Thaisa Galvão

2 de outubro de 2017 às 13:30

Polícia esclarece que ‘rapto de bebê’ divulgado em redes sociais foi uma farsa criada por adolescente com problemas mentais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Uma equipe de policiais civis da 14ª Delegacia de Polícia esclareceram, nesta segunda-feira (02), o caso do rapto de uma bebê, de apenas nove dias de vida, no bairro Felipe Camarão que teria ocorrido no dia 26 de setembro. 
A mãe do bebê raptado é uma adolescente de 17 anos, ela informou na delegacia que no dia 26 de setembro foi abordada, após descer de ônibus no bairro Felipe Camarão, por um grupo de seis pessoas que raptaram seu bebê. 
No momento do suposto rapto a pessoa que tomou seu filho dos braços teria dito “me dê a menina, é filha dele, é filha dele”. 
Ela também informou que após o susposto rapto teria ido para a casa de sua irmã pedir ajuda e que depois menos nervosa entendeu que os sequestradores deviam se tratrar de inimigos do pai da criança.   

Um motorista de Uber foi acionado para levar a adolescente até a delegacia. 

No caminho a adolescente apresentou fotos da suposta criança raptada e em uma tentativa de ajudar a encontrar a criança, o motorista divulgou as imagens cedidas. 

Durante os dias seguintes houve um movimento nas redes sociais em busca da criança, além dos esforços policiais. 
Após a declaração da adolescente na delegacia, sua mãe compareceu para prestar depoimento e informou que sua filha teria prestado informações falsas após ter um surto psicótico. 
A adolescente teria ficado grávida, mas só pelos três meses iniciais, tendo perdido a criança por complicações na saúde. 
Ela também relatou que após a perda da criança, sua filha foi morar com o pai na cidade de Currais Novos e que desde então não mantiveram mais contato. A criança que aparece nas imagens divulgadas nas redes sociais, era na verdade uma sobrinha. 

Diligências estão sendo realizadas para encontrar o paradeiro da adolescente que poderá responder por crime análogo a comunicação falsa de crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*