#JornalismoSemFakeNews

21 de janeiro de 2011 às 19:45

Usuários de transporte coletivo protestam – via twitter – contra o aumento nas tarifas de ônibus

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

A prefeita Micarla de Sousa paga o preço – alto, por sinal – de ser gestora em tempos de twitter.
Que ninguém gosta de aumento – a não ser de salários – isso é fato. Que eles são concedidos, mesmo sob protestos, também é fato.
O reajuste nos preços das tarifas de ônibus causou reação entre os natalenses que se utilizam do transporte público.
E o twitter – onde anônimos ou não – dizem o que bem querem, foi o canal para se protestar contra o aumento que entrará em vigor amanhã, um ano e meio depois do último reajuste.

Sorte teve o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves, que durante os 6 anos de mandato, reajustou as tarifas dos ônibus, sob protestos frequentes, mas bem mais silenciosos.
O twitter não é do tempo de Carlos Eduardo, apesar da internet já ter sido um canal forte nos tempos do ex-prefeito.
Sorte teve a ex-prefeita Wilma de Faria, que governou Natal por 3 mandatos, e neles, em todos os anos concedeu aumento nas tarifas de ônibus.
Também sob protestos menos públicos.
Sorte teve o ex-prefeito – hoje ministro – Garibaldi Filho. Prefeito duas vezes de Natal, e sempre por volta dos meses de abril e maio, anunciando reajuste nas tarifas de ônibus.
Sempre sob protestos discretos e não ouvidos.
E a gente pode dizer que sorte hoje tem o povo, que tem a internet para reclamar, que tem o twitter para esbravejar, nem que seja contra o óbvio, o esperado, do natural…

Assim como a prefeita de Natal, Micarla de Sousa, que reajustou – através do prefeito em exercício Paulinho Freire – as tarifas em 10%, e acabou sendo atingida pelos protestos barulhentos da internet, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab – no DEM e de muda para o PMDB – também foi alvo dos usuários de transporte público agora em janeiro.
Em São Paulo, o prefeito reeleito reajustou as tarifas em 11,11%.
O twitter também não pedoou o prefeito paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.