Thaisa Galvão

15 de dezembro de 2017 às 20:29

Julianne Faria afirma ao Blog que não tem interesse em candidatura em 2018 [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Nem senadora nem deputada…

Ex-titular da Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social do Estado, Julianne Faria, que se desligou do PSD, não tem interesse em entrar para a política.

Pelo menos em relação às eleições do próximo ano.

Foi o que ela disse ao Blog.

Consciente que mesmo divorciada do governador Robinson Faria não poderá disputar mandato eletivo, a menos que ele renuncie, Julianne declarou que, ao contrário do que está sendo divulgado, não buscará condição para candidatura.

Ela disse que o momento é de cuidar dos filhos e da vida pessoal.

15 de dezembro de 2017 às 17:31

Erick Pereira esclarece sobre julgamento de Lula em janeiro [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da EBC:

Advogado explica julgamento de Lula no TRF

No dia 24 de janeiro, o ex-presidente será julgado no processo em que é acusado de ter recebido favorecimentos no triplex de Guarujá

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre (RS), vai julgar o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva no dia 24 de janeiro no processo em que é acusado de ter recebido favorecimentos no triplex de Guarujá.

Lula foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro, em primeira instância.

Se for condenado na segunda instância, Lula ficará inelegível durante oito anos, por conta das leis 064/90 e 135/2010, que também preveem a suspensão dos direitos políticos e a perda da função pública.

O ex-presidente poderá pedir o efeito suspensivo com uma liminar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e disputar a eleição, antes do caso subir para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Para falar sobre esse julgamento, o programa Revista Brasil ouviu o doutor em Direito Constitucional Erick Wilson Pereira.

Confira a íntegra da entrevista no player abaixo, logo depois do texto.

CLIQUE AQUI

15 de dezembro de 2017 às 13:07

Justiça condena ex-prefeito de Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-prefeito de Mossoró, Francisco José Lima Silveira Júnior, foi condenado em ação da operação Sal Grosso, por irregularidades quando era presidente da Câmara.

A pena foi arbitrada em quatro anos e dois meses, no regime semiaberto, mais o pagamento de 66 salários mínimos vigentes na época do fato.

Ele é acusado de desviar recursos da verba de gabinete entre 2005 e 2007.

Os bens imóveis dele foram tornados indisponíveis no processo.

O Tribunal Regional Eleitoral será oficiado para fins de suspensão dos direitos políticos do condenado, que poderá recorrer da sentença em liberdade.

15 de dezembro de 2017 às 12:46

Ex-prefeito de Rio do Fogo, Egídio Dantas é alvo de operação do Ministério Público [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-prefeito de Rio do Fogo, Egídio Dantas, foi alvo hoje de operação do Ministério Público e do Grupo de Apoio Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que cumpriram mandado de busca e apreensão no escritório dele em Natal.

A ordem de busca foi proferida pela 3ª vara da Comarca de Ceará-Mirim.

Egídio é investigado por ocultação de documentos públicos.

Também constou da operação a indisponibilidade de bens no valor total de R$ 4.611.760,24, decorrente de três ações de improbidade administrativa ajuizadas pelo Ministério Público.

As ações foram impetradas por fraudes em licitações para contratação de transporte escolar nos anos de 2009 e 2010, pelo Município de Rio do Fogo.

Egídio e os sócios da Empreendimentos de Turismo Oliveira Da Cruz Ltda, a empresa contratada, também foram denunciados pela prática dos crimes de fraude às licitações, peculato e formação de quadrilha.

O MP imputa a Egídio Dantas a propriedade de fato da empresa contratada, que recebeu R$ 3.503.921,73 em contratos com a Prefeitura de Rio do Fogo.

Além do pagamento de contas da empresa, realizado diretamente por Egídio Dantas, o Ministério Público comprovou que veículos da Oliveira da Cruz foram dados em pagamento de um veículo para o ex-gestor.

Além desses contratos, o Ministério Público também ajuizou ação de improbidade administrativa por fraude à licitação para contratação de serviço de buffet para festa de confraternização do grupo de convivência do CRAS em Rio do Fogo. Nesse caso, foi determinado o bloqueio de bens no valor de R$ 87.743,28.