Thaisa Galvão

9 de outubro de 2018 às 14:37

Candidatura de Nina Souza com apoio de Carlos Eduardo foi fatal para deseleger Adjuto Dias [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A candidatura da vereadora de Natal, Nina Souza, do PDT, foi fundamental para deseleger o candidato a deputado, Adjuto Dias (PDT), filho do prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB).

Como manteve a equipe da Prefeitura deixada por Carlos Eduardo Alves (PDT), que renunciou para ser candidato a governador, Álvaro tinha notícia a cada dia, que servidores, principalmente os cargos comissionados, eram convocados para reuniões para tratar do apoio à vereadora Nina.

E quem comandava as reuniões era a ex-primeira-dama da capital, Andrea Ramalho, que virou madrinha da candidatura de Nina Souza.

Mesmo no cargo de prefeito, Álvaro contou pouco com o apoio dos comissionados, comprometidos com a candidatura de Nina.

No dia primeiro de outubro, a seis dias das eleições, a mulher de Carlos Eduardo fez apenas uma, das tantas reuniões com servidores para pedir empenho na eleição de Nina.

Essa reunião, que contou com a presença de leitores do Blog, aconteceu no bairro de Capim Macio.

Resultado do pleito: Adjuto teve 7.939 votos em Natal e Nina 7.379.

Na soma total em todo o Estado, Adjuto teve 28.697 votos e Nina 21.355.

Sem a vereadora no meio do caminho, e o apoio do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo, Adjuto certamente teria tido votos suficientes para se eleger.

Na coligação que Adjuto fazia parte, o deputado Getúlio Rêgo (DEM) foi eleito com 33.477 votos.

O que aponta a possibilidade de vitória de Adjuto, caso o combinado entre Álvaro Dias e Carlos Eduardo tivesse sido cumprido.

Não foi.

E no final das contas, nem Adjuto nem Nina Souza.

A prova de que Nina fez campanha como “a candidata de Carlos Eduardo” foi a arte impressa nos santinhos distribuídos por ela.

Com Adjuto Dias derrotado nas urnas por causa de um capricho do candidato a governador, resta saber se o prefeito de Natal se empenhará para a eleição de Carlos Eduardo Alves no segundo turno das eleições.

O clima de traição deixa a dúvida no ar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*