de 20 Medidas Provisórias na pauta do Congresso.
Convocada de última hora por Temer, a reunião ocorreu no Planalto, o que não é usual no fim de semana, e durou quatro horas. Além de Maia e Moreira, contou com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e dos ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Antônio Imbassahy (Governo). 

Gravação. Antes de o plenário da Câmara derrubar a denúncia contra Temer, na quarta-feira, Maia chegou a ser olhado com desconfiança por auxiliares do presidente. 
Primeiro nome na linha sucessória da Presidência da República, o deputado foi acusado de se movimentar para ocupar a cadeira do peemedebista e não escondeu a mágoa.
O encontro de ontem serviu para serenar os ânimos. 

A convite de Temer, Maia também gravou um vídeo no Planalto, que foi divulgado na rede social do governo. 

Falou sobre a segunda fase das ações do Executivo no Rio, seu reduto eleitoral, no combate ao crime organizado.

A portas fechadas, Meirelles disse que o mercado estava “ansioso” por um prazo para a reforma da Previdência. 

A ideia do Planalto é aprová-la na Câmara até setembro, mas Eunício afirmou que o Congresso não pode fixar um prazo definitivo. 
“Eu tenho que pensar no consumidor, e não no mercado”, reagiu o presidente do Senado. “Se aprovar a idade mínima, 50% está resolvido. Já é metade da reforma”, completou.
Por se tratar de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o governo precisa de 308 votos na Câmara e 49 no Senado, em duas votações, para mudar as regras da aposentadoria. 

A base aliada está dividida e Temer quer uma radiografia dos partidos para saber com quem pode contar nos próximos embates. A maior divisão ocorre no PSDB, que constantemente ameaça abandonar o governo.
O discurso oficial é o de que não haverá retaliação aos infiéis, mas Temer disse ao Estado que quem estiver “sentindo-se mal” no governo deve deixar a equipe. 
Na votação da denúncia, 22 deputados tucanos se posicionaram a favor do presidente, 21 contra e 4 se abstiveram. “Estamos entrosados, motivados e temos o compromisso de fazer o máximo para que a pauta de modernização do País avance”, amenizou Imbassahy, um dos quatro ministros do PSDB.

Ao Estado, Temer elogiou a atuação de Maia nos últimos dias. “O presidente Rodrigo Maia se comporta como estadista porque cumpre rigorosamente o regimento interno da Câmara e a Constituição. O exemplo dele deve servir para vários outros militantes da área jurídica, que muitas vezes ultrapassam os limites da lei”, argumentou o presidente em um recado indireto ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 
Pela contabilidade do Planalto, muitos dos aliados que votaram contra Temer na quarta vão aprovar a reforma da Previdência. Questionado se confiava no apoio do PSDB, o presidente respondeu: “Não acredito que eles votem contra o Brasil