Holiday

Thaisa Galvão

27 de setembro de 2017 às 15:51

Coordenador da bancada, Felipe Maia cobra do Planalto liberação de 7 milhões para obras do Porto Ilha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mais detalhes da audiência, no Plaácio do Planalto, de representantes da indústria salineira do Rio Grande do Norte com o presidente Michel Temer, no Palácio doPlanalto.

Durou mais de uma hora a explanação, pelo governador, pelos salineiros e alguns parlamentares, para o presidente Temer.

A categoria quer apoio do governo federal para manter a produção do sal e assegurar os mais de 70 mil empregos diretos e indiretos.

“Pela representatividade na audiência, reconheço a importância do setor para o estado. Prometo analisar com brevidade e detalhes a questão da elaboração do decreto, o reestudo da alíquota para o setor, além do reparo urgente do Porto Ilha”, garantiu o presidente…

Os salineiros entregaram a Temer um documento priorizando três pontos fundamentais para o setor: a elaboração de um decreto reconhecendo a atividade salineira como de interesse social, atestando segurança jurídica; o aumento da alíquota que protege o sal brasileiro da concorrência “predatória” do Chile; e a reforma do Porto Ilha, por onde é escoado 70% do sal produzido no estado.

“ Temos o melhor sal do mundo, somos o maior produtor do país e não podemos deixar que o nosso sal seja perseguido, por isso precisamos garantir a blindagem jurídica ao produto para que ele continue gerando milhares de empregos”, declarou o governador Robinson Faria.

Coordenador da bancada federal, o deputado federal Felipe Maia (DEM) entregou a Temer um documento impresso com informações detalhadas sobre a emenda de bancada, indicada pelo senador José Agripino (DEM), que tem valores já assegurados no orçamento da União para a reforma e ampliação do Porto Ilha, na cidade de Areia Branca.

“Se o governo federal autorizar a liberação dos R$ 7 milhões para a reforma do Porto Ilha, já considero a audiência um sucesso”, ressaltou o parlamentar.

“Não temos um marco regulatório e nossa atividade não pode ser transferida para outro local. São três séculos de história, seis milhões de toneladas de sal produzidas por ano e um faturamento que beira 1 bilhão de reais”, declarou o presidente do Sindicato da Industria de Sal (SIESAL), Airton Torre.

“Precisamos desse reconhecimento e dessas ações para ter segurança jurídica, visto que hoje nos encontramos num limbo, sem uma legislação específica – nem no Código Florestal e nem nas leis minerais -, e, permanecendo nesse estado, perdemos as benesses da legislação”, disse Renato Fernandes, presidente do Sindicato da Indústria de Moagem e Refino de Sal do RN).
Fotos Marcos Corrêa e Mariana Di Pietro


27 de setembro de 2017 às 15:12

Presidente promete ‘analisar’ pedido de reconhecimento dos salineiros do RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na audiência de hoje com o presidente Michel Temer, o governador Robinson Faria mostrou que o Rio Grande do Norte é responsável por mais de 95% da produção de sal no Brasil, e que o setor é considerado a quinta maior atividade econômica do Estado, gerando cerca de 70 mil empregos e um faturamento que pode chegar a R$ 1 bilhão por ano.

E que diante da importância, precisa da edição de um decreto federal, reconhecendo a atividade salineira como de interesse social.

O assunto já havia sido discutido em audiência entre o governador, políticos e salineiros no mês de julho, em Mossoró.

“A edição desse decreto é fundamental para dar segurança jurídica à atividade salineira, que não conta com uma legislação específica, deixando a atividade submissa a ações e restrições de órgãos de controle ambiental”, disse Robinson.

Temer recebeu os empresários do setor salineiro do RN, o governador, a bancada federal, mais prefeitos, e vereadores, acompanhado do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho.

A recuperação do Porto-Ilha de Areia Branca também foi um dos assuntos na pauta de hoje no Palácio do Planalto.

O presidente Temer, como sempre, se mostrou sensível e se propôs a analisar as demandas.

O Blog não aposta um real que algo será feito pela Presidência da República.

Essa sensibilidade e disposição para analisar demandas o Rio Grande do Norte já conhece muito bem.

Da bancada federal participaram da audiência os deputados Beto Rosado (PP), Walter Alves (PMDB), Felipe Maia (DEM), Rafael Motta (PSB), Fábio Faria (PSD) e Rogério Marinho (PSDB), e o senador Garibaldi Filho (PMDB).

O senador José Agripino justificou ausência por estar tratando de uma conjuntivite que o tirou, com direito a atestado médico, dos trabalhos do Senado nos últimos dias.

A senadora Fátima Bezerra (PT), e os deputados Antônio Jácome (Podemos) e Zenaide Maia (PR) não compareceram.

Jácome foi representado pelo filho, deputado estadual Jacó Jácome (PSD).

Também do legislativo estadual, os deputados Souza (PHS) e Larissa Rosado (PSB).

27 de setembro de 2017 às 14:46

Temendo se envolver em mais uma denúncia, Temer tenta salvar Aécio Neves [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Michel Temer (PMDB) quer salvar o senador afastado Aécio Neves (PSDB).

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), quer salvar Aécio.

Mesmo sabendo que não cabe deliberação do Senado sobre a decisão do STF, no caso do afastamento de Aécio, e da prisão domiciliar noturna, os peemedebistas vão tentar recolocar o aliado no plenário do Senado.

Eunício tem certeza que a “se a Constituição foi ferida” por uma decisão e por isso “cabe ao Senado tomar a decisão baseado na Constituição”.

Resta saber se Eunício e Temer estão tentando preservar a Constituição, ou a própria pele.

Quando mais denunciados, mais denúncias poderão envolver o presidente da República.

E no caso do Senado, o presidente da Casa.

Portanto, preservar a Constituição nesse caso pode ser preservar a própria pele.

Os ministros do STF entendem que o artigo 53 da Constituição diz que prisão de parlamentar precisa ser submetida ao plenário.

Mas o artigo 319 do Código de Processo Penal é claro: recolhimento domiciliar é medida diferente de prisão.

Portanto, não cabe deliberação do Senado sobre a decisão do STF sobre Aécio.

27 de setembro de 2017 às 14:20

Potigás segue mais competitiva diante dos reajustes no preço do botijão [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com mais um aumento no preço do botijão de gás, o gás natural canalizado ficou ainda mais competitivo.

O gás canalizado é distribuído exclusivamente pela Companhia Potiguar de Gás (Potigás) no estado, e representa economia de 43% para um consumidor que utiliza um botijão por mês, diminuindo o custo para menos de R$ 40.

No início de setembro, o combustível GLP teve alta de 2,5% para os segmentos comercial e industrial e de 12,2%, em média, para o segmento residencial.

Essa variação de preços do combustível é originada na nova política adotada para a venda de botijões de até 13 kg, que agora tem reajustes mensais. A medida causa instabilidade no valor de compra do produto e impacta diretamente no consumidor residencial e comercial.

“Esse distanciamento da política de subsídios e a tendência de sucessivos aumentos do GLP para esse setor torna o gás natural canalizado ainda mais atrativo para os clientes residenciais e comerciais por todas as suas vantagens. E esse é exatamente um dos objetivos da Potigás, o crescimento nesses segmentos”, explica Franciney Souza, gerente comercial da Companhia.

27 de setembro de 2017 às 13:50

Governo libera mais uma parcela da folha de agosto [2] Comentários | Deixe seu comentário.

O Governo do Estado anuncia para sexta-feira o pagamento de agosto da parcela de 4 mil para quem ganha acima desse valor.

Receberão os 21.800 servidores ativos, inativos e pensionistas.

O complemento será pago no dia 5 de outubro.

27 de setembro de 2017 às 12:03

CBTU suspende viagens de trem para Parnamirim no próximo sábado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Para quem se utiliza de trens urbanos da linha Sul, que faz o percurso Natal-Parnamirim…

A CBTU vai suspender essa linha no sábado para fazer manutenção na via férrea.

Já as viagens da Linha Norte, que fazem o percurso Natal-Ceará-Mirim, ocorrerão normalmente obedecendo a grade do dia.

O sistema voltará a operar em sua totalidade na segunda-feira, 2 de outubro.

27 de setembro de 2017 às 11:59

Audiência pública na Assembleia para debater emprego no setor têxtil é adiada [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A audiência pública prevista para o dia 2 de outubro, para debater a empregabilidade no setor têxtil no Seridó, foi adiada para data a ser divulgada.
O adiamento foi decidido por causa do feriado de 3 de outubro, Dia Estadual à Memória dos Mártires de Uruaçu e Cunhaú.
A medida atende aos apelos de entidades e representantes de classes interessadas em participar do debate.

A audiência é uma proposição do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB).

A intenção é reunir empregados, empregadores e Ministério Público do Trabalho em torno de uma solução para o setor.

27 de setembro de 2017 às 10:39

Vereador Sueldo Medeiros homenageará InterTV Cabugi pelo aniversário de 30 anos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em sessão solene marcada para esta quinta-feira, o vereador Sueldo Medeiros (PHS) vai homenagear a InterTV Cabugi pelos 30 anos.

Na ocasião a Câmara vai homenagear nomes que marcaram a história da afiliada da Globo no Rio Grande do Norte.

“São três décadas de serviços prestados ao Rio Grande do Norte. A InterTV faz parte da história do nosso Estado e da nossa cidade”, justifica Sueldo.

A TV Cabugi foi fundada em 1987 pelo ex-governador e jornalista Aluízio Alves.

27 de setembro de 2017 às 10:29

Prova de equitação marcará 54 anos do Jiqui Country Clube [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Uma prova de equitação vai marcar o aniversário de 54 anos do Jiqui Country Clube, em Natal.

A prova está marcada para sábado, 30, e será promovida pela Federação Norte-rio-grandense de Esportes Equestres, dirigida por Kennedy Diniz e Flávio Veloso.

A programação terá início às 14h e a entrada é gratuita.

27 de setembro de 2017 às 8:45

Neta de João Faustino se filia ao Podemos e deve disputar mandato de vereadora em 2020 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Neta do ex-senador e ex-deputado federal João Faustino, a  arquiteta Marianna Procópio, de 23 anos, se filiou ao partido Podemos ontem à noite em Brasília.

A filiação foi abonada pela presidente nacional da legenda, Renata Abreu, e pelo vice-presidente, que comanda o partido no Rio Grande do Norte, deputado Antônio Jácome.

Marianna é nora de Jácome e casada com o deputado estadual, Jacó Jácome, que ainda está no PSD, aguardando a abertura da janela que permite troca de partido para se filiar ao Podemos.

Para Antônio Jácome, Marianna vai fortalecer o Podemos Mulher no RN.

Como tanto Antônio Jácome quanto Jacó serão candidatos à reeleição no próximo ano, o projeto de candidatura de Marianna deverá ser desenhado para as eleições municipais de 2020.

27 de setembro de 2017 às 7:29

Salineiros do RN serão recebidos hoje pelo presidente Michel Temer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria está em Brasília onde tem audiência hoje com o presidente Michel Temer.

Ele acompanha os salineiros do Rio Grande do Norte que marcaram a audiência.
A caregoria quer discutir com Temer, que neste momento só pensa em sua própria salvação, sobre os interesses da indústria salineira.
A audiência marcada pelo presidente do SIMORSAL – Sindicato da Indústria de Moagem e Refino de Sal do Estado do Rio Grande do Norte, empresário Renato Fernandes, e que levará ao Palácio do Planalto os salineiros Airton Torres (SIESAL), Tasso Rosado (SOCEL), Francisco Ferreira Souto (SIESAL), Herbert Vieira (CIMSAL), Ceiça Praxedes (REFIMOSAL), Carlos Frederico (NORSAL), Eduardo Medeiros( SALINA SÃO CAMILO),  e Fernando Rosado (UNISAL), está confirmada para às 11h30.
Também deverão participar da audiência a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, a bancada federal do RN, e prefeitos e vereadores de cidades da região salineira. 

27 de setembro de 2017 às 4:22

A carta de Palocci que reitera denúncias contra Lula e pede desfiliação da ‘seita’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:
Palocci deixa o PT e diz que Lula sucumbiu ‘ao pior da política’
CATIA SEABRA – DE SÃO PAULO

O ex-ministro Antonio Palocci enviou nesta terça-feira (26) uma carta à presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), pedindo sua desfiliação do partido. 

No documento, Palocci reafirma as declarações feitas ao juiz Sergio Moro, segundo as quais o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fizera um “pacto de sangue” com a empreiteira Odebrecht.
Na carta, Palocci diz ter visto com estranheza o fato de o PT ter aberto um procedimento interno após sua decisão de buscar um acordo de delação, mas não ter feito o mesmo para apurar as razões pelas quais estava detido pela Operação Lava Jato.
No texto, Palocci diz que tentou trabalhar pelo partido e por Lula, sabendo que seria difícil não cometer “desvios éticos”.
“Sei dos erros e ilegalidades que cometi. E assumo minhas responsabilidades. Mas não posso deixar de destacar o choque de ter visto Lula sucumbir ao pior da política no melhor dos momentos de seu governo”, escreveu o ex-ministro.
Na carta, Palocci diz ainda ter discutido com Lula e o ex-presidente do PT Rui Falcão a possibilidade de celebração de um acordo de leniência em favor do PT. 

Ele afirma ainda que um dia a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente da Petrobras vão admitir a “perplexidade que tomou conta de nós após a fatídica reunião no Palácio do Alvorada, onde Lula encomendou as sondas e as propinas no mesmo tom, sem cerimônias”.
Ex-ministro diz ter proposto a Lula e a Falcão que colaborassem com a Justiça e se dedicassem à reforma política.
“Tive oportunidade de expressar essa opinião informal a Lula e a Rui Falcão, então presidente do PT, que naquela oportunidade, transmitia uma proposta apresentada por João Vaccari para que o PT buscasse um processo de leniência na Lava Jato”.
Palocci encerra a carta afirmando que aceitaria qualquer penalidade do partido. “Mas ressalto que não posso fazê-lo neste momento e neste formato proposto pelo partido, onde quem fala a verdade é punido e os erros e ilegalidades são varridos para debaixo do tapete”.
Ao reafirmar as acusações, Palocci escreveu que são “fatos absolutamente verdadeiros”.
“São situações que presenciei, acompanhei ou coordenei, normalmente junto ou a pedido do ex-presidente Lula. Tenho certeza que, cedo ou tarde, o próprio Lula irá confirmar tudo isso, como chegou a fazer no “mensalão”, quando, numa importante entrevista concedida na França, esclareceu que as eleições do Brasil eram todas realizadas sob a égide do caixa dois, e que era assim com todos os partidos”.
No texto de pouco mais de três páginas, Palocci não poupa a ex-presidente Dilma Rousseff. 

Ele ataca a gestão da petista ao afirmar que Lula “dissociou-se definitivamente do menino retirante para navegar no terreno pantanoso do sucesso sem crítica do ‘tudo pode’, do poder sem limite, onde a corrupção, os desvios, as disfunções que se acumulam são apenas detalhes, notas de rodapé, no cenário entorpecido dos petrodólares que pagaram a tudo e a todos”.
“Nada importava, nem mesmo o erro de eleger e reeleger um mau governo, que redobrou as apostas erradas, destruindo uma a uma cada conquista social e cada um dos avanços econômicos tão custosamente alcançados“, afirmou.
O ex-ministro critica ainda o fato de a defesa de Lula atribuir à ex-primeira-dama Marisa Letícia “até o prédio do Instituto Lula”.
Até quando vamos fingir acreditar na autoproclamação do ‘homem mais honesto do país’, enquanto os presentes, os sítios, os apartamentos e até o prédio do Instituto (!!) são atribuídos a Dona Marisa?”, pergunta.
Ao reconhecer suas falhas, Palocci diz lamentar que “nos trabalhos honrados e nos piores atos de ilicitudes” nunca esteve sozinho.
“Por isso, concluo: continuo a apoiar a proposta de leniência do PT e, após respeitar os prazos legais de sigilo quanto a minha colaboração com a Justiça, terei a disposição de esclarecer e depor perante ao partido sobre todos esses temas”, afirma.
Palocci questiona os critérios de expulsão e diz que os processos internos não deveriam recair sobre ele.
“Enquanto os fatos me eram imputados e me mantive calado não se cogitava minha expulsão. Ao contrário, era enaltecido por um palavrório vazio. Agora, que resolvo mudar minha linha de defesa e falar a verdade, me vejo diante de um tribunal inquisitorial dentro do próprio PT”.
A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse em nota que o ex-ministro Antonio Palocci demonstrou “fraqueza de caráter”.
“A forma desrespeitosa e caluniosa como se refere ao ex-presidente Lula demonstra sua fraqueza de caráter e o desespero de agradar seus inquisidores”, afirmou.
“A carta divulgada hoje (26) por Antonio Palocci e seus advogados não se destina verdadeiramente ao PT, mas aos procuradores da Lava Jato. É a mensagem de um condenado que desistiu de se defender e quer fechar negócio com o MPF, oferecendo mentiras em troca de benefícios penais e financeiros.
A carta repete as falsas acusações que ele fez diante do juiz Sergio Moro e que contrariam seus depoimentos anteriores. Em qual Palocci se deve acreditar: no que diz ter mentido antes ou no que mudou de versão agora para se salvar?
O PT trata de forma igual todos os filiados que enfrentam investigações e ações judiciais. Respeitamos o princípio da presunção da inocência. Ninguém será julgado por comissão de ética partidária antes do trânsito final dos processos na Justiça.
Palocci decidiu “queimar seus navios”, romper com sua própria história e renegar as causas que defendeu no passado.
A forma desrespeitosa e caluniosa como se refere ao ex-presidente Lula demonstra sua fraqueza de caráter e o desespero de agradar seus inquisidores.
Política e moralmente, Palocci já está fora do PT.

Clique aqui e leia a CARTA DE PALOCCI

27 de setembro de 2017 às 3:54

Aécio Neves volta a ser afastado do mandato e STF aprova espécie de prisão domiciliar noturna para o senador [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo:
BRASILSTF afasta Aécio do mandato e impõe recolhimento noturno


Por três votos a dois, Primeira Turma proíbe parlamentar de manter contato com investigados
POR CAROLINA BRÍGIDO

BRASÍLIA – Por três votos a dois, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira a suspensão do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG), bem como o recolhimento domiciliar noturno do parlamentar, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). 
Aécio também ficará proibido de manter contato com outros investigados e terá que entregar o passaporte à Justiça. 

Os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux concordaram que o tucano usou o mandato para tentar atrapalhar as investigações da Lava-Jato.
Foi negado, no entanto, o pedido de prisão feito pela PGR. 

Por unanimidade, os ministros ponderaram que a Constituição Federal proíbe a prisão de parlamentares em exercício, a não ser que tenha ocorrido flagrante delito de crime inafiançável. A PGR não teria comprovado essa condição.
Com exceção de Marco Aurélio Mello, relator das investigações abertas no STF contra Aécio a partir da delação da JBS, os ministros ponderaram que as práticas atribuídas ao tucano são graves. 

Fux deu o voto mais contundente. Disse que o tucano deveria ter se licenciado do cargo para se defender das acusações assim que elas vieram à tona. Como ele não fez isso, caberia ao tribunal ajudá-lo a agir com grandeza.
— O homem público, quando exerce uma função em nome de povo, precisa praticar atos de grandeza. Muito se elogia por ele ter saído da presidência do partido. Ele seria mais elogiado se tivesse se despedido ali mesmo do mandato, se licenciado, porque ali ele está representando a voz do povo. Ele foi eleito pelo povo. Já que ele não teve esse gesto de grandeza, vamos auxiliá-lo a pedir uma licença do Senado Federal, para que ele possa comprovar à saciedade sua ausência de culpa nesse episódio que marcou demais a sua carreira política — disse Fux.
Barroso foi o primeiro a defender o afastamento de Aécio e também a aplicação das outras medidas cautelares.
— Não tenho uma gota de alegria ou satisfação de encaminhar meu voto no sentido que estou encaminhando. Mas o que aconteceu aqui foi uma certa naturalização das coisas erradas. As pessoas perderam a noção de que as coisas eram erradas, passou a ser uma forma natural de se fazer negócios e política — afirmou o ministro.
Barroso se mostrou indignado com o fato de crimes atribuídos a Aécio terem sido supostamente cometidos três anos depois de deflagrada a operação Lava-Jato.
— Três anos da Lava-Jato em curso e, infelizmente, as práticas continuavam rigorosamente as mesmas de quando tudo começou. Estamos passando por tudo isso sem nenhum proveito, sem mudança do patamar ético da política no Brasil — lamentou.
Apenas Marco Aurélio e Alexandre de Moraes recusaram o pedido da PGR para que o tucano cumprisse as medidas cautelares do recolhimento noturno, afastamento do mandato, entrega do passaporte à Justiça e proibição de se comunicar com outros investigados. Segundo eles, o Código de Processo Penal não prevê o afastamento de parlamentares do mandato como medida cautelar.
Ao contrário da maioria, Marco Aurélio disse que Aécio tem uma “carreira política elogiável”. O ministro lembrou que o tucano foi deputado federal por quatro vezes, já presidiu a Câmara dos Deputados, foi governador de Minas Gerais por dois mandatos consecutivos e ficou em segundo lugar nas eleições de 2014. O ministro afirmou que apenas uma decisão do Senado teria poderes para afastar Aécio do mandato. Ele disse, também, que o pedido da PGR é baseado em “suposições”.
— O Judiciário não pode substituir-se ao Legislativo. Mandado parlamentar e coisa séria e não se mexe impunimente em suas prerrogativas — declarou Marco Aurélio.
Os ministros também negaram recurso da defesa para que o caso fosse julgado no plenário do tribunal, formado pelos onze ministros, em vez de ser examinado da turma, integrado por apenas cinco ministros. Os integrantes da Primeira Turma ponderaram que apenas casos envolvendo o presidente da República, do Senado e da Câmara são julgados na Câmara. Questões sobre senadores e deputados ficam a cargo das duas turmas do tribunal.
Em 18 de maio, Fachin negou o pedido de prisão feito pela PGR, mas suspendeu o mandato de Aécio, determinou a entrega do passaporte dele à Justiça e o proibiu de manter contato com outros investigados. Em seguida, o caso foi sorteado para a relatoria do ministro Marco Aurélio Mello. Em 30 de junho, último dia de funcionamento do tribunal no semestre passado, o relator revogou a decisão de Fachin e devolveu o mandato a Aécio, que foi mantido em liberdade. Marco Aurélio também determinou a devolução do passaporte ao senador, o autorizou a sair do Brasil e a manter contato com outros investigados.
Em 31 de julho, primeiro dia de funcionamento do STF neste semestre, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a reconsideração da decisão sobre a prisão preventiva ou, alternativamente, a adoção de medidas cautelares, como o afastamento do exercício do mandato e o uso de tornozeleira eletrônica. No julgamento desta terça-feira, os ministros descartaram o uso do equipamento.
Aécio participou hoje da votação da criação do fundo eleitoral no plenário do Senado até ser comunicado da decisão do STF. Em seguida, ele deixou o Senado, e senadores tucanos se reuniram na liderança do PSDB para articular uma reação, cobrando posição da Casa, como aconteceu no pedido de prisão de Delcídio Amaral.

27 de setembro de 2017 às 3:38

Destino do dinheiro achado no ônibus que viajava de SP a Natal ainda não foi esclarecido [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A polícia ainda não conseguiu esclarecer para onde seria levada a mala contendo 700 mil reais, apreendida dentro de um ônibus na Bahia.

Só se sabe até agora que a mala embarcou em São Paulo e que o destino do ônibus era Natal.

O passageiro que portava a mala foi liberado mas a mala foi apreendida.

Resta saber para onde ela estava indo e para quem.