#JornalismoSemFakeNews

16 de dezembro de 2007 às 11:52

Folha questiona participação de Garibaldi em rádios

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Leia, na íntegra, reportagem da Folha de hoje sobre a participação do senador Garibaldi Filho em rádios do Rio Grande do Norte e Paraíba.

Garibaldi fala 5 vezes por semana em rádios do NE
Novo presidente do Senado participa de bate-papo transmitido em 20 emissoras
Ao menos 3 rádios, segundo a assessoria do senador, recebem para veicular o programa; as demais fariam divulgação gratuitamente

JOHANNA NUBLAT
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Para se manter próximo de seu eleitorado, o novo presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), conta com uma rede de 20 emissoras de rádio que transmitem cinco dias por semana o seu programa de bate-papo, o "Falando Francamente".
São 19 emissoras no Rio Grande do Norte e uma na Paraíba, segundo a assessoria do senador. Pelo menos três delas, ainda de acordo com os assessores, recebem pagamento em dinheiro público para veicularem o programa -da chamada verba indenizatória, recurso à parte do salário dos parlamentares que permite despesas com "divulgação de mandato".
O gasto com as três rádios é, sempre segundo a assessoria de Garibaldi, de R$ 2.200 mensais. As outras emissoras divulgariam o material gratuitamente.
A proximidade do senador com meios de comunicação foi revelada pela Folha, no início do mês. A reportagem mostrou que o Ministério das Comunicações -comandado pelo mesmo partido de Garibaldi- havia excluído o nome do senador da composição societária da TV Cabugi, em Natal.
A reportagem entrou em contato com as três que receberiam pela divulgação e com outras três. Todas alegaram sigilo comercial e não informaram detalhes do acordo.
O programa existe desde 1965 e trata de política e amenidades. Nas duas últimas semanas, o senador aproveitou o espaço para trabalhar sua candidatura à presidência da Casa e para falar da CPMF.
Na terça-feira da semana passada, dia da votação do processo em que o ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) foi acusado de compra de rádios por meio de laranjas, Garibaldi disse a seus ouvintes que, diferentemente do processo anterior de Renan, da segunda vez ele votaria pela absolvição do colega. Ao se posicionar, foi repreendido por Erivan (técnico do estúdio) e Gerlane (assessora), personagens freqüentes nas gravações.
"Sei que estou contrariando muita gente, inclusive Erivan e Gerlane, que estão aqui contrariadíssimos e formam uma frente anti-Renan", brincou.
A coloquialidade e o bom humor são marcas do programa. Na sexta-feira, ele elogiou o "Festival do Camarão" de Natal e aproveitou para fazer propaganda de um amigo.
"E o "Festival do Camarão", ah, meu Deus! É bom tudo, mas esse camarão é de primeira. Quem me convidou foi o Aldo, que é muito amigo meu e dono da ótica que faz meus óculos." O programa costumava ser gravado num pequeno estúdio de seis metros quadrados no antigo gabinete do senador -que agora ocupa outro maior, o da presidência. A rotina do programa, assim como a do próprio senador, deve ser alterada. Os assessores já encomendaram um pequeno aparelho portátil para facilitar as gravações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.