Thaisa Galvão

1 de abril de 2019 às 22:53

Gráfica que imprime provas do Enem desde 2009 fecha as portas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A gráfica responsável pela impressão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) desde 2009, a RR Donnelley Editora e Gráfica Ltda, informou neste 1º de abril – e não era mentira – que decidiu encerrar as operações no Brasil.

Em nota, o grupo diz que o entre os fatores que levaram a essa medida “estão as atuais condições de mercado na indústria gráfica e editorial tradicional, que estão difíceis em toda parte, mas especialmente no Brasil”.

“Recentemente, a RR Donnelley perdeu um de seus principais clientes e registrou uma drástica redução no volume de trabalho contratado”, continua o comunicado.

A gráfica informa que operou no Brasil por mais de 25 anos.

“Mas, uma análise meticulosa das finanças da empresa motivou nossa decisão. O requerimento de autofalência da RRD será processado e decidido pelo foro da comarca de Osasco (SP)”.

A empresa afirma que avaliará a possibilidade de rescindir todos os contratos de trabalho já nos próximos dias, o que permitirá o rápido levantamento dos valores depositados nas contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e habilitará os funcionários a pedir o seguro-desemprego, na forma da lei.

Fonte: Agência Brasil

1 de abril de 2019 às 20:23

Bolsonaro se emociona e chora durante encontro com grupo católico da Paraíba que está em excursão em Israel [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) chorou hoje em Israel, durante encontro com uma excursão de paraibanos da Comunidade Filhos da Misericórdia, comandada pelo Padre George Batista.

O presidente ficou emocionado quando o grupo cantou e foi abraçado pelo padre George, momentos depois de orar pelo gestor.

Os vídeos circulam nas redes de brasileiros, inclusive que moram em outros países.

“Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, gritava o grupo ao lado do presidente.

Padre George mora em João Pessoa e é fundador da comunidade católica que está em excursão.

1 de abril de 2019 às 17:36

Prefeito Álvaro Dias entrega viaturas e equipamentos à Guarda Municipal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Álvaro Dias vai entregar nesta terça-feira à Guarda Municipal de Natal, 5 novas viaturas, armamento, coletes balísticos e munições.

A entrega oficial à secretária de Defesa Social, Sheila Freitas, será s 16h no Palácio dos Esportes.

O investimento total é de R$ 816 mil, sendo R$ 443mil de recursos próprios da Prefeitura e R$ 373 mil de convênio com o Ministério da Justiça.

1 de abril de 2019 às 17:21

MPF quer Temer de volta à prisão ou em casa com tornozeleira eletrônica [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Ministério Público Federal (MPF) pediu hoje que o ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro Moreira Franco e mais seis acusados na Operação Descontaminação sejam presos novamente.

A operação teve como base uma investigação sobre desvios na obra da usina nuclear de Angra 3 e a Eletronuclear.

O MP já tinha apresentado duas novas denúncias sobre o caso.

Caso a Justiça não concorde com a nova prisão, o MPF pede que o ex-presidente seja colocado em prisão domiciliar com monitoramento por tornozeleira eletrônica, e proibido de manter contato com os outros acusados.

Os alvos do novo pedido de prisão são:

Michel Temer

Moreira Franco

João Baptista Lima Filho (Coronel Lima)

Maria Rita Fratezi

Carlos Alberto Costa

Carlos Alberto Costa Filho

Vanderlei de Natale

Carlos Alberto Montenegro Gallo

1 de abril de 2019 às 16:39

PSL marca o 31 de março com a palestra ‘A verdade sufocada’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Será logo mais às 19 horas, na sede do PSL, em Natal, a palestra do General Araújo Lima.

Tema da palestra: “31 de março: A verdade sufocada”,

“A verdade sufocada pela ” é o título do livro de memórias do coronel reformado do Exército brasileiro, Carlos Alberto Brilhante Ustra.

1 de abril de 2019 às 14:15

Legalização de comércio de rua será discutida hoje na Câmara [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A legalização dos food trucks em Natal será discutida na tarde desta segunda-feira, na Comissão de Planejamento e Meio Ambiente da Câmara.

A Comissão também vai debater sobre a urbanização das áreas públicas ocupadas nas avenidas das Alagoas e Ayrton Senna, no bairro de Neópolis, e do comércio no Ponto Sete, na Engenheiro Roberto Freire, em Ponta Negra.

Foram convidados representantes do Ministério Público, e Secretarias Municipais de Serviços Urbanos (Semsur), e de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), além de comerciantes de Natal.

1 de abril de 2019 às 14:14

Passagens aéreas: “Redução do ICMS foi mal amarrada”, diz João Maia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do deputado federal João Maia (PR), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor na Câmara, sobre os preços abusivos cobrados pelas passagens aéreas nas rotas que incluem o Rio Grande do Norte:

“Acho que a redução do ICMS para o querosene da aviação foi mal amarrada. É preciso ver que incentivo fiscal foi esse que nós demos e que, ao invés de ganhar a gente perdeu. As passagens ficaram mais caras”, ressaltou o deputado em entrevista na 96FM.

 

1 de abril de 2019 às 14:02

Menina cardiopata que precisa de transplante será transferida para Recife [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Responsável pela AMICO – Associação Amigos do Coração da Criança – o médico Madson Vidal receberá a imprensa para falar sobre Brunninha, a menina cardiopata de 7 anos, que precisa se submeter a um transplante de coração.

Depois de contatos de parlamentares da bancada federal, e do próprio Madson, com o Ministério da Saúde, ficou definido que Brunninha será transferida para o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, IMIP, em Recife.

1 de abril de 2019 às 12:41

Ministro da Saúde diz a Fábio Faria que equipe de transplante entra no circuito e vai avaliar caso da menina cardiopata [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do deputado federal Fábio Faria, depois de entrar em contato com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, sobre o caso de Brunninha, a menina cardiopata que precisa de um transplante de coração.

1 de abril de 2019 às 11:28

Casa do Estudante poderá sediar Secretaria [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sob intervenção judicial por causa das más condições do prédio e mau uso de suas instalações, a Casa do Estudante, que poderá se chamar Casa do Estudante Emmanuel Bezerra – desde que a Assembleia Legislativa aprove a proposta apresentada pela governadora Fátima Bezerra, poderá se transformar em um espaço de políticas públicas para a juventude e direitos humanos.

A intervenção proposta pelo Ministério Público indicava, inicialmente, que a Casa se transformasse em um quartel da Polícia Militar ou uma delegacia.

A governadora propôs a criação de um grupo de trabalho para repensar a utilização do prédio que deverá sediar a Secretaria de Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

O espaço também poderá abrigar órgãos colegiados, comitês e programas sociais.

Os poucos estudantes que vivem na Casa, permanecerão até que o Governo encontre um novo modelo para abrigá-los.

1 de abril de 2019 às 8:26

Fátima homenageia estudante potiguar morto na ditadura e enviará à Assembleia proposta de mudança no nome da Casa do Estudante [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A governadora Fátima Bezerra vai enviar para apreciação e votação da Assembleia Legislativa, a homenagem ao estudante de Sociologia, morto aos 26 anos nos porões da ditadura em 1973, Emmanuel Bezerra dos Santos.

Neste 31 de março, 55 anos depois do golpe militar, a governadora deu ao prédio histórico da Casa do Estudante, o nome de Emmanuel, um poeta de Caiçara, município de São Bento do Norte, filho da dona de casa Joana Elias Bezerra e do pescador Luiz Elias dos Santos, e à época, militante do Partido Comunista Revolucionário (PCR).

O ato solene presidido pela governadora Fátima Bezerra contou com a presença do prefeito de Natal, Álvaro Dias.

“A proposição almeja homenagear o estudante torturado e assassinado pela ditadura militar em 4 de setembro de 1973, em São Paulo, conforme relatório da Comissão Nacional da Verdade”, afirmou Fátima.

A cunhada de Emmanuel, Darli Portela dos Santos, que colocou em seu filho o nome do tio, representou a família Bezerra Santos.

“Meu filho nasceu dois anos depois e ainda fomos perseguidos porque o homenageamos”, declarou.

Fotos Elisa Elsie

1 de abril de 2019 às 0:25

Em 2014 na presidência da Câmara, Henrique Alves proibiu o ‘deputado’ Bolsonaro de comemorar os 50 anos do golpe de 64 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do site Pragmatismo, em agosto de 2014…

Quando o ex-deputado Henrique Alves era presidente da Câmara

Ás vésperas da comemoração dos 50 anos do golpe de 1964, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), decidiu vetar hoje pedido do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), um dos principais defensores da ditadura militar, para a realização de uma sessão em comemoração ao regime e seus “feitos”.

A decisão foi tomada após líderes puxarem a discussão sobre o tema. A equipe técnica tinha recomendado que a Câmara abrisse espaço tanto para os defensores quanto para os críticos da ditadura militar.

A ideia gerou um desgaste entre os líderes e, segundo relatos, o presidente aprovou apenas o requerimento apresentado pela deputada Luiza Erundina (PSB-SP), apoiada por outros líderes, sugerindo sessão para homenagear “civis e militares que resistiram à ditadura, consagrada à reflexão sobre o significado da luta pela democracia e sobre a herança autoritária ainda por enfrentar e superar plenamente em nosso país”.

Na prática, Bolsonaro fica excluído como um dos autores da sessão dos 50 anos do golpe. Para deputados, a medida é gesto simbólico. Bolsonaro poderá se manifestar na sessão se for indicado pela liderança de seu partido, o que deve ocorrer.

De acordo com líderes, Alves disse que a medida foi tomada a favor da democracia e que o requerimento de Erundina condiz com a realidade do país.

A reportagem apurou que, em 2013, Alves chegou a vetar outro pedido de Bolsonaro para realização de uma exposição fotográfica sobre o período militar.

O pai de Alves foi um dos 173 deputados que tiveram o mandato cassado pelo regime entre 1964 e 1977, ao longo de quatro legislaturas.

Erundina sugeriu que a Câmara promova o “ano da democracia, da memória e do direito à verdade”, com uma série de eventos para lembrar o período.

A sessão está prevista para o dia 1º de abril. O tema é sensível para o Congresso. No ano passado, na presença dos chefes das Forças Armadas e da presidente Dilma Rousseff, o Congresso devolveu, simbolicamente, o mandato do presidente João Goulart (1919-1976), deposto pelo golpe.

Antes, os parlamentares anularam a sessão do Congresso de 2 de abril de 1964 que viabilizou o golpe ao declarar vaga, na ocasião, a Presidência da República. Bolsonaro tem dito que não há constrangimento em levar para dentro do Congresso a defesa do golpe. “Aqui não é a casa da democracia, que vale o contraditório, que todos têm direito de se expressar? Eu não vou falar da minha cabeça, vou mostrar os fatos”, disse.

Para Erundina, a Câmara foi a instituição mais atingida pelos atos institucionais da ditadura. “A memória viva da resistência contra o arbítrio ditatorial é a melhor homenagem” que se pode “prestar à democracia ainda e sempre em construção”, afirmou.

1 de abril de 2019 às 0:23

Apesar da proibição do presidente da Câmara, Bolsonaro tenta homenagear 50 anos do golpe militar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo de 1º de abril de 2014

Por Evandro Éboli e Washington Luiz

BRASÍLIA – A sessão da Câmara para relembrar os 50 anos do golpe militar terminou em tumulto, bate-boca e com a reunião suspensa pelo presidente da cerimônia, deputado Amir Lando (PMDB-RO). Parlamentares e manifestantes contrários ao golpe protestaram nesta terça-feira quando o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) iria começar seu discurso, de 17 minutos.

Os contrários ao Bolsonaro viraram de costas para o orador, com cartazes em punho e cantaram o Hino Nacional e o chamavam de ditador.

Antes disso, Bolsonaro criou confusão ao tentar abrir em plenário uma faixa enorme, de 20 metros, com os dizeres: “Parabéns militares, graça a vocês o Brasil não é Cuba”.

Seus assessores levaram a faixa para a galeria e a estenderam, mas por pouco tempo. Protesto e vaias fizeram com que Lando determinasse a retirada da mensagem.

Antes de encerrar a sessão, Lando tentou convencer os que protestavam contra Bolsonaro ou virar de frente para o orador ou deixar o plenário.

Ele não admitiria, como não aceita o regimento da Casa, esse tipo de manifestação, ou seja, ficar de costas para quem está na tribuna falando.

“Não vou aceitar isso. É um desrespeito. Vocês que lutaram pela democracia fazendo uma coisa dessas. Sei bem o que é ser um democrata”, disse Amir Lando, exaltado.

Foi o secretário-geral da Mesa, Mozart Viana, regimento em punho, quem orientou Amir Lando a encerrar a sessão por haver uma situação inadequada no plenário.

“Houve um comportamento inadequado e desrespeitoso quando deputados e convidados da primeira e segunda bancada viraram de costas para o orador na tribuna. Nessa caso não é só um desrespeito ao parlamente, é um desrespeito à instituição, à mesa diretora e à democracia. É antidemocrático, permitiu-se acesso à sessão e as pessoas entram em plenário e viram de costas para o orador? Por isso, a sessão teve que ser encerrada”, explicou Viana.

Bolsonaro até tentou convencer Lando a deixá-lo falar mesmo com os presentes de costas para ele.

“Não tem problema. Eles vão ouvir umas verdades do mesmo jeito. Vou torturá-los daqui”, disse Bolsonaro, que nem começou a ler seu discurso.

Ele estava em mãos, com um exemplar do livro “A verdade sufocada”, de autoria do coronel Carlos Brilhante Ustra, que comandou o Doi-Codi em São Paulo e é acusado por ex-militantes políticos de cometer crimes contra presos políticos.

Apenas quatro deputados discursaram, entre os quais Luiza Erundina, que defendeu a revisão da Lei de Anistia.

Marcada para começar às 09:30h, a sessão só teve início quase às 11hs.

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), abriu a sessão e, em seu discurso, sem citar o nome de Bolsonaro, afirmou que não aceitaria qualquer homenagem que lembrasse os responsáveis pela ditadura. Mas, depois que discursou, deixou a presidência afirmando que precisava seguir para posse de ministros, e a confusão aconteceu.

“Não será admitida nesta sessão nenhum gesto de legitimação do regime autoritário de 64”, discursou Eduardo Alves.

Com o anúncio da suspensão, os opositores da ditadura comemoraram o fato de Bolsonaro não ter discursado.

Confusão para acesso

A sessão começou somente depois que Henrique Alves liberou o acesso às galerias. Inicialmente, foram distribuídas 100 senhas para as lideranças dos partidos, o que causou irritação dos parlamentares com as medidas de restrição.

O líder do PSOL, deputado Chico Alencar (RJ) chegou a discutir com os seguranças. O parlamentar tentou entrar com quatro convidados, mas foi barrado. O deputado Amauri Teixeira (PT-BA) também ficou indignado.

“Isso aqui virou sessão da ditadura. Os seguranças estão parecendo os macacos da ditadura. Vou questionar o presidente da Câmara (deputado Henrique Alves) sobre esta decisão. Estamos em plena democracia vivendo momentos de repressão”, disse o petista.

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) chegou a pedir, só para distribuição em seu gabinete, de duzentas senhas, mas foi negado pela presidência da Casa. Bolsonaro se irritou com as perguntas de uma repórter e disse que não responderia mais seus questionamentos.

“Você está censurada!”, afirmou o parlamentar.