Thaisa Galvão

18 de fevereiro de 2018 às 21:36

Prefeito Rosano Taveira estuda decretar calamidade em áreas alagadas de Parnamirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira, poderá decretar estado de calamidade em alagamentos do município.

O decreto, que não seria de calamidade pública, visa buscar recursos federais para obras emergenciais em lagoas.

Neste domingo o prefeito foi aos pontos críticos e constatou que os danos causados pelas chuvas requerem obras estruturais a longo prazo para evitar problemas de inundações como os ocorridos neste final de semana.

A previsão é de mais chuva nos próximos dias.

O volume registrado desde o carnaval em Parnamirim foi de 410 milímetros, sendo 194 milímetros de sexta-feira até hoje.

“Estamos com todas as nossas equipes de plantão e trabalhando em um plano emergencial para atender as famílias atingidas. A população de Parnamirim não está sozinha”, disse o prefeito Rosano Taveira.

Quatro famílias desabrigadas estão na Escola Municipal Luís Maranhão, em Monte Castelo, onde estão recebendo todo o apoio necessário.

Vinte casas foram atingidas pelas inundações, mas a maioria dos ocupantes buscou abrigo na casa de familiares.

Quem necessitar de apoio do município pode ligar para os números 190, 193 ou 98855 2254

18 de fevereiro de 2018 às 19:01

Condomínio fecha bueiro provocando alagamento que destrói área de lazer de prédio em Nova Parnamirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da jornalista Sayonara Alves em seu instagram:

“Resultado das ações imprudentes do ser humano.

O condomínio vizinho ao que moro resolveu fechar o bueiro impedindo a passagem das águas.

A força da chuva torrencial de ontem fez com abrisse um buraco e inundou toda a área do meu condomínio. Balanço: área e jardim destruídos, elevadores parados, piscina totalmente comprometida.

Isso sem contar com o transtorno que é morar no 14° andar e ter que subir escadas durante aproximadamente 1 semana, prazo dado pela empresa de manutenção de elevadores”.

18 de fevereiro de 2018 às 15:49

Nísia Floresta: Bandidos fazem arrastão no Camarão do Olavo e levam carro de cliente [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Bandidos fizeram arrastão há pouco no restaurante Camarão do Olavo, em Nísia Floresta.

Quatro homens armados levaram objetos pessoais e dinheiro dos clientes, além de um automóvel Toyota.

A polícis está em diligênciad pela região mas ninguém foi preso ainda.

18 de fevereiro de 2018 às 12:14

Ônibus circularão normalmente nesta segunda-feira em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Suspensa a paralisação prevista para amanhã em Natal, por motoristas e cobradores de ônibus.

O sistema público de transporte da capital funcionará normalmente.

A paralisação aconteceria em protesto contra a votação da reforma da Previdência que não mais irá a plenário na Câmara Federal como previsto.

A intervenção federal que no momento ocorre no Rio de Janeiro impede qualquer alteração na Constituição, e a reforma em destaque se trata de uma PEC – Proposta de Emenda à Constituição.

18 de fevereiro de 2018 às 12:06

CDL de Parnamirim recebe donativos para desabrigados por causa das chuvas no município [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Câmara de Diretores Lojistas de Parnamirim (CDL) lançou uma campanha ontem para arrecadando alimentos, água, roupas e material de limpeza para pessoas que estão desabrigadas pelas chuvas fortes no município de Parnamirim nas últimas 48h horas.

As doações podem ser entregues na sede da entidade, na rua Senador João Câmara, 138, no centro de Parnamirim, das 8h às 17h.

18 de fevereiro de 2018 às 11:52

Veja o que juíza que já atuou em Nilópolis escreveu sobre a escola campeã do carnaval do Rio [4] Comentários | Deixe seu comentário.

Muito se comemorou as críticas de escolas de samba do Rio de Janeiro à criminalidade, à corrupção…

Inclusive a Beija Flor de Nilópolis foi a campeã pela 14ª vez levando ao sambódromo críticas ao “Brasil monstruoso”, falando de de corrupção e intolerância.

Intolerante ver esse tipo de crítica vindo de quem pratica o que agora, na animação desmedida do carnaval, onde todas as tristezas são guardadas para reaparecerem depois da quarta-feira de cinzas, faz de conta que não é com ele.

Culpar a classe política esquecendo que a classe bicheira que comanda essas agremiações e que estão ali, coladinhas e envolvidas em muitos esquemas, é no mínimo se fazer de louco…

Juíza da Infância e da Juventude, homenageada na edição 2017 do Prêmio Innovare, com o trabalho “Criando Juízo – uma rede de apoio à cidadania por meio da aprendizagem”, a juíza carioca Vanessa Cavalieri já trabalhou em Nilópolis, cidade que abriga a escola campeã deste carnaval.

E no seu facebook fez um artigo que retrata exatamente essa incongruência, de criticar o que pratica.

Vale a leitura do artigo da juíza:

Trabalhei em Nilópolis durante cinco anos. Fui titular de uma vara que tinha competência, entre outras, para julgar ações contra o município. Também fui juíza eleitoral e fiz três eleições na cidade. Era responsável pelo registro das candidaturas, ou seja, por barrar os candidatos “ficha suja” (como se sobrasse alguém…)

Logo na entrada da cidade, depois da estação de Ricardo de Albuquerque, tem um portal com um beija-flor prateado de uns cinco metros de altura, que é para não deixar dúvidas sobre quem manda ali.

Na primeira semana, minha secretária perguntou aos funcionários nilopolitanos se tinha perigo andar a pé pelo centro da cidade.

Naquela época, pré UPPs, não tinha. “Aqui é muito tranquilo. Mês passado andaram acontecendo umas saidinhas de banco, mas depois apareceram cinco garotos executados na porta da agência do Bradesco e as saidinhas acabaram”. Era assim, bolsonaramente, que se resolviam os problemas de segurança pública na cidade.

Já nos outros serviços públicos essenciais não se via tanta eficiência.

Diariamente eu deferia liminares determinando que o município fornecesse remédios a doentes crônicos, ou que internasse pacientes graves. Mas lá, para o secretário de saúde, a decisão judicial era uma mera sugestão, geralmente não acolhida.

Perdi a conta de quantos atestados de óbito a defensora pública juntou aos processos. Perdi a conta de quantos bebês nasceram com paralisia cerebral por anoxia de parto, adiado ad infinitum pela equipe médica de plantão que não tinha condições de atender tanta gente.

Culpa dos políticos?

Além do envolvimento com o jogo do bicho, com a escola de samba, com a milícia, a família Abrahão Davi se reveza na política da cidade há décadas. São prefeitos, vice prefeitos, vereadores, deputados estaduais e federais. Até um senador da república esse minúsculo e paupérrimo município da Baixada Fluminense conseguiu eleger.

De todas as atrocidades que eu tomei conhecimento nesses cinco anos lá, duas coisas me impressionaram demais.

O caso de uma menina de 9 anos, que era tão negligenciada, tão miserável, tão invisível, que nunca na vida teve uma boneca. E aceitou ser estuprada por três homens de mais de sessenta anos, em troca da primeira boneca, que ela escolheu nas Lojas Americanas, com os olhos brilhando.

E o choque que eu tomei quando a Polícia Federal apreendeu mais de um milhão de dólares e euros em espécie, no bunker do bicheiro Anísio Abrahão Davi, lá mesmo naquela cidade. Lembro de ir trabalhar nesse dia, vendo as crianças nas ruas brincando nas vielas de esgoto, a caminho do fórum, sem acreditar no tesouro escondido naquele lugar.

E, por fim, o dia mais deprimente do ano era a quinta feira seguinte ao Carnaval. Ver todas aquelas pessoas, que sofriam com o descaso do Estado o ano inteiro, sorrindo, cansadas, de ressaca, os restos de fantasias, plumas e paetês pelas ruas, entorpecidas com pão e circo, porque a escola tinha, de novo, sido campeã, garantindo assim mais uma eleição para a família que se perpetuou no poder.

“Oh pátria amada, por onde andarás?

Seus filhos já não aguentam mais!

Você que não soube cuidar

Você que negou o amor

Vem aprender na Beija-Flor”.

Sinto muito estragar a festa. A Beija Flor de Nilópolis não tem nada para ensinar.

Vanessa Cavalieri Félix – juíza de direito

*

Antes desse texto ela tinha postado isso: