#JornalismoSemFakeNews

17 de dezembro de 2010 às 13:50

Advogado da Braseco diz que Natal não paga pelo destino final do lixo de Parnamirim

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Advogado da Braseco, Marco Gurgel telefona para explicar sobre o contrato com a Prefeitura de Parnamirim, firmado ainda na gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo.

Segundo Gurgel, o lixo de Parnamirim que vai para a estação da Braseco, em Ceará-Mirim, chega à estação de transbordo de Natal, trazido pela empresa Líder, e de lá transportado para Ceará-Mirim.
Pelo recebimento e transporte final, a Prefeitura de Natal recebe, da de Parnamirim, em torno de 30 mil por mês.
Só que a Prefeitura de Parnamirim não paga apenas isso para dar destino ao lixo produzido na cidade.
Há um contrato com a própria Braseco, que recebe de acordo com o que é pesado ao chegar à estação de transbordo.

Na reunião de ontem, Marco Gurgel afirmou, inclusive, que sugeriu que o contrato entre Prefeituras fosse repensado, para que Parnamirim e Braseco se entendessem sem passar nada pela capital.
"A gente se propõe a construir uma estação de transbordo para receber o lixo de Parnamirim", disse o empresário ao Blog.

Marco Gurgel disse ainda que, ao contrário do que foi dito, a reunião de ontem entre Braseco, Urbana e Sempla, não resultou em novo acordo, mas na manutenção do acordo firmado em setembro, onde ficou acertado que a Prefeitura de Natal pagaria uma parcela dos atrasados sempre no dia 20 de cada mês.
Acordo que quase seria descumprido em novembro, já que a parcela só foi liberada agora em dezembro.

Em relação a Parnamirim, o advogado disse que a Prefeitura também está em atraso com a Braseco.
São 3 meses em atraso que deverão ser pagos em breve, como prometeu o prefeito Maurício Marques, que marcou reunião com os representantes da empresa para a próxima terça-feira.
*
Atualizando: O Ministério Público entrou com Ação Civil Pública contra a Urbana e a Prefeitura de Natal, e a juíza Andréa Holanda concedeu liminar determinando que a estação de transbordo fosse imediatamente limpa sob pena da Urbana e do seu presidente, Bosco Afonso, ter que pagar multa diária de 2 mil reais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.