#JornalismoSemFakeNews

17 de janeiro de 2011 às 12:37

Miguel Nicolelis: cientista interage com potiguares em seu twitter

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Dúvida que persistiu durante o fim de semana entre os tuiteiros de plantão, que de repente passaram a interagir com o neurocientisa Miguel Nicolelis, considerado um dos 20 maiores cientistas do mundo, segundo a revista "Scientific American", e que lidera o grupo de pesquisadores da área de Neurociência da Universidade Duke, nos Estados Unidos, e que há quase 8 anos se instalou na capital potiguar, com o IINN – Instituto Internacional de Neurociências de Natal.
Pela interatividade fácil, dúvida que surgiu no microblog, inclusive de minha parte: seria o Miguel Nicolelis do Twitter, um fake ou um cientista?

Acabei de falar, pelo telefone, com Miguel Nicolelis, e aos leitores do Blog posso garantir: o twitter @MiguelNicolelis é original. Criado pelo cientista que hoje se divide entre São Paulo, Bahia, Estados Unidos e Rio Grande do Norte.
Entre os que duvidavam e os que acreditavam, Nicolelis, em dois dias, conseguiu mais de mil seguidores no Twitter.
Pessoas interessadas em interagir com o cientista que projeta a cada dia Natal para o mundo, mas que foi ignorado pelas autoridades da cidade e do Estado.
Nem mesmo um acesso ao prédio do Instituto Internacional ele conseguiu. O fato de além do asfalto, a obra precisar de saneamento, foi o entrave principal.

O ineditismo de Natal de repente ganhar um centro de pesquisas com referência mundial, foi pouco para se reservar recursos para dar a devida importância ao projeto do cientista que chegou aqui por acaso, sem convites oficiais, com o simples desejo de desenvolver seu trabalho. E mais: de ajudar. De dar à cidade e ao Estado o que o poder público não vem conseguindo há tempos.
"O Centro de Saúde (construído em Macaíba) atende mil e cem mulheres e crianças por mês, num momento de crise profunda por que passa a saúde pública no Estado. As duas escolas (Macaíba e Natal) atendem mil crianças que atingiram um grau de felicidade que não tinham na escola pública. Esses fatos compensam", revela Nicolelis, que apesar do descaso explícito, não se sente desencantado com o Rio Grande do Norte.
"De maneira nenhuma. O que nos propusemos a fazer, estamos fazendo, e os resultados são ótimos".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.