Thaisa Galvão

25 de novembro de 2018 às 11:28

Leitor do Blog vai à justiça depois de ter se sentido vítima da “black friday” do supermercado Extra [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Black Friday versus Black Fraude.

Tem de tudo no dia para uns, e semana para outros, dedicado a vender muito a partir de ‘grandes’ promoções.

E ao mesmo tempo que se tem registro de boas oportunidades, tem também de situações que saem das lojas para o Procon e vão parar nas barras da Justiça.

Foi o que aconteceu com leitor do Blog que chegou ao supermercado Extra e quis aproveitar a promoção de uma TV de 65 polegadas, que no dia caía de pouco mais de 7 mil reais para pouco mais de 4 mil e ainda podia ser dividida em 30 meses no cartão específico do Extra.

Sem possuir o cartão específico, o leitor, que queria aproveitar a oportunidade e levar também um aparelho de ar-condicionado, foi convidado pela funcionária e fazer o cartão ali mesmo e efetuar a compra.

Depois de tempo preenchendo ficha, apresentando documentação e aguardando a aprovação pelo sistema financeiro do Extra, eis que a funcionária avisa para o “cliente” que, “por um erro do sistema”, o cartão dele não seria entregue no momento e chegaria à residência dele “daqui a 5 dias”.

E desse modelo não esperado e não anunciado, ele não poderia efetuar a compra no plano de 30 meses como ele gostaria e como estava anunciado.

O leitor do Blog caiu na Black Fraude.

Recorreu ao Procon, e claro, à Justiça.

Sabe aquela máxima que diz que ‘quem não pode com o pote não segura na rodilha?’

Vale muito para empresas que se integram a projetos que não podem bancar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*