Thaisa Galvão

20 de janeiro de 2019 às 23:12

Reportagem do Fantástico revela nomes de padres e arcebispo da Paraíba envolvidos em assédio sexual contra menores [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1/Paraíba

A Justiça do Trabalho condenou a Arquidiocese da Paraíba a pagar uma indenização de R$ 12 milhões por casos de exploração sexual contra menores de idade. O crime foi praticado por padres e até o arcebispo emérito do estado estão envolvidos no escândalo.

O Fantástico ouviu um rapaz que foi assistente de missa e seminarista. Ele preferiu não ser identificado.

Repórter: Que idade você tinha?

Ex-seminarista: Eu tinha 17 anos e meio ano.

Repórter: O que você encontrou no seminário era como você esperava?

Ex-seminarista: Não, né? A gente espera uma coisa e de repente se depara com outra, né? Às vezes de assédio relacionado a assédios sexuais por parte dos padres, por parte de muito dos seminaristas.

Repórter: De que tipo?

Ex-seminarista: Através de palavras, de atos, pegava nas minhas partes sexuais, né?

Foi na Justiça Trabalhista que o processo avançou. “O ato é gravíssimo. São adolescentes que acreditaram naquela instituição a representação de Deus”, afirmou o procurador do Trabalho, Eduardo Varandas.

Tudo começou em 2014, a partir de uma carta. A autora ouviu comentários de que algo errado estava acontecendo na Igreja Católica da Paraíba e, a partir daí, fez uma denúncia por carta, para ficar dentro da Igreja. Porém, isso acabou resultando na situação atual. Uma denúncia que era só para a Igreja, que tomou uma dimensão imensa.

Repórter: Por que a senhora decidiu escrever a carta?

Testemunha: Porque eu fiquei incomodada diante de tantas coisas aí eu me incomodei muito por ser católica. Não aguentei mais diante de tanta coisa e eu terminei tendo essa vontade de fazer tudo isso.

Repórter: A senhora era amiga de jovens homossexuais frequentadores da igreja?

Testemunha: Isso. A gente ia pra aniversário, a gente saía, ia na praia à noite. Nessas saídas nossa aí começou a surgir conversas que não tava me agradando.

Repórter: Tipo o quê?

Testemunha: Apelidos muito feios com padres da nossa igreja. Monja Vanessa. Louca da Diocese. Ligava pra pessoa e falava “oi, louca da Diocese”?

Repórter: Na verdade a senhora descobriu depois que quem tava do outro lado da linha eram padres?

Testemunha: Eram padres.

A mulher contou tudo para um padre de confiança. Ela explicou que ele redigiu a carta e disse que o documento ficaria dentro da Igreja. Mas o texto vazou e virou notícia. A partir daí, o Ministério Público do Trabalho começou a investigar.

“Na verdade, o que foi apurado, o que foi denunciado na imprensa, apurado pelo Ministério Público do Trabalho, foi de que havia inserido dentro da sistemática católica um grupo de sacerdotes de forma habitual que pagavam por sexo a flanelinhas, a coroinhas e também a seminaristas”, explicou o procurador Varandas.

O crime foi definido como exploração sexual. No entanto, ele ressaltou que, como o processo está em segredo de justiça, ele está impedido de revelar alguns elementos concretos e o que ocorreu na instrução do processo.

Segundo Varadas, a característica da exploração sexual é a ausência da vontade livre para praticar o ato. Nesse caso, o pagamento às vítimas podia ser feito em dinheiro ou até em comida.

“Algo que tenha submissão ou algo que faça com que um estado de necessidade leve a criança ou adolescente a praticar esses atos. Que estado de necessidade é esse? É a miséria, é a fome, é a proteção do estado, é a ausência de políticas públicas. No caso de menores de 18 anos, independente da vontade deles, tanto o Estatuto da Criança do Adolescente, como o Código Penal consideram a exploração sexual exatamente porque eles não têm a vontade validada pelo direito pra praticar um ato dessa natureza”, explicou o procurador.

O ex-seminarista conta que cedeu às investidas pela vontade de se tornar padre.

“Porque até então a palavra de ordem seria ‘passando por esse processo você vai conseguir chegar a ser padre’. Meio que uma troca de, não sei se a palavra certa é troca de favores. Às vezes uma conversa, um abraço no pé do ouvido, né? ‘Ele você tá muito cheiroso, vc tá muito lindo, muito gostoso, né? Você deve malhar muito, não sei como você faz isso, mas você tem um peitoral muito gostoso, né?’”, disse.

A vítima afirmou que havia relações sexuais e que se envolveu com três padres. Os nomes dos três sacerdotes aparecem em vários depoimentos: Jaelson Alves de Andrade, Ednaldo Araújo dos Santos e Severino Melo. Os padres estariam afastados de suas funções.

Nem o ex-seminarista, nem a autora da carta, que deu origem às investigações, quiseram se identificar. E eles têm suas razões.

Por pressão psicológica, duas testemunhas importantes que tinham marcado entrevista com o Fantástico desistiram de falar. Mas, à Justiça, elas falaram.

Um deles é um empresário, dono de um restaurante, até hoje muito católico. Ele frequentava a igreja do padre Jaelson e depôs contra aquilo que ele achava que era um desvirtuamento da Igreja Católica.

“Antes dele, a gente tinha meninas e meninos como coroinhas, mas depois que ele assumiu passou a só admitir coroinhas homens. Um dia dois deles me procuraram. O primeiro falou comigo chorando, contou que tinha decidido sair da igreja porque um dia tava na casa paroquial e o padre Jaelson pediu que o menino passasse óleo nele durante o banho. O garoto tinha entre 14 e 15 anos. O outro coroinha que veio falar comigo disse que teve um relacionamento com o padre dos 14 até os 21 anos”, disse em depoimento.

Outra testemunha é um funcionário da Catedral, que trabalhou lá por mais de 30 anos e conhecia como ninguém os bastidores do que acontecia lá dentro.

“Passaram três bispos e cinco padres no tempo que eu estive lá. Um desses padres, padre Jaelson, levava coroinhas e outros meninos, todos menores de idade, para dormir com ele nos quartos que ficam atrás da igreja. Os meninos iam embora de manhã cedo. Ele pagava lanches para os meninos e também dava roupas para eles como um agrado. Eu já cheguei a pegar padre Jaelson tendo relação sexual com menor de idade dentro da igreja. Também trabalhei com o padre Ednaldo. Ele costumava sair com os meninos que olhavam os carros na porta da Catedral. Costumava ir com eles no Bar da Pólvora. Eram todos menores de idade e o padre dava dinheiro pra eles”, afirmou em depoimento.

Foi decisivo o depoimento de um desses jovens, que quando era menor de idade trabalhava como flanelinha no entorno da Catedral, e disse que, na época, teve relações com o padre Ednaldo. Ele contou tudo, mas não pôde ver a conclusão do processo porque foi assassinado em dezembro de 2016. A polícia chegou a investigar a possibilidade de queima de arquivo, mas nada ficou comprovado.

O ex-funcionário citou também um quarto padre: Rui da Silva Braga. O padre Rui também levava meninos para a casa dele.

Uma particularidade do caso é que não só padres foram acusados de crimes sexuais. Segundo o Ministério Público, havia o envolvimento direto do então arcebispo, dom Aldo Pagotto. Ele é suspeito de acobertar os crimes dos sacerdotes e também de ter tido relações sexuais com jovens da cidade.

À Justiça, a vítima disse que tinha sido só assediado pelo então arcebispo. Mas, ao Fantástico, ele foi além:

Sem saber do envolvimento do arcebispo, o empresário chegou a pedir que ele tomasse providências sobre o problema.

“Ele chegou a chorar e disse que ia tentar resolver a situação. disse que ia procurar que padre Jaelson fizesse um tratamento para parar com essas coisas. Isso foi em 2009 e nada foi feito. Quero deixar bem claro que sou católico, continuo frequentando a igreja e não tenho a intenção de prejudicar nenhum padre. Só quero que a verdade venha à tona pela dignidade da igreja”, disse o empresário à Justiça.

Em 2002, quando era bispo de Sobral, no Ceará, dom Aldo foi denunciado por supostamente tentar acobertar casos de abuso sexual de um padre contra 21 meninas. Mas o Tribunal de Justiça cearense arquivou o caso. Em 2004, ele se tornou arcebispo da Paraíba. Ficou na posição até 2016, quando renunciou ao cargo, em meio às denúncias de escândalos sexuais envolvendo padres.

Na carta de renúncia, ele se referiu a “egressos”, ou seja padres e seminaristas afastados de outras dioceses, e que ele acolheu: “Acolhi padres e seminaristas no intuito de lhes oferecer novas chances na vida. Entre outros alguns egressos posteriormente suspeitos de cometer graves defecções, contrárias à idoneidade exigida no sagrado ministério”.

Dom Aldo vive agora em Fortaleza. Teve câncer de próstata. Na páscoa de 2018, divulgou um vídeo em que aparece debilitado. O Fantástico ligou três vezes para o celular dele, e também para o telefone fixo da casa onde vive. Não atendeu, nem respondeu às mensagens de texto. Mandou um e-mail curto:

“Não participo desse tipo de reportagem. Esclareço que aos 8.11.2017 os padres suspeitos em envolvimento com menores foram inocentados por unanimidade”.

Mas os sacerdotes não foram exatamente inocentados. A data citada por dom Aldo coincide com o arquivamento do caso na Justiça comum. O Ministério Público Estadual considerou que os crimes já tinham prescrito, ou seja, pela lei, eram antigos, e não podiam mais ser julgados.

O procurador estadual Francisco Sagres Vieira afirmou que tinha convicção de que o crime aconteceu, de que “os fatos se verificaram, tinha motivo suficiente para promoção da denúncia crime”. Porém, estava de “mãos atadas porque havia prescrição”.

Mas na Justiça do Trabalho houve condenação, por exploração sexual. Indenização de R$ 12 milhões, R$ 1 milhão para cada ano de dom Aldo Pagotto à frente da Arquidiocese. O dinheiro deve ter uso social.

“Esses R$ 12 milhões objeto a condenação serão revertidos para o fundo da infância, da adolescência e instituições congêneres que trabalham com crianças sexualmente exploradas e atuam na recuperação psicóloga, na reinserção social”, explicou o procurador do Trabalho Eduardo Varandas.

A Diocese de João Pessoa foi procurada, para que a entidade e os padres acusados pudessem se manifestar. Mas ninguém quis dar entrevista. Em nota, a Igreja Católica da Paraíba afirmou apenas que “não se manifestará sobre os fatos e aspectos relacionados ao processo judicial em virtude da tramitação do caso em segredo de justiça”.

Todos os religiosos citados na ação negaram à Justiça envolvimento com os jovens. A Igreja ainda pode recorrer da sentença.

“Isso precisa ser passado a limpo pela sociedade. A Igreja, a meu ver, deve essa explicação ao mundo. Agora, independentemente do fator de quem causou isso ou aquilo a grande preocupação do Ministério Público é evitar que danos como esse continue sendo uma rotina na vida de crianças e adolescentes”, afirmou o procurador.

O ex-seminarista, hoje com 27 anos, se formou em administração e direito. Ele saiu do seminário por medo de se tornar um padre abusador.

Repórter: Vou te fazer uma última pergunta: o que você gostaria que acontecesse com os padres e com o bispo que abusaram de você?

Ex-seminarista: Olha, sinceramente, que a Igreja cuidasse deles, né? Que a Justiça realmente fosse feita, eu sei que eu sou mais um. Mas eu acredito que a Igreja deveria, como instituição, cuidar neurologicamente dos padres e construtivamente, a nível de sociedade, a Justiça fosse feita.

A autora da carta de denúncia, que deu origem a toda investigação, diz que continua católica, confiando numa Igreja que saiba se purificar.

“Eu queria que a igreja se limpasse. Eu não denunciei a Igreja, eu apenas fiz um pedido de socorro, acode a nossa Igreja, a Igreja tá sofrendo. Eu queria que limpasse, mas eu queria que limpasse dentro da igreja, fechada e não para o mundo porque a nossa Igreja é santa, nossa Igreja não merece isso que tá acontecendo”, lamentou.

20 de janeiro de 2019 às 18:11

No primeiro clássico do ano, ABC goleia o América com placar de 3 a zero [0] Comentários | Deixe seu comentário.

No primeiro clássico do ano em Natal, o ABC goleou o América.

Jogando em casa, no Frasqueirão, o ABC abriu o placar aos 11 minutos do 1º tempo com um gol de Eder.

Aos 12 do 2º tempo quem marcou foi Xavier e aos 16 minutos foi a vez de Rodrigo Rodrigues.

Placar final, ABC 3, América zero.

20 de janeiro de 2019 às 18:06

Coletiva programada para 3ª feira some da agenda de Bolsonaro no Forum Mundial na Suíça [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Jair Bolsonaro segue hoje para Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial.

Por causa das denúncias cada vez mais polpudas contra seu filho, deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro, o presidente chegará à Suíça brilhando menos do que queria.

Tanto que até uma coletiva de imprensa que estava em sua agenda na Europa…sumiu da programação oficial.

A coletiva estava na agenda prevista para terça-feira mas foi retirada porque o governo brasileiro não confirmou.

Segundo a Coluna do Estadão, o Palácio do Planalto informou que a programação do presidente para a terça-feira prevê uma “declaração à imprensa” às 16h.

No roteiro consta que Bolsonaro fará declaração à imprensa, sem responder a perguntas de jornalistas.

A declaração do presidente brasileiro será seguida por falas dos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Paulo Guedes (Economia).

Mas o porta-voz do Governo, general Otávio Santana do Rêgo Barros, ressalta que Bolsonaro será o grande destaque do Forum.

“O presidente será o grande destaque da edição deste ano do Fórum Econômico Mundial. Ele será o primeiro chefe de Estado latino-americano e o primeiro Chefe de Estado do hemisfério sul a discursar na abertura da sessão plenária do Fórum Econômico Mundial”, disse o porta-voz.

20 de janeiro de 2019 às 12:35

Novos eleitos para a Câmara Federal começam a projetar ambientação de seus gabinetes [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo deste domingo:

 

De ‘pixuleco’ a quadros de generais, deputados eleitos querem redecorar seus gabinetes

Há quem prometa fazer culto ecumênico para se livrar da suposta energia de antigos ocupantes

Natália Portinari

 

BRASÍLIA — No clima de casa nova, vida nova, deputados federais eleitos neste ano já planejam qual vai ser a decoração de seus gabinetes na Câmara, distribuídos no final do ano passado.

 

Joice Hasselmann (PSL-SP), que vai ocupar um gabinete que já pertenceu ao ex-presidente Lula, planeja um culto ecumênico para “afastar qualquer energia que tenha ficado daquela escória da humanidade” no gabinete, diz. Ela prevê “muita austeridade” na decoração, com bandeiras do Brasil e de São Paulo penduradas na parede.

 

“Vou levar pastor e rabino para afastar qualquer praga que aquele petista tenha deixado. Depois, vou deixar uma cruz exposta. Não sou supersticiosa, mas com essa corja não se brinca. E não custa levar umas cabeças de alho para afastar o mau-olhado”, disse ao GLOBO.

 

Já o deputado eleito Boca Aberta (PROS-PR) é ainda mais radical no corte de gastos e quer deixar seu gabinete fechado, sem uso. Sua ideia é trabalhar e atender a população em uma tenda que ele pretende armar do lado de fora do Anexo 3 da Câmara dos Deputados. Para lá, vai levar um gerador de energia e sua bicicleta com alto-falante, apelidada de Grace Kelly.

 

“Gabinete é muito luxo para pouco trabalho. Se Deus quiser, não vamos usar. Vamos botar os assessores para atender ao povo na rua, ali no canteiro. É de cair o cabelo do careca o deputado ter esses luxos, receber auxílio-mudança… Eu vou doar tudo que recebi para caridade”, afirmou.

 

Fotos na parede

No gabinete que hoje é de Jair Bolsonaro ficará a deputada Carla Zambelli (PSL-SP). Ela quer manter a decoração como está, com temática bélica e militar, inclusive a série de quadros de presidentes do Brasil durante a ditadura militar. A ideia é mandar fazer um quadro do presidente atual para acompanhar os que já estão lá, como Médici e Geisel.

 

Na porta de vidro em frente ao gabinete, que hoje tem imagens de Jair Bolsonaro, Carla planeja um painel com imagens das manifestações a favor do impeachment de Dilma Rousseff e algumas fotos da série de bonecos adotados pela direita nas manifestações. Ela também vai levar seus “pixulecos” infláveis para decorar a sala.

 

“Vai ter o Pixuleco, a Bandilma, o Toffoleco (Dias Toffoli), o Mortadelão (uma mortadela gigante), o Marcoauleco (Marco Aurélio Mello), o Gilax (Gilmar Mendes). O único que a gente não deve colocar é o Teori (Zavascki), porque já faleceu”, afirmou.

 

Entre os deputados que já foram policiais ou militares, a ideia é levar alguns itens da corporação. A deputada eleita Major Fabiana (PSL-RJ) quer levar flâmulas das 19 unidades em que trabalhou como policial, para “não esquecer suas origens”, e o General Peternelli (PSL-SP) planeja decorar o espaço um porta-retratos da família, algumas bandeiras e um painel para dar “informações úteis” à população.

 

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), o mais jovem eleito à Câmara junto a Luisa Canziani (PTB-PR), pensa em encomendar um grafite na parede.

 

“Talvez leve algumas coisas japonesas” — disse.

A mudança só ocorre em fevereiro, após a posse.

*

Do Blog – A deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que vai ter em seu gabinete bonecos do Pixuleco, Bandilma, Toffoleco (Dias Toffoli), Mortadelão (uma mortadela gigante), Marcoauleco (Marco Aurélio Mello), Gilax (Gilmar Mendes)… bem que poderia começar a providenciar mais um: o Flávio Bolsonaro.

E o deputado Boca Aberta pode estar falando demais ao anunciar que não precisa de gabinete e que vai trabalhar acampado em uma tenda.

Basta Brasília comçar a esfriar, a chover…

20 de janeiro de 2019 às 12:15

Notícia de que ex-assessor de Flávio Bolsonaro movimentou 7 milhões em suas contas é mais um capítulo da novela que caminha para o desgaste do presidente Jair [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Continua a queda de braço entre o Grupo Globo e a tchurma do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo Lauro Jardim, no Globo de hoje, o ex-motorista do senador eleito Flávio Bolsonaro, não movimentou – estranhamente – 1,2 milhão de reais em suas contas…

Mas… 7 milhões.

20 de janeiro de 2019 às 12:05

Líder da governadora na AL, George Soares fez indicação para a Ceasa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como o Blog havia adiantado, a indicação para a Ceasa foi do deputado George Soares, do PR, líder da governadora Fátima Bezerra n Assembleia Legislativa.

O nomeado pela governadora foi Flávio Morais, ex-secretário da Prefeitura de Assu.

20 de janeiro de 2019 às 12:00

Lei Seca: Detran fiscaliza praias e faz alerta para tráfego de veículos à beira-mar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Detran está com equipes de fiscalização da Operação Lei Seca distribuídas no litoral potiguar.

As ações fazem parte da Operação Verão 2019, deflagrada pelo Governo do Estado no início deste mês, e têm a missão de proporcionar segurança no trânsito combatendo a mistura álcool e direção, além de inibir possíveis delitos como roubo de veículos e tráfego irregular.

Neste domingo as barreiras foram montadas em áreas dos litorais Sul e Norte.

Os policiais da Lei Seca estão utilizando o bafômetro para identificar motoristas que insistem em beber e dirigir.

Também estão sendo averiguadas a situação documental dos veículos e condutores, além de itens de segurança dos automóveis e a utilização de cinto de segurança por parte de todos os ocupantes do veículo.

Neste sábado, no litoral Sul, 207 veículos, sendo 175 automóveis de passeio, 27 motocicletas e cinco ônibus, foram fiscalizados. O Detran alerta que quem for flagrado dirigindo na beira-mar poderá ter o veículo retido.

“É uma importante ação no sentido de evitar acidentes e preservar vidas. A atuação planejada, especializada, imparcial e ética dos policiais militares da Lei Seca são algumas das características da confiabilidade da população no nosso trabalho”, afirmou o coordenador da Operação Lei Seca do Detran, tenente-coronel Flávio Santos.

20 de janeiro de 2019 às 11:32

Em Parelhas, Fátima diz que vai pedir antecipação dos royalties de 2020 a 2022 e reitera que não é obrigada a acatar todas as sugestões do governo federal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Durante a visita que fez a Parelhas no final de semana, para participar da festa de São Sebastião, a governadora Fátima Bezerra concedeu entrevista ao repórter Jenully Cristiano, da Rádio Cabugi do Seridó.

Falou de vários assuntos e deixou claro que nem todas as sugestões apresentadas pelo governo federal serão acatadas.

Voltou a dizer que não vai privatizar a Caern e que pegou o Estado quebrado, mas que trabalha para equilibrar as contas e botar a folha em dia.

Também afirmou que vai encaminhar à Assembleia Legislativa um projeto pedindo antecipação de royalties de petróleo dos anos de 2020, 2021 e 2022.

Confira trechos da entrevista de Fátima:

 

Barragem de Oiticica

 

Fui visitar aquela obra porque ela tem um simbolismo, um significado muito importante para Jucurutu, Caicó, Parelhas, e todo Seridó. Nós estamos falando de uma obra que, quando concluída, vai ser o terceiro maior reservatório hídrico do Estado. Essa obra significa desenvolvimento e cidadania para o nosso povo, não só pelo aspecto principal que é garantir a segurança hídrica, mas também pelo potencial de desenvolvimento econômico e social que nó teremos com a barragem. Quero aqui dizer que nós estaremos muito vigilantes, tanto é que ainda enquanto senadora, trabalhei incansavelmente para que os recursos fossem empenhados e os recursos foram empenhados, contudo nossa grande luta agora será pela liberação do financeiro. Estou aguardando a resposta do ministro do Desenvolvimento, no sentido de liberar recursos, uma vez que já tem medições feitas. Se Deus quiser, em 2020 a gente entrega ao povo do Seridó a Barragem de Oiticica.

 

Reforma administrativa

Não é reforma, mas já estamos propondo uma série de medidas para reduzir drasticamente as despesas. Eu publiquei uma série de decretos; vamos cortar diárias, locação de carros, rever os contratos terceirizados, vamos fazer mudanças do ponto de vista da estrutura administrativa, ou seja, tudo está sendo feito para economizar e trazer o equilíbrio financeiro para o Estado. Eu decretei estado de calamidade financeira não foi no intuito de alarmar a sociedade; essa atitude foi para criar as condições de governabilidade e tirar o RN dessa situação gravíssima em que se encontra. Evidentemente que o governo federal tem sugerido uma serie de caminhos, de propostas, mas eu não sou obrigada a acatar todas as sugestões. Algumas medidas que o governo federal vem sugerindo nós vamos trabalhar em conjunto, outras medidas não.

 

Privatização da Caern

Eu não tenho porque pensar em privatização da Caern por uma razão objetiva: a Cern é um dos maiores patrimônios que o Estado tem; eu quero fazer com a Caern o que Ricardo Coutinho (ex-governador da Paraíba) fez com a Cagepa, saneou através de uma gestão extremamente profissionalizada. Hoje a Cagepa é um dos maiores parceiros do ponto de vista de investimento do governo da Paraíba; nós vamos organizar a Caern através de uma gestão profissionalizada para que a Caern tenha lucro e lucro se transforme em desenvolvimento.

 

Desenvolvimento

Dia 28 estarei recebendo a empresa francesa “Total”, que vem anunciar a ampliação de investimentos na energia eólica no estado; vamos ter também uma reunião com as oficinas de costura aqui na região do Seridó, numa demonstração clara de que não mediremos esforços para fortalecer os pequenos negócios e todas essas iniciativas que trazem emprego; nós queremos ser parceiros e fortalecer não só os investimentos aqui no Seridó, como de todo o Rio Grande do Norte.

 

Salários

Nós encontramos um Estado falido, tanto é que no primeiro dia de nosso governo o cofre tinha apenas 3 milhões de reais; por outro lado, uma dívida, só com os servidores, de 1 bilhão de reais, uma vez que o governo anterior deixou quatro folhas em atraso: duas parcialmente e duas integrais; 1 bilhão e 200vmil em dívidas com fornecedores, dívidas com consignados, mas fomos ao trabalho, trabalhamos incansavelmente esses 15 dias de governo, e graças a Deus pude anunciar que a partir de agora, no governo da professora Fátima Bezerra, todo empenho está sendo feito e continuará sendo feito para regularizar o pagamento dos servidores públicos com previsibilidade e isonomia. Com relação aos royalties, o mais importante é o projeto de lei que vou enviar à Assembleia Legislativa no dia primeiro de fevereiro, pedindo a antecipação de 2020, 2021 e 2022, porque aí sim, será uma fonte de recursos mais expressiva e que vai nos ajudar a ir quitando essa dívida que o Estado tem com os servidores. Ao mesmo tempo também estamos empenhados em buscar receitas extras através, por exemplo, da renegociação da folha dos servidores; estamos em diálogo com o Banco do Brasil, mas eu também estou abrindo diálogo com a Caixa Econômica, e se preciso for vou abrir diálogo com outras instituições bancárias.

 

Mensagem para o Seridó

A mensagem de esperança, de fé e de confiança, primeiro nas chuvas que estão caindo e que virão mais ainda, a esperança de que seja um ano bom de inverno; e mensagem de confiança, que confiem na professora Fátima Bezerra que ela vai continuar sendo essa mesma pessoa com a simplicidade e com a humildade dela mas o coração transbordando de espírito público. O Seridó vai merecer minha atenção, não apenas na questão hídrica; a indústria queijeira na região, já temos a lei do queijo, e temos um projeto no Governo Cidadão para agregar valor à produção queijeira. Também a questão das cerâmicas, eu vou fazer uma agenda para visitar as cerâmicas da região; e outro ponto aqui no Seridó que eu quero desenvolver é o Turismo. Nós temos hoje o Geo Park do Seridó, e a região tem uma riqueza extraordinária do ponto de vista do turismo cultural, de aventuras, e gastronômico com o queijo, a cachaça, a carne de sol.

20 de janeiro de 2019 às 10:57

Moradores e veranistas de Pirangi acompanham procissão de São Sebastião pela beira da praia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

No dia de São Sebastião, neste domingo, 20, veranistas e moradores da praia de Pirangi saíram em procissão pela praia para reverenciar o santo padroeiro do lugar.

Depois do percurso à beira-mar, o cortejo foi para a igreja onde foi celebrada a missa de encerramento da festa.

Vídeos e fotos: Charles Cesar

https://youtu.be/Ao5zh1hoX4M

https://youtu.be/bWkZ7vttayc