Thaisa Galvão

2 de junho de 2018 às 19:27

Polícias Federal, Civil e Militar de plantão em São José de Campestre para garantir segurança e evitar compra de votos nas eleições deste domingo [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Município dos 5 que terão eleições suplementares neste domingo, São José de Campestre vive clima de maior acirramento e por isso a Justiça Eleitoral pediu reforços para coibir captação ilícita de votos na reta final.

Em Campestre, já fazem a segurança do pleito de amanhã, homens das Polícias Federal, Civil e Militar.

2 de junho de 2018 às 19:16

Polícia investiga se ataque a ônibus teve ligação com assassinato de motorista de transporte alternativo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A polícia investiga se o ataque ao ônibus da empresa Guanabara, que fez com que as empresas de transporte recolhessem toda a frota das ruas de Natal, teve ligação com o assassinato de Josimar Domingos da Costa.

Josimar era motorista de transporte alternativo e saía de casa às 4h30 da manhã para trabalhar, quando foi abordado por assaltantes.

A morte de Josimar causou revolta e em protesto motoristas do transporte alternativo pararam os veículos em fila na zona Norte de Natal.

Houve protesto parecido também no viaduto de Ponta Negra.

2 de junho de 2018 às 18:53

Carlos Eduardo não vai ao Pingo da Mei Dia e ao lado de Garibaldi, Walter e Álvaro Dias, participa de reunião na Câmara de Angicos [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O pré-candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT) não foi a Mossoró para a abertura dos festejos juninos como fizeram os concorrentes Robinson Faria (PSD) e Fátima Bezerra (PT).

Não foi mas chegou perto.

Ficou em Angicos, terra natal da família Alves

O pré-candidato participou de uma reunião pequena dentro da Câmara Municipal, com presença do senador Garibaldi Filho (MDB), do deputado federal Walter Alves (MDB) e do prefeito de Natal e coordenador da campanha, Álvaro Dias (MDB).

2 de junho de 2018 às 18:30

Tião Couto e Jorge do Rosário no Pingo da Mei Dia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ex-candidato a prefeito de Mossoró e pré-candidato a deputado federal, Tião Couto (PR) foi para as ruas da cidade prestigiar o tradicional Pingo da Mei Dia.

Tião e seu companheiro político Jorge do Rosário, pré-candidato a deputado estadual.

2 de junho de 2018 às 18:13

Fátima Bezerra sonha com apoio de Rosalba mas não admite coligação com o PP [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Pré-candidata ao Governo, a senadora Fátima Bezerra (PT) também foi a Mossoró para a abertura oficial dos festejos juninos, com a realização do Pingo da Mei Dia.

Acompanhada do suplente Jean-Paul Prates (PT), que vira senado se ela se eleger governadora, Fátima foi cumprimentar a prefeita Rosalba Ciarlini (PP), a deputada Larissa Rosado (PSDB), as vereadoras Izabel Montenegro (presidente da Câmara) e Sandra Rosado…

A chapa de Fátima Bezerra tem sido paquerada pela prefeita Rosalba.

Mas para apoiar a governadorável, a prefeita exige – precisa – a coligação para garantir, por exemplo, a reeleição do deputado federal Beto Rosado.

Mas o PT não quer nem ouvir falar em coligações…

Daí a quase impossibilidade de Fátima ter o apoio do grupo de Rosalba.

2 de junho de 2018 às 18:05

A paquera de Robinson com o PP de Rosalba e Beto Rosado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

No Pingo da Mei Dia, o encontro do governador Robinson com o PP.

Da prefeita Rosalba Ciarlini, do deputado federal Beto Rosado.

2 de junho de 2018 às 17:25

Governado Robinson Faria confere obras de ampliação de hospitais em Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Antes do Pingo da Mei Dia, que abriu hoje o Mossoró Cidade Junina, o governador Robinson Faria (PSD) cumpriu agenda administrativa na cidade.

E postou nas suas redes sociais:

2 de junho de 2018 às 17:19

Pingo da Mei Dia: Robinson e Rosalba juntos na abertura do Mossoró Cidade Junina [1] Comentários | Deixe seu comentário.

No Pingo da Mei Dia, em Mossoró, o governador Robinson Faria (PSD) foi recebido pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP), no camarote da Prefeitura.

Rosalba e Robinson juntos, e citados pelos cantores dos trios elétricos…

O Pingo da Mei Dia abriu oficialmente a programação do Mossoró Cidade Junina.

2 de junho de 2018 às 11:56

Toinho da Ster Bom vai contar sua história de sucesso no próximo encontro do PR [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O empresário Toinho da Ster Bom, ex-vendedor de picolé que transformou seu isopor em fábrica, e a partir daí se uniu a funcionários, fornecedores e parceiros para crescer e se transformar em referência de desenvolvimento no Rio Grande do Norte, será o palestrante do próximo encontro regional do PR, agendado para sábado em Mossoró.

Presidente do PR, João Maia define Toinho, que vai contar sua história no encontro de sábado, como um “matuto que aprendeu na vida ou por intuição, que o segredo do sucesso no empreendedorismo está na parceria”.

Para João, “apresentar Toinho como ‘dono da Ster Bom’ é um reducionismo que não explica seu sucesso. Dono você pode ser porque comprou pronto, porque herdou, porque casou”, justificou Maia, explicando que ele construiu o que tem hoje.

2 de junho de 2018 às 11:35

Afinado com o PSDB, PR tem sido elo entre partidos e palanques [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do PR, ex-deputado e pré-candidato a federal, João Maia, tem conversado com todas as linhas na disputa eleitoral do Rio Grande do Norte.

O PR parece ter sido o elo entre partidos que estudam possibilidades de coligações.

Mas, apesar de muitas conversas, até agora o que parece certa no PR é a viabilidade para se coligar na proporcional com o PSDB, matando parte da curiosidade de quem quer saber para onde o PSDB vai.

Na proporcional…pode ir para o PR, como acenam conversas adiantadas do presidente do PSDB, Ezequiel Ferreira de Souza, com o presidente do PR.

Mas, e na majoritária?

É aí que João, alinhado com Ezequiel, tem conversado…

Ontem ele recebeu os aliados republicanos de Mossoró: os pré-candidatos a federal Tião Couto e a estadual, Jorge do Rosário.

Conversa longa com direito a almoço.

Dois dias antes atendeu convite da senadora-governadorável Fátima Bezerra (PT) e foi conversar política com a pré-candidata.

E no domingo passado, a noite foi de conversa com o pré-candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT).

Carlos foi ao apartamento de João acompanhado do primo-senador Garibaldi Filho (MDB) e do prefeito de Natal e coordenador da campanha de Carlos, Álvaro Dias (MDB).

Conversa longa e nada decisiva também.

Para esses dias o presidente do PR tem uma nova conversa agendada com o presidente do PSDB.

E com o governador e pré-candidato à reeleição, Robinson Faria (PSD), o PR tem mantido diálogo.

Resumindo…

Os palanques majoritários ainda estão vazios quando o assunto é chapa proporcional.

Todos tentam atrair, principalmente, os maiores partidos como PSDB, PR, PP…

2 de junho de 2018 às 9:33

Em entrevista a site jurídico, Erick Pereira diz que programa eleitoral na TV é “fugaz, precário e insuficiente para alavancar candidaturas” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do site Direito Global, uma entrevista com o advogado natalense Erick Pereira onde ele fala do processo eleitoral, faz críticas ao formato da mídia obrigatória e à generosidade do fundo partidário.

Abaixo a íntegra:

1 – Como experiente advogado na área eleitoral, como o senhor avalia a eleição presidencial deste ano? A mídia social terá muito valor na campanha dos candidatos?

EWP – Penso que teremos eleições conturbadas em razão do contexto crítico que ora estamos vivendo. Infelizmente, tudo está a indicar que não será desta vez que o Poder Legislativo sofrerá uma necessária e urgente renovação, embora saibamos que muitas, talvez a maioria das pré-candidaturas, deverão cair dentro de um mês, quando serão substituídas pelos candidatos de fato. Ainda estamos na fase de balões de ensaio, cooptações e tratativas. A mídia social, um fenômeno global, será extremamente importante nas eleições, mas é preciso muito cuidado com relação à produção crescente das chamadas “fake news”, geradoras de desinformação e conflitos.

2 – Depois de tantos escândalos envolvendo políticos, o senhor acredita que o eleitor irá comparecer às urnas e escolher seus candidatos? O índice de abstenção promete ser grande?

EWP– Sim, apesar dos escândalos que atingiram e ainda atingem as principais lideranças políticas do país, penso que a maioria do eleitorado comparecerá, até porque ainda vivemos uma democracia imatura em que o voto é obrigatório. Isso não significa que temos uma boa participação política. Ao contrário, embora sejamos a quarta democracia do mundo em número de eleitores, nossa pífia participação política é revelada na dissociação entre a vontade popular e a vontade expressa pela maioria dos políticos no Congresso Nacional. As bancadas ruralista, empresarial, evangélica e da bala são exemplos do desvirtuamento da proporcionalidade parlamentar e da dissociação entre os representantes dos componentes programáticos de seus próprios partidos.

3 – O país não tem partidos políticos em demasia?

EWP– Sim, o país abriga um excesso de partidos políticos, numa lista progressiva e preocupante, haja vista a existência de partidos ainda em fase de formação. No sistema proporcional de lista, a quantidade de cadeiras em disputa é diretamente proporcional a uma distribuição mais igualitária, aspecto que favorece a representação dos pequenos partidos, mas, em excesso, tende a aumentar a fragmentação parlamentar e dificultar a governabilidade, situação observada no Brasil. Além do mais, nossas listas partidárias são não ordenadas e se aplicam em distritos de grande magnitude, o que agrava a situação. No presidencialismo de coalizão que ora vivemos, é tarefa muito árdua alcançar a governabilidade mediante a formação de uma base majoritária, considerando-se que existem inúmeros partidos com programas multifacetados, o que facilita o abuso de práticas não republicanas, o fisiologismo, as barganhas entre Congresso e Executivo.

4 – A máquina de votar da Justiça Eleitoral é confiável?

EWP– Sim, penso ser a máquina confiável, pois ela não tem ligação com a Internet, de modo que o rackeamento, ou modificações e alterações não autorizadas, não seria possível.

5 – O senhor é favorável ao voto obrigatório?

EWP– Se votar é um direito do cidadão, não há porque ser obrigação. Se a lei permitisse, a maioria dos brasileiros não votaria. Por múltiplas razões: o descrédito nas instituições, a fadiga com um calendário eleitoral de breves interregnos, a falta de correlação entre voto e satisfação com o atual governo, a sensação de impotência de um eleitorado significativo que se percebe como não decisivo para o resultado das eleições.

6 – O senhor defende a transformação da Justiça Eleitoral em permanente?

EWP– Não. Penso que uma estrutura permanente e fixa para a Justiça Eleitoral, embora hipoteticamente seja associada à celeridade nos julgamentos dos casos, não contribui para a diversificação e o aperfeiçoamento de uma instituição com fortes laços com a democracia. O amadurecimento de uma instituição com tais laços é mais facilmente alcançado quando sua rigidez e hermetismo são contrabalançados de modo a tornar-se permeável às exigências e transformações sociais do seu tempo.

7 – O Brasil será outro a partir das próximas eleições?

EWP– Não, sou pessimista em relação a uma mudança significativa. Muito tempo ainda terá que passar para que tenhamos um Legislativo mais coerente, que de fato represente a vontade popular. Ainda convivemos com a realidade de grupos de uma elite privilegiada que conseguem ascender ao poder através de maior cooptação de investimentos, o que resulta em maior influência sobre o eleitor. Mas, não custa ser otimista. Apesar da imagem muito desfavorável que os nossos políticos ora gozam, a política é um ofício essencial às sociedades, especialmente as democráticas. Não custa lembrar que a as normas que regem a vida nas comunidades têm origem na sociedade e não no Parlamento. Portanto, não podemos desistir da política como forma de discussão, expressão e deliberação dos direitos e deveres dos cidadãos – ela persiste como o meio viável de introdução de mudanças, ainda que eventualmente seja praticada por um sistema político-partidário enfermo. Como observou Max Frisch, “quem não se ocupa de política já tomou a decisão política de que gostaria de ter se poupado: serve ao partido dominante”.

8 – Por que somente no Brasil tem Justiça Eleitoral?

EWP– Nosso sistema eleitoral tem uma natureza atípica e complexa, o que forçou a criação de uma Justiça Eleitoral especializada. Penso que as peculiaridades dessa Justiça fortalecem a credibilidade nela depositada, a exemplo da obediência ao princípio da temporariedade de seus membros, escolhidos para um biênio, com renovações; a celeridade dos ritos, o investimento tecnológico nos processos de votação e apuração; a competência para responder a consultas sobre matéria eleitoral; a emissão de resoluções normativas que regulam as eleições com força de lei.

9 – Que mudanças o senhor faria para melhorar a Justiça Eleitoral?

EWP– Em termos específicos de melhorias em curto prazo, aumentaria a composição do tribunal para 11 ministros, além de ampliar suas competências para que o tribunal tivesse condições para funcionar constantemente e não só em períodos eleitorais.

10 – Qual a sua opinião sobre o horário gratuito eleitoral? E sobre o fundo partidário?

EWP– O horário eleitoral gratuito no rádio e TV, o qual deveria servir principalmente para proporcionar visibilidade aos novos candidatos e aos programas partidários, ainda é fugaz, precário e insuficiente para alavancar candidaturas. Quanto ao fundo partidário, creio ser excessivamente generoso para um país não desenvolvido e de economia tão instável como o Brasil. Ao fundo partidário são somadas as doações de pessoas físicas e a cessão do horário eleitoral gratuito no rádio e TV. Pena que tenhamos escolhido caminho diverso, na contramão da maioria de países democráticos que adotam modelos variados de financiamento privado. Preferimos não confiar nos órgãos de fiscalização e deduzir que, uma vez que as grandes financiadoras do processo legislativo sejam proibidas de fazer doações a candidatos “promissores”, os gastos das campanhas serão comedidamente nivelados e a corrupção será desestimulada.

2 de junho de 2018 às 9:03

Clima é de acirramento com divulgação de pesquisas diferentes em São José de Campestre [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Pelo andar da carruagem, dos 5 municípios que terão eleições suplementares neste domingo, o clima de maior acirramento é registrado em São José de Campestre.

Entre quinta-feira e hoje duas pesquisas registradas foram publicadas.

Na quinta o instituto Seta divulgou uma maioria de 9 pontos para o candidato do MDB, Neném Borges.

Hoje a pesquisa do instituto Consult já mostra que quem está na frente é o candidato Luciano Tenório, do PRB, com maioria de 2 pontos.

Melhor aguardar para o final da tarde deste domingo o resultado das urnas.

Pesquisa melhor do que essa ainda está para ser feita.

1 de junho de 2018 às 23:12

Eleições suplementares no RN: Saiba quem vai disputar mandatos de prefeito e vice no domingo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Domingo terá eleições suplementares no Rio Grande do Norte, para escolha de prefeitos e vice-prefeitos nos municípios de João Câmara, Pedro Avelino, Galinhos, Parazinho e São José do Campestre.

O Tribunal Regional Eleitoral determinou a realização de novo pleito nos municípios onde os prefeitos foram cassados, mesmo eles tendo ainda direito a recurso.

E o que é possível acontecer?

Prefeito eleito neste domingo tomar posse…e perder o cargo caso a justiça devolva o cargo aos cassados.

A votação terá início às 8 horas e seguirá até s 17h, quando terão início as apurações.

Veja quem são os candidatos:

JOÃO CÂMARA

PSD/PP

Prefeita: Joserlania Jorlany Leite do Nascimento

Vice: Raimundo Antunes de Miranda

*

DEM

Prefeito: Manoel dos Santos Bernardo

Vice: Anna Katharina Bandeira da Costa Dias Almeida

PEDRO AVELINO

PRB
Prefeito: Francisco Hélio de Araújo (Chico Hélio)

Vice: Rodrigo Cavalcanti Contreras (Dr. Rodrigo)

*

MDB/PSD

Prefeito: José Alexandre Sobrinho (Alexandre Sobrinho)

Vice: Elson Batista da Trindade (Elson Trindade)

GALINHOS

PRB/PMDB
Prefeito: Mário Hélison da Silva Lima

Vice: Francisco Caetano Júnior

*

PR/PTB

Prefeito: Francinaldo Silva da Cruz

Vice: Ivone Lima Bezerra da Rocha

PARAZINHO

PMN/PR
Prefeito: Carlos Veriano de Lima

Vice: Marcos Antônio de Oliveira

*

DEM
Prefeito: Atiliano Carlos de Souza

Vice: Francisca Bezerra do Nascimento e Silva

SÃO JOSÉ DE CAMPESTRE

MDB e PHS
Prefeito: Joseilson Borges da Costa (Neném Borges)
Vice: Eribaldo Lima

*

PRB/PSB

Prefeito: Régio Luciano Xavier Alves

Vice: Afrísio Marinho dos Santos Neto

1 de junho de 2018 às 21:55

Confira sentença que diz que Henrique só deverá cumprir pena após trânsito em julgado da decisão do juiz Vallisney de Souza [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A pena imposta ao ex-deputado Henrique Alves, de 8 anos e 8 meses de prisão por lavagem de dinheiro, deverá ser cumprida só após o trânsito em julgado da sentença expedida hoje pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira.

CLIQUE AQUI para conferir a íntegra da condenação do ex-deputado Henrique Alves, publicado em primeira mão pelo site O Antagonista.

1 de junho de 2018 às 21:48

Henrique é condenado a 8 anos e 8 meses por lavagem de dinheiro e é absolvido da acusação de corrupção [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De O Globo:

Justiça condena Cunha e Henrique Alves por desvios na Caixa

Ex-presidentes da Câmara terão também que pagar multa à União

POR JAILTON DE CARVALHO

BRASÍLIA – O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, condenou os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves no processo em que os dois foram denunciados por desvios de dinheiro do Fundo de Investimento (FI) do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), administrado pela Caixa Econômica Federal. Cunha foi condenado a 24 anos e dez meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e violação de sigilo funcional.

Henrique Eduardo Alves foi condenado a oito anos e oito meses de prisão por lavagem de dinheiro. Henrique Alves foi absolvido pelo suposto crime de corrupção.

Vallisney determinou ainda que Cunha devolva à União R$ 7 milhões a título de reparação de danos causados aos cofres públicos.

Henrique Eduardo Alves terá que pagar R$ 1 milhão.

Um das bases da condenação diz respeito ao desvios de dinheiro destinado às obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. Odebrecht, OAS e Carioca Engenhariam teriam acertado o pagamento de mais de R$ 50 milhões para Cunha, conforme a delação do empresário Ricardo Pernambuco.

As obras foram financiadas com recursos do FGTS que, por lei, deve ser aplicado prioritariamente em saneamento básico.

No mesma decisão, o juiz condenou o delator Fábio Ferreira Cleto a nove anos e oito meses de reclusão, também em regime fechado. O operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro, ex-cúmplice de Cunha, foi condenado a oito anos e dois meses. Funaro foi condenado inicialmente a 24 anos e oito meses. Mas como colaborou com as investigações, teve a pena reduzida em dois terços. Como resultado da delação, poderá ainda cumprir a pena em prisão domiciliar. Cleto também foi beneficiado com a redução em dois terços da pena. Vallisney também condenou outro delator, Alexandre Rosa Margoto, a quatro anos de prisão em regime aberto.

As investigações tiveram início a partir de uma operação da Procuradoria-Geral da República que tinha Cunha como um dos alvos centrais. Depois da descoberta da estrutura de desvios de dinheiro do FI-FGTS, Funaro, Cleto e Morgoto fizeram acordo de colaboração e reforçaram as acusações contra Cunha e Henrique Alves. Pelas informações dos delatores, Cunha e Henrique Alves indicaram Fábio Cleto para a vice-presidência de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, numa manobra coordenada por Funaro. A partir da cargo, Cleto passou a facilitar a concessão de financiamento a algumas empresas, conforme interesse dos grupo.

Na decisão, o juiz relembra que, pelo acerto inicial entre eles, 80% da propina obtida nas transações com dinheiro do Fi_FGTS era destinada a Cunha. Os 20% restantes eram partilhados entre Funaro (12%), Cleto (4%) e Margoto (4%). Henrique Alves foi acusado de receber, por indicação de Cunha, mais de R$ 1,6 milhão em contas na Suíça. Mas como não foi comprovada vínculos dele com decisões relacionadas diretamente com os desvios investigados na Caixa, o ex-deputado acabou se livrando do crime de corrupção.

1 de junho de 2018 às 12:01

Deputado Gustavo Fernandes reforça aliança com o vereador Aroldo Alves [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Assessoria do deputado estadual Gustavo Fernandes (PSDB) garante:

O parlamentar tem o apoio do vereador Aroldo Alves (PSDB).

Ontem Gustavo comemorou com Aroldo o aniversário dele.

Aroldo, o governadorável Carlos Eduardo, Gustavo e o prefeito de Natal, Álvaro Dias.

1 de junho de 2018 às 11:17

São José de Campestre: PHS diz que candidato se filiou dentro do prazo [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do PHS sobre o parecer do Ministério Público Federal, que considerou irregular a candidatura de Eribaldo Lima a vice-prefeito de São José de Campestre, por ter se filiado depois do prazo da Justiça Eleitoral que estabelece 6 meses antes da eleição:

Uma certidão da Justiça Eleitoral, segundo o presidente do partido, Leandro Prudêncio, que comprova a filiação de Eribaldo dentro do prazo.

1 de junho de 2018 às 7:27

As fotos de um país civilizado e de uma cidade que não tem controle sobre o trânsito [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A foto original é esta acima e foi feita em 1991, na Alemanha.

E em três tempos mostrou o espaço que se economiza quando se deixa o carro em casa e faz opção pela bicicleta ou pelo transporte público.

A imagem da esquerda mostra pedestres e ciclistas.

A do meio, a quantidade de ciclistas é a mesma de motoristas de carros.

E a da direita, a mesma quantidade de pessoas que estaria em um carro, cada, está dentro de um ônibus.

A foto mostra como se fazer para não encher as cidades e fazer fluir o trânsito.

Claro que para se chegar a isso as cidades tem que ter coisinhas básicas:

-Transporte público de vergonha

-Ciclovias

Ontem as fotos que farão parte de uma montagem que deverá rodar o mundo, foram feitas em Natal.

Iniciativa do especialista em transporte e trânsito, professor da UFRN, Rubens Ramos.

As fotos foram feitas por Canindé Soares, que usou drone.

O lugar escolhido foi a Via Costeira.

Veja as fotos de Canindé:

Detalhe: a secretária da STTU Elequicina Santos participou da foto.

Responsável pelo trânsito de Natal, ela sabe mais do que ninguém, que o transporte público de Natal é péssimo e não permite que a população deixe o carro em casa.

E sabe ainda mais que nunca interessou à Prefeitura fazer uma licitação no setor.

E sabe também que a cidade não tem ciclovias suficientes para fazer com que as pessoas troquem o carro pela bicicleta.

A secretária Elequicina foi só fazer pose…pra foto.

1 de junho de 2018 às 1:47

Vereador do PSDB, Aroldo Alves comemora aniversário com o governadorável Carlos Eduardo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Aniversariante desta quinta-feira, o vereador Aroldo Alves comemorou com missa em ação de graças, bolo, parabéns…e política.

À missa celebrada pelo Padre Fábio Pinheiro, na Paróquia dos Santos Mártires de Cunhaú e Uruaçú, no bairro de Nazaré, estiveram presentes o prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB) e o ex, Carlos Eduardo Alves (PDT).

Também o deputado estadual Gustavo Fernandes (PSDB), o vereador Ubaldo Fernandes (PTC) e o vereador licenciado, chefe da Casa Civil da Prefeitura, Kléber Fernandes (PDT)…

Aroldo não definiu seu candidato a governador, e diz que nunca foi procurado pelo seu partido para tratar do assunto.

Sobre a declaração do colega vereador e presidente do PSDB/Natal, Dickson Júnior, de que o candidato é o vice-governador Fábio Dantas (PSB), Aroldo considera uma posição pessoal de Dickson, e não do partido.

O que o Blog apurou foi que Aroldo ficou foi feliz com a presença do governadorável Carlos Eduardo em seu aniversário.

E a presença de Álvaro sinalizou: vai continuar tudo bem entre o prefeito e o vereador, e os cargos indicados por Aroldo que foram exonerados, poderão ser nomeados.

Resta saber se para deputado estadual, o vereador Aroldo Aves vota em Gustavo Fernandes, que foi à missa ou em Adjuto Dias (MDB), filho-candidato do prefeito Álvaro.