Holiday

Thaisa Galvão

8 de outubro de 2018 às 16:39

Acariense Vicentinho é reeleito deputado federal em São Paulo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Potiguar de Acari, Vicentinho segue com um mandato de deputado federal.

Filiado ao PT e amigo pessoal do ex-presidente Lula, foi reeleito para mais um mandato em São Paulo.

8 de outubro de 2018 às 16:37

Os mandatos dos filhos de Anunciada Maia em Brasília [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Três irmãos garantiram um mandato em Brasília a partir de janeiro: os filhos da matriarca Anunciada Maia.

Zenaide Maia, deputada federal, foi eleita senadora pelo PHS.

João Maia, eleito deputado federal pelo PR.

E Agaciel Maia, do PR, reeleito na oitava posição, entre os 23, para mais um mandato de deputado distrital no Distrito Federal.

8 de outubro de 2018 às 16:31

Candidatos com recurso junto ao TSE tentam acelerar processo de contagem de votos na expectativa de mudança de cenário na bancada federal [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Dois candidatos a deputado federal na coligação do candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT), não tiveram os votos computados.

Jumária Motta (Pode) e Kerinho (PDT).

Os dois tiveram os registros de candidaturas indeferidos, mas recorrem ao Tribunal Superior Eleitoral.

Caso os votos de Kerinho sejam computados, quase 9 mil acrescentados à coligação de Carlos Eduardo, como a diferença da coligação do PT é mínima, o quadro de deputados federais eleitos neste domingo no Rio Grande do Norte pode mudar.

E em vez do deputado Mineiro, entraria para a Câmara o deputado Beto Rosado (PP) que não foi reeleito.

Nos bastidores da Mossoró Rosada, que terminou o primeiro turno sem um mandato, aguardando o segundo turno para tentar emplacar o vice de Carlos Eduardo Alves, só se fala nessas contas…

O TSE, numa decisão monocrática, votou por não dar seguimento ao processo mas a defesa do candidato entrou com um agravo regimental que ainda será ser julgado.

Portanto…cenário ainda indefinido.

8 de outubro de 2018 às 16:20

Após 39 anos de carreira política e 32 anos no Senado, José Agripino Maia fica sem mandato [1] Comentários | Deixe seu comentário.

São 39 anos ininterruptos entre a Prefeitura de Natal, Governo do Rio Grande do Norte e Senado Federal.

Só no Senado são 32 anos. A soma de 4 mandatos.

Esse é o currículo do senador José Agripino Maia (DEM), que pela primeira vez em todos esses anos, seguirá sem mandato.

 

Foi pelas mãos do então governador Lavoisier Maia que o engenheiro José Agripino Maia foi indicado prefeito de Natal, em 1979, quando ainda prevaleciam as eleições indiretas.

Agripino entrou para a política como prefeito biônico, e administrou até 1982, quando foi candidato, pela primeira vez, o Governo do Rio Grande do Norte.

Disputou com Aluízio Alves, a quem derrotou com uma maioria histórica de 107 mil votos e governou até 1986, quando foi candidato a senador. Renunciou para se candidatar e foi substituído pelo vice Radir Pereira.

Em 1987 assumiu uma vaga no Senado pela primeira vez, mas cumpriu o mandato até 1991, disputando mais uma vez o Governo do Estado.

Governou até 1994, quando mais uma vez renunciou ao mandato de governador para ser candidato a senador, abrindo espaço na gestão para assumir o vice, Vivaldo Costa.

Em 1995 voltou ao Senado onde exerceu o segundo mandato até 2002, se reelegendo para o terceiro mandato que terminou em 2010, quando se reelegeu de novo, desta vez para o quarto mandato de senador, que será concluído em dezembro próximo.

A vida pública de José Agripino conta com um mandato de prefeito de Natal, dois de governador do Rio Grande do Norte e 4 de Senado.

Agora se preparava para assumir uma vaga na Câmara Federal, mas não conseguiu ser eleito.

Teve a pior votação de sua história, onde atingiu o ápice em 2010, obtendo uma votação de quase um milhão de votos: 958 mil votos.

Termina o ciclo com 64.678 e nenhum mandato na família, já que o filho deputado federal Felipe Maia não foi candidato.

8 de outubro de 2018 às 16:16

Nova configuração da Câmara não foi prevista nem nas projeções mais ousadas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A surpresa maior no resultado das eleições deste domingo se deu na renovação da bancada federal na Câmara.

Quem decidir dizer agora que previu o cenário montado no Rio Grande do Norte, com certeza falta com a verdade.

Da bancada de 8, somente 3 sobreviveram: Rafael Motta, apontado na maioria das apostas e projeções como fora do jogo, Walter Alves e Fábio Faria, apontados como mais votados e que terminaram em penúltimo e último lugares.

O cenário de duas vagas das 8 para o PT, só era visto pelo próprio PT.

E a votação da vereadora Natália Bonavides superior à do deputado Fernando Mineiro, não estava nos cálculos do deputado estadual, mas era cogitado pelo grupo petista da senadora Fátima Bezerra, que disputará o Governo em segundo turno.

Natália, a segunda deputada federal mais votada, só não fez surpresa para o grupo de Fátima.

Para os especialistas em fazer contas eleitorais, ela estava fora do jogo. Era apenas um capricho da candidata ao Governo Fátima Bezerra.

8 de outubro de 2018 às 16:15

Reforma trabalhista mudou o cenário político no Rio Grande do Norte [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O resultado das urnas no caso de deputado federal no Rio Grande do Norte deixou bem claro: valeu muito mais o posicionamento político dos parlamentares, do que os milhões em emendas destinadas ao Estado e a muitos municípios.

A reforma trabalhista elegeu e deselegeu.

Elegeu os deputados Rafael Motta que votou contra, e Walter Alves que não votou. Elegeu João Maia que não tinha mandato e não votou contra nem a favor, elegeu os novos nomes que surgiram para a Câmara…

Deselegeu o relator da reforma, Rogério Marinho, o deputado Beto Rosado, e o senador candidato a federal José Agripino Maia, que no Senado se pronunciou favorável à nova lei, e na Câmara manteve o posicionamento através do filho deputado Felipe Maia.

A reforma trabalhista foi fatal também para o senador Garibaldi Filho, que perdeu a eleição com uma diferença de mais de 280 mil votos entre ele e a segunda colocada, a senadora eleita Zenaide Maia (PHS).

A reforma trabalhista, por mais explicada que pareça ter sido, não teve ouvidos do eleitorado.

O que prevaleceu foi que “a reforma tirou direitos dos trabalhadores”.

E ponto final.

Se tinha pontos interessantes, o eleitorado não viu e não quis ver. Não compreendeu e não quis compreender.

E qualquer emenda, seja lá qual fosse, do tamanho que fosse, saiu maior do que o soneto para os parlamentares que votaram Sim ao projeto de reforma relatado por um deputado do Rio Grande do Norte, agora sem mandato.

8 de outubro de 2018 às 16:14

Câmara Federal: Saiba quem permanece, quem sai e quem achava que poderia entrar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Somente 3 dos 8 deputados federais do Rio Grande do Norte foram reeleitos neste domingo.

Rafael Motta (PSB), Walter Alves (MDB), e Fábio Faria (PSD).

 

Os atuais deputados que ficarão sem mandato.

Beto Rosado (PP) – 71.092 votos

Rogério Marinho (PSDB) – 59.961

Felipe Maia (DEM) não foi candidato

Zenaide (PHS) foi candidata ao Senado e se elegeu.

 

Os candidatos a deputado federal apontados como eleitos, mas que ficaram fora da bancada:

José Agripino Maia (DEM) – 59.961 votos

Carla Dickson (PROS) – 60.590

Karla Veruska (Avante) – 42.784

8 de outubro de 2018 às 16:11

Confira a lista dos deputados federais eleitos no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Veja a nova configuração da bancada potiguar na Câmara Federal, eleita neste domingo:

 

Benes Leocádio (PTC) – 125.841 votos

Natália Bonavides (PT) – 112.998

Mineiro (PT) – 98.070

João Maia (PR) – 93.505

Rafael Motta (PSB) – 82.791

General Girão (PSL) – 81.640

Walter Alves (MDB) – 79.333

Fábio Faria (PSD) – 70.350

8 de outubro de 2018 às 15:45

Tião Couto acena com nova candidatura a prefeito em 2020: “Eu não desisti de Mossoró” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Vice do governador Robinson Faria (PSD), Tião Couto (PR) se pronunciou ainda neste domingo sobre o resultado das urnas.

Disse que não se sentia derrotada e que não desistiu de Mossoró.

Um aceno de que voltará a disputar a Prefeitura do município como aconteceu em 2016, quando a chapa formada por ele e o empresário Jorge do Rosário (PR), obteve quase metade dos votos dos mossoroenses.

8 de outubro de 2018 às 15:40

Robinson Faria diz que vai entregar o Estado melhor do que recebeu [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria (PSD), que não conseguiu ir para o segundo turno nas eleições deste domingo, se pronunciou agora há pouco.

No gabinete de trabalho, onde chegou pela manhã, disse que a vida segue, e que vai entregar um Estado melhor do que recebeu.

8 de outubro de 2018 às 12:37

Assembleia: Os novos nomes, os que perderam os mandatos e os que achavam que se elegeriam [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem são os nomes novos para a Assembleia Legislativa?

Pela ordem de votação:

Bernardo Amorim (Avante), Isolda Dantas (PT), Kleber Rodrigues (Avante), Coronel Azevedo (PSL), Francisco do PT (PT), Eudiane Macedo (PTC), Alyson Bezerra (SD), Ubaldo Fernandes (PTC), Sandro Pimentel (PSOL).

 

Quem perdeu o mandato de deputado estadual?

Jacó Jácome (PSD), Larissa Rosado (PSDB), Márcia Maia (PSDB), Carlos Augusto Maia (PCdoB), Gustavo Fernandes (PSDB), Ricardo Motta (PSB).

O deputado José Adécio (DEM) não foi candidato e não elegeu o filho Gustavo Costa (PSD), e o deputado Dison Lisboa não foi candidato também.

 

Quem era apontado como vitorioso e não se elegeu:

Adjuto Dias (MDB), filho do prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB), obteve 28.697 votos.

Terezinha Maia (PR), primeira-dama de São Gonçalo do Amarante, com 26.849 votos.

Jorge do Rosário (PR), empresário de Mossoró, ex-candidato a vice-prefeito, obteve 23.512 votos.

Ivan Júnior (PSD), ex-prefeito de Assu, com 23.264 votos.

Gustavo Costa (PSD), filho do deputado José Adécio (DEM), que não foi candidato, com 22.767 votos.

Bispo Francisco de Assis (PSB), vereador de Natal, obteve 22.256 votos.

Nina Souza (PDT), vereadora de Natal, com 21.355 votos.

8 de outubro de 2018 às 12:35

Confira os deputados estaduais eleitos por coligação [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Confira quais coligações elegeram quem…

A ordem dos citados em cada coligação é pela votação.

Do mais para o menos votado:

 

Coligação Trabalho e Superação (Governador Robinson Faria)

Ezequiel Ferreira (PSDB), Gustavo Carvalho (PSDB), Tomba Farias (PSDB), Galeno Torquato (PSD), George Soares (PR), Raimundo Fernandes (PSDB), Vivaldo Costa (PSD), Albert Dickson (PROS), e José Dias (PSDB).

 

Coligação Do Lado Certo (Governadora Fátima Bezerra)

Isolda Dantas (PT), Souza (PHS) e Francisco do PT (PT).

 

Coligação 100% RN (Governador Carlos Eduardo Alves)

Nelter Queiroz (MDB), Hermano Morais (MDB) e Getúlio Rêgo (DEM).

Coligação Renova RN (Governador Brenno Queiroga)

Kelps Lima (SD) e Alyson Bezerra (SD).

 

Coligação Avança RN (Governador Robinson Faria)

Eudiane Macedo (PTC) e Ubaldo Fernandes (PTC).

 

Trabalho e Superação 3 (Governador Robinson Faria)

Bernardo Amorim (Avante) e Kleber Rodrigues (Avante).

 

Renova RN 3 (Governador Breno Queiroga)

Cristiane Dantas (PPL) e Coronel Azevedo (PSL).

 

PSOL

Sandro Pimentel (PSOL)

8 de outubro de 2018 às 11:43

Confira a lista dos deputados eleitos para a Assembleia Legislativa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Deputados eleitos para a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte pela ordem de números.

 

Ezequiel Ferreira (PSDB) – 58.221votos

Gustavo Carvalho (PSDB) – 47.544

Bernardo Amorim (Avante) – 42.049

Tomba Farias (PSDB) – 41.249

Nelter Queiroz (MDB) – 40.717

Hermano Morais (MDB) – 38.053

Galeno Torquato (PSD) – 34.532

George Soares (PR) – 34.263

Raimundo Fernandes (PSDB) – 33.965

Cristiane Dantas (PPL) – 33.860

Kelps Lima (SD) – 33.819

Getúlio Rêgo (DEM) – 33.477

Isolda Dantas (PT) – 32.963

Kleber Rodrigues (Avante) – 32.755

Vivaldo Costa (PSD) – 32.638

Albert Dickson (PROS) – 31.698

Souza (PHS) – 31.097

Coronel Azevedo (PSL) – 27.606

José Dias (PSDB) – 27.275

Francisco do PT (PT) – 23.448

Eudiane Macedo (PTC) – 22.333

Alyson Bezerra (SD) – 20.228

Ubaldo Fernandes (PTC) – 20.148

Sandro Pimentel (PSOL) – 19.158

8 de outubro de 2018 às 11:11

Previsão de Garibaldi: “É Alves demais para pouco voto” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A frase é do senador Garibaldi Filho, em entrevista que nos concedeu ao Jornal da Noite, na 95MaisFM, bem antes dos cenários dessas eleições serem desenhados: “É Alves demais para pouco voto”.

Garibaldi não imaginava que os poucos votos deixariam descoberto exatamente o seu mandato, conquistado há 8 anos com mais de um milhão de votos, e que o MDB exibia como troféu.

Dos 3 “Alves demais” no mesmo palanque – Garibaldi, o deputado Walter Alves e o candidato a governador Carlos Eduardo Alves –salvo até agora só Walter.

Garibaldi perdeu e Carlos Eduardo espera o segundo turno, onde vai para a disputa com a primeira colocada para o Governo, Fátima Bezerra.

8 de outubro de 2018 às 11:10

A história de muitas vitórias do senador Garibaldi Filho [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador Garibaldi Filho começou a carreira política como deputado estadual.

Foi eleito 4 vezes pelo MDB: em 1970, 1974, 1978 e 1982.

Em 1985 foi eleito prefeito de Natal, derrotando Wilma de Faria, candidata do PDS.

Em 1990 elegeu-se senador cumprindo o mandato até 1994.

Em 1994 foi candidato a governador do Rio Grande do Norte e foi eleito no primeiro turno, derrotando Lavoisier Maia.

Em 1998 foi reeleito governador, derrotando José Agripino Maia.

Em abril de 2002 renunciou ao Governo para poder disputar e ganhar pela segunda vez o cargo de senador. Foi o mais votado com 714.363 votos, seguido pelo também eleito José Agripino, que obteve 594.912.

Com a renúncia de Garibaldi, assumiu o governo do Rio Grande do Norte o vice Fernando Freire, que disputou a reeleição e perdeu para Wilma de Faria, eleita para o primeiro mandato de governadora.

Em 2006, como senador, disputou mais uma vez o governo do estado. Foi derrotado pela primeira vez na carreira, por Wilma de Faria, que foi reeleita governadora. Voltou para o Senado onde ainda tinha mandato até 2010.

Em 12 de dezembro de 2007, com 68 votos a favor, 8 contra e 2 abstenções, foi eleito presidente do Senado para um mandato tampão, com a renúncia de Renan Calheiros, envolvido em escândalo.

Em 2010 foi reeleito senador pelo Rio Grande do Norte para o terceiro mandato, com 1.042.272 votos, cerca de 35% dos votos totais e 56% dos votos válidos. Ficou conhecido como o ‘Senador de 1 milhão de votos’.

Foi indicado ministro da Previdência no governo Dilma, de 2010 a 2014, sendo substituído no Senado pelo suplente Paulo Davim (PV).

Agora, concluindo o terceiro mandato de senador, disputou sem sucesso a reeleição.

Não conseguiu conquistar uma das duas vagas do Senado, que passarão a ser ocupadas pelo Capitão Styvenson, o mais votado como foi Garibaldi em 2010 e em 2002, e por Zenaide Maia, deputada eleita em 2014 pelo PR, substituindo o irmão João Maia, então candidato a vice de Henrique Alves, na chapa derrotada para o Governo do Rio Grande do Norte.

8 de outubro de 2018 às 11:09

Os derrotados por Garibaldi e o ciclo que se encerra [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador Garibaldi Filho derrotou, em sua carreira política no Executivo, todos os grandes expoentes da família Maia.

Em 85 derrotou Wilma Maia na disputa pela Prefeitura de Natal.

Em 94 derrotou Lavoisier Maia no primeiro turno, na disputa pelo Governo do Estado.

Em 98 derrotou José Agripino Maia quando foi reeleito governador.

Mas foi Wilma Maia, derrotada por Garibaldi, após retirar o sobrenome tradicional e se apresentar como Wilma de Faria, que deu o troco ao grande líder do MDB.

Em 2002 Wilma se elegeu governadora, derrotando Fernando Freire (PP), o vice que assumiu o governo quando Garibaldi se elegeu senador. Freire, o candidato de Garibaldi, estava no governo e não se reelegeu, perdendo para Wilma. De Faria.

 

Em 2006 Wilma – de Faria – deu o troco diretamente a Garibaldi, derrotando o próprio, se reelegendo governadora, na disputa que ficou conhecida como ‘a surra de saia’ em Garibaldi.

Em 2010, Garibaldi voltou a derrotar Wilma na disputa pelo Senado.

Ele e Agripino se elegeram e Wilma foi derrotada mais uma vez por Garibaldi, e pela primeira vez por um ex-familiar Maia.

2010 foi a eleição em que Garibaldi teve 1.042.272 votos (35,03%), José Agripino 958.891 votos (32,23%), e Wilma apenas 651.358 votos (21,89% dos válidos).

Agora em 2018, Garibaldi foi derrotado, e o Maia mais representativo da família, José Agripino, também.

É um ciclo onde as duas famílias que estiveram unidas e separadas, dependendo do contexto eleitoral, se encerra.

8 de outubro de 2018 às 9:48

Os fenômenos que não se repetem no Senado [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A chamada quebra de votos vem acontecendo em cada eleição.

Para o Senado, em 2010, o senador Garibaldi Filho foi eleito com mais de um milhão de votos.

O segundo senador, José Agripino Maia, se elegeu com quase um milhão: 958 mil votos.

Em 2014, pleito onde só uma vaga de senador  foi renovada, Fátima Bezerra foi eleita com 808.055 votos.

Agora o campeão de votos, Capitão Styvenson, foi eleito senador com 745.827 votos, menos do que Fátima em 2014.

Na segunda vaga ficou Zenaide, com 660.315 votos, um pouco mais do que obteve Wilma de Faria em 2014 quando foi derrotada por Fátima: 636.896 votos.

Um fenômeno de um milhão de votos no Rio Grande do Norte ficou para Garibaldi, há 8 anos.

8 de outubro de 2018 às 9:36

Confira os números oficiais para o Senado no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Veja os números para o Senado no Rio Grande do Norte com 100% das urnas apuradas:

 

Capitão Styvenson (Rede) 745.827 votos, o equivalente a 25,63%

Zenaide (PHS) – 660.315 votos – 22,69%

Geraldo Melo (PSDB) 382.249 – 13,14%

Garibaldi Filho (MDB) 376.199 votos – 12,93%

Jácome (Pode) 307.399 – 10,57%

Alexandre Motta (PT) 242.465 – 8,33%

Magnólia (SD) 114.055 votos – 3,92%

Telma Gurgel (PSOL) 23.846 votos, equivalente a 0,82%

Joanilson Rêgo (DC) – 15.418 votos (0,53%)

Levi Costa (PRTB) – 14.709 (0,51%)

Ana Celia (PSTU) – 8.233 (0,28%)

Professor Lailson (PSOL) – 7.420 (0,26%)

Napoleão (Rede) – 7.166 (0,25%)

João Morais (PSTU) – 4.291 (0,15%)

Jurandir Marinho (PRTB) Os votos não foram computados porque o registro de candidatura dele foi indeferido. Como há um recurso na Justiça Eleitoral, só depois de julgado será definido se os votos serão computados ou não. O que não mudará em nada o resultado das eleições para o Senado.

8 de outubro de 2018 às 0:59

Governador Robinson Faria ficará sem mandato pela primeira vez em 33 anos [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria (PSD) não foi reeleito e pela primeira vez, desde que entrou para a vida pública, ficará sem mandato a partir de 2019.

Robinson se elegeu deputado estadual há 33 anos, em 1986, quando tinha 27 anos, e cumpriu 6 mandatos, em dois se elegendo 4 vezes presidente da Assembleia Legislativa, até se eleger vice da governadora Rosalba Ciarlini.

Depois se elegeu governador, sempre seguindo a linha de não ficar sem mandato.

Robinson ficou em terceiro lugar como apontavam as pesquisas, e obteve 192.037 votos, o equivalente a 11,85%

8 de outubro de 2018 às 0:50

Confira o resultado oficial dos candidatos a governador [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com 100% das urnas apuradas no Rio Grande do Norte, vão para o segundo turno os candidatos Fátima Bezerra e Carlos Eduardo Alves.

Eis o resultado das urnas:

 

Fátima Bezerra (PT) – 748.150 votos – (46,17%)

Carlos Eduardo Alves (PDT) – 525.933 votos (32,45%)

Robinson Faria (PSD) – 192.037 votos (11,85%)

Breno Queiroga (SD) – 106.345 votos (6,56%)

Carlos Alberto (PSOL) – 31.306 votos (1.93%)

Freitas Júnior (Rede) – 9.067 votos (0,56%)

Heró Bezerra (PRTB) – 4.327 votos (0,27%)

Dario Barbosa (PSTU) – 3.379% (0,21%)

 

Abstenção – 406.098 deixaram de votar, o equivalente a 17,12%

Votos brancos – 86.111 – 4,38%

Votos anulados – 259.795 equivalente a 13,21%