Thaisa Galvão

7 de janeiro de 2019 às 3:13

Álvaro Dias volta a dizer que herdou Município com mais servidores do que a máquina precisa para funcionar e que vai adotar medidas duras para equilibrar as contas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de anunciar no nosso Jornal da Noite, na 95MaisFM, que está disposto a tomar medidas duras para equilibrar as contas do Município de Natal, não estando preocupado com reeleição, o prefeito Álvaro Dias reforçou as declarações em entrevista ao jornal Tribuna do Norte.

Na longa entrevista o prefeito falou dos serviços prestados à população, da garantia de mais uma edição do Carnaval, do projeto de criação de um São João e até a relação não tão maravilhosa com o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves: “Existem, é claro, algumas divergências e discordâncias com o ex-prefeito Carlos Eduardo, mas nada que não possa ser superado, nem que se possa dizer que tenha uma gravidade maior”.

O Blog reproduz alguns trechos mais políticos da entrevista do prefeito Álvaro Dias:

 

O senhor está completando nove meses de gestão à frente da Prefeitura. Foi possível imprimir uma marca ou um estilo que diferencie essa gestão?

Não estou preocupado em imprimir marca ou que a minha gestão se diferencie das outras. Estou preocupado em fazer com que o município funcione, os serviços essenciais prestem a assistência que a população espera e que os direitos constitucionais de cada munícipe e habitante de Natal sejam assegurados, principalmente no tocante à educação e à saúde. Além disso, devemos buscar incentivar a atividade econômica principal da cidade, o turismo, que é um motor para alavancar cada vez mais a economia de Natal. Essas são questões que me preocupam.

 

O senhor pensa em fazer novas mudanças na equipe de auxiliares, uma reforma do secretariado ou administrativa?

Pensamos e, com certeza, nós vamos fazer, porque está sendo feito um estudo sobre a máquina administrativa, a estrutura e o funcionamento da Prefeitura por uma empresa de consultoria e gestão que contratamos — a Fundação Dom Cabral, que prestou assessoria ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Essa consultoria, ao então governador de Pernambuco, garantiu uma contribuição para que a gestão dele fosse bem avaliada pela população, em função das medidas que tomou de contenção de gastos e despesas, além da reorganização da máquina administrativa. Isso garantiu uma aprovação muito importante dentro do contexto do governo que ele realizou pelo Estado de Pernambuco.

Então, pretendemos utilizar a mesma prestação de serviço, a mesma assessoria, que está trabalhando aqui na cidade do Natal e vai repensar a estrutura administrativa, com redução do número de secretarias e contenção de despesas.

Isso deve fazer com que as finanças do município possam respirar, sair desse sufoco permanente. Todos os meses há uma expectativa, por parte dos servidores públicos municipais, se a Prefeitura vai ou não pagar em dia os salários. Até agora nós temos conseguido, com as medidas que temos tomado. Mas estamos aguardando a conclusão do estudo da Fundação Dom Cabral, porque, tenho certeza, vamos precisar adotar medidas duras, austeras, impopulares até para garantir, no início da nossa gestão, um futuro que possa dar ao morador da cidade a certeza de que a Prefeitura vai estar equilibrada, ter folga de caixa, pagando os salários em dia e ainda sobrando recursos para serem investidos em obras públicas, o que não acontece atualmente.

 

Haverá demissão de servidores?

Demissão, se houver autorização por parte da Constituição… Nós temos um excesso de funcionários latente, comprovado e demonstrado. A Prefeitura está com aproximadamente 20 mil servidores e funcionaria com algo em torno 10 mil.

 

Mesmo em áreas essenciais como saúde e educação há excesso de servidores?

Digo que a Prefeitura tem um excesso de funcionários em todos os locais. Funcionaria com bem menos do que existe atualmente. Isso é uma herança que recebemos e foi construída ao longo do tempo que a Prefeitura de Natal estava absorvendo funcionários e não é possível identificar a partir de quando começou essa contratação excessiva.

 

Medidas relacionadas à Previdência devem ser tomadas pelo município, como aumento de alíquotas?

Tudo o que for necessário e recomendado por essa empresa de consultoria, na qual confio plenamente, porque é uma das melhores do Brasil, vamos implementar, seja com relação à Previdência, seja com relação a cortes de gastos, além de diminuição da estrutura da máquina administrativa, que com certeza vai acontecer, redução de cargos comissionados e extinção de secretarias…

 

Como ficam, a partir de agora, as relações entre o município e o governo do Estado?

Acredito que, sim, vai melhorar. Espero que possamos manter um bom relacionamento com a governadora Fátima Bezerra (PT), até porque essa questão de divergências partidárias, ideológicas e diferenças que foram construídas em face de termos coexistido como adversários durante a recente campanha eleitoral não podem prevalecer no relacionamento institucional. A campanha acabou.

 

Pretende concorrer à reeleição?

Não tenho nenhuma preocupação com relação à questão de reeleição. Nem sei se terei disposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*