Holiday

Thaisa Galvão

5 de novembro de 2017 às 19:16

Enem: Tema polêmico da redação agrada estudantes [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Polêmico fora das salas de provas do Enem, o tema da redação parece não ter sido o bicho de sete cabeças discutido logo que foi divulgado no começo da tarde.

O Blog ouviu estudantes que fizeram a prova, e a maioria dos que falaram, e dos que optaram por não gravar, revelou que a redação pode até não ter tido um tema esperado, mas foi fácil de desenvolver um texto.

5 de novembro de 2017 às 16:26

Em Guamaré ex-deputado Cipriano Correia se filia ao PV para disputar vaga na Câmara Federal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidente estadual do PV, Bertonne Marinho comandou ontem o encontro regional do partido no município de Guamaré.

Ocasião em que o ex-deputado federal Cipriano Correia se filiou ao PV para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados.

Também participaram do encontro o presidente de honra, Rivaldo Fernandes e o ex-deputado paraibano, Denis Soares.

Bertone anunciou que o próximo encontro será em Pedro Velho onde o PV vai filiar o médico Targino Neto – Targininho – que será candidato a deputado estadual.

5 de novembro de 2017 às 15:06

Veja redação modelo para tema polêmico do Enem [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Enem: colunista faz ‘redação modelo’ sobre educação para surdos

Tema de 2017 foi ‘Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil’

Logo após o tema ter sido divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), a colunista do G1 Andrea Ramal aceitou o desafio de redigir um “texto modelo” com uma proposta para o tema.

Veja abaixo o texto escrito por Andrea Ramal:

Por uma escola que fale a linguagem de todos

O Plano Nacional de Educação tem, entre suas metas, a universalização do acesso à educação básica para a população entre 4 e 17 anos com deficiências, preferencialmente na rede regular de ensino. A meta parte do princípio de que a formação escolar é direito de todos e todos devem se desenvolver e aprender juntos. No entanto, o sistema educacional brasileiro está longe de ser inclusivo.

Não podemos negar que houve avanços. Nos últimos anos, as matrículas dos estudantes com deficiências praticamente dobraram. Porém, construir uma educação inclusiva vai muito além da mera criação de vagas.

Um exemplo disso é o que ocorre com os estudantes surdos: embora muitos tenham passado a frequentar a escola regular, é comum que os professores e a maioria dos estudantes não dominem Libras, o que coloca em risco a aprendizagem e a socialização. Não falar a língua do outro é uma forma velada de desprezo e rejeição. Acontece uma espécie de “inclusão excludente”: o aluno surdo frequenta o mesmo espaço, mas não é devidamente atendido.

Para que a educação seja inclusiva de fato, é preciso adaptar a infraestrutura das escolas, que precisa contar com salas e recursos multifuncionais e ser planejada com acessibilidade arquitetônica e tecnológica. Além disso, é necessário capacitar os docentes para aprimorar as práticas pedagógicas, de forma que a sala de aula seja um ambiente de oportunidades reais para todos.

A principal mudança está na atitude da comunidade educativa. Teremos escolas inclusivas quando todos os que fazem parte dela – professores, estudantes, famílias – acreditarem que no convívio com os diferentes aprendemos mais e nos tornamos pessoas melhores. É na sala de aula, laboratório do mundo que queremos construir, que uma nova sociedade pode começar.”

5 de novembro de 2017 às 14:46

Manus: Procurador Rodrigo Telles diz que investigações ainda apontarão novos envolvidos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Procurador da República que auxiliou o ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, na operação Lava-jato, Rodrigo Telles, que atuou no Rio Grande do Norte, falou sobre o assunto em entrevista ao blog do Fausto Macedo, no Estadão.

Em conversa com a repórter Júlia Affonso, falou sobre a Operação Manus, que prendeu o ex-deputado Henrique Alves (PMDB), e sobre a Operação Alcmeon, que prendeu o desembargador federal aposentado Francisco Barros.

Também calculou que o Rio Grande do Norte está ‘cerca de quinze a vinte anos atrasado na prevenção e na repressão’ da corrupção

Na entrevista, Telles alerta para a ‘permanente pressão política’ sofrida pela Lava Jato.

Ele lembra que os principais operadores de propina identificados ao longo das investigações, Alberto Youssef e Lúcio Bolonha Funaro, estiveram em Natal para entregar propinas, mas que, segundo as investigações ainda em curso, tem mais envolvidos.

“Ainda existem muitos fatos a serem esclarecidos. Há indícios da passagem de outros operadores de propina pelo Rio Grande do Norte. Henrique Alves também não foi o único político local beneficiado por esquema de corrupção desse tipo”, revelou Rodrigo Telles em um ponto da entrevista onde ele questiona o papel protetor de parte da imprensa.

CLIQUE AQUI e leia a entrevista completa com o procurador Rodrigo Telles

5 de novembro de 2017 às 13:41

Para secretária de Educação do RN, tema da redação é assunto para especialistas [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A secretária de Educação do Estado, Cláudia Santa Rosa, considerou o tema da Redação do Enem, um assunto para profissionais, e não para jovens estudantes.

“Um tema para especialistas, muito específico. Fora do debate nacional. Acredito que não será fácil para os jovens.

Esse tema carrega muito outros, que requer aprofundamento, como bullying, inclusão, formação de professores, políticas públicas…

A literatura e o debate são muito restritos sobre o tema”, afirmou a secretária.

5 de novembro de 2017 às 13:18

Redação: Para professor, MEC não pode cobrar de jovens, intervenções sobre temática que nem ele tem [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O tema da redação do Enem – “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” vai dar muito o que falar e já promete ser a polêmica nos próximos dias em todo o país.

O professor natalense João Maria de Lima, especialista em redações e coordenador do projeto Conexão Enem, da Assembleia Legislativa, se pronunciou no twitter:

Ao Blog, o professor confessou que “detestou” o tema.

“Detestei não por ser um tema entre os mais previstos, mas porque é um tema difícil, poucas Secretarias de Educação no Brasil tem políticas públicas voltadas para surdos, então é um assunto que ainda não está muito discurido pelos órgãos que devem discutir”, questionou o professor surpreso com o tema em pauta.

“Se nós tivéssemos políticas públicas já implantadas para os surdos no Brasil de um modo geral, tudo bem, esse tema poderia ser pertinente para se discutir. Agora o MEC (Ministério da Educação) não pode querer que um estudante, em sua maioria jovem, de ensino médio, dêem intervenções sobre uma temática que praticamente nem ele tem. É jogar a responsabilidade para o estudante, então, nesse sentido, o tema foi uma surpresa desagradável. Poderia ter sido um tema que surpreendesse, mas um tema melhor para o aluno falar, infelizmente não foi”, relatou o professor.

“É diferente da violência contra a mulher, que já há políticas públicas, e esse é um assunto que, praticamente, não tem política pública”, afirmou.

“A linguagem de libras já é lei mas precisa ser amplamente divulgada. Não dá para, de repente, pedir que todo mundo saiba falar sobre o assunto”, concluiu João Maria.

Além da entrevista exclusiva ao Blog, o professor divulgou um vídeo falando sobre o polêmico tema da redação do Enem.

5 de novembro de 2017 às 12:51

Educação de surdos no Brasil: a péssima surpresa como tema da redação do Enem [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Surpresa o tema da Redação do Enem: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” passou longe das discussões nas escolas e redes sociais.

Em nemhum momento chegou a ser lembrado como um dos possíveis temas a serem levados em consideração.

Uma surpresa.

Para o professor João Maria de Lima, o Brasil não tem políticas públicas sobre o tema e o Ministério da Educação não pode cobrar de jovens estudantes, intervenções que nem mesmo o Governo faz.

5 de novembro de 2017 às 12:34

Seca: na condição de volume morto, Gargalheiras vive o momento mais triste desde sua construção [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com menos de meio por cento de sua capacidade de armazenar água, o açude Gargalheiras, em Acari, um dos mais belos cartões postais do interior do Rio Grande do Norte, vive seu pior momento desde que foi construído há pouco mais de 50 anos.

Responsável pelo abastecimento de Acari e parte de Currais Novos, o açude está na condição de volume morto.

O repórter fotográfico Ney Douglas postou nas suas redes sociais a situação triste do Gargalheiras, no registro deste sábado.

O cenário desolador ainda ainda é capaz de garantir belas imagens.

Porque muitas vezes a tristeza também é bela.

Abaixo as fotos – também belas – de Nara Luiza Medeiros, clicadas na sexta-feira.

Segundo o prefeito de Acari, Isaías Cabral, a cidade está sem água.

A esperança era a adutora de engate rápido construída pelo Dnocs para retirar água da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no Vale do Açu.

Porém, como a construção durou anos, os canos usados venceram, e o transporte de água ficou inviável.

Dinheiro jogado fora deixando a população na pior situação.

5 de novembro de 2017 às 12:06

Ruas de Natal congestionadas por causa das provas do Enem [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Trânsito congestionado em alguns pontos de Natal por causa das provas do Enem.

A avenida Roberto Freire é uma das mais movimentadas com dois locais de provas.

A UnP reúne o maior número de candidatos e, consequentemente, de vendedores ambulante na calçada.

A caneta de cor preta e material transparente é o produto mais procurado, depois das garrafas de água.

Como os portões fecharam agora ao meio-dia, as ruas começam a ficar menos congestionadas.

O trânsito deverá a ficar mais movimentado por volta das 17h.