Thaysa Galvão
Thaysa Galvão
Thaysa Galvão
Thaysa Galvão
Holiday

Thaisa Galvão

26 de setembro de 2016 às 11:19

Além de Palocci, PF prendeu dois ex-assessores [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Além do ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Antônio Palocci, foram presos hoje na Operação Omertà, os ex-assessores Branislav Kontic, conhecido por Brani, e Juscelino Dourado.

Brani, que continuou trabalhando com Palocci, foi assessor do ex-ministro na Casa Civil, e Juscelino o chefe de gabinete no Ministério da Fazenda.

 

Brani trabalhou na Projeto, empresa de consultoria de Palocci, e Dourado pediu demissão do cargo depois de admitir na CPI dos Bingos que marcou reuniões de Palocci com empresários.

Dourado era um dos frequentadores da chamada “casa do lobby”, localizada no lago Sul, em Brasília.

26 de setembro de 2016 às 10:09

Pesquisa Perfil aponta vitória de Wanessa em Serra de São Bento [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Pesquisa do instituto Perfil realizada nos dias 17 e 18 passados, e registrada no TRE no dia 20 sob número RN-06578/2016, aponta vitória da candidata Wanessa (PMDB) no município de Serra de São Bento, no Agreste do Rio Grande do Norte. Wanessa disputa com o atual prefeito Emanuel Faustino (PSD), candidato à reeleição.

 

Eis os números da pesquisa Estimulada:

 

Wanessa – 55,75%

Emanuel – 32,25%

Indecisos – 9,5%

Brancos/Nulos – 2,5%

26 de setembro de 2016 às 8:42

Espírito Santo: Candidato Fernando Teixeira faz comício com presença de Ezequiel Ferreira e Rogério Marinho [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Candidato a prefeito em Espírito Santo, o atual vice Fernando Teixeira (PSDB) e o companheiro de chapa Toinho Venceslau (PSDB), fizeram movimentação grande na noite de sábado.

Presentes no palanque o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza e o deputado federal Rogério Marinho, ambos do PSDB.

Em seu discurso, Ezequiel lembrou das ações do seu mandato de deputado para beneficiar o município de Espírito Santo.

De Espírito Santo o deputado Ezequiel Ferreira foi a Pedro Velho levar apoio às candidaturas de Patrícia Targino e Dejerlane Macedo, que disputam prefeitura e vice numa chapa puro-sangue do PMDB.

26 de setembro de 2016 às 7:32

Na 34ª fase da Lava Jato PF prende o ex-super ministro Antônio Palocci [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1


Operação investiga um esquema bilionário de lavagem de dinheiro. Estão sendo cumpridos 45 mandados judiciais, sendo três de prisão.
Por Adriana Justi
O ex-ministro Antonio Palocci foi preso na 35ª fase da Operação Lava Jato, que foi deflagrada pela Polícia Federal (PF), na manhã desta segunda-feira (26), em São Paulo. Ao todo, foram expedidos 45 mandados judiciais, sendo 27 de busca e apreensão, três de prisão temporária e 15 de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento, em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Antônio Palocci foi ministro da Casa Civil no governo Dilma Rousseff e ministro da Casa Fazenda no governo Lula. A ação foi batizada de “Omertà”.
A prisão do ex-ministro foi um pedido da PF, acatado pela Justiça. Os policiais também cumprem mandados na casa e no escritório do ex-ministro. O G1 tenta contato com a defesa de Palocci.

As suspeitas sobre Palocci surgiram na delação de outro acusado na Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Ele disse que, em 2010, Alberto Youssef lhe pediu R$ 2 milhões da cota de propinas do PP para a campanha presidencial da presidente Dilma Rousseff. O pedido teria sido feito por encomenda de Palloci.

Segundo a PF, a atual fase investiga indícios de uma relação criminosa entre um ex-ministro com o comando da principal empreiteira do país. O investigado principal atuou diretamente como intermediário do grupo político do qual faz parte perante o Grupo Odebrecht.

“Há indícios de que o ex-ministro atuou de forma direta a propiciar vantagens econômicas ao grupo empresarial nas mais diversas áreas de contratação com o Poder Público, tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político beneficiados com vultosos valores ilícitos”, diz a PF.

As investigações apontam ainda que dentre as negociações estão tratativas entre o grupo Odebrecht e o ex-ministro para a tentativa de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009, que resultaria em imensos benefícios fiscais, aumento da linha de crédito junto ao BNDES para país africano com a qual a empresa tinha relações comerciais, além de interferência em licitações da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré-sal.

Ainda conforme a PF, outro núcleo da investigação apura pagamentos efetuados pelo chamado “setor de operações estruturadas” da Odebrecht para diversos beneficiários que estão sendo alvo de medidas de busca e condução coercitiva.

34ª fase

A penúltima fase, deflagrada na quinta-feira (23), foi batizada de Arquivo X e mira a contratação, pela Petrobras, de empresas para a construção de duas plataformas de exploração de petróleo na camada do pré-sal, as chamadas Floating Storage Offloanding (FSPO´s). O valor do contrato foi de US$ 922 milhões, de acordo com os investigadores.

Sete investigados foram presos temporariamente e o prazo vence nesta segunda-feira (26), podendo ser prorrogado pelo mesmo período ou convertido em prisão preventiva, que é quando não há prazo para deixar a carceragem.

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega chegou a ser preso, mas posteriormente teve o mandado revogado pelo juiz federal Sérgio Moro.

25 de setembro de 2016 às 23:33

Começa o debate entre os candidatos a prefeito de Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Começou agora o debate entre os candidatos a prefeito de Mossoró, transmitido pela InterTV Costa Branca.

Os candidatos já fizeram os testes de posições e microfones no estúdio.

Presentes o prefeito Francisco José Júnior (PSD), que não é mais candidato, mas não oficializou a retirada do nome da disputa; e os candidatos Rosalba Ciarlini (PP), Tião Couto (PSDB), e Gutemberg Dias (PCdoB).

Do lado de fora da Cabugi, a militância.

25 de setembro de 2016 às 20:16

Como assim? Ministro da Justiça sobre Lava Jato: “Esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Estadão:
‘Esta semana vai ter mais’, diz ministro da Justiça sobre a Lava Jato

Ao Broadcast, o ministro afirmou que a Lava Jato é uma “belíssima operação” e o prosseguimento das investigações, com “o apoio total à Polícia Federal”, é um compromisso feito desde que assumiu o cargo
Gustavo Porto

Ribeirão Preto – O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sinalizou neste domingo, em Ribeirão Preto (SP), que uma nova etapa da Operação Lava Jato vai ser deflagrada nesta semana. 

Em uma conversa com representantes do Movimento Brasil Limpo (MBL), acompanhada pelo Broadcast, sobre o futuro da investigação e da ação conjuntas entre Ministério Público Federal e Polícia Federal (PF), Moraes disse que a Lava Jato prosseguiria e emendou: 
“Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, disse o ministro em um evento de campanha do deputado federal Duarte Nogueira (PSDB), candidato a prefeito no município paulista.
Ao Broadcast, o ministro afirmou que a Lava Jato é uma “belíssima operação” e o prosseguimento das investigações, com “o apoio total à Polícia Federal”, é um compromisso feito desde que assumiu o cargo. 

Moraes rebateu acusações de que tenha havido exagero na prisão, depois revogada, do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, na última quinta-feira (25), quando ele acompanhava uma cirurgia da esposa. 

Para o ministro, a PF só cumpriu um mandado judicial e atuou de forma “absolutamente discreta” para deter Mantega no hospital. “A prisão só foi revogada por um fato superveniente (posterior), desconhecido da polícia, Ministério Público e Judiciário, um fato humanitário, o que não leva a nenhum descrédito toda a operação e aquele momento da prisão”.
Moraes comentou também a tentativa da Câmara de aprovar um projeto para anistiar a criminalização do caixa 2 em campanhas eleitorais passadas e punir apenas as possíveis ações futuras. Segundo ele, o governo defende uma maior criminalização e uma pena maior da prática e “obviamente jamais uma extinção de punibilidade, uma abolição”, disse. 

“O que nós defendemos é punir mais forte o caixa 2. Temos de tirar essa prática nociva da política nacional porque, com isso, vamos tirar também os políticos que usam essa pratica para se reeleger”, emendou o ministro.

Repatriação 

 

Sobre a tentativa de deputados federais de mudar a lei de repatriação, que descriminaliza a reentrada no País de recursos não declarados no exterior, e ainda as ações como a feita pelo Solidariedade ao Supremo Tribunal Federal (STF) para permitir que políticos e ocupantes de cargos públicos também possam se beneficiar da prática, o ministro comentou que a Câmara discute uma “modulação” da legislação. 
Para ele, se a medida for aprovada, é passível, como qualquer outra, de uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) no STF, uma decisão que seria política do Congresso. “Obviamente, se houver algum tipo de exagero que acabe atuando para descriminalizar outras condutas que não seja somente a evasão de dinheiro, por vício de iniciativa o Supremo pode se manifestar”, disse.
Moraes acrescentou que o governo não tem qualquer problema ou temor em relação às possíveis revelações que o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) possa fazer em um livro prometido para antes do Natal sobre os bastidores do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), que levou Michel Temer (PMDB) a assumir o cargo. 
“Governo não tem nenhum problema em relação a isso, é absolutamente tranquilo sobre a decisão tomada soberanamente da Câmara dos Deputados, um poder independente, e, assim como os demais brasileiros, todos vamos aguardar o livro”, concluiu.

25 de setembro de 2016 às 19:50

Pacientes de doenças raras fazem movimento e abaixo-assinado para conseguir remédios do poder público [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Correio Braziliense:

Mobilização de pacientes com doenças raras pede garantia a medicamentos
Na quarta-feira (28/9), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá se o poder público deve arcar com medicamentos de alto custo que não integram o Sistema Único de Saúde (SUS)

Com faixas e cartazes, pacientes e associações de familiares e pacientes de doenças graves estiveram no Parque da Cidade na manhã deste domingo (25/9) para sensibilizar a população e chamar a atenção para um direito básico: a saúde.

 

Na quarta-feira (28/9), o Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar um processo que impacta diretamente na qualidade de vida dessas pessoas. A Corte decidirá se o poder público deve arcar com medicamentos de alto custo que não integram o Sistema Único de Saúde (SUS) e determinar, ainda, se é obrigação do Estado financiar remédios não registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), porém reconhecidos em outros países. 
A manifestação ocorreu em diferentes cidades do país, como Uberlândia, São Paulo, Campo Grande, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia e Florianópolis. Várias associações estão aderindo e unindo forças nesta luta, como o Instituto Vidas Raras, a Associação AMAVI de Atenção aos Familiares e Pacientes de Doenças Raras, a Associação dos Familiares, Amigos e Portadores de Doenças Graves (AFAG).

 

Além da manifestação deste domingo, o grupo fará uma vigília na noite da próxima terça-feira (27/9), que antecede a votação, em frente ao STF e também recolhe votos em um abaixo-assinado que será entregue aos magistrados. Os pacientes reúnem diferentes diagnósticos e dificuldades tanto para o portador quanto para a família. Muitas vezes, a doença não tem cura, mas o tratamento garante a qualidade de vida tão esperada por eles.
Acesse o abaixo-assinado.

CLIQUE AQUI
*

Do Blog – Não seria mais lógico o STF julgar a inclusão desses medicamentos no SUS?

25 de setembro de 2016 às 16:09

Mossoró: Pesquisa registrada sem o nome do prefeito faz novo registro no TRE e contratante garante que entrevistas tinham nome do prefeito [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do jornalista César Santos, do Jornal de Fato, contratante da pesquisa do Ipespe, sem o nome do prefeito Francisco José Júnior (PSD), como publicou hoje o Blog:

Jornalista Thaísa Galvão, a notícia no seu conceituado blog de que a pesquisa do Jornal de Fato/defato.com/IPESPE não tem o nome do “ainda candidato” Silveira Júnior (PSD) não procede. 



-Parêntese para esclarecer que a notícia do Blog procede:

Print do questionário da pesquisa, feito do site do Tribunal Regional Eleitoral, que dessa forma registrou: sem o nome do prefeito.

Continuando a nota de esclarecimento:

O trabalho sobre a intenção de voto para prefeito de Mossoró conta com os nomes de todos os candidatos oficialmente registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), conforme determina a lei. À saber:


Silveira Júnior (PSD)

Gutemberg Dias (PC do B)

Tião Couto (PSDB)

Josué Moreira (PSDC)

Rosalba Ciarlini (PP).
É verdade que o IPESPE se equivocou ao inserir o questionário sem o nome de Silveira no primeiro registro feito junto ao TSE, com data de 24 de setembro de 2016 (sábado), mas já devidamente consertado. Para comprovar é só acessar o site do TSE e verificar a correção, com data de 25 de setembro de 2016 (domingo), no link pesquisas eleitorais registradas: 



Mais um parêntese para mostrar o print do novo questionário da nova pesquisa, registrada depois da notícia do Blog:

Continua a nota de esclarecimento:
O desencontro de informações é fácil explicar:
A postura dúbia do prefeito de Mossoró, que desistiu da campanha mas não oficializou a decisão à Justiça Eleitoral, fez o IPESPE elaborar dois questionários: 1 – sem o nome do prefeito; 2 – com o nome do prefeito. No entanto, o trabalho de campo foi realizado com todos os nomes, inclusive o de Silveira. O equívoco ocorreu no ato do registro da pesquisa com o IPESPE apresentando o questionário número 1, ou seja, sem o nome de Silveira. Mas já está tudo devidamente consertado.
Faz bem lembrar que o embaraço provocado pelo “ainda candidato” Silveira Júnior prejudicou o sistema de comunicação TCM/FM 95, que contratou a pesquisa do Instituto Seta, inclusive chegando a registrar no TSE, mas acabou não publicando porque ficou prejudicado com a ausência ou não do nome do prefeito.
Quanto a data da publicação da pesquisa, o Jornal de Fato/defato.com obedecerá o prazo de cinco dias a partir da data de registro da pesquisa, no caso 25/09/2016. Não é um desejo ou vontade do jornal, mas o que a justiça eleitoral determina.
O Jornal de Fato/defato.com decidiu contratar a pesquisa para atender os anseios da sociedade, uma vez que até o momento não houve nenhuma publicação de pesquisa (registrada no TSE) sobre a sucessão mossoroense. O De Fato vai suprir essa demanda.
Para isso, contratou o IPESPE – Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas, uma das instituições mais conceituadas do Brasil no setor de pesquisas de mercado e opinião pública, fundado pelo sociólogo Antônio Lavareda, de postura e credibilidade reconhecidas em todo o Brasil.

Fundado em 1986, o IPESPE tem sede no Recife (PE) e conta com equipes operacionais e consultores em todos os estados do País, com atuação em âmbito nacional e internacional. 26 anos de atuação no mercado. Não é qualquer um que consegue esta marca, o que representa, entre outras coisas, a confiança do mercado.
Esclarecimento feito, temos certeza que o seu conceituado blog vai repor a verdade dos fatos ao seu imenso universo de leitores, conquistado por seu trabalho sério, imparcial e sempre pautado pela verdade.


Obrigado pela atenção.

César Santos – Diretor-presidente do Jornal de Fato/defato.com


*


Feito o esclarecimento, resta a dúvida:

Já que a pesquisa, antes registrada no dia 24 para ser publicada no dia 30, foi regiatrada no TRE com o questionário errado, então o registro do dia 25 para publicação no dia 1º de outubro, não seria de outra pesquisa? Não teria que repetir o trabalho de campo?
Fiz o questionamento ao colega César Santos, mas ele garantiu que as entrevistas foram feitas constando o nome do prefeito.

O que pode não tirar a dúvida do leitor nem do eleitor, visto que, como diz a nota de esclarecimento, o Ipespe que é um instituto antigo e sério, poderia não ter cometido tal equívoco.

Fica a dúvida do eleitor e o espaço para possível esclarecimento da justiça.
É por isso que há 10 anos, tempo de existência do Blog, quem é leitor sabe, combato o papel das pesquisas eleitorais…
 

25 de setembro de 2016 às 14:44

Juiz acata denúncia do MP contra PagSeguro e proíbe reinício da venda de ingressos para jogo Brasil X Bolívia em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do portal do Ministério Público do RN:

Juiz defere pedido do MPRN e suspende reinício da venda de ingressos

O Juiz de Direito Sérgio Roberto Maia, durante plantão judiciário no sábado (24), deferiu pedido do Ministério Público Estadual em ação civil pública, determinando a suspensão da venda dos ingressos para o jogo Brasil e Bolívia que foram oriundos da devolução de análise de crédito e estavam com início de vendas marcado para a próxima segunda-feira (26/09).

O Magistrado reconheceu abuso da empresa PagSeguro em ter confirmado a venda dos ingressos e em seguida cancelado sem motivo razoável, gerando expectativa no consumidor, e determinou que a demandada encaminhe no prazo de 48 horas a relação de todos os consumidores que tiveram suas compras canceladas.

“De plano se verifica o abuso da demandada PagSeguro em ter confirmado a venda do ingresso e logo em seguida cancelado, gerando uma expectativa no consumidor de participar de um evento único na cidade de Natal/RN, e a frustrando sem motivo razoável, gerando uma insegurança”, traz trecho da decisão.

Apontando também que as empresas rés faltaram com a boa-fé, princípio que deveria estar presente nas relações de consumo, o Juiz plantonista determinou em sua decisão que os organizadores revisem todos os processos de compra que tiveram recusa injustificada no pagamento, e que em caso de novas recusas, comuniquem as justificativas individualizadas para cada consumidor interessado.

O Magistrado fixou multa de R$ 500 mil reais para descumprimento de sua decisão que mandou suspender o reinício das vendas de ingressos a partir de segunda-feira. E fixou também multa, no valor de R$ 100 mil caso não enviem a lista com todos os consumidores prejudicados, nem comuniquem de forma individualizada o consumidor que tenha nova recusa de pagamento.

25 de setembro de 2016 às 14:41

Deputado Galeno volta a São Miguel para comício dos candidatos Zé Gaudêncio e Salismar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado estadual Galeno Torquato (PSD) se diz animado com as movimentações políticas de seu partido no município de São Miguel, onde ele foi prefeito.

Galeno apoia a candidatura do irmão Zé Gaudêncio (PSD) que disputa na chapa com o vice, ex-deputado Salismar Correia (PHS).

Ontem a noite o parlamentar acompanhou a movimentação política em São Miguel.

25 de setembro de 2016 às 12:48

Mossoró: Rosalba faz tradicional descida do Alto de São Manoel e campanha de Tião entra em clima de virada [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A noite de sábado em Mossoró foi de descida do Alto de São Manoel para a candidata Rosalba Ciarlini (PP), e de percurso da Alberto Maranhão à Praça dos Patins, para o candidato Tião (PSDB).
Num clima festivo e bem produzido, Rosalba desceu com a vice Nayara (PP) e candidatos a vereador.
 

Num clima de ‘vira virou’, Tião seguiu o roteiro com o vice Jorge do Rosário (PR), as ex-prefeitas de Mossoró, Cláudia Regina (DEM) e Fafá Rosado (PMDB), e os candidatos a vereador.

25 de setembro de 2016 às 12:29

Certus: pesquisa aponta vitória de Taveira mas revela alto índice de desinteressados na disputa em Parnamirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Números do instituto Certus, publicados hoje no portal Nominuto e registrados no TRE, apontam vitória do candidato Rosano Taveira em Parnamirim, maaasss…revelam que quase metade dos eleitores, ou ainda não se definiu ou não quer votar em nenhum dos candidatos.

A apenas uma semana da eleição, estes índices ainda são muito altos, segundo a pesquisa.

Eis os números:
Rosano Taveira (PRB) – 32,75%

Carlos Augusto  (PSD) – 12,75%

Ricardo Gurgel (PSB) – 8,5%

Tita Holanda (PSOL) – 3,25%

Brancos/Nulos – 20,5%

Indecisos – 22%

25 de setembro de 2016 às 11:30

Revista Época cita Henrique, Temer, Cunha, Geddel e Padilha como os nomes da Câmara no ‘consórcio’ do petrolão [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A reportagem de capa da revista Época desse final de semana fala do consórcio formado pelo PT e PMDB para criar o petrolão.

E diz que a Lava Jato produz provas que constatam que o esquema de corrupção na Petrobras foi comandado pelos dois partidos.

A reportagem de Daniel Haidar e Diego Escosteguy revela o esquema com sócios, mandantes, indicados e operadores.

O ex-deputado Henrique Alves (PMDB) foi incluído, junto a Michel Temer, Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima e Eliseu Padilha, como os mandantes da Câmara, apontados como responsáveis pela indicação de diretores na Petrobras e Eletronuclear.

Dos 5 citados como mandantes na Câmara, um é presidente da República, dois são ministro, e dois caíram.

Eis o organograma traçado pela Época:



25 de setembro de 2016 às 10:43

Extremoz: Julianne Faria faz campanha para Chacon e garante que ele será prefeito com ‘acesso direto’ ao gabinete do governador [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Enquanto o governador Robinson Faria (PSD) estava no Agreste ontem à noite, a primeira-dama Julianne Faria foi a Extremoz, para movimentação política do candidato a prefeito Chacon (PSD).

Em seu discurso, Julianne lembrou que na campanha para governo, Robinson ganhou em Extremoz, e pediu para que a vitória se repetisse com Chacon, afirmando que, se for eleito prefeito, terá trânsito livre no gabinete do governador.

“Ele não precisa pedir para entrar na sua sala, pois tem acesso direto”, declarou a primeira-dama e titular da Secretaria de Assistência Social do Estado.

25 de setembro de 2016 às 9:32

Natal/Parnamirim: Carlos Eduardo e Taveira protagonizam encontro das duas cidades administradas pelo PDT [0] Comentários | Deixe seu comentário.

As duas únicas cidades administradas pelo PDT no Rio Grande do Norte se encontraram na noite deste sábado.

Os prefeitos de Natal e Parnamirim, Carlos Eduardo Alves e Maurício Marques se juntaram em Nova Parnamirim, em momento campanha de Carlos pela reeleição, e de Rosano Taveira (PRB), candidato de Marques a prefeito.

Depois de passar por várias ruas de Ponta Negra em carreata, Carlos Eduardo foi a Nova Parnamirim para o encontro, que teve como tom dos discursos, a ausência do ex-prefeito Agnelo Alves, pai de Carlos.

25 de setembro de 2016 às 9:19

Em entrevista, FHC diz que Lula vive momento delicado e que fatiamento do impeachment de Dilma foi ‘jeitinho’ do STF [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha de S. Paulo de hoje, entrevista com o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso:
‘Lula vive momento delicado, não jogarei pedra’, diz Fernando Henrique
DANIELA LIMA

Em entrevista à Folha, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso evitou fazer juízo de valor sobre o destino de seu sucessor, o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva –que nesta semana virou réu pela segunda vez na Operação Lava Jato.
FHC disse que o assunto é da Justiça e que não quer “jogar pedra” no petista.
*
Folha – O sr. assistiu ao julgamento de Dilma Rousseff

Fernando Henrique Cardoso – Eu a vi falando. Acho que se defendeu bravamente, como podia. Foi até mais clara no falar do que é geralmente.
O problema é que não querem enfrentar a realidade. Apesar de todos os floreios para evitar a questão central, houve efetivamente arranhões à Constituição. Houve emissão de despesa sem autorização do Congresso.

Durante algum tempo o sr. não teve segurança de que era o suficiente…

Não. Foi o mesmo com o [Fernando] Collor. O impeachment é sempre traumático, tirar alguém que foi votado. E, enquanto a população não se convence de que esse alguém esgotou sua chance…
Fiz o mesmo com o Collor, custei muito a aceitar. Sempre achei que Dilma, pessoalmente, não se meteu em tramoia. Agora, se ela tem ou não responsabilidade nas tramoias, responsabilidade política, já é outra coisa.

O que achou da decisão de fatiar o julgamento de Dilma?

Visivelmente contra a Constituição. Não sei como o Supremo vai descalçar essa bota. [Acho que] Não vai. Vai dizer que é soberania do Senado.
Mas o ministro do Supremo [Ricardo Lewandowski] não teve nem o cuidado de submeter ao Congresso a questão. O que é isso? É um pouco do espírito de conciliação brasileiro. Um “jeitinho”.

E a denúncia do ex-presidente Lula? Assistiu?

Vi partes. O Ministério Público, ao tentar mostrar que o Lula era o responsável maior, obscureceu a outra questão, que é a mais importante: houve ou não crime de favorecimento pessoal?
Se ele foi o responsável maior, não é ponto de partida, é ponto de chegada. Isso não diminui a necessidade de responder a outro quesito: houve desvio de finalidade dos recursos?

Antes, o sr. havia se recusado a falar sobre o assunto…

Disse que preferia não entrar no assunto. Ele vive um momento delicado, e não acho que corresponda a mim, que fui presidente e o conheço de outras épocas, agravar. Isso, agora, é a Justiça quem vai ter que decidir. Não quero jogar pedra no Lula.

Há tensão entre diversas instituições: Judiciário, Congresso, Ministério Público. É possível uma crise institucional?

Não creio. O problema que temos é o seguinte: Será que o nosso arranjo –Executivo, Congresso, Judiciário, Ministério Público– está funcionando?
Após 1988 metade dos eleitos sofreu impeachment, e, saltando o regime militar, só [Eurico] Dutra e Juscelino [Kubitschek] escaparam de um final tormentoso. Tem algo inquietante.
O Congresso tem muita força. A Constituição é quase parlamentarista. Por quê? Porque ela era quando foi escrita. Depois, quando foi derrotada a emenda, não houve rebalanceamento.

25 de setembro de 2016 às 8:20

Eduardo Cunha diz que colunista do Globo dá ‘barrigadas’ e é ‘mau caráter’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Eduardo Cunha respondendo a Lauro Jardim, do Globo, em seu twitter nesta manhã se domingo:








25 de setembro de 2016 às 8:10

Colunista do Globo diz que Eduardo Cunha vai assumir em livro que saída de Dilma, assim como a de Collor, foi golpe [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O colunista Lauro Jardim, no Globo de hoje, mostra como o ex-deputado Eduardo Cunha vai conduzir os livros que pretende publicar, um em dezembro e outro no próximo ano.

Segundo o colunista, Cunha vai afirmar que o impeachment de Dilma foi um golpe, como golpe foi o de Fernando Collor.



25 de setembro de 2016 às 7:33

Pesquisa concluída há 3 dias em Mossoró é registrada para ser publicada só no dia 30 e não tem nome do ‘ainda candidato’ Francisco José [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o instituto Ipespe, que tem clientes cativos em Mossoró, fez consultas eleitorais na cidade na quarta e quinta passadas, dias 21 e 22, para publicar somente no dia 30.

O registro foi feito ontem no TRE, para publicação no Jornal de Fato.

A pesquisa, que será divulgada 8 dias depois de concluídas as entrevistas, não incluiu o nome do prefeito Francisco José Júnior (PSD), apesar do nome dele ainda constar no Tribunal Superior Eleitoral, como candidato a prefeito de Mossoró.

Tanto que, se valendo do direito constitucional, vai participar hoje do debate da Cabugi.

Resta saber se o prefeito vai acionar a justiça para, se valendo do direito constitucional, incluir o nome dele na pesquisa.

Se conseguir, a pesquisa de campo, que já está pronta há 3 dias, terá que ser refeita. 

E com a vantagem de ter os números atualizados, já que o prefeito desistiu no final da noite do dia 19 e os números foram coletados nos dias 21 e 22, quando vereadores, candidatos a vereador, e militância ligados a Francisco José, ainda não tinham se acomodado em outra candidatura.

Portanto, os números de três dias atrás não refletirão a realidade de Mossoró no próximo dia 30, quando a pesquisa for divulgada.

25 de setembro de 2016 às 0:57

TV Cabugi divulgará 3ª pesquisa do Ibope um dia depois do debate [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Não será no dia do debate, como esperado, que a TV Cabugi vai divulgar a última pesquisa do Ibope, da série de 3 contratadas pela emissora.

Com o registro feito neste sábado 24, a pesquisa RN-08808/2016 só será divulgada no dia 30, um dia depois do debate.