#JornalismoSemFakeNews

9 de junho de 2011 às 17:00

Nada fará o Bispo Francisco de Assis deixar a CEI dos Aluguéis

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

O vereador Bispo Francisco de Assis, do PSB, declarou agora ao Blog que não abre mão da presidência da CEI dos Aluguéis como estão querendo os colegas de bancada, vereadores Júlia Arruda e Júlio Protásio.
“Eu estava em Brasília quando fui comunicado da CEI e quando cheguei fui procurado por Júlio Protásio que me disse que a bancada do PSB tinha decidido que eu seria o indicado do partido para ser membro da Comissão. Eu nem queria e perguntei “por que eu?, e Júlio disse que por eu ser uma pessoa sensata, um cristão. Eu continuei resistindo, mas aceitei já que havia sido indicado pela minha bancada”, disse o Bispo, explicando como foi parar na CEI dos Aluguéis, criada para investigar contratos firmados pela Prefeitura de Natal.
O Bispo disse que na primeira reunião, quando os 3 integrantes da Comissão – ele e os vereadores Albert Dickson (PP) e Sargento Regina (PDT) – justificaram porque queriam exercer os papéis de relator e presidente, ele optou pela presidência e votou nele mesmo, tendo obtido o voto de Albert. A vereadora Regina votou nela e não aceitou ter ficado sem função, daí ter desistido de investigar os contratos de aluguéis através da CEI.
Hoje, o Bispo Francisco de Assis se reuniu com os vereadores Júlia Arruda, Júlio Protásio e Adenúbio Melo, ambos do PSB, e recebeu de Júlio e Júlia, o convite para deixar a CEI. “Adenúbio ficou do meu lado e Dickson Nasser, que é do PSB também, não participou da reunião mas me ligou dizendo que estava do meu lado. A gente não pode querer que um processo democrático, legítimo, seja mudado porque alguém mudou de idéia”, disse o vereador-presidente da CEI, sem saber responder ao Blog o que motivou o vereador JúlionProtásio a mudar de idéia e desfazer o convite que fez, convencendo-o a integrar a Comissão. “É uma pergunta que eu não sei responder. Foi Júlio quem mais insistiu para eu ser presidente. Eu não pedi para ser indicado. Mas isso é brincadeira? Ganhar democraticamente e depois mudar? A gente tem que ter palavra e caráter. Não me importa se a prefeita Micarla vai sair ou vai ficar, me importa agora o meu caráter”, afirmou o vereador. Quando perguntei o que o faria mudar de ideia, o presidente da Comissão Especial de Inquérito respondeu rápido: “Nada”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • Perfil