Holiday

Thaisa Galvão

17 de Janeiro de 2018 às 20:26

Detran amplia blitzen da Lei Seca e aumenta abordagens a condutores em 49,4% [0] Comentários | Deixe seu comentário.

As blitzen fiscalizatórias da Operação Lei Seca realizadas pelo Detran se tornaram mais frequentes em 2017, sendo realizadas 123 operações contra as 83 efetivadas no ano de 2016, acréscimo de 48,2%.

Nesse sentido, foi ampliada em 49,4% a quantidade das abordagens e fiscalizações a condutores de veículos automotores. Sendo 41.211 motoristas fiscalizados no último ano e 27.584 durante 2016.

 

Os dados fazem parte do relatório estatístico divulgado pelo setor de Estatística do Detran, que aponta ainda para o aumento de 31,7% na quantidade de condutores autuados, saindo de 3.015 autuações (2016) para o registro de 3.959 infrações (2017).

 

A proporção comparativa entre os dados de autuações de condutores e operações efetivadas contou com uma leve queda. Já que as autuações médias por blitz em 2017 foram de 32,2 notificações de motoristas embriagados e no ano de 2016 o número chegou a 36,3, ou seja, nas blitzen de 2016 o registro de infrações foi em média maior em cerca de quatro motoristas autuados por cada intervenção realizada pelos policiais da Lei Seca.

 

Um dado que registrou queda foi o referente aos motoristas autuados por crime de trânsito (Art. 306/CTB). A informação de 2017 mostra que foram notificados menos 74,5% condutores do que os contabilizados em 2016. Saindo de 357 para 91. Nesse caso, além dos condutores receberem punição administrativa, respondem penalmente pelo crime cometido.

 

Um fato observado como possível gerador na queda de autuações por crime de trânsito é o aumento absoluto de motoristas que estão se negando a realizar o teste do etilômetro. Esse número subiu 47,1% em 2017 em relação ao igual período de 2016. Foram registradas 3.076 recusas no ano passado contra 2.091 em 2016.

 

Outro dado mostrado pelo relatório é o dos motoristas autuados apenas administrativamente (Art. 165/CTB) na Lei Seca. Essa infração foi ampliada em 45,5%, com o número de 3.868 condutores em 2017 e de 2.658 durante 2016. Já a taxa de proporção de autuação por blitz foi mantida, 32 (2017) e 31,4 (2016).

 

O diretor geral do Detran, Eduardo Machado, ressaltou a importância do relatório estatístico para orientar o planejamento das ações da Operação Lei Seca empreendidas no Rio Grande do Norte. “O Governo vem a cada ano ampliando as operações de fiscalização e os dados revelam isso, principalmente em relação ao aumento nos números de operações, quantidade de condutores abordados e autuações de motoristas embriagados que foram impedidos de circular nas ruas. Com isso o Detran evita acidentes e preserva vidas no trânsito”, comentou.

 

Atualmente, o Rio Grande do Norte conta com 758.138 condutores habilitados e cadastrados no banco de dados do Detran.

 

17 de Janeiro de 2018 às 10:25

Eduardo Cunha relatou participação de Henrique nas indicações da Caixa [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo:

17 de Janeiro de 2018 às 10:13

Pré-candidato a deputado, Maurício Marques deixará PDT de Carlos Eduardo e apoiará Fátima Bezerra para o Governo [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Pré-candidato a deputado estadual, o ex-prefeito de Parnamirim, Maurício Marques, vai sair do PDT.

Aliado do prefeito-governadorável Carlos Eduardo Alves (PDT), aliança nascida dos tempos da parceria com Agnelo Alves, Maurício tem dito que só tem dois compromissos: com as candidaturas da senadora Fátima Bezerra (PT) ao Governo, e do senador Garibaldi Filho à reeleição.

17 de Janeiro de 2018 às 9:46

Deputado Antônio Jácome explica ausência na audiência com Temer e diz que se submeterá a cirurgia nesta 5ª feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal Antônio Jácome (Podemos), que não participou ontem da audiência do governador Robinson Faria e a bancada federal com o presidente Michel Temer, disse ao Blog que não levou falta por ter torcido o pé como divulgado.

“Não torci o pé nem a cara. Eu tive rotura total do tendão de Aquiles. Não posso pisar, por isso não fui a Brasilia. Devo me operar até quinta feira”.

17 de Janeiro de 2018 às 9:42

Consenso: Assembleia vota hoje revisão do Plano Plurianual [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Na sessão de hoje na Assembleia Legislativa, os deputados vão votar um projeto que foi consenso nas primeiras discussões: a mensagem 177, que trata da revisão do Plano Plurianual.

A revisão atende exigência da Caixa Econômica Federal para liberação dos R$ 600 milhões para o Rio Grande do Norte.

17 de Janeiro de 2018 às 9:39

TJ concede mandado de segurança permitindo entrada da população na AL durante sessões da convocação extraordinária [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O desembargador Amilcar Maia, do Tribunal de Justiça, concedeu mandado de segurança impetrado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público da Administração Direta do Estado (Sinsp/RN) permitindo a entrada da população, a partir de hoje, na Assembleia Legislativa durante as sessões.

Diante dos protestos violentos para impedir a aprovação do pacote de medidas do Governo, a Casa havia limitado a entrada.

A entrada será permitida, como de rotina, até a lotação das galerias.

17 de Janeiro de 2018 às 4:16

Tomba diz que aprova reajuste de contribuição previdenciária como fizeram estados governados pelo PT [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como uma resposta aos movimentos esquerdistas contra o resjuste de 11% para 14% da alíquota de contribuição previdenciária no serviço público, o deputado Tomba Farias (PSB), que faz oposição ao governo do RN, lembrou:

Vota a favor do aumento porque nos estados governados pelo PT, como a Bahia, Piauí, Acre, Minas Gerais e Ceará, e no Maranhão, governado pelo PCdoB, a alíquota já é de 14% e é praticada sem qualquer polêmica.

O reajuste é uma das exigências do governo federal para liberar recursos para ajudar o RN a sair da crise.

17 de Janeiro de 2018 às 4:07

Tomba compara governo à prefeitura de Macau: faltou dever de casa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o deputado Tomba Farias (PSB) afirmou que o Rio Grande do Norte passa por dificuldades porque as medidas que agora estão sendo discutidas, não foram tomadas no início da gestão do governador Robinson Faria.

“Faltou ao governador Robinson Faria fazer o dever de casa e ter tomado as medidas logo no início do governo”.

Sobre dever de casa, Tomba fez uma comparação entre duas prefeituras: Santa Cruz, administrada pela sua mulher, Fernanda Costa (PMDB) e Macau, pelo jornalista Túlio Lemos (PSD).

Para Tomba, o município de Santa Cruz encontra-se com as finanças equilibradas graças às medidas amargas tomadas durante a sua gestão como prefeito, quando cortou salários do prefeito e do vice-prefeito, cancelou eventos festivos, enxugou a folha de servidores, cortou diárias e dinamizou a cobrança de impostos, como o IPTU.

“Já no município de Macau, o prefeito Túlio Lemos, que sempre cobrou o rigor nas contas públicas quando jornalista, vem tomando um café amargo por não ter feito o dever de casa”, disse o deputado destilando veneno contra o jornalista que, no exercício da profissão, antes de se eleger prefeito, destilava veneno contra o parlamentar.

17 de Janeiro de 2018 às 3:27

Henrique acompanha depoimentos de testemunhas de acusação e sai fazendo gesto de “tudo bem” [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Chamou atenção no primeiro dia de depoimento à Justiça Federal, a aparente tranquilidade do ex-deputado Henrique Alves.

Que não foi ouvido, mas teve direito de participar como ouvinte.

Quando terminaram os depoimentos, Henrique saiu dando tchauzinho para a imprensa e levantando o polegar direito, como sempre faz…

Chamou atenção…

Fotos Cláudia Angélica/InterTV Cabugi

17 de Janeiro de 2018 às 3:20

Manus: Juiz federal ouvirá hoje ex-presidentes do América e do ABC [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O juiz federal Eduardo Guimarães continua hoje à tarde a ouvir as testemunhas de acusação da operação Manus, que levou à prisão o ex-deputado Henrique Alves (PMDB).

Nesta terça foram ouvidos o conselheiro e ex-presidente do Tribunal de Contas do RN, Carlos Thompson, e por vídeoconferência, o ex-ministro do Tribunal de Contas da União, Valmir Campelo.

Hoje prestarão depoimento os ex-presidentes do América, Alex Padang, e do ABC, Rubens Guilherme.

Essa fase de oitivas se estenderá até sexta-feira e será continuada em abril.

Contam do processo, cerca de 100 testemunhas de acusação e de defesa.

17 de Janeiro de 2018 às 2:59

No Rio, Lula critica presidente do tribunal que vai julgá-lo e diz que PF, MP e o juiz Sérgio Moro mentem [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Valor Econômico:

Rio de Janeiro – A uma semana do julgamento de sua apelação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) evitou atacar diretamente, durante evento nesta terça-feira, no Rio, os desembargadores que irão analisar seu caso, no dia 24, em Porto Alegre.

Ele não poupou, no entanto, o presidente do Tribunal, o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz.

“Não vou falar mal de juízes de Porto Alegre porque não os conheço. Não posso julgar pessoas que não conheço”, disse o ex-presidente, que comentou na sequência declarações do desembargador Flores Lenz.

“Acho estranho o presidente de um tribunal não ler a sentença e dizer que ela é irretocável. Só se for uma leitura dinâmica. Esse cidadão é bisneto do general que invadiu Canudos e matou Antonio Conselheiro. Quem sabe ele me veja como um cidadão de Canudos”, disse Lula.

O ex-presidente criticou ainda a reunião realizada pelo presidente do Tribunal com a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), para pedir para discutir as ameaças recebidas pelos desembargadores que julgarão seu caso.

“Esse cidadão vai a Brasilia pedir proteção sem explicar quem está ameaçando”, disse ele.

Lula participou nesta terça-feira do evento “Pela defesa da democracia e de Lula”, com artistas e intelectuais, no Teatro Oi Casa Grande, no Leblon.

O ex-presidente chegou por volta das 19h40 num carro preto e entrou rapidamente no teatro, apenas acenando ao público que o aguardava do lado de fora.

Estavam presentes no evento artistas como Beth Carvalho, Noca da Portela, Osmar Prado, Chico Diaz, Bemvindo Sequeira, Aderbal Freire Filho, Tonico Pereira, o músico Otto, o comediante Gregorio Duvivier, além de políticos, como os senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, o ex-ministro Celso Amorim, entre outros. Chico Buarque não compareceu.

O ato no Leblon foi um dos dois previstos antes do julgamento de sua apelação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), marcado para o dia 24 em Porto Alegre.

Na quinta-feira, Lula receberá o apoio de militantes e simpatizantes em São Paulo, na Casa de Portugal.

Durante seu discurso, Lula voltou a atacar os meios de comunicação. Ele disse ainda que não vai governar o país para o mercado, mas para o povo.

“Agora eu quero ser [candidato] para mostrar para esse bando de gente a aprender a falar menos de corte, menos de contenção de gastos e menos de mercado, e entenderem que nação é construída de homens e mulheres”.

Para Lula, a população estava “anestesiada” durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

“Eles foram muito sábios. Inventaram uma doença, chamada PT e Dilma Rousseff. E resolveram dar uma anestesia na sociedade e disseram que iam fazer uma cirurgia no país”, afirmou.

Ainda sobre a imprensa, Lula disse que o pré-candidato a presidente da República Jair Bolsonaro “vai comer o pão que o diabo amassou, como aconteceu comigo”. Lula se referia à cobertura que suas candidaturas receberam da imprensa.

O ex-presidente voltou a se declarar inocente. Segundo ele, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o juiz Sergio Moro mentem.

No discurso, que durou 54 minutos, ele mencionou até a devolução de R$ 1,4 bilhão da Lava-Jato para os cofres da estatal, comparando o valor ao acordo de US$ 3 bilhões entre a Petrobras e investidores na Justiça americana.

“Esse país deveria dizer que não vamos admitir que a Justiça americana decida com júri popular o que devemos pagar para eles, disse Lula, culpando o governo Temer. “Eles estão tentando acabar com o jeito de governador. Querem transformar o Brasil no Caldeirão do Huck”.

Do lado de fora do teatro, que fica colado no Shopping Leblon, espaço de marcas de grife e frequentado por pessoas de alto poder aquisitivo, um grupo de pouco mais de 30 pessoas convocado pelo movimento Vem pra rua manifestou-se pela prisão do ex-presidente. Vestidos de verde e amarelo, exibiam cartazes a favor do juiz Sérgio Moro.

Também na porta do teatro, apoiadores do ex-presidente gritavam palavras de apoio a Lula. Um grupo de capoeira organizou uma roda e um grupo de mulheres fizeram ato, calcinha e sutiã, com “Fora Temer” escrito no corpo. O evento foi para convidados, mas parte dos apoiadores foi autorizada a entrar mesmo sem convite.

Nos discursos durante o evento, muitos ataques contra o presidente Michel Temer, o juiz Sérgio Moro e o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

O ator Osmar Prado lembrou que Mandela foi condenado e depois governou seu pais. “Lula está sendo condenado pelo abuso de ser nordestino com curso primário que governou este país e deu certo”, disse.

O ator Gregorio Duvivier provocou, com humor, em seu discurso, um dos primeiros da noite:

“Fico tão feliz de ver gente vermelho no Leblon”, disse ele, que defendeu o direito de Lula ser candidato, mas acrescentou ainda não saber em quem vai votar para presidente. “Não me xinguem, mas isso vai depender também das alianças dele”.

Já a senadora Gleisi Hoffmann chamou o processo criminal contra Lula de “surreal”.

“Não tem crime. Qual crime ele está sendo acusado? Receber apartamento que não é dele, que não tem escritura, não tem posse, nunca usufruiu. Petrobras nunca beneficiou o presidente Lula”.

A senadora, que mais cedo declarou que apenas com prisão e morte Lula seria preso, disse no discurso que o partido não será “manso vendo a desconstrução do país”.

“Somos pacíficos na nossa luta, mas não seremos mansos vendo direitos sendo retirados. Vamos mostrar nos atos que temos reação”, acrescentou.

17 de Janeiro de 2018 às 2:37

Senadora Gleisi Hoffmann: “Para prender o Lula vai ter que matar muita gente” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A declaração que marcou a terça-feira foi da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann:

“Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar”, disse Gleisi.

A senadora se referia ao julgamento do recurso do ex-presidente, marcado para o dia 24, no TRF-4, em Porto Alegre.

Pouco depois da declaração, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, tentou minimizar mais um destempero de Hoffmann.

“Foi uma afirmação pessoal, uma força de expressão. Haverá uma comoção social. Vamos ficar chateados. Eu mesmo, se o Lula for preso, vou morrer do coração”, comentou.

Ok..

Tentou justificar com a própria morte…

17 de Janeiro de 2018 às 1:59

PV decide pela candidatura do presidente potiguar Bertonne Marinho a deputado federal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-vereador de Natal e atual presidente do PV no Rio Grande do Norte, Bertone Marinho, será candidato a deputado federal.

A confirmação foi feita nesta terça-feira depois de um encontro em Brasília, com o presidente nacional da legenda, José Luís Penna.

Ainda em Brasília, Bertonne fará visita ao Ministério de Meio Ambiente nesta quarta-feira.

17 de Janeiro de 2018 às 1:50

Prefeitura de Natal esclarece que dívida paga pelo governo federal foi descontada do FPM [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da assessoria de imprensa da Prefeitura de Natal, sobre o estudo do economista Raul Veloso, publicado nos jornais Estado de São Paulo e Valor Econômico, afirmando que o governo federal pagou dívida de quase 30 milhões do município de Natal:

-Em relação à matéria sobre as obrigações de parcelas de empréstimos da Prefeitura que a União assumiu, gostaria de esclarecer que todas as parcelas que a União avalizou no vencimento da obrigação foram debitadas posteriormente no FPM.

A União não perdeu nada.