#JornalismoSemFakeNews

16 de dezembro de 2007 às 12:55

Garibaldi: aliança com Wilma é administrativa e candidatura de Hermano só se for viável

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador Garibaldi Filho disse agora ao Blog que o seu entrosamento com a governadora Wilma de Faria não tem nada de político.
GARIBALDI FILHO – É administrativo, visando os interesses do estado. Não poderia passar por política, eu acho que não.
THAISA GALVÃO – O senhor acha ou tem certeza?
GARIBALDI – Eu tenho certeza. E acho até que, sem querer direcionar o trabalho de vocês (imprensa), que nessa hora não seria interessante desviar para o lado político, porque aí a minha função começa a ser desvalorizada em casa. Não viu que a Folha foi atrás até do meu programa de rádio, que faço desde 1965? Eu ganhei agora audiência privilegiada, eles lá estão ouvindo (o programa Falando Francamente). Então se essa coisa política repercute lá, não é bom para o Rio Grande do Norte”
THAISA – A imprensa está de olho no senhor né?
GARIBALDI – Foi a primeira coisa que Lula me disse na última conversa que tive com ele. ´Se prepare que a imprensa não vai deixar você descansar´. Mas não se referiu a essas denúncias antigas não, se referiu ao dia-a-dia da Presidência do Senado.
THAISA – Falando de 2008. O senhor acha que por estar no cargo de presidente, o PMDB realmente terá o poder de eleger o prefeito de Natal? O fato do senhor estar presidente fará do vereador hermano Morais um nome forte como a imprensa está dizendo?
GARIBALDI – Sinceramente, como eu sempre gosto de falar. Eu compreendo o entusiasmo dos amigos pela conquista, mas eleição do Senado é uma coisa e eleição para prefeito é outra. Não posso fazer com que minha eleição no Senado conduza a eleição de Natal em 2008. Acho que melhorou o entusiasmo das pessoas.
THAISA – O deputado Henrique Alves continua sendo o seu candidato a prefeito?
GARIBALDI – Eu acho que os nomes mais fortes são o meu e o de Henrique. Não por sermos primos (referindo ao nepotismo apontado pela Folha), mas falando em nomes do PMDB. Mas nós não queremos. Não posso sair de uma eleição para o Senado já tratando de eleição para prefeito. E Henrique acaba de ser reconduzido líder do PMDB na Câmara, então nenhum dos dois têm como ser candidato a prefeito.
THAISA – E Hermano? O senhor acha que o nome dele é forte?
GARIBALDI – Tem que ver agora depois do trabalho dele como presidente do partido em Natal, pra ver se tem como viabilizar sua candidatura. Não temos pesquisas, só sabemos de pesquisas…Hermano é um nome bom, conceituado, elogiado, mas a disputa majoritária é parada.
THAISA – Se o nome dele não for viabilizado, o senhor vai continuar defendendo?
Aí fica difícil defender. E ele sabe disso, Tem me dito que não será um obstáculo no partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.