#JornalismoSemFakeNews

10 de fevereiro de 2011 às 17:23

Exonerados da Datanorte reclamam que não receberam direitos trabalhistas

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

De um funcionário – dos que trabalhavam – demitido da Datanorte logo no início do governo Rosalba Ciarlini, o Blog recebeu hoje o seguinte e-mail:

Thaisa
Acho que a notícia é interessante jornalisticamente e ajudaria bastante a todos nós, ex-Datanorte, se você divulgasse, mas claro que vc pode ficar à vontade.
O fato é que até agora, quase um mês após as exonerações da Datanorte,
ninguém recebeu nenhum centavo a que tem direito pela lei trabalhista. O que ocorre é que os comissionados tinham carteira assinada (empresa de Economia Mista), regime CLT. Tudo bem que alguns não trabalhavam, mas posso falar por mim e outros que davam duro mesmo! Sem hipocrisia. Sempre colocaram todos nós no mesmo saco, como se ninguém trabalhasse, mas o fato é que tinha gente que dava o sangue por aquilo ali, eu via, inclusive gente que estava ali há 12, 8, 6 anos… enfim, e hoje estão sem receber um centavo da rescisão trabalhista.

Sei que foram duas etapas de exonerações. Falo da minha. No dia 12 de janeiro, 41 comissionados foram exonerados, incluindo eu, chefe de gabinete, aqueles tais 24 auditores institucionais e outros. O governo tinha 10 dias para homologar a rescisão, pagar aviso prévio, proporcional de férias, 13º salário, além disso, de posse da documentação poderíamos sacar o FGTS. A lei garante que passando desse prazo o empregador paga uma multa por atraso, mais juros diários, se passar desses 10 dias. O fato é que fará um mês sábado e nenhuma informação nos foi passada! Dezenas de carteiras de trabalho estão lá. Quem precisa dela para começar em outro emprego, tem que ir lá pegar uma xerox. Acho isso um absurdo conosco.

Além disso, Thaisa, o FGTS está depositado e não conseguimos usufruir desse dinheiro. E quem ainda não arranjou emprego não tem como dar entrada no seguro desemprego. É ou não é desrespeito? Até porque o seguro nem vem dos cofres do governo do estado. É o governo federal quem paga.
A grande questão é que, se tem carteira assinada, nós não estamos pedindo nada que não seja do nosso direito! E se não tinha dinheiro para pagar, por que não pensou nisso antes? São desinformados da própria estrutura ou usaram de má fé conosco.
Ex-funcionário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.