Thaisa Galvão

10 de janeiro de 2019 às 10:13

Fátima resistiu às críticas do modelo de pagamento de salários porque sabia que a antecipação dos royalties seria liberada pelo Tribunal de Justiça [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A governadora Fátima Bezerra sabia que anunciando o pagamento dos salários de janeiro, deixando os atrasados para quando entrasse dinheiro, levaria as ‘porradas’ que recebeu.

Que os servidores não iriam achar graça e iriam cobrar a fatura por terem acreditado na governadora sindicalista.

Mas Fátima não imaginou o modelo adotado, de antecipar 30% dos salários de janeiro para amenizar o vermelho das contas dos servidores, sem saber o que viria por aí.

Ela apostou no que para os servidores seria uma ‘enrolação’, sabendo que, pelo menos a operação de antecipação dos royalties seria autorizada.

Na semana passada, em entrevista que fiz com o novo secretário de Tributação do Estado, Carlos Eduardo Xavier, ele declarou que a operação seria liberada.

Portanto, quando Fátima apostou no modelo anunciado, já sabia que teria uma carta na manga para oferecer aos trabalhadores.

E agora, com a permissão para pedir a antecipação dos royalties, Fátima vai anunciar, assim que a operação for iniciada, um calendário para, pelo menos, começar a botar em dia os salários atrasados.

Seria muita inocência pensar o contrário.

A governadora, que hoje senta na cadeira principal, passou a vida toda do outro lado, comandando negociações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*