Thaisa Galvão

9 de junho de 2019 às 23:04

Procuradores dizem em nota que não vão se dobrar ‘à invasão imoral e ilegal, à extorsão ou à tentativa de expor e deturpar suas vidas pessoais e profissionais’ [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A força-tarefa da Lava Jato divulgou na noite deste domingo, nota em que confirma que as mensagens publicadas pelo site Intercept Brasil são fruto de um ataque de hackers.

Eis a nota dos procuradores de Curitiba:

Nota

Força-tarefa informa a ocorrência de ataque criminoso à Lava Jato

A força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal do Paraná (MPF/PR) vem a público informar que seus membros foram vítimas de ação criminosa de um hacker que praticou os mais graves ataques à atividade do Ministério Público, à vida privada e à segurança de seus integrantes.

A ação vil do hacker invadiu telefones e aplicativos de procuradores da Lava Jato usados para comunicação privada e no interesse do trabalho, tendo havido ainda a subtração de identidade de alguns de seus integrantes. Não se sabe exatamente ainda a extensão da invasão, mas se sabe que foram obtidas cópias de mensagens e arquivos trocados em relações privadas e de trabalho.

Dentre as informações ilegalmente copiadas, possivelmente estão documentos e dados sobre estratégias e investigações em andamento e sobre rotinas pessoais e de segurança dos integrantes da força-tarefa e de suas famílias.

Há a tranquilidade de que os dados eventualmente obtidos refletem uma atividade desenvolvida com pleno respeito à legalidade e de forma técnica e imparcial, em mais de cinco anos de Operação.

Contudo, há três preocupações. Primeiro, os avanços contra a corrupção promovidos pela Lava Jato foram seguidos, em diversas oportunidades, por fortes reações de pessoas que defendiam os interesses de corruptos, não raro de modo oculto e dissimulado.

A violação criminosa das comunicações de autoridades constituídas é uma grave e ilícita afronta ao Estado e se coaduna com o objetivo de obstar a continuidade da Operação, expondo a vida dos seus membros e famílias a riscos pessoais. Ninguém deve ter sua intimidade – seja física, seja moral – devassada ou divulgada contra a sua vontade. Além disso, na medida em que expõe rotinas e detalhes da vida pessoal, a ação ilegal cria enormes riscos à intimidade e à segurança dos integrantes da força-tarefa, de seus familiares e amigos.

Em segundo lugar, uma vez ultrapassados todos os limites de respeito às instituições e às autoridades constituídas na República, é de se esperar que a atividade criminosa continue e avance para deturpar fatos, apresentar fatos retirados de contexto, falsificar integral ou parcialmente informações e disseminar “fake news”.

Entretanto, os procuradores da Lava Jato não vão se dobrar à invasão imoral e ilegal, à extorsão ou à tentativa de expor e deturpar suas vidas pessoais e profissionais. A atuação sórdida daqueles que vierem a se aproveitar da ação do “hacker” para deturpar fatos, apresentar fatos retirados de contexto e falsificar integral ou parcialmente informações atende interesses inconfessáveis de criminosos atingidos pela Lava Jato.

Por fim, os procuradores da Lava Jato em Curitiba mantiveram, ao longo dos últimos cinco anos, discussões em grupos de mensagens, sobre diversos temas, alguns complexos, em paralelo a reuniões pessoais que lhes dão contexto. Vários dos integrantes da força-tarefa de procuradores são amigos próximos e, nesse ambiente, são comuns desabafos e brincadeiras. Muitas conversas, sem o devido contexto, podem dar margem para interpretações equivocadas. A força-tarefa lamenta profundamente pelo desconforto daqueles que eventualmente tenham se sentido atingidos.

Diante disso, em paralelo à necessária continuidade de seu trabalho em favor da sociedade, a força-tarefa da Lava Jato estará à disposição para prestar esclarecimentos sobre fatos e procedimentos de sua responsabilidade, com o objetivo de manter a confiança pública na plena licitude e legitimidade de sua atuação, assim como de prestar contas de seu trabalho à sociedade.

Contudo, nenhum pedido de esclarecimento ocorreu antes das publicações, o que surpreende e contraria as melhores práticas jornalísticas. Esclarecimentos posteriores, evidentemente, podem não ser vistos pelo mesmo público que leu as matérias originais, o que também fere um critério de justiça. Além disso, é digno de nota o viés tendencioso do conteúdo até o momento divulgado, o que é um indicativo que pode confirmar o objetivo original do hacker de, efetivamente, atacar a operação Lava Jato.

De todo modo, eventuais críticas feitas pela opinião pública sobre as mensagens trocadas por seus integrantes serão recebidas como uma oportunidade para a reflexão e o aperfeiçoamento dos trabalhos da força-tarefa.

Em paralelo à necessária reflexão e prestação de contas à sociedade, é importante dar continuidade ao trabalho. Apenas neste ano, dezenas de pessoas foram acusadas por corrupção e mais de 750 milhões de reais foram recuperados para os cofres públicos. Apenas dois dos acordos em negociação poderão resultar para a sociedade brasileira na recuperação de mais de R$ 1 bilhão em meados deste ano. No total, em Curitiba, mais de 400 pessoas já foram acusadas e 13 bilhões de reais vêm sendo recuperados, representando um avanço contra a criminalidade sem precedentes. Além disso, a força-tarefa garantiu que ficassem no Brasil cerca de 2,5 bilhões de reais que seriam destinados aos Estados Unidos.

Em face da agressão cibernética, foram adotadas medidas para aprimorar a segurança das comunicações dos integrantes do Ministério Público Federal, assim como para responsabilizar os envolvidos no ataque hacker, que não se confunde com a atuação da imprensa. Desde o primeiro momento em que percebidas as tentativas de ataques, a força-tarefa comunicou a Procuradoria-Geral da República para que medidas de segurança pudessem ser adotadas em relação a todos os membros do MPF. Na mesma direção, um grupo de trabalho envolvendo diversos procuradores da República foi constituído para, em auxílio à Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação da PGR, aprofundar as investigações e buscar as melhores medidas de prevenção a novas investidas criminosas.

Em conclusão, os membros do Ministério Público Federal que integram a força-tarefa da operação Lava Jato renovam publicamente o compromisso de avançar o trabalho técnico, imparcial e apartidário e informam que estão sendo adotadas medidas para esclarecer a sociedade sobre eventuais dúvidas sobre as mensagens trocadas, para a apuração rigorosa dos crimes sob o necessário sigilo e para minorar os riscos à segurança dos procuradores atacados e de suas famílias.

9 de junho de 2019 às 22:02

Senador Jean-Paul cobra posição do STF e do Conselho Nacional do MP sobre vazamento de conversas de Sergio Moro com procuradores da Lava Jato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador Jean-Paul Prates (PT) se pronunciou sobre as publicações do site Intercept Brasil, que relatam conversas vazadas entre o então juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, e procuradores da força-tarefa da Lava Jato

“É muito grave a revelação do Intercept Brasil de que Procuradores da Lava Jato tramaram em segredo para condenar Lula, tirando-o das eleições de 2018. Tudo registrado em mensagens, áudios e vídeos. Fica cada vez mais difícil, diante dos fatos, negar a tese da perseguição jurídica contra Lula”, criticou Jean-Paul.

“As conversas evidenciam a atuação orquestrada entre o procurador da República Deltan Dalagnol e o então juiz Sérgio Moro com o objetivo de prender Lula. É ‘lawfare’ claro e o fim do mito da imparcialidade da Lava Jato. Vamos aguardar para ver se a grande mídia vai dar visibilidade ou se irá esconder o caso”, cobrou o senador que é vice-líder da Minoria no Congresso.

“Precisamos agora cobrar um posicionamento da Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público e do Supremo Tribunal Federal. Pelo bem da democracia, não podemos aceitar nenhum processo de exceção com fins políticos”, concluiu o parlamentar.

9 de junho de 2019 às 20:47

Site revela conversas vazadas de ex-juiz Sergio Moro com procuradores sobre a Lava Jato [3] Comentários | Deixe seu comentário.

Do site Intercept Brasil:

O Intercept teve acesso com exclusividade, a mensagens privadas e de grupos da força-tarefa da Lava Jato no aplicativo Telegram.

Neles, os procuradores da força-tarefa em Curitiba, liderados por Deltan Dallagnol, discutiram formas de inviabilizar uma entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à colunista da Folha de S.Paulo Mônica Bergamo, autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski porque, em suas palavras, ela “pode eleger o Haddad” ou permitir a “volta do PT” ao poder.

*

Os textos do Intercept são longos, os arquivos são muitos, e o Blog disponibiliza os links para que você possa ter acesso.

Parte 1 – Clique Aqui

Parte 2 – Clique Aqui

Parte 3 – Clique Aqui

Parte 4 – Clique Aqui

9 de junho de 2019 às 11:30

Deputado Ezequiel prestigia aniversário do prefeito de Poço Branco [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito de Poço Branco, Waldemar de Góis, fez festa na rua neste sábado para comemorar aniversário.

E recebeu entre os convidados, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira

O parlamentar aproveitou para lembrar as ações de seu mandato no município.

“Viemos aqui para abraçar o prefeito e, de forma simbólica, também a toda a população. Nosso mandato continua à disposição do prefeito e município para que possamos juntos obter melhorias na qualidade de vida dos potiguares”, disse Ezequiel.

9 de junho de 2019 às 4:30

Modelo alagoana que estava desaparecida é encontrada visivelmente desorientada e levada a hospital em Nova York [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo

Após cinco dias de desaparecimento, a modelo alagoana Eloisa Pinto Fontes, de 25 anos, foi encontrada na tarde deste sábado.

Segundo testemunhas, ela estava andando, visivelmente desorientada, em uma rua de White Plains, cidade do estado de Nova York que fica a cerca de 30 minutos de trem do centro de Mahanttan.

Um transeunte a encontrou na rua e chamou a polícia, que a identificou.

Eloisa foi levada para um hospital de White Planis. O seu estado de saúde e considerado estável.

Representada pela Agência Marilyn de Nova York, ela estava na cidade americana fazendo alguns trabalhos e foi vista pela última vez ao sair da agência, na Union Square, na manhã da terça-feira, dia 4.

O booker e agente da modelo, há um ano e três meses, foi o último a ter contato com a alagoana, antes do desaparecimento dela. Os dois estiveram juntos e conversaram no escritório da Agência Marilyn. De lá, ela teria ido ao Consulado Brasileiro, que fica próximo a Grand Central Station, para tirar um passaporte novo, pois havia perdido sua bolsa com todos os documentos e telefone celular na sexta-feira anterior.

A modelo estava morando nos Estados Unidos desde fevereiro. Nascida em uma cidade pequena no interior de Alagoas, a modelo deixou oito irmãos no Brasil para tentar, desde muito jovem, carreira como modelo no exterior.

Ela foi casada e tem uma filha, Azzurra, com o modelo e produtor executivo russo André Birleanu, de 41 anos. Os dois se conheceram em 2012, em São Paulo, e se casaram em 2014.

Ele, que ficou conhecido pela sua participação no programa americano “America’s most smartest model”, tem a guarda da criança.

Ela já fez capas para revistas conceituadas como “Elle”, “Grazia” e “Glamour”, além de campanhas para grifes como Dolce & Gabbana.

“Eloísa é uma modelo responsável que, infelizmente, pode estar passando por problemas pessoais. Eu realmente espero que a gente consiga encontrá-la”, disse o booker na ocasião, antes dela ser encontrada.

O booker disse ainda, antes dela ser encontrada, que na sexta-feira anterior ao sumiço, ela não respondeu aos seus e-mails e, na segunda-feira, não foi a um casting que estava marcado.

“Só na segunda à tarde me respondeu com uma mensagem, informando que tinha perdido o telefone e todos os documentos”, contou o agente.

Na terça, Eloisa chegou à agência antes das 9h, junto com o primeiro funcionário. Estava com uma mala, pois pretendia mudar de onde estava hospedada. Às 10h30m, saiu da agência dizendo que iria ao Consulado Brasileiro dar entrada no novo passaporte. Levou com ela um iPad e um pouco de dinheiro que pegou na agência. E não deu mais notícias… 

9 de junho de 2019 às 4:12

Presidente da Câmara Izabel Montenegro distribui pipoca e acompanha conversa de Rosalba e Fátima [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Dos bastidores políticos no Pingo da Mei Dia, em Mossoró, neste sábado:

A presidente da Câmara, vereadora Izabel Montenegro, levou pipocas Bokus para o camarote da Prefeitura…

E distribuiu com a governadora Fátima e com quem a acompanhava.

Izabel foi testemunha ainda da conversa de Fátima com a prefeita Rosalba Ciarlini.

9 de junho de 2019 às 0:29

As candidatas no Pingo da Mei Dia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

As mulheres pré-candidatas à Prefeitura de Mossoró apareceram bem no Pingo da Mei Dia, que abriu, neste sábado, o Mossoró Cidade Junina.

Além da prefeita Rosalba Ciarlini, que poderá disputar reeleição, desfilaram fantasiadas a ex-deputada Larissa Rosado e a deputada Isolda Dantas.

Pré-candidatíssimo, o deputado Allyson Fernandes…se foi não postou nadica.

A prefeita Rosalba

Larissa com Beto e Sandra Rosado

Isolda com apoio da amiga Fátima

9 de junho de 2019 às 0:06

Tradicional restaurante Camarões vai se instalar em São Paulo [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O restaurante Camarões, cartão postal de Natal há 30 anos, vai abrir uma filial em São Paulo.

Por enquanto, pesquisa de lugares.

A empresária Clara Bezerra, que já foi visitar espaços em bairros da cidade, voltou a São Paulo essa semana para estudar uma possibilidades no Itaim.

Mas, por enquanto, ainda em estudos.

Em Natal o Camarões tem hoje 4 unidades: duas em Ponta Negra, uma no Midway Mall e uma no Natal Shopping.