Thaisa Galvão

16 de setembro de 2017 às 20:33

Autoridades se unem para proteger o emprego no setor têxtil do RN, ameaçado por ação do MPT [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Todas as atenções deste sábado se voltaram para São José do Seridó, onde uma audiência pública da Câmara Municipal, no ginásio de esportes da cidade, debateu a ação do Ministério Público do Trabalho que multou a Guararapes em 38 milhões, justificando que a empresa utiliza a produção de facções do setor têxtil, sem garantir aos contratados das facções, os mesmos direitos dos funcionários da fábrica.

A pena imposta à Guararapes obriga a fábrica a deixar de comprar a produção das facções, o que terá como consequência, o fechamento de facções e o aumento do desemprego.
O governador Robinson Faria foi a São José levar apoio às facções e aos empregados das facções, maiores vítimas da ação.


O ginásio ficou lotado para a audiência que foi chamada de ‘Grito das Facções’.

Presentes o governador, o deputado federal Rogério Marinho, os deputados estaduais Nelter Queiroz, Vivaldo Costa e Hermano Morais, o presidente da Fiern, Amaro Sales, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Flávio Azevedo e o desembargador Cláudio Santos.

Também participaram prefeitos, vices e vereadores de vários municípios, e donos de facções e contratados.

Relator da reforma trabalhista, o deputado Rogério Marinho, disse que a ação do Ministério Público do Trabalho é um crime contra o emprego no Rio Grande do Norte.


O deputado Nelter Queiroz criticou a ação do MPT, argumentando que colabora com o desemprego e com a violência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*