Thaisa Galvão

30 de novembro de 2011 às 14:06

Ministério Público conclui que Governo deve 17 milhões à Saúde do Município de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A prefeita de Natal, Micarla de Sousa, vem pedindo ao governo do Estado o repasse obrigatório – de acordo com a comissão tripartite do Ministério da Saúde – de recursos para manutenção da UPA de Pajuçara, para conclusão das obras da UPA da Cidade da Esperança, para manutenção de AMEs…

Nem água.

Na semana passada a governadora Rosalba Ciarlini prometeu construir a UPA da Cidade da Esperança para dar de presente ao deputado candidato a prefeito, Rogério Marinho.

Hoje o Ministério Público Estadual exige que o governo faça o repasse devido à Prefeitura.

Sem mérito para ninguém. Apenas cumprindo a lei.

Veja o que publica o site do MP:

MP AJUÍZA AÇÃO PARA GARANTIR REPASSES PARA SAÚDE

Segundo as Promotoras de Saúde, o Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Planejamento e de Saúde, deixou de repassar mais de R$ 17 milhões para a saúde municipal da Capital.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, através da Secretaria Estadual de Planejamento e de Saúde, deixou de realizar o repasse de mais de R$ 17 milhões para a Pasta da Saúde municipal de Natal. Essa é a constatação das Promotoras de Justiça de Defesa da Saúde na Ação civil Pública Ajuizada no último dia 28 (segunda-feira).

Essa verba é referente a repasses que deveriam ter sido feitos em 2010 e 2011 para subsidiar os programas da assistência farmacêutica básica, o fortalecimento da atenção básica, a atenção às urgências (SAMU e UPA) e o reajuste de média e alta complexidade ao município de Natal.

O Ministério Público acompanha os repasses na área de saúde desde o ano 2005, mas através do Inquérito Civil nº 005/2009-62ª PJ, instaurado em 2009, foi detectada a descontinuidade de repasses do financiamento estadual a partir do ano de 2010. Segundo as Promotoras de Justiça, isto acaba gerando o agravando de outros sérios problemas enfrentados pela saúde pública.

“Não há dúvida, pois, quanto ao dever do Estado do Rio Grande do Norte de efetivar os repasses em atraso referentes aos Programas Farmácia Básica (medicamentos e insumos) e Atenção Básica, além da Atenção às Urgências (SAMU e UPA), e Reajuste e Média e Alta Complexidade, a fim de que o Município de Natal tenha plenas condições de oferecer aos usuários do Sistema Único de Saúde atendimento digno e capaz de suprir as necessidades da população, inclusive em alguns casos referenciada do interior do Estado, atualmente prejudicada pela falta dos citados repasses”.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*